(Parte 1 de 2)

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS

SAMUEL LUCAS FERREIRA MARTINS

MANUTENÇÃO

BELO HORIZONTE

2010

CONTRA – CAPA

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO

MANUTENÇÃO

2.O QUE É MANUTENÇÃO

 

Manutenção é o ramo da Engenharia que visa manter, por longos períodos, os ativos fixos da empresa em condições de atender plenamente a suas finalidades funcionais.

 

Volta-se para a preservação de máquinas, equipamentos, instalações gerais e edificações, procurando obter de cada um o maior tempo de vida útil possível e eliminar paralisações quando estiverem sendo chamados a operar.

 

Consiste num grande erro o funcionamento de equipamentos em estado inadequado de manutenção. Essa prática eleva custos, às vezes mais do que aqueles possíveis de mensurar.

 

2.1.TIPOS DE MANUTENÇÃO

 

Visando otimizar a realização dos serviços, a manutenção pode ser separada em:

 

·         Mecânica;

·         Elétrica;

·         Serviços gerais.

 

2.2.OBJETIVOS DA MANUTENÇÃO

 

A manutenção tem como objetivos principais:

 

·         Acompanhar o desempenho elétrico e mecânico dos equipamentos envolvidos na produção, maximizando sua vida útil e minimizando tempo de parada por ocasião do trabalho;

 

·         Elaborar controles que registrem anormalidades e ocorrências com as máquinas, visando identificar tipo e freqüência dos problemas mais comuns e possibilitando correção antecipada. O reparo deve ocorrer em tempo hábil e permitir retorno do bem ao fim a que se propõe, sem prejuízo ao processo;

 

·         Efetuar lubrificações, consertos e reformas nos equipamentos;

 

·         Selecionar, dentro de uma abordagem técnica, insumos a serem utilizados (graxas, óleos, etc), programando suprir na quantidade necessária à plena funcionalidade do processo. Deve também abastecer com peças de reposição;

 

·         Primar por qualidade nos serviços executados, garantindo o uso contínuo e a operação dos equipamentos e das instalações.

 

 

3.MANUTENÇÃO CENTRALIZADA X MANUTENÇÃO DESCENTRALIZADA

 

A decisão em adotar uma manutenção centralizada ou descentralizada é função das condições operacionais e administrativas existentes.

 

 

a) Manutenção Centralizada

 

Todas as operações são planejadas e dirigidas por departamento único. As oficinas são também centralizadas e as equipes de manutenção atendem todos os setores ou unidades de operação.

 

Setores de staf, como projetos, orçamentos, custos e planejamento fazem parte do departamento que, usualmente, é dirigido por um gerente, em posição hierárquica igual ao gerente de produção. Ambos estão subordinados neste esquema ao diretor de produção.

 

Havendo uma boa coordenação de pessoal, esse tipo de manutenção pode reduzir os custos, graças ao melhor aproveitamento dos serviços centralizados, evitando-se a duplicação por setores ou unidades de operação. Porém, será básico ao êxito deste esquema o perfeito entrosamento entre a manutenção e a produção, pois poderá muitas vezes reclamar a produção a retirada de equipamento de serviço, já que as decisões a este respeito estão agora com a manutenção.

 

Um departamento centralizado permite também uniformizar rotinas e garante melhor aproveitamento de pessoal, tanto na manutenção das áreas como nas oficinas. Em caso de menor atividade, o pessoal pode ser aproveitado na execução de reformas de máquinas, produção de peças sobressalentes e outras tarefas.

 

A manutenção centralizada em grande instalações industriais possui um centro de controle, que comanda e despacha todas as solicitações de serviço, emitindo as respectivas ordens de serviço à manutenção.

 

Em empresas pequenas e médias, a manutenção usualmente é do tipo centralizado, pois é às vezes justificável e mesmo desejável que a manutenção dependa da produção. O chefe de produção, além de conhecer todos os problemas de linha, deve também possuir profundo conhecimento técnico acerca das máquinas de que dispõe, para poder aproveitá-las adequadamente. Nestas indústrias, portanto, é possível combinar a capacidade organizadora de um chefe ou supervisor de linha com os requisitos da manutenção.

 

 

b) Manutenção Descentralizada

 

Também denominada “manutenção por áreas”, preconiza a divisão da fábrica em áreas ou setores, cada um dos quais fica sob os cuidados de um grupo de manutenção.

 

No caso de serviços de natureza muito diversa, como manutenção de fornos, laminação e usinagem, por exemplo, pode tornar-se mais racional a especialização de equipes para serviços e sua conseqüente descentralização.

 

Possui as seguintes características:

 

·         A localização física da manutenção faz-se junto a cada unidade, assim como o estoque de peças de reposição;

·         A manutenção de área recorre à ajuda do próprio pessoal da produção em caso de necessidade;

(Parte 1 de 2)

Comentários