Bibliologia do Livro de Obadias

Bibliologia do Livro de Obadias

O Livro de Obadias

Análise nº 31

Frase Chave: "Como tu fizeste, assim se fará contigo” - verso 15

Mensagem: “Aviso solene contra os perigos do orgulho e anti-semitismo".

AUTOR

 

Nada se sabe acerca dele. 

 

A PROFECIA gira em torno de uma antiga disputa entre Edom e Israel. Os edomitas, como descendentes de Esaú, tinham má vontade para com Israel pelo fato de Jacó haver adquirido de seu irmão o direito de primogenitura, Gn 25:21-34; 27:41. 

 

SINOPSE 

 

A sentença de Edom por causa de seu orgulho e de sua maldade contra Jacó, vs. 1-16. 

 

A libertação do povo escolhido e a inclusão de Edom em seu reino futuro, vs. 17-21; Nm 24:18. 

 

LIÇÃO ESPIRITUAL 

 

O especial e providencial cuidado de Deus para com os judeus e a certeza do castigo para os que os perseguem.

 

OBADIAS

 

Nada se sabe, absolutamente, quanto ao autor deste livro. Vários Obadias são mencionados no Velho Testamento, mas nada há que indique ser um deles o autor deste livro. Seu nome significa “O servo” ou “O adorador de Jeová”. É difícil positivar quando foi escrito o livro, no entanto, os versos 10-14 provam, claramente, que o livro foi escrito depois da queda de Jerusalém – II Crônicas 36:17-21.

 

PROPÓSITO

 

Este é o menor livro do Velho Testamento. É um brilhante precioso de profecia. Forma um manifesto severo contra os ferozes idumeus, inimigos perpétuos de Israel. Mostra o caráter, a condenação e a queda de Edom.

 

HISTÓRIA

 

Os edomitas ou idumeus eram os descendentes de Esaú. Constituíam um povo orgulhoso, feroz e vingativo, procurando, sempre, pretextos para maltratar os filhos de Jacó. Governados, primeiramente, pelos duques e depois pelos reis, - Gen. 36, - desfrutaram sua época áurea quando Israel deixava a escravidão egípcia. Israel e Edom estavam, freqüentemente, em guerra. Quando Nabucodonosor capturou Jerusalém, Edom regozijou-se com a derrota de Israel e tomou parte no massacre cruel dos vencidos e no despojar de Israel (Salmo 137:7). Em tempos passados, Deus ordenara ao seu povo que tratasse bondosamente a Edom (Deut. 23:7), mas a sua conduta atroz fez transbordar seu cálice de iniquidade e a sentença de condenação e extermínio foi lavrada contra eles. Depois da restauração de Israel, Ciro, rei da Pérsia, venceu os idumeus matando milhares deles. Tiveram outra derrota esmagadora frente aos judeus, sob Macabeus, e gradativamente desapareceram como nação, perecendo o seu próprio nome.

 

ANÁLISE

 

a) A humilhação (de Edom): versos 1-9

 

Notemos os passos da humilhação de Edom:

 

O Senhor trabalhando, incitando as nações contra Edom – 1

Em conseqüência a pequena nação edomita foi “desprezada” – 2

Seriam desalojados dos seus refúgios que julgavam inexpugnáveis – 3,4

Seriam despojados, mas não como por ladrões – 5,6

Nações vizinhas com as quais mantinham aliança, romperiam com eles – 7

Até os seus célebres conselheiros, sábios e a força e a coragem dos seus soldados, lhes seriam tirados e lhes falhariam – 8,9

 

b) O crime (de Edom): versos 10-14

 

Notemos a descrição viva do pecado de Edom.

 

Violência contra teu irmão Jacó – 10

“tu mesmo eras um deles” e agiste como os vencedores – 11

Alegrou-se na derrota de Jacó e zombou dele – 12

Tomou parte no despojar – 13

E, pior do que tudo isso, prendeu os fugitivos e os entregou aos inimigos – 14

 

c) A sentença (de Edom): versos 15-21

 

A primeira vista, esta seção parece tratar exclusivamente da restauração gloriosa de Judá, mas um estudo mais minucioso mostra ser uma introdução às declarações de como e quando Edom seria destruída.

 

A sentença anunciada – 10-15

Israel seria libertado, santificado, enriquecido (17), e depois disto seria um instrumento na destruição de Edom (18), e possuiria a terra de Edom – 19 e 20.

Isto se deu no tempo dos Macabeus, embora os versos 19-21 revelem um cumprimento mais glorioso.

Que fim glorioso: “e o reino será do Senhor”!

 

MENSAGEM

 

Este pequenino livro tem uma dupla mensagem: um aviso contra o orgulho pecaminoso e o desfio ímpio (verso 3) e, ainda contra o odiar e maltratar os judeus, cuja causa Deus defenderá, e cujos inimigos Ele destruirá.

 

EVANGELHO

 

Que jóia preciosíssima do Evangelho está aqui – versos 17 e 18! Aqui surgem as preliminares da vitória – libertado, santificado, enriquecido, poderei viver a vida de plena vitória.

Comentários