(Parte 1 de 2)

I. INTRODUÇÃO FUNÇÃO: Transporte de substâncias; Homeostase sanguínea.

Sistema vascular sanguíneo: transporta o sangue.

Coração – artérias – capilares – veias • Grande circulação;

• Pequena circulação.

Sistema vascular linfático: transporta a linfa. Diferenças: • Passa por linfonodos;

• Inicia-se em capilares com fundo cego, que aumentam seu calibre até desembocar nas veias de grande calibre.

1. TÚNICA ÍNTIMA Formada por epitélio simples pavimentoso (endotélio) + tecido conjuntivo subendotelial. 2. TÚNICA MÉDIA

Presença de fibras musculares lisas e tecido conjuntivo. 3. TÚNICA ADVENTÍCIA Presença de tecido conjuntivo rico em fibras colágenas.

I. CARACTERÍSTICAS HISTOLÓGICAS DE ARTÉRIAS E VEIAS 1. Artérias: - 3 túnicas bem individualizadas;

- Diâmetro da parede > diâmetro do lúmen;

- Classificação a partir da túnica média. 2. Veias: - 3 túnicas mal individualizadas;

- Diâmetro da parede < diâmetro do lúmen;

- Lúmen amplo e irregular;

- Presença de válvulas;

- Classificação a partir da túnica adventícia.

• Artérias de grande calibre (elásticas): Predomínio de fibras elásticas na túnica média, não sendo possível visualizar as membranas limitantes elásticas interna e externa.

• Artérias de médio calibre (muscular): Predomínio de fibras musculares lisas na túnica média, sendo possível individualizar a membrana limitante elástica interna e externa.

• Arteríolas: Predomínio de fibras musculares lisas formando até 3 camadas, sem membrana limitante elástica interna ou externa.

• Veias de pequeno e médio calibre (fibrosas): Predomínio de tecido conjuntivo com fibras colágenas na túnica adventícia.

• Veias de grande calibre (musculares): Predomínio de fibras musculares lisas na túnica adventícia.

Vasos linfáticos assemelham-se morfologicamente às veias.

• Capilares contínuos: endotélio + lâmina basal contínuos; • Capilares fenestrados: endotélio com poros e diafragma + lâmina basal contínua; • Capilares sinusóides: endotélio + lâmina basal descontínuos.

Sangue é uma massa líquida que circula em compartimento fechado. • Plasma

• Elementos figurados (plaquetas, hemácias, leucócitos)

Função: Transporte de nutrientes, hormônios, catabólitos, Anticorpos, gases, células

Coleta de sangue: • Uso de anticoagulante

1. Plasma sanguíneo Solução aquosa de coloração amarelada, constituída por 90% água e 10% de substâncias, como proteínas, aminoácidos, hormônios, vitaminas, glicose.

Soro sanguíneo: plasma – fibrinogênio

2. Plaquetas Pequenos fragmentos do citoplasma de células gigantes da Medula Óssea, os megacariócitos, sendo anucleados. Função: promover coagulação sanguínea.

3. Hemácias Células anucleadas, formato disco bicôncavo, tempo de vida média 120 dias. Apresenta hemoglobina na sua constituição, que dá a coloração acidófila e colabora com o carreamento dos gases.

4. Leucócitos

Células migratórias, que circulam dentro de vasos sanguíneos até chegar nos tecidos-alvos, a partir da liberação tecidual de substâncias quimiotáticas (quimiotaxia), realizando o fenômeno de diapedese para entrar no tecido infectado.

Função: defesa celular e imunocelular. Classificação: de acordo com afinidade tintorial e presença de grânulos. Granulócitos: Grânulos citoplasmáticos específicos e inespecíficos. • Neutrófilos;

• Eosinófilos;

• Basófilos.

Agranulócitos: Grânulos citoplasmáticos inespecíficos. • Monócitos;

• Linfócitos.

Neutrófilos Coloração: Rosa salmão.

Núcleo: lobulado. 70% pop. Grânulos: Com produtos antimicrobianos e antibacterianos.

Monócitos Coloração: acinzentado.

Núcleo: Formato rim ou ferradura, excêntrico. 8% pop. Grânulos escassos. Monóc ----- Macrófago.

Eosinófilos Coloração: Alaranjado.

Núcleo: bilobulado. 4% pop. Grânulos: Cobrem o citoplasma. Antiparasitários, enzimas hidrolíticas.

