Integração Lavoura e Pecuária

Integração Lavoura e Pecuária

IntegraIntegraçção Lavouraão Lavoura--PecuPecuáária: ria:

SituaSituaçção atual e perspectivas ão atual e perspectivas

Cer rados

Lourival Vilela Lourival Vilela

Geraldo B. Martha JGeraldo B. Martha Júúnior nior

Dinâmica do uso da terra Dinâmica do uso da terra

Outros fatores

Clima Aptidão do solo Biodiversidade Aspectos agrários Cultural Preferência Aversão a risco...

Drivers - escala global

Comécio Internacional e globalização dos mercados; Baixos preços mundiais;

Elevados preços de energia;

Políticas agricolas dos países da OECD...

Drivers - escala nacional

Renda per capita e urbanização;

Mudanças nas cadeias de mercado;

Mudanças em políticas públicas

Drivers - escala nacional

Renda per capita e urbanização;

Mudanças nas cadeias de mercado;

Mudanças em políticas públicas

Drivers - escala local

Saúde;

Pobreza;

Tecnologia;

Direito de propriedade;

Infra-estrutura e acesso a mercado;

Drivers - escala local

Pobreza;

Tecnologia;

Direito de propriedade;

Infra-estrutura e acesso a mercado;

Hazell & Wood 2008

Perda de produtividade das pastagens

Cultivos/siste ma 0

Solo Agua

Milho Soj a Soj a PD Pa stage m

Impacto de cultivos e sistemas nas perdas, média anual, de água e solo em um latossolo vermelho-escuro, texutura argilosa. Adaptado de: Dedecek et al., 1986.

Bacia Amazônica Bacia do Tocantins Bacia Atlântico Norte/Nordeste Bacia do São Francisco Bacia Atlântico Leste Bacia do Paraguai/Paraná Bacia do Uruguai Bacia Atlântico Sul/Sudeste rios Limites da Região Cerrado

O Bioma Cerrado em relação às grandes bacias hidrográficas brasileiras

O Bioma Cerrado em relação às grandes bacias hidrográficas brasileiras

Área=78% Vazão=71%

Área=47% Vazão=94%

Área=48% Vazão=71%

IBGE (2003) Expansão da Pecuária de Corte

Foto de Luciano Shozo Shiratsuchi

Sistemas pH P K Al Ca+Mg M.OArgila

c mol c
(%)

mg/dm 3 /dm 3

Fertilidade de solo: Lavoura x Pastagem

Renda lRenda lííquida de 450 quida de 450 haha de soja: R$ 230,64/ de soja: R$ 230,64/ha ha

Renda lRenda lííquida de 450 quida de 450 haha de pasto degradado: de pasto degradado:

R$ R$ --261,0 /261,0 /ha ha

Nosúltimos30 anos, forampoupados60 milhões de hectares

Evo lu Evo lu ç ão da produtividade das lavouras de grãos no Brasil ão da produtividade das lavouras de grãos no Brasil

PIB real per capita em regiões de agricultura dinâmica

Mueller, C. C., Martha Jr., Mueller, C. C., Martha Jr., G. B.G. B., 2008. , 2008.

demanda crescente por alimentos demanda crescente por alimentos

aumento das exportaaumento das exportaçções de carne ões de carne

competicompetiçção por espaão por espaçço o

prepreçços dos insumos agros dos insumos agríícola cola

remuneraremuneraçção por qualidade ão por qualidade

Pressão para reduzir a taxa de abertura de novas Pressão para reduzir a taxa de abertura de novas ááreas reas

Aumentar a eficiência dos sistemas de produAumentar a eficiência dos sistemas de produçção ão

CenCen á rios: agricultura e pecu rios: agricultura e pecuáária ria

“O que percebemos na prática éque as empresas que gerenciam melhor o impacto ambientalsão justamente as que representam o menor risco de crédito”

Fabio Colletti Barbosa, Revista Veja, 18/04/2007

“O que percebemos na prática éque as empresas que gerenciam melhor o impacto ambientalsão justamente as que representam o menor risco de crédito”

