(Parte 1 de 3)

1-CONSIDERAÇÕES GERAIS :

A Liderança é um tema muito discutido desde os mais remotos tempos pelo homem. Ser um líder, e conseguir formá-los, é um desafio a cada dia maior para o homem e também das organizações.

O estilo de liderança é positivo naquele que é eficaz nas tarefas mais ousadas e não deixa passar as oportunidades. O alicerce da liderança está na capacidade de se comunicar. Desta maneira a comunicação é a mola mestra para o exercício da influência, coordenação das atividades grupais e, por conseguinte ,para a efetivação do processo de liderança. Então vejamos, a Liderança é a capacidade que um ser humano tem de influenciar um grupo ou de uma equipe de trabalho, com a finalidade de atingir objetivos e metas específicas , e para isso é preciso fazer valer o processo da comunicação.

Por outro lado a comunicação visa, pois, provocar mudanças no comportamento dos indivíduos, através de atitudes positivas que estão relacionadas ao seu desempenho, e que termina com a satisfação do profissional. Podemos dizer que a comunicação está no núcleo da liderança, uma vez que a liderança está voltada ao relacionamento interpessoal, no qual os líderes encantam e influenciam pessoas para mudança através processo de comunicação.

Frederick W. Taylor embasava sua teoria da seguinte maneira se os trabalhadores pudessem ser instruídos sobre como fazer melhor uma tarefa, a produtividade aumentaria. (MARQUIS & HUSTON, 1999).

Desde os estudos de Fayol segundo os quais o homem era visto como um ser naturalmente sem responsabilidade como o trabalho necessitando ser controlado pela organização, mostram-se na prática o gerenciamento do pessoal de enfermagem, sendo uma função supervisora enfaticamente fiscalizadora e punitiva, em tempos mais antigos e que agora está passando por uma mudança, (KURCGANT. P. et. Al, 1996).

A ícone da Enfermagem Florence Nightingale, foi integrante de um movimento geral após a

Revolução Industrial pois surgiram muitos problemas sociais, e Florence tinha o propósito de melhorar as condições da vida humana., sendo um modelo do exercício da liderança.

1.1- DEFINIÇÃO DE LIDERANÇA:

A liderança é a definição de uma situação em que um indivíduo propõe uma relação de confiança com o outro, ou mesmo com um grupo, e a partir daí, este grupo começa a ser influenciado pelo comportamento do mesmo.

Segundo Maitland (1995, p.14) : “um bom líder é aquele que motiva e coordena sua equipe aplicando de forma eficaz suas habilidades individuais e grupais, seus conhecimentos e suas experiências de modo a alcançar as metas”. Desta maneira podemos observar que o sucesso de uma equipe se faz com boa liderança.

Para Terry, apud TREVIZAN (1993, p.34) “liderança é a atividade de influenciar pessoas fazendo-as empenhar-se voluntariamente em objetivos de grupos”. Segundo o autor os colaboradores necessitam de uma liderança que as influenciem para atingir objetivos.

Para RIBEIRO (1977) “o líder deve saber: planejar, organizar, controlar, medir, sistematizar, fazer regras, fazer orçamentos, escrever descrição de trabalho, ditar políticas, ditar definições e disciplinar” . O líder neste caso tem muitas atribuições, e deve receber a todos da equipe e informar a cada um deles, além de tratá-los com respeito e fazer com que cada integrante do grupo se sinta importante na tarefa que lhe é atribuída.

1.2- TEORIAS DA LIDERANÇA

Segundo Chiavenato(2000, p.154) a Teoria das Relações Humanas mostrou a influência da liderança em relação ao comportamento das pessoas. Existem três principais teorias sobre a liderança: a) Traços da personalidade. De acordo com esta teoria o líder tem características que chamam a atenção na sua personalidade , e que por isso o qualificam para esta função. b) Estilos de liderança. Esta teoria possui três estilos de liderança: autocrática, democrática e liberal. c)Situações de liderança. Esta teoria diz que o líder pode assumir diferentes padrões de liderança de acordo com a situação e para cada um dos membros da sua equipe.

