Protocolo de rotina para expurgo

Protocolo de rotina para expurgo

(Parte 1 de 2)

19

FACULDADE TEIXEIRA DE FREITAS - FACEF

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

LAIALA DE ARAÚJO LOPES

MARILANE MAYARA CAIRES DOS SANTOS

ZAYRA DE PAIVA SOUSA

PROTOCOLO DE ROTINA PARA EXPURGO

HOSPITAL MUNICIPAL TEIXEIRA DE FREITAS

TEIXEIRA DE FREITAS

2008

LAIALA DE ARAÚJO LOPES

MARILANE MAYARA CAIRES DOS SANTOS

ZAYRA DE PAIVA SOUSA

Acadêmicas do7º. Período da Graduação em Enfermagem - FACTEF

PROTOCOLO DE ROTINA DO EXPURGO NO

HOSPITAL MUNICIPAL TEIXEIRA DE FREITAS

Protocolo de Rotina referente à disciplina de Estagio Supervisionado I no Curso de Graduação de Enfermagem da Faculdade Teixeira de Freitas – FACTEF, sendo requisito parcial para avaliação. Orientador professor: Sandro Calefi Campos.

TEIXEIRA DE FREITAS

2008

PROTOCOLO DE ROTINA DO EXPURGO

1. ROTINA PARA O SERVIÇO DO FUNCIONÁRIO DE EXPUGO

  1. Lavar as mãos e friccionar álcool a 70% antes e após das atividades;

  2. Fazer a desinfecção das bancadas com álcool a 70% em cada turno e quando necessário;

  3. Usar EPI (jaleco, touca, avental impermeável, máscara, luvas de procedimento e borracha, e óculos de acrílico);

  4. Receber todo o material contaminado conferir observando limpeza, integridade e anotar em caderno de recebimento;

  5. Realizar limpeza e / ou desinfecção do material de acordo com rotina do setor;

  6. Preparar soluções e recipientes que serão utilizados pra desinfecção e esterilização de materiais;

  7. Solicitar orientações do enfermeiro do setor sempre que houver dúvidas;

  8. Encaminhar para o enfermeiro os instrumentos danificados para providencias devidas.

2. ROTINA TÉCNICA DE LIMPEZA, DESINFECÇÃO E /OU ESTERILIZAÇÃO DOS MATERIAIS HOSPITALARES

LIMPEZA DE INTRUMENTAL

  1. Separar o material (EPI, recipientes com soluções compatíveis com a quantidade de material, escovas de cedas duras e finas, compressas limpas e secas).

  2. Usar EPI corretamente para começar a limpeza de instrumental;

  3. Evitar batidos (choques) ou quedas ao manusear o material;

  4. Separar as pinças de pontas traumáticas, tesouras e lavar separadamente (evitar acidentes);

  5. Lavar o instrumental peça por peça com escova, fazendo movimento no sentido das serrilhas (lavar com sabão em água corrente);

  6. Imergir o instrumento aberto na solução desincrostante, para remoção dos resíduos de matéria orgânica (instrumental mais pesado e maior fique sob os pequenos leves);

  7. Enxágüe o instrumental em água corrente, abrindo e fechando as articulações;

  8. Secar as peças com compressa, principalmente nas articulações;

  9. Sobre um pano branco colocar o instrumental para fiscalizar a limpeza realizada.

  10. Separar o material por tipo procedimento e encaminhar para área de preparo;

  11. Manter a área limpa e organizada.

3. ROTINA TÉCNICA DE DESINFECÇÃO DE NEBULIZADOR (MÁSCARA, COPINHO, CACHIMBO E TUBO DE CONEXÃO)

  1. Separar o material (EPI, solução de água e detergente, hipoclorito de sódio a 1%, recipiente com tampa, bacia plástica com tampa, compressas ou panos limpos e secos, seringa de 20 ml).

  2. Usar EPI corretamente para começar a limpeza e desinfecção.

  3. Desconectar todas as peças do nebulizador, lavando cada peça com água e detergente.

  4. Injetar a solução de água e detergente na luz do tubo, utilizando uma seringa de 20ml.

  5. Enxaguar o tubo com água corrente.

  6. Colocar para escorrer ou secar com ar comprimido.

  7. Enxaguar as demais peças, interna e externamente.

  8. Sobre um pano limpo deixe escorrer, manualmente complete a secagem quando necessário (secagem importante devido à rediluição da solução que será imerso o material);