Linfócitos Coloração: azul-claro.

Núcleo: Gde esférico com pequena edentação. 25% pop. Grânulos escassos. Linfócitos T e B.

Basófilos Coloração: roxo granulado.

Núcleo: formato retorcido e irregular (S). 1% pop. Grânulos: específicos metacromáticos (roxos).

Responsável pela defesa imunológica do corpo. É formado por tecido linfóide rico em fibras reticulares, células reticulares, macrófagos fixos, infiltrados de células livres, principalmente Linfócitos T e B, macrófagos livres e plasmócitos. • Tecido linfóide difuso: Distribuído difusamente no tecido;

• Nódulo linfóide: Agregados esféricos de linfócitos, principalmente B.

Centro germinativo ou reacional: área central, mais clara, pouco corado pela hematoxilina.

1. CLASSIFICAÇÃO DOS ÓRGÃOS LINFÓIDES: Órgãos linfóides intraparietais:

Só possuem vasos eferentes. 1. Tecido linfóide difuso, rico em linfócito T; 2. Nódulos linfóides isolado, rico em linfócito B; 3. Nódulos linfóides associados, rico em linfócito B (Ex: Placas de Peyer).

Órgãos linfóides extraparietais: 1. Intercalados na circulação linfática: linfonodos; 2. Intercalados na circulação sanguínea: Baço; 3. Só com vasos linfáticos eferentes: Timo.

2. LINFONODOS

Função: Filtragem da linfa, removendo partículas estranhas.

Órgãos encapsulados, com formato ovóide ou de grão de feijão, com hilo, por onde entram e saem vasos sanguíneos.

HISTOLOGIA Cápsula de tecido conjuntivo denso que emite septos para o interior do órgão, dividindo-o em compartimentos incompletos.

Possui três regiões: CORTICAL: superficial, constituída por tecido linfóide frouxo. Seios subcapsulares Seios peritrabeculares Nódulos linfóides Células predominantes: linfócitos B, macrófagos e células reticulares.

PARACORTICAL: é a cortical profunda, não apresentando nódulos, mas sim tecido linfóide difuso, mal individualizado. Células predominantes: Linfócitos T, células reticulares, plasmócitos e macrófagos. Região timo dependente.

MEDULAR: Cordões medulares com linfócitos B, células reticulares, macrófagos. Seios medulares.

3. TIMO

Órgão linfoepitelial, situado no mediastino, atrás do estreno e na altura dos grandes vasos do coração. Possui 2 lobos envoltos de cápsula de tecido conjuntivo denso. Septos dividem o parênquima em lóbulos. FUNÇÃO: Diferenciação do linfócito T.

Cada lóbulo: ZONA CORTICAL (fortemente corada em roxo) e ZONA MEDULAR (mais clara). Medula possui o corpúsculo de Hassall, constituído por células reticulares epiteliais achatadas em arranjo concêntrico.

Tipos celulares: - Linfócitos T;

- Células reticulares;

- Macrófagos.

4. BAÇO

É o maior acúmulo de tecido linfóide do organismo, interposto na circulação sanguínea.

Funções: - Formação dos linfócitos;

- Destruição de hemácias;

- Defesa do organismo; - Armazenamento de sangue.

Cápsula de tecido conjuntivo denso, que emite septos que dividem incompletamente o órgão. Entre as polpas há uma faixa mal definida denominada Zona marginal, de tecido linfóide frouxo.

Polpa branca: tecido linfóide constituída pelas bainhas periarteriais (linfócitos T) e nódulos linfóides (linfócitos B).

Polpa vermelha: Cordões esplênicos separados por capilares sinusóides. Estruturas predominantes: Fibras reticulares e células reticulares, macrófagos, linfócitos T e B, plasmócitos, monócitos, plaquetas e eritrócitos.

Porção condutora: filtra, umedece e aquece o ar Porção respiratória: troca de gases

Epitélio tipo respiratório: epitélio pseudoestratificado prismático ciliado com células caliciformes PORÇÃO CONDUTORA

¾ Fossas nasais

Possui três regiões: - Vestíbulo

- Área respiratória: Epitélio respiratório com 6 tipos celulares:

Células colunares ciliadas Células caliciformes

Células basais Células em escova – células imaturas/ células com expansões dendríticas na base – receptor sensorial

Células granulares (células endócrinas) - Área olfatória – sensibilidade olfativa

Falsas cordas vocais (1º par de pregas) Cordas vocais verdadeiras (2º par de pregas) – ext: m intrínseco da laringe

Ar passa ---- contrai os músculos --- modifica a abertura das cordas --- emissão de sons

Túnica mucosa: Epitélio tipo respiratório + lâmina própria de tecido conjuntivo frouxo;

Túnica submucosa: Tecido conjuntivo com glândulas mistas; Túnica adventícia: Conjuntivo músculo cartilaginosa ou simplesmente conjuntivo cartilaginosa.

