Bibliologia do Livro de Isaías

Bibliologia do Livro de Isaías

O Livro de Isaías

Análise nº 23

Palavra Chave: “Salvação”.

Mensagem: “A salvação da nação por Jeová, por meio do julgamento e da graça”.

Frase Chave: "O Santo de Israel"

O PROFETA FILHO DE AMOZ. Profetizou durante os reinados de Uzias, Jotão, Acaz, e Ezequias, 1:1. Sua chamada e unção, 6:1-8. Sua família, 7:3; 8:3-4.

 

VISTO GERALMENTE COMO O MAIOR dos profetas do Antigo Testamento.

 

(1) Por ser preeminentemente o profeta da redenção.

(2) Muitas das passagens de seu livro estão entre as mais formosas da literatura.

 

Alguns eruditos modernos têm estudado sua profecia poética do mesmo modo que um botânico estuda as flores, examinando-as e analisando-as.

 

O uso deste método tem feito que a beleza e a unidade do livro, como as de uma rosa, fiquem quase esquecidas à medida que as diferentes partes são divididas a fim de serem examinadas.

 

SINOPSE

 

SEÇÃO I, caps. 1-39. Refere-se principalmente a eventos que conduziram ao cativeiro.

 

(a) Exortações e advertências do juízo divino, mescladas com predições de dias melhores e da vinda do Messias. caps. 1-12.

(b) Profecias acerca das nações vizinhas - Assíria, Babilônia, Moabe, Egito, Filístia, Síria, Edom, e Tiro, etc., caps. 13-23.

(c) Escritos acerca dos pecados e do sofrimento do povo, promessas de salvação, um cântico de confiança em Deus, e seu cuidado por sua vinha, caps. 24-27.

(d) Maldições pronunciadas contra Efraim e Jerusalém, especialmente por confiar nas alianças estrangeiras, caps. 28-31.

(e) Promessas de um rei justo e do derramamento do Espírito, a exaltação do justo, e a transformação do deserto em um jardim do Senhor, caps. 32-35.

(f) a libertação de Ezequias das mãos dos assírios e a prolongação de sua vida, caps. 36-39.

 

SEÇÃO II.

 

A segunda parte do livro contém predições, advertências e promessas referentes a eventos posteriores ao cativeiro, eventos que se estendem por séculos através da dispensação cristã. Esta parte da profecia é especialmente rica em referências messiânicas.

 

PALAVRA CHAVE: SALVAÇÃO. O nome Isaías significa "Salvação do Senhor".

 

SALVAÇÃO

 

(a) Sua fonte, 12:3.

(b) Seu gozo, 25:9.

(c) Seus muros, 26:1.

(d) Eterna, 45:17.

(e) Seu dia, 49:8.

(f) Os pés de seus atalaias, 52:7.

(g) Sua difusão, 52:10.

(h) Seu braço, 59:16.

(i) Seu elmo, 59:17.

(j) Suas vestes, 61:10.

(k) Sua luz, 62:1.

 

SETE COISAS PERDURÁVEIS

 

(1) A fortaleza, 26:4.

(2) Os juízos, 33:14.

(3) O gozo, 35:10.

(4) A salvação, 45:17.

(5) A compaixão, 54:8.

(6) A aliança, 55:3.

(7) A luz, 60:19.

 

PARA NOVOS CONVERTIDOS

 

Quando o grande Agostinho perguntou a Ambrósio qual dos livros sagrados era o melhor para ser estudado após a sua conversão, a resposta veio logo: Isaías. Certamente em nenhuma outra parte do Velho Testamento temos, tão nítida, a visão da Graça de Deus. O livro tem sido chamado, “O Evangelho segundo Isaías”, e seu autor tem sido chamado de “o quinto evangelista”, e “o profeta da Redenção”. Além disto, o livro é notável pela riqueza de seu vocabulário, linguagem nobre e estilo aprimorado. Portanto, acertado é afirmar que a resposta de Ambrósio foi sábia e digna de nota.

 

O PROFETA

 

Isaías era um homem de sangue real. Seu pai, Amós, era um dos filhos mais novos de Joás, rei de Judá. Sendo um homem de personalidade marcante, torna-se estadista, exercendo poderoso influência a bem da nação. Casou-se com uma mulher que possuía o dom de profetizar e teve, pelo menos, dois filhos, 7:3, 8:3 e 18. Trabalhou 60 anos, e morreu mártir, no reinado de Manassés (segundo a tradição) aos 120 anos de idade.

