Guia prático do agente comunitário de saúde

Guia prático do agente comunitário de saúde

(Parte 1 de 7)

Brasília – DF 2009

Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica

Brasília – DF 2009

Série A. Normas e Manuais Técnicos

Ficha Catalográfica

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica.

Guia prático do agente comunitário de saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção

Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2009. 260 p. : il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos)

ISBN 978-85-334-1645-1 1. Educação em saúde. 2. Agente comintário de saúde (ACS). 3. Atenção à saúde. I. Título. I. Série. CDU 614-057.182(036)

Catalogação na fonte – Coordenação-Geral de Documentação e Informação – Editora MS – OS 2009/0393

Títulos para indexação: Em inglês: Guide the work of Community Health Agent Em espanhol: Guia Del Trabajo Del Agente Comunitário de la Salud

© 2009 Ministério da Saúde. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial. A responsabilidade pelos direitos autorais de textos e imagens dessa obra é da área técnica. A coleção institucional do Ministério da Saúde pode ser acessada, na íntegra, na Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde: http://www.saude.gov.br/bvs

Série A. Normas e Manuais Técnicos Tiragem: 1ª edição – 2009 – 235.0 exemplares

Elaboração, distribuição e Informações: Ministério da saúde Secretaria de Atenção a Saúde Departamento de Atenção Básica Edifício Premium SAF Sul – Quadra 2- Lotes 5/6- Bloco I Subsolo – Brasilia- DF – 70.070-600 Tel: (61) 3306-8044 Home page: w.saude.gov.br/dab E-mail: dab@saude.gov.br

Supervisão Geral: Claunara Schilling Mendonça

Coordenação Geral: Aline Azevedo da Silva Lauda Baptista Barbosa Bezerra de Melo Nulvio Lermen Junior

Revisão Técnica: Ana Lucia da Costa Maciel Joseane Prestes de Souza Lainerlani Simoura de Almeida Thaís Severino da Silva

Elaboração Técnica: Aline Azevedo da Silva Arlete Aparecida Spoladore Pistelli Lauda Baptista Barbosa Bezerra de Melo Sandra Mara Anesi

Colaboração:

Coordenação de Gestão da Atenção Básica/DAB: Antonio Garcia Reis Junior Charleni Inês Scherer Cristiano Busato Izabeth Cristina Campos da Silva Farias Samantha Pereira França

Área Técnica de Saúde da Pessoa com Deficiência/DAPE: Erika Pisaneschi Maria Alice Correia Pedotti Samara Kielmann

Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição/DAB: Ana Beatriz Vasconcellos Gisele Ane Bortolini Helen Altoé Duar Natacha Toral

Coordenação Nacional de Saúde Bucal/DAB: Janaina Rodrigues Cardoso Márcio Ribeiro Guimarães

Coordenação Nacional de Saúde do Idoso/DAPE: Elen Oliveira Pernin Fabiana Regolin

Impresso no Brasil / Printed in Brazil

Apresentação9
A família e o trabalho do ACS1
documentação básica15
Saúde da criança25
A criança no primeiro mês de vida28
Triagem neonatal39
Saúde bucal na criança41

Registro Civil de Nascimento e

desenvolvimento da criança46
Caderneta de Saúde da Criança47

Acompanhamento do crescimento e

se constam na Caderneta de Saúde da Criança48
Programa Bolsa-Família58
Orientações alimentares para a criança58
Obesidade em criança61
Prevenindo acidentes na infância68

Informações importantes a serem verificadas

procurar o serviço de saúde o mais rápido possível74
Saúde do adolescente75
Esquema vacinal78
Sexualidade79
Saúde bucal no adolescente84
Transtornos alimentares87

Situações em que você deve orientar a família a Saúde do adulto............................................................ 91

Hábitos alimentares saudáveis93
Atividade física101
Doenças crônicas: o que o ACS pode e deve fazer103
Doenças sexualmente transmissíveis e Aids120
Saúde bucal no adulto125
Saúde do homem126
Saúde da mulher132
Atenção ao idoso157
Saúde mental185
Introdução186
Ansiedade188
Depressão190
Uso abusivo de álcool e outras drogas192
Atenção à pessoa com deficiência199
As crianças com deficiência205
Deficiência visual210
Deficiência intelectual212
As deficiências nos adolescentes e adultos213
Violência familiar223
Violência contra a mulher226

Orientações para famílias com pessoas acamadas ..219 Violência contra a criança e o adolescente ..................................228

Violência contra o idoso231

Os sinais de alerta em relação ao agressor .................................230

deficiência física e mental232
Prevenção da violência familiar233
Atribuições frente à violência familiar234

Violência contra pessoas portadoras de

mosquitos, insetos, moluscos e outros239
Dengue242

Doenças transmitidas por vetores:

de Manson-Pirajá da Silva)246
Malária248
Tracoma250
Alguns conceitos importantes252

Esquistossomose (xistosomose, xistose, xistosa, doença dos caramujos, barriga d´água e doença Referências .................................................................. 255

No processo de fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS), o agente comunitário de saúde (ACS) tem sido um personagem muito importante realizando a integração dos serviços de saúde da Atenção Primária à Saúde com a comunidade.

Atualmente são mais de 200 mil em todo o Brasil desenvolvendo ações de promoção e vigilância em saúde, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

O Ministério da Saúde reconhece que o processo de qualificação dos agentes deve ser permanente e nesse sentido apresenta esta publicação, com informações atualizadas relacionadas aos temas mais frequentes do seu cotidiano.

O Guia Prático do Agente Comunitário de Saúde, elaborado pelo Departamento de Atenção Básica, tem como objetivo oferecer subsídios para o desenvolvimento do trabalho do ACS.

Seu formato foi pensado para facilitar a consulta e o manuseio principalmente durante as visitas domiciliares, auxiliando no esclarecimento de dúvidas de forma objetiva.

Esperamos que este material contribua para o fortalecimento de seu trabalho, desejando sucesso na tarefa de acompanhar os milhões de famílias brasileiras.

1 A família e o trabalho do ACSA família e o trabalho do ACSA família e o trabalho do ACSA família e o trabalho do ACSA família e o trabalho do ACSA família e o trabalho do ACSA família e o trabalho do ACSA família e o trabalho do ACS

A família é a primeira e mais importante influência na vida das pessoas. É na família que adquirimos os valores, os usos e os costumes que irão formar nossa personalidade e bagagem emocional.

Podemos chamar de família um grupo de pessoas com vínculos afetivos, de consanguinidade e de convivência.

As famílias vêm se transformando ao longo do tempo, acompanhando as mudanças religiosas, econômicas, sociais e culturais. Hoje existem várias formas de organização familiar, como: famílias com uniões estáveis, reconstituídas, de casais do mesmo sexo, de casais que moram em casas separadas etc. Há ainda famílias que não têm a presença da mãe, do pai ou de ambos. Muitas vezes nesses casos, os avós assumem a responsabilidade em cuidar da família.

A família é o ponto de partida para o trabalho do ACS na comunidade.

Por isso, é preciso identificar e compreender a formação e como funcionam as famílias da sua área de abrangência.

A seguir, alguns itens que podem colaborar na identificação da organização e funcionamento das famílias.

MINISTÉRIO DA SAÚDE / Secretaria de Atenção à Saúde / Departamento de Atenção Básica

O grau de parentesco entre os membros da família; Os membros agregados;

A função de cada membro na família: na divisão do trabalho doméstico, na divisão das despesas, na identificação daquele que é o alicerce emocional e espiritual;

(Parte 1 de 7)

Comentários