TRAQUÉIABRÔNQUIOS PRIMÁRIOS

Extrapulmonar Intrapulmonar BRÔNQUIOS 2º (LOBARES) BRÔNQUIOS 3º (SEGMENTARES)

BRONQUÍOLO RESPIRATÓRIO – Ducto alveolar

Saco alveolar Alvéolos pulmonares

Traquéia e brônquios 1º Brônquios lobares e segmentares

TM: Epitélio respiratório; LP TS: Tc frouxo com gandulas tubuloacinosas mistas TA: Tipo conjuntivo músculo cartilaginosa

TM: Epitélio respiratório + LP+ músculo liso bronquial (de Reissner)

TS: TC com glândulas TA: Tipo conjuntivo cartilaginoso

Brônquíolos terminais Bronquíolos respiratórios

TM: Epitélio simples prismático ou cúbico, poucas células caliciformes, com ou sem cílios, LP e Músculo liso bronquial TA: Tecido conjuntivo

- Células de clara

TM: Epitélio simples prismático ou cúbico, sem células caliciformes, com ou sem cílios. LP – fina, com tecido conjuntivo elástico e músculo liso entremeado.

Bronquíolos respiratórios: Ductos alveolares: termina em saco alveolar ou alvéolo simples

Saco alveolar: conjunto de alvéolos

Alvéolo: estrutura saculiforme Epitélio simples pavimentoso + lâmina basal, associado com capilar

Parede interalveolar: comum a dois alvéolos Possui 3 tipos celulares:

- Células endoteliais dos capilares - Pneumócitos tipo I

- Pneumócitos tipo I

- cavidade oral - esôfago

- estômago

- intestinos delgado e grosso

- reto

Glândulas anexas: - glândulas salivares

- fígado

- pâncreas

Função: retirar dos alimentos ingeridos as moléculas necessárias para o desenvolvimento e a manutenção do organismo

Cavidade oral Revestimento: Tecido epitelial de revestimento estratificado pavimentoso nãoqueratinizado.

Palatos: - Duro: membrana mucosa repousa sobre o tecido ósseo

- Mole: músculo estriado esquelético e glândulas salivares na submucosa

Língua: - massa de tecido muscular estriado face inferior: mucosa lisa face superior: aspecto irregular (papilas linguais)

Papilas linguais Elevações da mucosa que assumem formas e funções diferentes:

- Papilas filiformes: mais freqüentes, recobrem toda a superfície superior da língua, não contém corpúsculos gustativos.

- Papilas fungiformes: pouco freqüentes, entremeadas com as papilas filiformes, podem conter corpúsculos gustativos.

- Papilas circunvaladas: formam o V lingual, são 7 ou 12, apresentam grande número de corpúsculos gustativos; glândulas salivares desembocam no sulco destas papilas.

Dentes: Dispostos nas arcadas dentárias. Estrutura: coroa, colo, raiz Esmalte: - estrutura mais rica em cálcio do organismo

- é constituído por 96% de hidroxiapatita

- translúcido: coloração causada pela dentina subjacente

- estrutura não viva: ameloblastos morrem antes da erupção dos dentes

Dentina: - tecido calcificado, mais duro que o osso.

- glicoproteinas, colágeno tipo I, cristais de hidroxiapatita

- persiste calcificada por longo tempo

- produzida por odontoblastos: periferia da polpa.

Polpa: - ocupa a cavidade pulpar

- formada no adulto por tecido conjuntivo frouxo - ricamente inervada e vascularizada.

Periodonto Estrutura responsável pela fixação dos dentes nos ossos maxilares e mandibular: cemento, ligamento periodontal, lâmina dura ou osso alveolar.

