Mobilização articular

Mobilização articular

(Parte 1 de 3)

Joelho

Graus de liberdade osteocinemáticos: 2 movimentos: - Flexão/Extensão

Ligamentos:Ligamento colateral medial
Ligamento colateral lateral

Ligamento cruzado anterior Ligamento cruzado posterior

Ligamento oblíquo Ligamento oblíquo arqueado

Tipo de Articulação:Sinovial

Anatomia da Superfície Articular: Ovóide Fêmur: Convexo Tíbia: Côncava

Posição TensionadaExtensão completa e rotação externa

Posição de repouso articular: 25° flexão Padrão de restrição capsular: Flexão > Extensão

Tração:

1. O paciente está sentado, com o joelho para fora da maca; 2. A articulação é colocada na posição de repouso;

3. O fisioterapeuta se posiciona próximo aos pés do paciente, de frente para o joelho; 4. As duas mãos seguram a tíbia proximal pelo lado medial e lateral;

J TÉCNICA: 1. As duas mãos movem a tíbia distalmente.

Deslizamento Dorsal (1ª possibilidade):

- Aumentar a mobilidade intra-articular na articulação tíbio-femural; - Aumentar a amplitude de movimento de flexão do joelho;

1. O paciente está em decúbito dorsal; 2. A articulação é colocada na posição de repouso;

3. O fisioterapeuta se posiciona próximo aos pés do paciente, de frente para o joelho;

4. A mão que estabiliza dá suporte ao fêmur pelo lado dorsal. 5. A mão que manipula segura a tíbia proximal pelo lado ventral.

J TÉCNICA: 1. A mão que estabiliza mantém o fêmur na posição.

Deslizamento Dorsal (2ª possibilidade):

- Aumentar a mobilidade intra-articular na articulação tíbio-femural; - Aumentar a amplitude de movimento de flexão do joelho;

J POSICIONAMENTO: 1. O paciente está em decúbito dorsal; do paciente é colocado sob o ombro do terapeuta;

3. O fisioterapeuta se posiciona sentado ao lado da maca; 4. As duas mãos são colocadas na região ventral da tíbia proximal, pelos lados medial e lateral.

J TÉCNICA: 1. As duas mãos deslizam a tíbia dorsalmente.

Deslizamento Ventral (1ª possibilidade):

J POSICIONAMENTO: 1. O paciente está sentado, com a perna para fora da maca;

2. A articulação é colocada na posição de repouso;

3. O fisioterapeuta se posiciona próximo aos pés do paciente, de frente para o joelho; 4. As duas mãos seguram a tíbia proximal pelo lado dorsal.

J TÉCNICA: 1. As duas mãos deslizam a tíbia no sentido ventral.

Deslizamento Ventral (2ª possibilidade):

- Aumentar a mobilidade intra-articular na articulação tíbio-femural; - Aumentar a amplitude de movimento de extensão do joelho;

J POSICIONAMENTO: 1. O paciente está em decúbito dorsal;

2. A articulação tíbio-femural é colocada perto da amplitude restrita de extensão;

3. O fisioterapeuta se posiciona ao lado da maca; 4. A mão que estabiliza é colocada sobre a superfície ventral da tíbia proximal;

5. A mão que manipula é colocada sobre a face ventral do fêmur distal.

J TÉCNICA: 1. A mão que manipula desliza o fêmur dorsalmente.

Deslizamento Ventral (3ª possibilidade):

J POSICIONAMENTO: 1. O paciente está em decúbito ventral;

2. A articulação tíbio-femural é colocada perto da amplitude restrita de extensão; 3. O fisioterapeuta se posiciona ao lado da maca;

4. A mão que estabiliza é colocada sobre a superfície ventral do fêmur distal; 5. A mão que manipula é colocada sobre a face dorsal da tíbia proximal.

J TÉCNICA: 1. A mão que estabiliza mantém o fêmur na posição;

Deslizamento Lateral:

J OBJETIVO: - Aumentar a mobilidade intra-articular na articulação tíbio-femural;

1. O paciente está em decúbito dorsal ou sentado; 2. A articulação tíbio-femural é colocada na posição de repouso;

3. O fisioterapeuta se posiciona na ponta da maca, de frente para o joelho do paciente. O joelho do paciente é colocado entre o braço e o tronco do profissional; 4. A mão que estabiliza segura o fêmur distal pelo lado lateral; 5. A mão que manipula segura a tíbia proximal pelo lado medial.

J TÉCNICA: 1. A mão que estabiliza mantém o fêmur na posição;

Deslizamento Medial:

- Aumentar a mobilidade intra-articular na articulação tíbio-femural; - Aumentar a amplitude de movimento geral da articulação tíbio-femural;

J POSICIONAMENTO: 1. O paciente está em decúbito dorsal ou sentado;

2. A articulação tíbio-femural é colocada na posição de repouso; 3. O fisioterapeuta se posiciona na ponta da maca, de frente para o joelho do paciente. O joelho do paciente é colocado entre o braço e o tronco do profissional;

4. A mão que estabiliza segura o fêmur distal pelo lado medial; 5. A mão que manipula segura o lado lateral do joelho, na linha articular.

J TÉCNICA: 1. A mão que estabiliza mantém o fêmur na posição; 2. A mão que manipula desliza a tíbia proximal no sentido medial.

Graus de liberdade osteocinemáticos: 2 movimentos: - Flexão/Extensão

(Parte 1 de 3)

Comentários