Síntese do iodofórmio

Síntese do iodofórmio

RELATÓRIO DE QUÍMICA ORGÂNICA EXPERIMENTAL II

EXPERIMENTO N° 02

SÍNTESE DO IODOFÓRMIO

Professora: Tarcila

Nome RGM

Cristian Luiz da Silva 59973

Thiago Augusto Kato Assis 63814

Tamires Nascimento 65308

Período: 3º Turma: A Curso: Química Bel

Introdução

O iodofórmio (CHI3) é uma substância que foi usada como antisséptico nos hospitais (ainda é usada em áreas como a otorrinolaringologia), e ainda é importante na odontologia (especialmente na endodontia). Apresenta-se sob a forma de cristais amarelos e brilhantes.É equivalente ao clorofórmio mas com átomos de iodo.Também é usada em sínteses orgânicas e no teste do iodofórmio, para a detecção dos grupos CH3CO-, e na distinção entre cetonas (R-CO-R) e metil-cetonas (RCOCH3).Essa pratica tem como objetivo preparar o iodofórmio em laboratório e diferenciar as reações orgânicas.

Objetivo

Sintetizar o iodofórmio e comparar as suas propriedades obtidas, com as tabeladas.

Materiais e reagentes:

Balão de fundo redondo;

Tripé;

Termômetro;

Bico de Bunsen

Balança digital;

Acetona;

Iodeto de Potássio;

H2O destilada;

Hipoclorito de Sódio;

Funil de Decantação;

Béquer;

Papel filtro;

Funil de Buchner;

Metanol;

Bomba de vácuo;

Bastão de vidro;

Capilar de vidro;

Álcool;

Pipeta.

Parte experimental

Parte 1 - Em um béquer de 500 mL foi adicionado 2 mL de acetona, 7,5g de KI, e foram solubilizados em 50 mL de água. Com auxílio do funil de decantação foi gotejado hipoclorito de sódio, aproximadamente 150 mL, foi agitado constantemente. O iodofórmio foi separado por decantação e o líquido separado foi testado com hipoclorito de sódio a fim de verificar se a precipitação foi completa. Após a precipitação. a solução foi filtrada à vácuo, o iodofórmio obtido foi transferido para um béquer de 250 mL e foi aquecido com 100 mL de metanol, e foi deixado esfriar lentamente. Em seguida foi colocado em banho de gelo, cristalizando o iodofórmio. Após a cristalização foi filtrado novamente.

Parte 2 - Em um béquer, foi inserido 1 g de iodofórmio, e com auxílio de uma pipeta foi adicionado lentamente álcool frio, até a dissolução completa da amostra, anotando, então, o volume necessário para a dissolução do iodofórmio e a temperatura ambiente. Foi introduzido em um capilar com uma das extremidades fechadas, aproximadamente 1 cm de iodofórmio. O capilar foi preso a um termômetro, e colocado em um banho de óleo aquecido com bico de bunsen. Quando apareceu a primeira gota de líquido a temperatura foi anotada, e também foi anotada a temperatura a qual desaparece o restante da porção sólida. Sendo assim, a faixa utilizada para representar o ponto de fusão do iodofórmio.

Resultados e discussões

Reação geral

1. Reação entre NaClO e KI

2. Reação entre Propanona e Iodo

3. Reação da etapa de clivagem para formação do Iodofórmio

Cálculo do número de mol de acetona:

dacetona= 0,7899g/mL

macetona= d x V

macetona= 0,7899 x 2

macetona= 1,5798 g

Macetona= 58 g/mol

nacetona= macetona/Macetona

nacetona= 1,5798/58

nacetona= 0,0272 mol

Cálculo do número de mol de iodofórmio:

mCHI3= 2,3357g

MCHI3= 394 g/mol

nCHI3= mCHI3/MCHI3

nCHI3= 2,3357 /394

nCHI3= 0,0059 mol

Cálculo da Massa esperada para CHI3:

Massa de Iodo

332,0055 g (iodeto de potássio)  253,8089 g (Iodo)

7,5 g (iodeto de potássio)  X g (Iodo)

X = 5,7335 g

Massa de triiodoacetona

761,4268 g (Iodo) 433,3399 g (triiodoacetona)

5,7335 g (Iodo) y g (triiodoacetona)

y = 3,2630 g

Massa esperada de iodofórmio

433,3399 g (triiodoacetona)  391,3023 g (iodofórmio)

3,2630 g (triiodoacetona)  z g (iodofórmio)

z = 2,9465 g

O experimento apresentou um rendimento de 79,27% calculado da seguinte forma:

2,9465 g  100%

2,3357 g X %

X=79,27%

Conclusão

Foi obtido 2,3357 g de iodofórmio de sua preparação a partir da propanona. Pelos cálculos teóricos, esperávamos um rendimento de 2,9465 g de iodofórmio e na prática obtivemos um rendimento de 79,27 %.

Bibliografia

BARBOSA, L.C.A. Introdução à química Orgânica, 2ª edição, São Paulo Pearson Prentice Hall, 2004.

OLIVEIRA, A.F; SILVA, A.F.S; TENAN, M.A. Redação de relatórios para químicos.São Carlos. EdUFScar, 2005.

Comentários