Estrutura geral do tubo digestório: 1. mucosa 2. submucosa 3. muscular 4. serosa ou adventícia

Principais funções do epitélio da mucosa: - Barreira semipermeável

- Síntese e secreção de enzimas para a disgestão dos alimentos

- Promover a absorção dos produtos da digestão

- Secreção de hormônios que participam da coordenação das atividades do aparelho digestório - Produção do muco.

Esôfago

Apresenta-se como um tubo muscular Função: Transportar rapidamente o alimento da boca para o estômago Glândulas esofágicas: presentes na submucosa Camada muscular: -músculo liso no terço inferior

-músculo estriado e liso no terço médio

-músculo estriado no terço superior

Estômago Função: - continuar a digestão dos hidratos de carbono

- acrescentar fluido ácido aos alimentos ingeridos

- quimo Pepsina: inicia a hidrólise das proteínas alimentares A mucosa do estômago também produz uma lípase.

Regiões do corpo e fundo: - Lâmina própria completamente preenchida por glândulas tubulosas ramificadas (gls gástricas) - 3 a 7 glândulas gástricas ou fúndicas para cada fosseta

- estrutura da glândula gástrica

- colo: células fonte, células parietais ou oxínticas, células mucosas do colo

- Base: células parietais, células principais ou zimogênicas, células enteroendócrinas.

Células fonte – células cúbicas baixas Células parietais ou oxínticas: - Presentes principalmente na região do colo

- Secretam ácido clorídrico

- Secretam H+

Células mucosas do colo - Em pequeno número, no colo da glândula

- Muco solúvel –lubrifica o conteúdo gástrico

Células zimogênicas ou principais - Basófilas (RER), loclaizadas na base das glândulas

- Secretam pepsinogênio, renina e lípase. O HCl o converte na enzima pepsina.

Células enteroendócrinas (DNES) - Há pelo menos 13 tipos diferentes

- Liberam sua secreção na LP – efeito parácrino, endócrino ou neurócrino

Região Cárdica - Estreita faixa – 1,5 a 3 cm de largura

- A lâmina própria apresenta glândulas tubulosas – as células secretoras produzem muco e lisozima, porém podem ocorrer algumas células parietais (HCl).

Região Pilórica - Fossetas gástricas muito profundas

- Glândulas produtoras de muco

- Apresentam muitas células enteroendócrinas produtoras de gastrina – estimula a secreção das células parietais.

Submucosa - tecido conjuntivo rico em vasos sanguíneos e linfáticos

Muscular - fibras dispostas em três direções diferentes

Serosa - delgada e coberta por mesotélio

Dividido em três partes, apresentando pequenas diferenças histológicas: - duodeno

- jejuno

- íleo

Características histológicas comuns: Modificações para aumentar a área de superfície - pregas circulares:

Dobras transversais, envolvem mucosa e submucosa

Formam elevações semicirculares Estruturas permanentes

Aumentam a área de superfície 2 a 3 vezes. - vilosidades:

Protusões digitiformes, cobertas por epitélio

Estruturas permanentes

Aumentam a área da superfície 10x - microvilosidades:

Modificam do plasmalema apical das células epiteliais das vilosidades intestinais

Aumentam a área de superfície 10x

Mucosa intestinal - epitélio colunar simples

Células absortivas superficiais

Células caliciformes Células enteroendócrinas Células M - lâmina própria

Glândulas intestinais ou de Lieberkühn – células absortivas superficiais, células enteroendócrinas, células caliciformes, células regeneradoras, células de Paneth - muscular da mucosa

Submucosa: - tecido conjuntivo denso não-modelado

- plexo submucoso ou de Meissner

Glândulas duodenais (de Brunner):

Ductos atravessam a muscular da mucosa Secretam fluido mucoso alcalino Produzem o hormônio urogastrona (que diminui a produção de HCl)

Muscular: - Camada circular interna

Plexo mioentérico de Auerbach - Camada longitudinal externa

Características das regiões do intestino delgado: DUODENO - Segmento mais curto

- Recebe a bile (ducto biliar comum) e sucos digestivos do pâncreas 9ducto pancreático) JEJUNO - Vilosidades mais estreitas, curtas e escassas do que as do duodeno ÍLEO - As vilosidades sãoas mais escassas, curtas e estreitas das três regiões

- Lâmina própria apresenta grupos de nódulos linfáticos (placas de Peyer)

Atividade secretora do Intestino Delgado Secreção de muco e fluido aquoso - estimulo nervoso

(Parte 1 de 2)

Comentários