  9. Imergir todas as peças na solução de hipoclorito a 1% por 30 minutos; no recipiente opaco com tampa (Solução de Hipoclorito deverá ser identificada com o horário que foi diluído, data e assinatura legível do profissional de Enfermagem responsável por esta e desprezado (trocado) após 12 horas de diluição.);

  10. Em uso de luva retire as peças da solução;

  11. Em água correte enxágüe as peças rigorosamente;

  12. Secar com pano limpo e seco;

  13. Guardar as peças montadas e embaladas com plástico ou papel craft (com data na embalagem) em recipiente tampado;

  14. Desprezar o hipoclorito de sódio (após a validade de 12 horas), enxaguar e secar o recipiente;

  15. Manter área limpa e organizada.

4. ROTINA TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE RESPIRADOR MANUAL (AMBU)

1- Separar o material (EPI, 01 esponja macia, solução glutaraldeído 2%, panos limpos e secos);

2- Desmontar o respirador manual (retirando a máscara e conexões);

3- Limpar a bolsa ventilatória externamente com pano úmido e sabão. EVITAR penetração de água no interior da bolsa; (não é o corpo do ambú)

4- Lavar a máscara e conexões com água e sabão;

5- Enxaguar em água corrente e secar;

6- Imergir a máscara, corpo do ambú e conexões em solução glutaraldeído 2% por 30 minutos;

7- Retirar da solução de glutaraldeído 2% e enxaguar em água corrente;

8- Secar e guardar embalado com papel craft ou plástico (com data na embalagem) em recipiente tampado;

9- Manter área limpa e organizada.

5. ROTINA TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DOS UMIDIFICADORES

DE OXIGÊNIO

Limpeza e desinfecção realizada nos umidificadores de oxigênio.

1- Separar o material: (EPI, 01 esponja macia de limpeza, 01 escova de mamadeira, solução de água e detergente, panos limpos e secos, balde ou bacia, glutaraldeído 2%);

2- Esvaziar os umidificadores, desprezando a solução na pia;

3- Lavar externamente, incluindo a tampa e tubo metálico, com solução de água e detergente usando a esponja de limpeza;

4- Usar o mesmo processo internamente utilizando a escova de mamadeira;

5- Enxaguar abundantemente por dentro e por fora em água corrente;

6- Colocar para escorrer sobre o pano limpo e seco, até secarem completamente;

7- Imergir em solução de glutaraldeído 2% ou hipoclorito por 30 minutos (somente o recipiente plástico);

8- Retirar o material da solução e enxaguar rigorosamente em água corrente e deixar escorrer sobre pano limpo e seco;

9- Friccionar álcool a 70% por 3 vezes na parte metálica que acompanha o umidificador;

10- Guardar em recipiente limpo com tampa;

11- Manter área limpa e organizada.

OBS: Se a cânula do umidificador for de plástico, esta pode ir para as soluções de glutaraldeído e de hipoclorito

6. ROTINA TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE ALMOTOLIAS

É a limpeza e desinfecção realizada nas almotolias após o término da solução e / ou a cada sete dias, mesmo que a solução anti-séptica não tenha acabado.

1- Separar o material (EPI (avental impermeável, touca, máscara, óculos e luvas de autoproteção), 01 esponja macia de limpeza, 01 escova de mamadeira, solução de água e detergente, panos limpos e secos, recipientes com tampa);

2- Esvaziar as almotolias, desprezando a solução na pia;

3- Lavar externamente, incluindo a tampa, com solução de água e detergente com a esponja de limpeza;

4- Realizar o mesmo processo internamente usando a escova de mamadeira;

5- Enxaguar abundantemente por dentro e por fora em água corrente;

6- Colocar as almotolias e tampas para escorrer sobre o pano limpo e seco, até secarem completamente;

7- Imergir as almotolias em solução de hipoclorito por 30 minutos

8 – Lavar rigorosamente as almotolias em água corrente;

9 – Secar as almotolias;

7- Guardar em recipiente com tampa ou reabastecer para uso em quantidade suficiente para o uso diário ou semanal, Não reabastecer almotolias sem limpeza e desinfecção;

8- Manter área limpa e organizada.

7. ROTINA TÉCNICA DE LIMPEZA DE TUBOS DE LÁTEX

Limpeza dos tubos de silicone ou látex (borrachas) após o uso.

1- Separar o material necessário: (EPI, água e desencrostante, 01 seringa de 20 ml, 01 esponja);

2 - Imergir o material na solução de água e desincrostante;

3- Conectar uma das extremidades do tubo no bico da torneira;

(Parte 1 de 2)

Comentários