 

ESTILO

 

É o mais belo e sublime de todos os escritores proféticos. Tem sido chamado o maior dos profetas. Com exceção de 4 capítulos, do 36 ao 39, o livro é todo poético e que poesia magnífica! O livro é exuberante em metáforas, 2:19 e 24:20. Para um estudo, em tópicos da Bíblia, o livro possui uma reserva extraordinária de material. Exemplos:

 

ESTUDOS EM TÓPICOS:

 

1) Há sete coisas eternas em Isaías:

 

a) Salvação, 45:17

b) Luz, 60:19

c) Gozo, 35:10

d) Forca, 26:4

e) Bondade, 54:8

f) Aliança, 55:3

g) Julgamento, 33:14

 

2) Constituir, das suas páginas, a vida de Nosso Senhor Jesus Cristo:

 

a) Nascimento, 7:14 e 9:6

b) Família, 11:1

c) Unção, 11:2

d) Caráter, 11:3-4

e) Regime simples e simplicidade de vida, 7:15

f) Doçura, 42:1 a 4

g) Morte: 53

h) Ressurreição, 25:8

i) Reino glorioso, 11:3-16 e Cap. 33, etc.

 

3) Notar seu ensino com respeito ao Espírito Santo:

 

a) 10:27 – 11:2 – 32:15 – 40:7 e 13 – 42:1 – 44:3 – 59:19 e 21 – 61:1 e 63:10

 

4) Veja seu ensino concernente ao Conforto:

 

a) 40:1 – 51:3 e 12 – 66:13 – 61:2, 3 e 12 – 63:9, também 43:1,2 e 50:10.

 

5) Notar ainda: a sua alusão a Trindade (“Nós”)

 

a) 6:8; sua profecia quanto ao fim das guerras, 2:4, 11:9 e 14:7;

b) os três “bem aventurados” 38:18, 32:20 e 56:2;

c) o Senhor como Rei de Israel, 6:5, 44:6 e 43:15;

d) o remanescente de Israel, salvo, 1:25-27, 2:2 e 3, 6:13, 11:11, 18:7, 27:12 e 13, etc.

 

PALAVRAS CHAVES E MENSAGEM

 

1) “O Santo de Israel” é uma frase peculiar a este livro. Encontra-se somente em três salmos: 71, 78 e 19, duas vezes em Jeremias: 50 e 51, e em II Reis 19:22, onde Isaías é quem fala. Esta frase e sua abreviatura, “O Santo”, se encontram no mínimo 33 vezes. Evidentemente, a visão que ele teve quando os serafins clamavam: “Santo, santo, santo é o Senhor”, o impressionou vivamente e daí pensar no Senhor sempre como “O Santo”.

 

2) Outra palavra peculiar deste livro é: “Salvação”. Em nenhum outro livro do Velho Testamento, com exceção dos Salmos, encontra-se esta palavra tão freqüentemente. O próprio nome de Isaías significa: ”a salvação é Jeová”. Esta é a sua mensagem.

 

ANÁLISE

 

Este livro divide-se, naturalmente, em 3 partes:

 

I Parte – principia com o Senhor dando a razão do julgamento e cativeiro iminentes de Israel, porém finaliza com a sua bênção e restauração.

 

II Parte – focaliza a intervenção do Senhor e o livramento de Israel.

 

III Parte – tem três seções: duas terminam com as palavras: “Mas os ímpios não têm paz disse o Senhor”, e a terceira anuncia a morte do ímpio. A I Parte começa com a Visão – Cap. 6 – a III Parte principia com a Voz – Cap. 40. Notemos que a II parte principia e acaba com o Novo Testamento, isto é, com João, o batista, no deserto e um novo céu. Notar, também, que, intercaladas com ameaças de julgamento, há promessas animadoras de bênçãos e garantias de uma gloriosa restauração.

 

A) Acusação

O Santo de Israel, PROVOCADO, REPREENDENDO E JULGANDO – Cap. 1-35 – chave: 1:4 – 5:24 – 31:1

 

1) Concernente a Judá e à Jerusalém, 1-12. Degradação do povo, chamada de Isaías, Emanuel, o Menino-Deus, única esperança de Israel.

2) Concernente às nações circunvizinhas, 13-23. Babilônia, Moabe, Damasco, Egito e Tiro.

3) Concernente ao mundo, 24-35. Uma seção notável, principalmente concernente ao futuro

 

B) Histórico

O Santo de Israel LIBERTANDO – cap. 36-39 – Chave: 37:23

 

1) Aflição de Ezequias (36)

2) Oração e libertação de Ezequias (37)

3) Doença de Ezequias (38)

4) Loucura de Ezequias (39)

 

C) Consolação

O Santo de Israel CONFORTANDO, REDIMINDO, ENRIQUECENDO – Cap. 40-66 – Chave: 40:1 – 43:3, 14 – 49:7 – 53:3 – 60:17

 

a) 1ª seção – Nota dominante: “Conforto” (40-48)

b) 2ª seção – Nota dominante: “O servo sofredor” (49-55) – (O capítulo 53 é o capítulo central)

c) 3ª seção – Tema dominante: “A glória futura” (58-66)

 

Comentários