Fabio Colletti Barbosa, Revista Veja, 18/04/2007

“Preservação” “Preservação”

“Desenvolvimento” “Desenvolvimento”

A integraA integraçção Lavouraão Lavoura--PecuPecuáária consiste na implantaria consiste na implantaçção ão de diferentes sistemas produtivos de grãos, fibras, de diferentes sistemas produtivos de grãos, fibras, carne, carne, leiteleite, , agroenergiaagroenergia e outros, e outros, na mesma na mesma áárearea , em plantio

, em plantio consorciado, seqconsorciado, seqüüencial ou encial ou rotacionadorotacionado. .

Integração L avoura-Pecuária

Equipe Prodesilp

•Melhoria das propriedades físicas, químicas e biológicas do solo; •Redução de pragas, doenças e invasoras;

•Aumento na produção de grãos e de forragem carne, leite;

•Redução de risco pela diversificação de atividades.

•Melhoria das propriedades físicas, químicas e biológicas do solo; •Redução de pragas, doenças e invasoras;

•Aumento na produção de grãos e de forragem carne, leite;

•Redução de risco pela diversificação de atividades.

Benefícios da integração lavoura-pecuária

Risco de produção: lavoura de grãos x pecuária Risco de produção: lavoura de grãos x pecuária

Pecuária a pasto Monocultura de grãos

Tempo

Degradação de pastagens

Integração Lavoura-Pecuária – Redução de riscos

Sistemas de Integração Lavoura-Pecuária

1.1. Fazendas de pecuFazendas de pecuáária em que a introduria em que a introduçção de culturas de ão de culturas de grãos (arroz, milho, sorgo) em grãos (arroz, milho, sorgo) em ááreas de pastagens tem por reas de pastagens tem por objetivo recuperar a produtividade dos pastos com custos objetivo recuperar a produtividade dos pastos com custos menores (amortizamenores (amortizaçç ão dos custos de recupera ão dos custos de recuperaçção por meio da ão por meio da venda dos grãos); venda dos grãos);

2.2. Fazendas que, sistematicamente, adotam a rotaFazendas que, sistematicamente, adotam a rotaçç ão de pasto ão de pasto e lavoura para intensificar o uso da terra e se beneficiar do e lavoura para intensificar o uso da terra e se beneficiar do sinergismo entre as duas atividades; sinergismo entre as duas atividades;

3.3.

Fazendas especializadas em lavouras de grãos que adotam as Fazendas especializadas em lavouras de grãos que adotam as gramgram í neas forrageiras para melhorar a cobertura de solo para neas forrageiras para melhorar a cobertura de solo para o sistema de plantio direto e, na entressafra, podem, quando o sistema de plantio direto e, na entressafra, podem, quando desejado, utilizar a forragem produzida na alimentadesejado, utilizar a forragem produzida na alimentaçção de ão de bovinos. bovinos.

Recuperação da produtividade das pastagens Recuperação da produtividade das pastagens

Pa sto de gr ada do

Ajuste de ofe rta Adubação Arroz Milh o

Alternativas de recuperação Barcellos et al., 1999

Recuperação de pastagens degradadas

Peso vivo aos 25 meses: Nelore = 326 kg Nelore x Blonde = 335 kg

Peso vivo aos 25 meses

Nelore = 395 kg Nelore x Blonde D’aquitaine = 4 kg (+ 1%)

Recuperação da produtividade das pastagens Fazenda São Francisco – Barreiras – BA

Produtividade (@/ha/ano) Anos depois de lavouras de grão de elevada produtividade Amplitude1

Média

1 20 a 40 25 2 12 a 18 15 3 9 a 15 12 > 4 a 6 4 a 7 4,5 Pasto degradado 2 a 4 2,5

1 – Variação devida a diferentes condições edafoclimáticas, refletindo em diferentes produtividades da planta forrageira, de formação e manejo do pasto e de genética animal.

