Palestra sobre Boas Práticas de Fabricação (BPF) e Noções Básicas de Higiene e Limpeza

Palestra sobre Boas Práticas de Fabricação (BPF) e Noções Básicas de Higiene e...

Palestra sobre Boas Práticas de Fabricação (BPF) e Noções Básicas de Higiene e Limpeza

Ana Carla da Silva Prado; Leticia Fernanda Globekner; Sabra Contin Schavarosk; Sabrina Carla Brock

RESUMO

O trabalho a ser descrito teve como objetivo a conscientização da aplicação das Boas Práticas de Fabricação (BPF) e noções básicas de higiene e limpeza no cotidiano de alunos matriculados na 5ª série do Ensino Fundamental da Escola Desafio, situada na cidade de Ponta Grossa, Paraná. Para tal, foi ministrada uma palestra de vinte minutos sobre o tema proposto, por alunas da 3ª série do curso de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Ponta Grossa, e esta atividade foi inserida como atividade complementar da disciplina de Microbiologia de Alimentos. Como avaliação do desempenho da didática utilizada, foi aplicado um questionário englobando perguntas pertinentes à avaliação de condições de higienização, do dia-a-dia de tais alunos, e este foi entregue antes e depois da apresentação do tema. Concluiu-se através da análise das respostas que a palestra foi produtiva, pois houve um aumento de 24,5% do número de acertos frente ao questionário.

  1. Introdução

As Boas Práticas de Fabricação (BPF) abrangem um conjunto de medidas que devem ser adotadas pelas indústrias de alimentos a fim de garantir a qualidade sanitária e a conformidade dos produtos alimentícios com os regulamentos técnicos. A legislação sanitária federal regulamenta essas medidas em caráter geral, aplicável a todo o tipo de indústria de alimentos e específico, voltadas às indústrias que processam determinadas categorias de alimentos.

As normas que estabelecem o BPF envolvem requisitos fundamentais que vão desde as instalações passando por rigorosas regras de higiene pessoal e limpeza do local de trabalho (tais como lavagem correta e freqüente das mãos, utilização adequada dos uniformes, disposição correta de todo o material utilizado nos banheiros, uso de sanitizantes, etc) até a descrição dos procedimentos envolvidos no processamento do produto. Além disso, as Boas Práticas de Fabricação tem como principal objetivo garantir a integridade do alimento e a saúde do consumidor, além de ser obrigatório pela legislação de alimentos brasileira, mas, além disso, quando bem implantado, pode trazer retornos financeiros devido à redução de custos, diminuição de mercadorias retornadas, aumento do rendimento e expansão do mercado com a melhoria da qualidade. A aplicação do BPF pode e deve ser entendida para o cotidiano, no preparo e armazenamento de alimentos consumidos diariamente pela população.

Um dos itens fundamentais da prática do BPF é a aplicação de conceitos básicos de higiene e limpeza. A higiene é fundamental para prevenir grande parte das doenças que podem ser transmitidas através dos alimentos e que constitui um dos principais problemas da saúde pública. Assim sendo, todo o cuidado deve ser tomado a fim de se manter a inocuidade dos alimentos - priorizando a qualidade dos mesmos - não só nas indústrias ou pontos de venda, mas também em casa. Para isso, são necessários alguns cuidados e a adoção de práticas simples, porém eficazes, como por exemplo, lavar as mãos, evitar a contaminação cruzada (alimentos contaminados entrando em contato com alimentos sadios), manter limpas as superfícies da cozinha, etc.

O conhecimento de todas essas práticas é de fundamental importância para qualquer nível social ou faixa etária da população. Aplicações simples destas práticas dão garantias quanto à segurança alimentar e reduzem o risco de contaminação de alimentos, reduzindo assim, o número de casos de doenças de origem alimentar, que em casos extremos podem levar à morte. Portanto, no contexto do ambiente escolar, que é uma área onde há a inserção de constante de conhecimentos, viu-se a oportunidade e necessidade de repassar tais conhecimentos, às vezes pouco difundidos, e assim, houve a idéia de implementação deste projeto.

  1. Objetivos

Este trabalho teve como objetivo a apresentação de pontos importantes na área de Boas Práticas de Fabricação e higienização pessoal e de alimentos, bem como a verificação do conhecimento sobre o tema, dos alunos de Ensino Fundamental, usando como amostra dessa população, alunos matriculados na 5ª série do Ensino Fundamental da Escola Desafio, situada na cidade de Ponta Grossa, Paraná.

  1. Materiais e métodos

Para a elaboração do conteúdo ministrado na palestra, utilizou-se do conhecimento adquirido ao longo da disciplina de Microbiologia de Alimentos, do uso referências auxiliares encontradas em algumas bibliografias específicas, e de pesquisas de imagens e vídeos na Rede Mundial de Computadores (Internet).

Para a apresentação da palestra, utilizou-se de material multimídia, de forma didática e de fácil entendimento em relação à faixa etária dos ouvintes, crianças de 10 a 11 anos, matriculadas na 5ª série do Ensino Fundamental da Escola Desafio, situada na cidade de Ponta Grossa, Paraná.

A elaboração e apresentação do conteúdo da palestra e do questionário, foi feita por alunas da 3ª série do curso de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Ponta Grossa, e foi inserida como atividade complementar da disciplina de Microbiologia de Alimentos, no dia 4 de novembro de 2009.

