A importância da língua portuguesa na área de administração

A importância da língua portuguesa na área de administração

(Parte 1 de 3)

MARTINS, Vera Lucia Bianchini MONTEIRO, Jucilene A. Arruda

Interessados em chamar a atenção dos professores, dos profissionais de

Comunicação e dos estudantes sobre a real importância da Língua Portuguesa, os estudiosos do assunto têm realizado, no Brasil, vários estudos, seminários e encontros, sendo que, em 1999, foi realizado pela Academia Brasileira de Letras (ABL), em conjunto com o Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), um seminário sobre os desafios e soluções referentes à Língua Portuguesa, o qual teve a participação de acadêmicos ilustres como Lygia Fagundes Teles e o Presidente da ABL, Sr. Arnaldo Niskier.

Em uma pesquisa efetuada pelo CIEE, foi constatado que 70% dos alunos de

Administração baseiam sua formação em apostilas reproduzidas na própria faculdade. Vários jornais têm mostrado essa preocupação. A Folha de São Paulo evidenciou, em muitas de suas reportagens, que o estudante universitário lê pouco e, quando lê, tende a se limitar às apostilas, aos resumos e aos capítulos xerocopiados dos livros.

Na maioria das vezes, há também uma grande deficiência em redação, envolvendo tanto os erros gramaticais quanto a deturpação e deformação de conceitos e fatos.

Revista Eletrônica de Ciência Administrativa (RECADM) - ISSN 1677-7387 Faculdade Cenecista de Campo Largo - Coordenação do Curso de Administração v. 1, n. 1, maio/2003 - http://revistas.facecla.com.br/index.php/recadm/

No intuito de auxiliar os estudantes e profissionais de administração e ainda criar subsídios para a mudança desse perfil é que este trabalho foi realizado. Ele possui como objetivo principal conscientizar os profissionais da área de administração sobre a importância da correta utilização da língua materna em seu cotidiano, aspecto este que influencia não só a imagem da empresa em que atua, como também a sua própria imagem como profissional e cidadão brasileiro.

Para tanto, foram desenvolvidos de maneira lógica e objetiva, os seguintes tópicos:

A Língua Portuguesa nos processos de recrutamento, seleção, admissão, treinamento e demissão; A Língua Portuguesa x Imagem x Qualidade Total; A importância da adequada abordagem nas redações comerciais; A linguagem como fator de venda de imagem.

Morin (1995, p. 81), citado por Maria Cândida Moraes no livro O Paradigma

Educacional (1999, p. 72), afirma: “Eu considero impossível conhecer as partes sem conhecer o Todo, assim como conhecer o Todo sem conhecer particularmente as partes”. É uma concepção sistêmica. A partir desse conceito, chega-se à conclusão de que existe um sistema (para este trabalho, a empresa). Esse sistema é formado por partes que se integram e se complementam entre si (setores, departamentos e colaboradores).

O sistema como um todo é representado por suas partes individualmente ou em conjunto, ou seja, a sua imagem dependerá dessas partes e o impacto externo será determinado pela atuação das partes. Sendo assim, pode-se ilustrar o pensamento acima com o diagrama a seguir:

Revista Eletrônica de Ciência Administrativa (RECADM) - ISSN 1677-7387 Faculdade Cenecista de Campo Largo - Coordenação do Curso de Administração v. 1, n. 1, maio/2003 - http://revistas.facecla.com.br/index.php/recadm/

Imagem

SISTEMA (Empresa)

Deptos. Setores

Colaboradores Resultado(Impacto)

Feedback (resposta externa positiva ou negativa)

Revista Eletrônica de Ciência Administrativa (RECADM) - ISSN 1677-7387 Faculdade Cenecista de Campo Largo - Coordenação do Curso de Administração v. 1, n. 1, maio/2003 - http://revistas.facecla.com.br/index.php/recadm/

A Língua Portuguesa nos Processos de Recrutamento, Seleção, Treinamento, Admissão e Demissão

Sabe-se que, na administração de uma empresa, a comunicação é extremamente importante uma vez que todas as informações no âmbito organizacional devem ser transmitidas com clareza e objetividade, de modo que não gerem dúvidas aos receptores das mensagens.