Fonte: Martha Jr. et al. (2007b).

Produtividade animal esperada na ILP

Produtividade Tempo

Adubação de manutenção ou ILP!

Recuperação de pasto via Integração Lavoura-Pecuária

Lavoura depois de pasto

Pasto de degradadoPasto recuperado

Soja sem adubação Soja c/250 kg/ha de 0-20-20+micro Soja c/50 kg/ha de 0-20-20+micro

AdubaAdubaçção do pasto recuperado ão do pasto recuperado

Ano1: 60 kg/Ano1: 60 kg/haha de N+ 40 kg/ de N+ 40 kg/haha de P de P

Ano2: 60 kg/Ano2: 60 kg/haha de N+ 40 kg/ de N+ 40 kg/haha de P de P

Ano3: 90 kg/Ano3: 90 kg/haha de N+ 40 kg/ de N+ 40 kg/haha de P de P

Ano4: 90 kg/Ano4: 90 kg/haha de N+ 40 kg/ de N+ 40 kg/haha de P de P

Vilela, L; Martha Jr, G. B; Sousa, D. G. M., 2007 (dados não publicados)

Rendimento de soja depois pasto

Sistema/Cultivo Sistema de plantio Média3

Convencional Direto

Soja-Sorgo-Soja (LC) Soja 3.078 3.044 3.061 a B. brizantha cv. Marandu (LPL) Soja 3.540 3.603 3.571 b

Média 3.309 a 3.323 a

1/ Total de corretivos e nutrientes aplicados por nível de fertilidade em 17 anos de cultivo: LC (8,6 t/ha de calcário dolomítico, PRNT 100%, 2,8 t/ha de gesso, 308 kg/ha de N, 1487 kg/ha de P 2 O5 , 1391 kg/ha de K2 O e micronutrientes); LPL (8,6 t/ha de calcário dolomítico, PRNT 100%, 2,8 t/ha de gesso, 85 kg/ha de N, 853 kg/ha de P2 O5 , 813 kg/ha de K2

O e micronutrientes). 2/ Na safra de 2007/2008 a adubação de plantio da soja foi 485 kg/ha da fórmula 0-20-20+S+micronutrientes.

3/ Médias seguidas por letras iguais não diferem entre si ao nível de significância de 5% pelo teste de Tukey.

LVilela et al., 2008

683 kg/ha foi o ganho de peso vivo de bovinos em recria. Período de pastejo : 134 dias na estação das chuvas de 2006/07.

683 kg/ha foi o ganho de peso vivo de bovinos em recria. Período de pastejo : 134 dias na estação das chuvas de 2006/07.

Anos Rebanho Lotação

*F. Rauscher, 2003 - Comunicação

IntegraIntegra ç ão lavoura ão lavoura--pecupecuáária: experiência do produtor ria: experiência do produtor

Faz. Sta. Terezinha, Uberlândia, MG Faz. Sta. Terezinha, Uberlândia, MG

L.Vilela , 2003.

Efic iê ncia e conô mic a

Pa râ metros Si ste mas

Tradic io nal Lavo ura/ Pecu ária

Pastagem renovada/ano (%)125

Idade das pastagens (anos)15-205 Vacas/ ha 0, 54 1, 04

Fisher, 1995

Integração lavoura-pecuária: eficiência econômica

Produção animal em pastagens plantadas em áreas cultivadas com soja. Primavera do Leste, MT.

Produção animal em pastagens plantadas em áreas cultivadas com soja. Primavera do Leste, MT.

