Avaliação fisioterapeutico do joelho

Avaliação fisioterapeutico do joelho

(Parte 1 de 3)

Avaliação Fisioterapêutica do Joelho Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João

1. Anatomia Aplicada

Articulação Tibiofemoral:

É uma articulação em dobradiça modificada que possui 2 graus de liberdade; Posição de repouso: 25° de flexão;

Posição de aproximação máxima: extensão completa, rotação lateral da tíbia.

Articulação Patelofemoral:

É uma articulação plana modificada; A patela melhora a eficiência da extensão durante os últimos 30° de extensão.

Articulação Tibiofibular Superior: É uma articulação sinovial plana entre a tíbia e a cabeça da fíbula.

2. História Clínica

Como ocorreu o acidente, ou qual foi o mecanismo de lesão? De que direção veio a força lesiva? O que o paciente é capaz de fazer funcionalmente?

Há qualquer “estalido” ou houve um estalo quando ocorreu a lesão?

A lesão ocorreu durante a aceleração, desaceleração ou quando o paciente estava se movendo a velocidade constante? Há dor? Onde? Que Tipo? É difusa? Contínua? Retropatelar?

Certas posições ou atividades têm efeito aumentado ou diminuído sobre a dor?

O joelho “falseia”(instabilidade no joelho)?

O joelho alguma vez bloqueou-se?

Há rangido ou estalido no joelho?

A articulação está inchada?

Que tipo de calçado o paciente utiliza?

3. Observação e Triagem

Exame das outras articulações adjacentes, acrescentando uma avaliação postural global; Observação Geral: evidência de dano tecidual, edema, temperatura, hipersensibilidade, estalido ou crepitação.

4. Inspeção

Vista Anterior, em pé:

identificação de joelho valgo e de joelho varo; Anormalidades patelares, como patela alta, patela baixa e patelas medializadas;

Figura 1 Figura 2 - Ângulo Q

Figura 3 - Vista Anterior (em pé)

Vista Lateral, em pé Permite avaliar os joelhos hiperestendidos e as anormalidades patelares.

Figura 4 - Vista Lateral (em pé)

Vista Posterior, em pé

Visualização das anormalidades em valgo e em varo e permite a observação direta da área poplítea.

Figura 5 - Patela Baixa / Normal / Alta

Vista Anterior e Laterais, sentado

Posicionamento da patela, alterações ósseas e aumento anormal de volume; Observação de torção tibial.

Figura 6 - Vista Anterior (sentado)

Figura 7 - Vista Medial (sentado)

Marcha

notar alterações no comprimento do passo, velocidade da marcha, cadência ou desvio linear e angular; Observar a presença de movimentos anormais da patela, pelve, quadril e tornozelo.

5. Palpação

Palpação anterior com o joelho estendido (patela, tendão patelar, superfície cartilaginosa da patela, músculo Quadríceps e Sartório, lig. colateral medial e pata de ganso, tensor da fáscia lata, trato iliotibial e cabeça da fíbula);

Palpação anterior com o joelho flexionado (linha articular tibiofemural, platô tibial, côndilos femorais e músculos adutores);

Palpação posterior com o joelho ligeiramente flexionado (face posterior, face pósterolateral póstero-medial da artic. do joelho, músculos posteriores da coxa e gastrocnêmio).

Figura 8 – Estruturas do Joelho (I)

Figura 9 - Estruturas do Joelho (I) Figura 9 - Estruturas do Joelho (I)

Figura 10 - Estrururas do Joelho (I)

Figura 1 - Posição para palpação do Ligamento Colateral Lateral

6. Mobilidade dos Segmentos

Triagem para amplitude de movimento:

Se forem identificadas limitações na amplitude de movimento articular, deverá ser realizado um teste goniométrico específico para se obter um quadro das restrições, estabilização e registro das limitações.

Movimentos Ativos: Quantidade de movimento articular realizada por um indivíduo sem qualquer auxílio. Objetivo: o examinador tem a informação exata sobre a capacidade, coordenação e força muscular da amplitude de movimento do indivíduo.

Movimentos Passivos: Quantidade de movimento realizada pelo examinador sem o auxílio do indivíduo. A ADM passiva fornece ao fisioterapeuta a informação exata sobre a integridade das superfícies articulares e a extensibilidade da cápsula articular, ligamentos e músculos (Levangie & Norkin, 1997).

(Parte 1 de 3)

Comentários