Especificamente no que tange à Administração de Recursos Humanos, percebe-se a grande e peculiar importância da língua materna.

O recrutamento de pessoal consiste em procedimentos pelos quais a empresa tem como objetivo atrair a mão-de-obra de que necessita.

Isso pode ser feito por intermédio de diversas fontes, tais como: escolas, agências de emprego, anúncios em jornais, rádio, televisão, internet e similares. Um dos meios mais utilizados para atrair candidatos são os anúncios efetuados pela imprensa escrita, devido à sua praticidade. Entretanto, a redação do anúncio deve ser clara e conter informações essenciais para atrair os candidatos mais desejáveis. Para tanto, a pessoa do anunciante deverá demonstrar domínio de vocabulário, utilizar-se de palavras e frases dispostas corretamente, evitando, dessa forma, a disseminação de dúvidas e incoerências na mensagem.

Segundo o Prof. Eli Rozendo (1980, p. 35), a linguagem é uma fonte de muitas falhas na comunicação, e o desconhecimento do significado correto de uma palavra por parte do receptor pode levar à incompreensão e ao fracasso de toda a mensagem. De outra forma, se o emissor faz uso de uma palavra sem ter certeza do seu significado, pode produzir uma mensagem inteiramente diferente da que deseja transmitir.

Revista Eletrônica de Ciência Administrativa (RECADM) - ISSN 1677-7387 Faculdade Cenecista de Campo Largo - Coordenação do Curso de Administração v. 1, n. 1, maio/2003 - http://revistas.facecla.com.br/index.php/recadm/

Ainda no que se refere ao processo de recrutamento, a maneira como a mensagem for transmitida será a responsável pelos candidatos advindos dessa procura, sendo que uma mensagem clara e objetiva atrairá candidatos realmente “atinentes” ao cargo em questão, enquanto que, se a mensagem gerar dúvidas devido à incoerência ou à falta de objetividade, poderá atrair candidatos com perfis profissionais alheios aos que o cargo necessita. Tal fato causaria perda de tempo e transtornos, o que poderia ser evitado com a correta utilização da Língua Portuguesa, com um vocabulário adequado e com palavras bem empregadas e frases bem formuladas.

O mesmo raciocínio deverá ser utilizado nos processos de seleção, treinamento, admissão e demissão de empregados, ou seja, faz-se necessário um cuidado especial na transmissão de mensagens oriundas dos processos de comunicação organizacional, sejam essas mensagens transmitidas de forma oral ou escrita, a fim de que não causem dúvidas, transtornos e/ou constrangimentos para ambas as partes (empregado e empregador), pois a forma como essa mensagem é transmitida, poderá, também, influenciar negativa ou positivamente a imagem da organização.

Língua Portuguesa x Imagem x Qualidade Total

Vive-se, atualmente, em busca da qualidade total em produtos e serviços.

Pode-se deduzir, então, que uma empresa que objetiva alcançar a qualidade total não poderá transmitir uma imagem negativa a seus clientes, ou seja, esse tipo de impacto poderá causar à sua clientela uma rejeição por seus produtos e/ou serviços.

Revista Eletrônica de Ciência Administrativa (RECADM) - ISSN 1677-7387 Faculdade Cenecista de Campo Largo - Coordenação do Curso de Administração v. 1, n. 1, maio/2003 - http://revistas.facecla.com.br/index.php/recadm/

Pode-se assim concluir que há uma ligação intrínseca entre a imagem da empresa e a busca da qualidade total dessa organização.

A Língua Portuguesa como um todo está amplamente ligada a esses dois fatores, já que há uma relação de interdependência entre ela e a imagem, no que concerne às mensagens escritas e orais emitidas pela empresa.

A mensagem será causadora de um impacto em todos que a receberem.

Esse impacto (positivo ou negativo) refletirá a imagem da organização.