Fonte: Mauro E. Morufuse (2003)

( UA/ha)......... ....@ /h a e s acos/ha....
kg/ha de N-P
O

Tx. de lotaçãoProdutividadeAdubação 2 O5-K 2

Anos Sistem as

Foto deBarecellos

Integração lavoura-pecuária – Experiência do produtor

2ª Safra Safra

Atividades/Tempo

Segunda safra de grãos e “safrinha de boi”

1ª Safra Safra

3000 a 4000 kg/3000 a 4000 kg/ha ha

3000 a 5000 kg/3000 a 5000 kg/ha ha

90 a 150 kg/90 a 150 kg/haha ((eqeq. .

carcacarca çça) a) i l h s o l t e i r

Milho consorciado com capim (kg/ha) x= y Safrinha

Sa fr a

Chuvas no Cerrado Chuvas no Cerrado

Fotos de Edmar Paiva 780 cab./139 ha

Rotação soja/pasto – Pedro Afonso, TO

Atividades/Tempo

Segunda safra: pasto

1ª Safra Safra

2ª Safra Safra

Cobertura para PD e/ou pasto?

Pisoteio animal

Animais em pastejo exerce pressão no solo comparável às máquinas agrícolas. Greenwood e McKenzie, 2001.

Det eriora

Deterioraçção da estrutura do solo: ão da estrutura do solo:

Densidade de solo; Densidade de solo;

MacroporosidadeMacroporosidade do solo; do solo;

Taxa de infiltraTaxa de infiltraçção; ão;

Resistência Resistência à penetrapenetraçção ão mecânica. mecânica.

Manejo adequado do Manejo adequado do pastejopastejo é é fundamental para o sucesso de fundamental para o sucesso de plantio lavouras de grãos em plantio lavouras de grãos em ááreas de pasto. reas de pasto.

Resíduo pós-pastejo

•• B. B. decumbensdecumbens (4,8 kg/(4,8 kg/haha SPV) distribuSPV) distribuíída a landa a lançço, na vo, na vééspera do plantio de spera do plantio de milhomilho . .

Produtividade: 140 Produtividade: 140 scsc././haha (8.400 kg/(8.400 kg/haha) )

Custo: R$ 1.720,95/Custo: R$ 1.720,95/haha (R$ 12,29/saca) (R$ 12,29/saca)

Venda: R$ 15,0/sacaVenda: R$ 15,0/saca R$ 379,05/R$ 379,05/ha ha

PinusplanPinusplan, Uberlândia, MG , Uberlândia, MG

Taxa de LotaTaxa de Lotaçção: 2,1 UA/ão: 2,1 UA/haha; ;

GPV: 0,58 kg/GPV: 0,58 kg/cabcab/dia (1,5 kg//dia (1,5 kg/cabcab/dia de /dia de suplsupl.), 120 dias .), 120 dias

Custo: R$ 1.840,74/Custo: R$ 1.840,74/haha (R$ 49,75/@) (R$ 49,75/@)

Venda: R$ 60,81/@ Venda: R$ 60,81/@

R$ 434,04/R$ 434,04/ha ha

MilhoMilho ((safrasafra) + ) + boiboi ((safrinhasafrinha) ) R$ 813,09/ha R$ 813,09/ha

Pinusplan, Uberlândia, MG

Rendimento anual (kg/ha)275,5

Indicadores de desempenhoGirolando x NeloreNeloreNelore x Red Angus

Desempenho animal em “pasto safrinha”: genética

26% Adaptado de Alvarenga et al., 2007

Recria de novilhas

T1 T2 T3 T4 Trat amen tos- su plemen tação

Milho BRS 1010/ Milho BRS 1010/ cap i m cap i m--Piatã Piatã

Fonte: Equipe ILP Embrapa Cerrados, 2008 (dados não publicados)

ProduProduçção animal em pastagem ão animal em pastagem

Adaptado de HODGSON, 1990

Clima Solo Planta

Forragemproduzida Forragem consumida

Produto animal

Crescimento Ut iliz ação Convers ão

Integração lavoura/pecuária e adubação

ProduProdu çção ão

Parceria: Pecuarista/Produtor de grãos Parceria: Pecuarista/Produtor de grãos

Módulo 1Módulo 2 s s a d e f o r r a g e

Resteva de milho

Brachiaria ruziziensis

Parceria: Pecuarista/Produtor de grãos/Embrapa Parceria: Pecuarista/Produtor de grãos/Embrapa

Atividades/Tempo

“Safrinha de boi”: Experiência da Faz. Xanxerê em 2008, BA

1ª Safra Safra

Resultados da parceria

768 animais em 790 ha Peso vivo médio inicial: 312 kg

152 dias de pastejo/semiconfinamento (início: 27/04/08)

Ganho de peso diário: 1,0 kg

Renda do produtor: R$ 190,0/ha

Renda do pecuarista: ?