1.3- LIDERANÇA EM ENFERMAGEM:

É um processo pelo qual uma pessoa, que é o enfermeiro, influencia as ações de outros colaboradores de enfermagem para o estabelecimento e para o alcance de objetivos. (YURA et al.,1981).

Entretanto, a liderança exercida pelo enfermeiro está fundamentada ao modo pelo qual a assistência de enfermagem está estruturada e, por essa causa, os papéis de monitor, disseminador e porta-voz serão processados pelo enfermeiro de acordo com a modalidade de assistência empregada e do estilo de liderança que o mesmo adota. Quando falamos em Liderança em Enfermagem vai implica em definir e planejar o método de assistência de enfermagem .

1.3.1.Métodos de Planejamento da assistência de Enfermagem:

a)Método de Caso, o enfermeiro foca o sua assistência apenas num paciente e procura alcançar todas assuas necessidades. Este método, ou modificações dele, é muito usado nos dias atuais em situações emergenciais e é aplicado por acadêmicos de enfermagem e enfermeiros envolvidos na processo de prestação de assistência privativa.

A organização desta assistência é muito simples, uma vez que a relação é de um para um, e isto propicia ao enfermeiro o exercício de uma liderança totalmente direcionada para a assistência direta ao paciente e para a administração dos seus cuidados sempre envolvendo a sua família.

A grande vantagem na utilização deste método é o prestação da assistência imediata das necessidades, que decorrem do processo comunicativo aberto e do relacionamento mais firme entre o enfermeiro e o paciente (TREVIZAN, 1993).

b)Método Funcional, neste método a assistência de enfermagem está dividida em tarefas desenvolvidas pelos colaboradores do grupo, de modo que cada um terá a responsabilidade por determinadas tarefas a serem realizadas para um determinado número de pacientes. Ao enfermeirochefe fica a responsabilidade de supervisionar a todos colaboradores do grupo, e deles receber os informes relacionados ao serviço. Este método almeja à eficiência de cada colaborador e está embasado na organização clássica de divisão do trabalho, e preconiza a delegação de autoridade e responsabilidade proveniente do topo da hierarquia. A liderança imposta a este grupo é diretiva ou autocrática; como consequência, a comunicação também será diretiva – comunicação que visa ao cumprimento de ordens e tarefas. Finalizando , as responsabilidades são impostas de acordo com o processo funcional (TREVIZAN,1993).

c) Método Equipe de Enfermagem, neste a liderança exercida pelo enfermeiro torna-se democrática ou criativa, a ideia neste método subentende-seque esta organização de assistência é o trabalho conjunto de uma equipe que atua como um grupo de democrático. Ao enfermeiro-líder compete planejar o cuidado de um grupo de pacientes, e bem como responsabilizar-se pelo trabalho de seus colaboradores: enfermeiros, técnicos.

A liderança desse profissional está embasada no conhecimento das necessidades dos pacientes; no conhecimento das habilidades, características individuais e necessidades dos colaboradores da equipe; e nos objetivos implementados pelo grupo. A característica mais forte deste método é o estimulo de motivação para que cada colaborador desenvolva o seu potencial, ao ser escolhido para cuidar de determinado paciente, o funcionário reconhece que foi considerado o de melhor qualificação para proporcionar-lhe uma assistência que supra as suas necessidades.

1.3.2-Estilos de Liderança em Enfermagem:

a) Liderança autocrática:

Nesta a centralização do poder é uma constante, mostrando um comportamento do colaborador de maneira dependente e submisso aos membros do grupo hierárquico, possuindo ainda sentimentos de tensão, frustração e grande manifestação de conflito entre membros da equipe.