Sendo assim, a imagem da empresa depende de seus dirigentes e colaboradores. Afinal, como explicar um diretor escrevendo em uma carta comercial: “se houverem perspectivas”, “estou enviando”, “a reclamação foi efetuada junto ao órgão competente” ou “a nível de...” ou mesmo verbalizando tais expressões? Fica aqui um questionamento: Que imagem esse diretor transmitirá da empresa ou do setor em que trabalha? Será a imagem de alguém preparado para o mercado atual, tão exigente quanto ao “ouro” maior chamado conhecimento?

Segundo Frank M. Corrado, em seu livro A Força da Comunicação (1994, p. 13), a comunicação pode causar um impacto direto no resultado final – para melhor ou para pior. Salienta, ainda, que quatro de cada cinco executivos principais acreditam “de verdade” que seus esforços de comunicação podem realmente causar esse impacto. Dessa forma, há que se oferecer caminhos mais acessíveis para o aprendizado da Língua Portuguesa em seus diversos aspectos: gramática, interpretação de textos, redação e outros pertinentes ao estudo da língua materna. Só assim as empresas serão capazes de gerar e transmitir comunicações claras e objetivas em seus vários níveis hierárquicos, interna ou externamente, evitando equívocos e construindo uma imagem positiva no mercado em que atuam.

Revista Eletrônica de Ciência Administrativa (RECADM) - ISSN 1677-7387 Faculdade Cenecista de Campo Largo - Coordenação do Curso de Administração v. 1, n. 1, maio/2003 - http://revistas.facecla.com.br/index.php/recadm/

A Importância da Adequada Abordagem nas Redações Comerciais

A redação é item de extrema importância em uma organização, sendo a sua correta abordagem fator fundamental para o entendimento da mensagem final.

A redação de cartas comerciais, ofícios, memorandos, atas, relatórios, acordos, requerimentos, circulares, contratos e similares fazem parte do cotidiano das organizações, sejam elas, pequenas, médias ou grandes empresas.

Nos dias atuais, escrever com clareza, coerência e concisão é uma vantagem competitiva capaz de elevar a imagem da empresa perante a sua clientela, os seus colaboradores, os seus fornecedores e, também, perante a concorrência. Trata-se de uma competência especial na comunicação, uma preocupação em fazer o melhor, produzir produtos e prestar serviços que tenham arraigados em si um patrimônio cultural que é a Língua Portuguesa, na clareza e objetividade dos textos, na gramática correta, na certeza de que a mensagem transmitida não será geradora de dúvidas, e sim de uma interpretação certeira.

Para uma boa redação há que se ter argumentação adequada e convincente, além de precisão e assertividade vocabular, criatividade, coerência e, ainda, conhecimento do assunto em questão. Devem ser evitadas as falhas gramaticais, as gírias, as pontuações inadequadas, os pleonasmos, os estrangeirismos, as expressões vagas ou ambíguas, além de outros empecilhos que possam influir na precisão dos resultados esperados com a veiculação de tal mensagem.

De acordo com João Bosco Medeiros (1995, p. 47), pensar antes de falar e refletir antes de escrever são regras fundamentais para a comunicação eficaz.

Revista Eletrônica de Ciência Administrativa (RECADM) - ISSN 1677-7387 Faculdade Cenecista de Campo Largo - Coordenação do Curso de Administração v. 1, n. 1, maio/2003 - http://revistas.facecla.com.br/index.php/recadm/

Para Medeiros (1995, p.7), a redação comercial exige a mesma atenção que se dedicaria a um texto literário ou a um relatório técnico. Não é com agastamento, cansaço ou aborrecimento que se transmite uma imagem positiva da empresa; também não se conquista a atenção do leitor com uma linguagem pejada de estrangeirismos, e cuja estruturação frasal seja confusa.

Torna-se, portanto, necessária por parte dos administradores a plena consciência de que a imagem da empresa em seu mercado de atuação é fator que depende intrinsecamente da maneira pela qual a organização se comunica e expressa a sua mensagem.

A Linguagem como fator de Venda de Imagem

(Parte 1 de 3)

Comentários