Gargalos e Desafios

••Econômicos: Econômicos:

Sistemas especializados

Sistemas especializados vs.vs.

sistemas integrados; sistemas integrados;

Safrinha de grãos

Safrinha de grãos vs.vs.

safrinha de boi;... safrinha de boi;...

““Não importa quanto Não importa quanto nnóóisisganha, mas quanto ganha, mas quanto nnóóisisguardaguarda” ”

••Culturais: pecuarista Culturais: pecuarista vs. vs. produtor de grãos; tprodutor de grãos; téécnicos... cnicos...

••TTéécnicos (conscnicos (consóórcio com soja; leguminosas forrageiras; gramrcio com soja; leguminosas forrageiras; gramííneas neas

forrageiras;)
forrageiras;)

••Operacionais (bebedouros; cercas; Operacionais (bebedouros; cercas; aquisiaquisiçção de animais ão de animais colheita...) colheita...)

Renda líquida: ILP vs. Sistemas especializados

Elaborado por G. B. Martha Jr., 2008.

e x

S o j a e c t e i v j a i l h

S o j a j a e n d a l í q i d

“... em batalha contra a natureza, o homem não se dáconta de que, ao vencê-la, estarádo lado do perdedor.” Dora R. Hees, 1993.

em batalha contra a natureza, o homem não se dáconta de que,

ao vencê-la, estarádo lado do perdedor.” Dora R. Hees, 1993.

Ano Reban ho

(106 cabeças)

Pastagens

(106 ha)

Produção de carne (t) Produtividade

(kg/ha/ano)

Pecuária

An os

Rotação contínua de soja/milho Pasto depois de lavoura Lavoura depois de pasto

Sousa, et al., 1997

Rotação lavoura/pastagem – Matéria orgânica do solo

Rotação soja/milho

Pasto depois de lavoura

Lavoura depois de pasto

Em solos mais arenosos, a MOS é essencial para o armazenamento de água e suprimento de nutrientes, enquanto que em solos argilosos essa função se torna menos importante, mas cresce seu papel na manutenção de propriedades físicas (agregação, densidade, porosidade).

Agricultura e Pecuária Agricultura e Pecuária

Fósforo recuperado Fósforo aplicado Anuais Anuais e capim

(kg/ha de P2O5 )

. Fonte: Sousa et al., dados não publicados.

“A aplicação de fertilizantes contribui com 43% das 70 milhões de toneladas de nutrientes extraídos pela produção global das culturas. No futuro, a contribuição poderá alcançar a 84%, ou seja, a agricultura mundial se tornará cada vez mais dependente de fertilizantes minerais.” Louise O. Fresco, 2003

Eficiência de uso de nutrientes

Cerra do na tura l So ja/ Milho Pastage m

Vilela & Sharma Controle e pragas e doenças

EspéciesFR = Pf/ Pi

Soja Pintado (padrão suscet

Soja Pintado (padrão suscetíível)vel)59,6 59,6

Panicum maximum Mo mbaça 13,18

Panicum maximum Tanzânia 10,38

Brachiaria brizantha 9,71

Brachiaria decumbens 5,65

Brachiaria ruziziensis 3,80

Brachiaria humidicola 1,80

Brachiaria dyctioneura 1,32

CrotalariaCrotalaria spectabilisspectabilis 0,0 0,0

Resistência a Pratylenchusbrachyurus

Fonte: Mário Massayuki Inomoto (ESALQ/USP, Piracicaba, SP) e Murilo Barros Pedrosa (Fundação BA, Barreiras, BA)

Comentários