Sinais vitais

Sinais vitais

SINAIS VITAIS

  • Indicadores de vida no organismo.

  • Temperatura

Temperatura

  • Representa o equilíbrio entre o calor produzido pelo metabolismo, atividade muscular e outros fatores e as perdas de calor ocorridas através dos pulmões, pele e excreções corporais.

Temperatura

  • Medida por termômetro de mercúrio e digital.

Temperatura

  • Local:

  • Axilar (oco axilar)

  • Oral (sublingual)

  • Retal

Temperatura

  • Variações normais:

  • Axilar: 35,5 a 37 (média 36 a 36,5°C);

  • Oral: 0,4 > axilar;

  • Retal: 0,6 > axilar.

Técnica

  • Material:

  • Bandeja contendo termômetro, copinho com algodão embebido em álcool 70% e papel toalha.

Técnica

  • Realizar desinfecção do termômetro com álcool 70% sentido ponta para o bulbo;

  • Sacudir cuidadosamente até que a coluna de mercúrio desça abaixo de 35°C;

  • Enxugar a axila do paciente com papel toalha sem friccionar;

  • Colocar o reservatório de mercúrio no côncavo da axila de forma que o bulbo fique em contato direto com a pele;

  • Retirar o termômetro após 3 a 5 minutos e proceder a leitura a nível dos olhos.

  • Pulso

Pulso

  • Onda de ocorrência repetida, pois o sangue bombeado pelo coração durante uma contração ventricular para uma aorta que já está cheia cria uma onda de fluidos que se propaga do coração para artérias periféricas podendo ser sentidas pelo tato por passarem por tecidos rígidos.

Pulso

  • Determina frequência (n° batidas por minuto);

  • Ritmo (padrão ou regularidade das batidas);

  • Volume (quantidade de sangue bombeado).

Pulso

  • Em adultos e crianças acima de 3 anos a artéria radial na região do pulso representa o local mais comum de palpação (radial);

  • Em bebês e crianças menores de 3 anos deve ser utilizado um estetoscópio para auscultar o próprio coração (apical).

Pulso

  • Material: relógio com ponteiro de segundos ou estetoscópio.

  • Técnica: lavar as mãos e informe ao paciente o que vai ser realizado.

Verifique se o paciente está confortável e relaxado;

  • Verifique se o paciente está confortável e relaxado;

  • Posicionar o paciente com os braços ao lado do corpo;

  • Pressione delicadamente os dedos indicador, médio e anular sobre a artéria radial na face interna do pulso do paciente;

  • Conte as batidas durante 60 seg ou 30 e multiplique por 2.

  • Pulso normal: 60 a 80 b.p.m

  • Considera-se taquicardia acima de 100 b.p.m

  • Respiração

Respiração

  • Constitui a troca de oxigênio e dióxido de carbono entre a atmosfera e as células do corpo;

  • Controlada pelo centro respiratório localizado na região lateral do bulbo.

Medidas de respiração

  • Frequência;

  • Ritmo;

  • Profundidade;

  • Som.

Técnica

  • Material: relógio;

  • Avaliar após a tomada da frequência do pulso;

  • Não informar ao paciente que estão sendo contadas as respirações;

  • Conte por 60 seg ou 30 e multiplique por 2.

Respiração

  • Normal adulto: 16 à 20 m.r.p.m.;

  • RN: 30 à 80 m.r.p.m.;

  • Quando começam andar 20 à 40 m.r.p.m.;

  • Idade escolar: 15 à 25 m.r.p.m;

  • Observar sons.

Comentários