Materiais Para Pavimentação (UFSM)

Materiais Para Pavimentação (UFSM)

(Parte 7 de 11)

- Colar: limita a penetração no mandril da perfuratriz . A superfície de impacto é que recebe o impacto do pistão da perfuratriz.

- Coroa: nela ficam a pastilha constituída de material duro ( superior a rocha ) (carboneto de tungstênio e cobalto, Wídia ) e o furo que permite a limpeza com ar ou água.

É a pastilha que rompe a rocha produzindo o avanço da perfuração.

Profs. Valmir Brondani e Rinaldo Pinheiro

Série de brocas é o conjunto de brocas de comprimentos modulados necessárias para se atingir uma determinada profundidade.

Diâmetros e séries de brocas integrais

Quanto ao tipo de punho:

Longo, comprimento de 108 m Curto, comprimento de 82 m Superlongo, comprimento de 159 m

Quanto ao tipo de haste

de brocas 40, 80, 160, 240, 320, 400, 560 e 640 centímetros( moduladas de 80 em 80

As séries de brocas integrais são produzidas em três diâmetros de hastes: 3/4"ou 19mm 7/8"ou 2m e 1" ou 25mm. O mais usado é o diâmetro de 7/8". Este é o diâmetro nominal da série de brocas pois o diâmetro efetivo de cada broca depende da posição do seu comprimento na sucessão da série. Dentro de cada diâmetro de haste dispomos dos seguintes comprimentos cm menos a de emboque ).

Quanto ao diâmetro de coroa

O diâmetro de coroa diminue a medida que aumenta o comprimento da broca variando de 40, 39, 38, 37, 36, 35, 34 até 3 milímetros.

Quanto a pastilha

Resistente ao desgaste para rochas abrasivas Tenazes para rochas duras As brocas integrais necessitam de cuidados especiais de operação, manuseio, armazenamento e afiação afim de se obter o máximo rendimento das mesmas.

Quanto a vida útil:

Basalto 250,0

Tipo de rocha Comprimento da perfuração em metros

Granito e Gnaisse 120,0 Minério de ferro 80,0

(b) Brocas de Extensão

As brocas de extensão podem ter seu comprimento aumentado pela adição de hastes, enquanto que nas integrais é necessário a retirada com substituição por uma mais longa. Com este avanço se torna possível perfurações mais profundas e com diâmetros maiores.

Considera-se como broca de extensão o conjunto de componentes, que sai do mandril da perfuratriz e desce até o nível da rocha no fundo da perfuração, que são:

Profs. Valmir Brondani e Rinaldo Pinheiro

- Punho - Haste

O punho engastado no mandril da perfuratriz transmite o movimento de percussão e de rotação da perfuratriz, possui rosca na extremidade inferior.

A haste transfere os esforços de rotação e percussão recebidos pelo punho da perfuratriz à coroa , que é o componente da broca efetivamente responsável pela abertura do furo. A haste tem as extremidades rosqueadas externamente. O comprimento mais utilizado é o de 3.050 milímetros. As luvas de acoplamento promovem a união entre o punho e a primeira haste, entre hastes sucessivas e da última haste com a coroa. A coroa é o último componente da broca de extensão e é nela que estão inseridas as pastilhas de material duro que trabalham a rocha. O punho, as hastes e a coroa possuem furos para permitir a passagem de ar ou água.

Tipos de Punhos Dependem do mandril da perfuratriz

Punho sextavado com colar de 108 milímetros

Punho tipo Leyner Punho quatro asas

Punho seis asas

Hastes

Podem ser: Redondas e sextavadas

Diâmetros: 1", 1 1/4", 1 1/2", 1 3/4" Comprimentos: 915, 1220, 1830, 2435,3050 e 4265 milímetros.

Profs. Valmir Brondani e Rinaldo Pinheiro

Roscas Tipos básicos:

Rosca cordaVulcanus
Rosca redondaIngersoll-Rand

Rosca serrilhada Gardner-Denver

Luvas de acoplamento

Através delas se faz o acoplamento de punho e haste, de hastes sucessivas e, em alguns casos, da haste e coroa. A luva deve transmitir, com um mínimo de perdas, os esforços criados pela perfuratriz.

Coroa

criteriosamente colocados de modo a propiciar à máxima remoção de detritos

A coroa recebe a energia liberada pela perfuratriz e a transforma em trabalho de perfuração. Recebe, também, o ar de limpeza que é lançado no furo através de orifícios

A parte da coroa que efetivamente trabalha contra a rocha é a pastilha de material duro constituída de cobalto e carboneto de tungstênio. Tipos de coroas: - Bisel: construída nos diâmetros de 7/8 e 1".

não redondos

- Cruz: até diâmetros de 3". Podem apresentar o fenômeno de enquadramento, furos facetados e

- X: foi desenvolvida para evitar os inconvenientes da coroa em cruz. Os ângulos das pastilhas foram alterados de 90º para 80° ou 100 ° e o diâmetro sempre maior que 3".

- Retrac: possui faces de corte no aço da coroa do lado oposto ao da pastilha. Recomendada para perfurar rocha muito fraturada.

- Botões: as pastilhas de material duro tem a forma de calotas esféricas. Destinam-se a perfurações muito profundas.

Profs. Valmir Brondani e Rinaldo Pinheiro

- Para rochas duras: Apresentam pastilhas de material duro mais altas e mais largas para fazer face ao maior desgaste provocado pela maior dureza da rocha.

Vida útil das coroas em metros de furo

Tipo de Rocha Punho Haste Luva Coroa

Tipos de Desgaste

- Desgaste frontal

É aquele que se observa na face da coroa em contato com a rocha. - Desgaste diametral

É aquele que reduz o diâmetro da coroa tipo cruz. - Desgaste helicoidal

É aquele que desgasta a matriz da coroa (aço ) por insuficiência de rotação ou limpeza. - Desgaste tipo "pele de jacaré"

É aquele que surge quando se perfura rocha branda (fadiga ). - Desgaste normal

Caracteriza-se pelo arredondamento e polimento dos contornos das pastilhas. A determinados intervalos de tempo deve-se providenciar na afiação das pastilhas.

Cuidados com as Brocas de Extensão

(Parte 7 de 11)

Comentários