Para uma melhor visualização do assunto, utilizou-se também um vídeo intitulado “Jogo dos Sete Erros”, apresentado no programa semanal Fantástico, da Rede Globo, no quadro “Dr. Bactéria”. Tal vídeo apresentava de forma informal, erros comuns praticados todos os dias no preparo e armazenamento de alimentos nos lares brasileiros.

Para avaliar se o conteúdo foi satisfatório, no que diz respeito ao aprendizado das crianças sobre o tema proposto, fez-se uso de um questionário com perguntas pertinentes a métodos de higiene e limpeza do cotidiano das famílias dos alunos. Tal questionário foi entregue antes da apresentação da palestra, e imediatamente após, contendo o mesmo conteúdo de perguntas nos dois momentos. A avaliação foi feita através de comparação do grau de acertos na primeira e na segunda etapa.

No quadro a seguir, segue o conteúdo do questionário entregue aos alunos, assinalado com um X nas alternativas corretas.

Quadro 1- Questionário

Questionário sobre Boas Práticas de Fabricação(BPF) e Noções Básicas de Higiene e Limpeza

  1. Onde os microorganismos podem ser encontrados? Marcar a verdadeira.

( ) Apenas nos solos, terras, locais sujos.

( ) Apenas em alimentos estragados.

( X ) Em todos os lugares, inclusive nas pessoas.

  1. Todo o microorganismo faz mal à saúde e estraga os alimentos?

( ) Sim (X ) Não

  1. Como deve estar o manipulador de alimentos? Marcar a verdadeira.

( ) Deve estar sempre arrumado, com brincos, anéis e pulseiras.

( ) Deve usar cabelos soltos.

( X ) Deve estar sempre com as unhas cortadas, cabelos presos e sem adereços.

  1. É necessário sempre lavar as mãos?

( X ) Sim. Pois a todo o momento estamos sujando as mãos e contaminando-as com microorganismos, que podem contaminar nosso alimento e nos trazer sérias doenças.

( ) Não. É um exagero, pois só devemos lavar as mãos antes de comer.

  1. Alimento seguro é aquele que não oferece riscos à saúde dos seres humanos.

( X ) Verdadeiro

( ) Falso

  1. Quando estiver apenas uma formiga em seu alimento, você poderá comê-lo tranquilamente que não será contaminado.

( ) Verdadeiro

( X ) Falso

  1. Você costuma guardar a comida ainda quente na geladeira?

( X ) Sim, porque a baixa temperatura ajuda a preservar o alimento.

( ) Não, não se deve colocar comida quente na geladeira.

  1. Como deve ser o local de manipulação de alimentos?

( X ) Deve estar sempre limpo, bem arejado e sem a presença de animais.

( ) Deve ser fechado, úmido e com livre circulação de pessoas e animais.

( ) Deve ser limpo toda semana.

  1. O que pode causar a contaminação cruzada? Marcar as verdadeiras.

( X ) Cortar carne crua em uma tabua, e em seguida um carne assada, causa contaminação cruzada.

( X ) Mexer uma panela com uma colher, e com mesma provar a comida e colocá-la novamente na panela, causa contaminação cruzada.

( ) Em uma vasilha colocar o peixe cru, depois lavá-la e colocar o peixe já frito, causa contaminação cruzada.

  1. Quais das alternativas devem ser utilizadas para que não ocorra contaminação nos alimentos:

( X ) Lavar bem as mão antes de manipular os alimentos;

( X ) Usar roupas adequadas e cabelo preso ou com touca;

( ) Misturar, vasilha de carne crua aberta com verduras e vegetais;

( ) Utilizar os mesmos utensílios para todos os alimentos, sem lavar;

( X ) Cuidar com a data de validade dos produtos.

  1. Resultados e Discussão

No primeiro momento da avaliação, observou-se um percentual de acertos de 67,8% dos exercícios propostos, e no segundo momento, esse número subiu para 92,3%.

Os exercícios foram os mesmos em ambas as fases e iguais para todas as crianças. Apesar da baixa idade (entre 10 e 11 anos), os alunos foram atenciosos e participativos, tirando dúvidas sobre o tema abordado.

Um dos recursos que auxiliou no aprendizado do tema foi a apresentação do vídeo “Jogo dos Sete Erros”. Notou-se um maior interesse e atenção neste momento, por ser um método mais dinâmico de ensino.

  1. Conclusão

Concluiu-se que a palestra sobre Boas Práticas de Fabricação (BPF) e noções básicas de higiene e limpeza, ministradas a crianças da 5ª série do Ensino Fundamental na Escola Desafio, teve sucesso, levando-se em consideração o aumento de 24,5% de acertos nas questões aplicadas, entre 1ª e 2ª avaliação.

  1. Referências

Legislação de Boas Práticas de Fabricação. Disponível em:

http://www.anvisa.gov.br/alimentos/bpf.htm

Acesso em 2 de novembro de 2009.

(BPF) Boas Práticas de Fabricação. Disponível em:

http://www.via6.com/topico.php?tid=117914

Acesso em 2 de novembro de 2009.

Dicas - Higiene e Limpeza. Disponível em:

http://www.segurancaalimentar.ufrgs.br/consumidor_dicas3.htm

Acesso em 3 de novembro de 2009.

Dr. Bactéria – Jogo dos Sete Erros. Disponível em:

http://www.youtube.com/watch?v=01CA1zYpB-0

Acesso em 3 de novembro de 2009.

Comentários