O trabalho só se desenvolve com a presença física dos líderes, e o serviço é de baixa qualidade, tem maior quantidade de serviço que a Democrática(WEBBE, 2005). b) Liderança democrática:

O grupo tem autonomia para decidir e implementar estratégias para resolução dos problemas, para atingir metas, o líder intervem apenas pela solicitação grupal, necessita de orientações técnicas aconselhamento. A liderança democrática apresenta maior qualidade no serviço prestado, mas com menor quantidade de serviços (CHIAVENATO, 1993).

de acordo com Kurcgant (1993), “a grande desvantagem do estilo democrático e que a descentralização do poder influência a independência e o descomprometimento dos membros do grupo com os objetivos e medas da organização, ameaçando principalmente os líderes inseguros, cuja competência profissional e desqualificada seja vítima das críticas de seus subordinados”.

Desta maneira as dificuldades que o enfermeiro enfrenta no trabalho vem a questionar a liderança da enfermagem, principalmente quando o seu desempenho é de duplo papel de supervisor ou coordenador do cuidar, não realizando nenhuma das funções com qualidade.

c) Liderança do situacional:

Neste estilo de liderança situacional, parte da premissa de que não há um único estilo ou característica de liderança válida para toda e qualquer situação, cada vai requerer um estilo de liderança próprio com a sua realidade, e desta forma alcançar a eficácia no trabalho e promover o desempenho satisfatório dos colaboradores.

A equipe de enfermagem possui pessoas com diferentes personalidades e de nível técnico diversos, onde o enfermeiro deve ter uma “visão” grupal, e perceber em cada colaborador da equipe suas habilidades técnicas e ao mesmo tempo a superação de suas dificuldades, em meio a uma inter-relação entre a qualidade da orientação do líder que dedica um tempo determinado a explicar os deveres e responsabilidades de um colaborador ou de todo grupo (WEBBE, 2005).

1.3.3- As Características de um Líder

Segundo Chiavenato (1993), “o líder é aquele que possui alguns traços específicos de personalidade que o distinguem das demais pessoas do grupo”. Sendo assim o líder deve ter características marcantes de personalidade por meio das quais vão influenciar o comportamento dos membros do grupo.

2-O LÍDER COMO TRANSMISSOR DE INFORMAÇÕES:

Classificação dos papéis administrativos(três grupos)-MINTZBERG (1973) : interpessoais, informativos e decisionais. a)Os papéis interpessoais: Chefe,Líder,Coordenador-abrangem funções basicamente vinculadas à relacionamento interpessoal. b)Os papéis informativos : monitor, disseminador e representante- englobam atividades ligadas fundamentalmente à obtenção e disseminação de informações. c)Os papéis decisionais : Empreendedor,Manipulador de distúrbios,Alocador derecursos, Negociador-estão centrados na tomada de decisão.

3-FUNÇÕES ADMINISTRATIVAS DE MINTZBERG -

O modelo de Mintzberg está embasado no estudo sobre quais as atribuições do administrador em sua posição formal. Este modelo define o administrador como um ser formalmente responsável pela unidade organizacional. A sua autoridade formal e seu status vão determinar os papéis interpessoais: chefe, líder e coordenador , por meio dos quais ele representa sua organização em assuntos de formalidade.

Pela ótica de Mintzberg o acesso que o líder tem à informação, por causa de seu status e autoridade o impõem no ponto mais importante deste sistema o ponto central, onde ele participa das decisões organizacionais, como empreendedor de mudanças, manipulador de distúrbios, alocador de recursos ou de negociação. Este autor, classificou segundo as dimensões interpessoais, informativas e decisionais, ou seja os chamados dez papéis administrativos de Mintzberg.

Tabela 1- Dez Papéis de Mitnzberg PAPEL DESCRIÇÃO

INTERPESSOAIS Chefe

Líder

Coordenador INFORMATIVOS Monitor

Disseminador

Representante

DECISIONAIS Empreendedor

Manipulador de distúrbios

(Parte 1 de 3)

Comentários