pneumologia/casos clinicos

pneumologia/casos clinicos

EXERCÍCIOS PRÁTICOS

  1. Na clínica pneumológica as pneumonias são freqüentes, e geralmente com bom prognóstico, mas podem ocorrer complicações importantes. Cite algumas destas.

- Choque, edema pulmonar, consolidação pulmonar maciça evoluindo para necrose e formação de abscessos múltiplos, meningite asséptica, pericardite, hipotensão, síndrome de guillain-barré.

  1. Em assistência de enfermagem ao paciente com pneumonia, qual a conduta que devemos adotar para ter maior sucesso em seu tratamento?

- Auxiliar na coleta de exames para a identificação do microorganismo causador.

- Administrar terapia de erradicação do organismo causador.

-Avaliação da resposta do paciente á terapia.

-Tratamento de apoio e alivio ao desconforto.

- Estar atento as complicações.

- Educar o paciente a prevenção de doenças pulmonares.

- Antibioticoterapia

  1. Quais os aspectos importantes na educação do paciente com enfisema?

Instruir o paciente ao tratamento para:

-Retardar a evolução do processo da doença (compreender a importância de preservar a função pulmonar existente, evitar atividades que produzem dispinéia excessiva, evitar a exposição aos irritantes respiratórios).

-Prevenir e eliminar as infecções brônquicas ( comunicar ao médico qualquer evidência de infecção respiratória, manter a saúde em ótimas condições tendo uma boa nutrição).

-Reduzir as secreções brônquica ( prevenir e controlar as infecções respiratórias, manter a ingestão adequada de líquidos, tomar as medicações prescritas para a tosse e expectoração, tomar bronco dilatadores como indicado).

-Para aumentar a ventilação pulmonar ( usar nebulização constante e persistente, fazer os exercícios respiratórios para fortalecer os músculos expiratórios)

  1. Quando o paciente apresentar crises episódicas de cansaço, dispnéia tosse, sibilos. Crises desencadeadas pelo frio, exercícios, alérgicos, emoções, estresse, podendo ter história familiar ou não.

a)Qual patologia o acomete?

Asma brônquica

b)Como podemos trata-la?

Hidratação por via oral ou parenteral, uso de cortecosteróides via inalatória tipo beclometasona(beclosol, clenil), broncodilatadores inalatórios tipo berotec, uso de teofllina, uso de antibiótico na presença de infecção respiratória, oxigenoterapia em crise asmática, uso de aminofilina EV lenta mínimo 20 mim para injetar.

  1. Diferencie IRA de IRC

Insuficiência respiratória aguda: falência respiratória que surge no paciente cujos pulmões eram estruturalmente e funcionalmente normais, antes do inicio da doença atual e possui reversão.

Insuficiência respiratória crônica: falência observada em pacientes com a doença pulmonar crônica, como a bronquite crônica, enfisema e doença do pulmão negro, e não possui reversão.

  1. Interna paciente apresentando: tosse, febre, emagrecimento, dor nas costas, hemoptise, sudorese noturna, dispnéia, cansaço, escarro com sangue:

a)Podemos suspeitar de que patologia?

Tuberculose

b) Até a confirmação qual a conduta que devemos implementar?

Isolamento respiratório em pacientes com menos de 48 horas de tratamento,

Manter isolamento respiratório por precaução até sair o resultado do teste de escarro,

Usar equipamentos de proteção, principalmente máscaras,

  1. Em ambulatório um indivíduo chega com queixa de tosse, emagrecimento, perda do apetite, febre noturna. O médico solicita internação hospitalar para investigação, referente aos sinais e sintomas relatados, solicita também isolamento. Qual a H. D. deste indivíduo. Qual o plano de cuidados que deve ser instalado.

Paciente com suspeita de Tuberculose.

Plano de cuidados instalados até a chegada dos exames: manter isolamento respiratório até o resultado de confirmação da doença (teste de escarro) e o mesmo deve prolongar-se por 48h após o início do tratamento; observar sinais de insuficiência respiratória, tais como má perfusão periférica, esforço respiratório; usar equipamentos de proteção, principalmente máscaras; manter P.M. e atentar para a saturação de O2, através de oxímetros e gasometria arterial.

  1. Seu João está internado por DPOC, apresenta-se ansioso, dispnéico, alimentando-se pouco, com O2 em cateter nasal, acesso venoso por abocath. Recebendo aminofilina, brycanil xp e nebulização com SF + atrovent + berotec. Qual é o efeito destas medicações e qual o plano de cuidados a ser implementado?

Efeitos: tremores, ansiedade, taquicardia, sudorese, aumento de PA, cefaléia e retenção urinária.

Plano de cuidado: Orientar o paciente que abandone o tabagismo e evitar a poluição ambiental, educar sobre a doença e o papel da fisioterapia, combater o broncoespasmo, usar broncodilatadores, usar teofllina, fisioterapia, hidratação adequada, usar corticosteróides e expectorantes, antibióticoterapia, oxigenoterapia, trasplante de pulmão em casos específicos.

9. Diferencie as doenças do sistema respiratório em relação ao conceito, sinais e sintomas, tratamento e cuidados de enfermagem.

Doença

Conceito

Sinais/Sintomas

Tratamento

Cuidados de Enferm

Pneumonia

Processo inflamatório do parênquima pulmonar

IR,calafrio,febre,tosse produtiva com escarro.

Antibioti-

Coterapia,oxigenoterapia,

Repouso,alimentação adequada.

Monitorar SV,manter profilaxia das crises agudas reduzir a exposição aos MO causadores,incentiva a expectoração.

Enfisema Pulmonar

Doença complexa e destrutiva, caracterizada por alvéolos distendidos devido a obstrução brônquica.

Dispnéia de esforço, fadiga, astenia, tosse de fumante, anorexia,expiração prolngada.

Antibioticoterapia, controle das secreções brônquicas,fisioterapia,

Evitar calor e frio em excesso, fumaça, fumo.

Manter decúbito elevado, avaliar o padrão respiratório, administrar brocodilatadores prescritos e avaliar os possíveis efeitos colaterias.

Doença pulmonar do coração

É a insuficiência cardíaca devido o insuficiência pulmonar.

Hipoventilação crônica,cianose,chiado,

Sonolência,fadiga.

Melhorar a ventilação do paciente, tratar o coração com repouso, digital e diuréticos.

Oxigenoterapia,antibiótico

terapia.

DPOC

Identifica aqueles pacientes com enfisema pulmonar ou bronquite crônica.

Aparência pletórica.

Cianótico

Tórax menos globoso

Pouca dispnéia

Produção de muco

Abandonar o tabagismo, edcação sobre a doença e o papel da fisioterapia, uso de broncodilatadores.

Estimular e supervisionar a realização de exercícios de respiração,Incentivar a realização de higiene oral freqüente.

Embolia Pulmonar

É a obstrução de uma ou mais artérias pulmonares por um trombo.

Irão depender do tamanho do trombo e da área obstruída da artéria pulmonar,mas podendo ter dor reto esternal, dispinéia

combater o choque, a hipóxia, e a resultante insuficiência cardíaca.

estimulando a deambulação ou exercícios ativos e passivos das pernas, ptes com problemas de diminuição do retorno venoso devem usar meias elásticas, Aumento da ingesta hídrica, ptes de alto risco podem receber anticoagulantes para prevenir embolia pulmonar

Derrame Pleural

Acúmulo de líquido na cavidade pleural.

Respiração curta

Aumento da freqüência do pulso

Dor.

Terapia para aliviar o desconforto e a dispnéia. Drenagem persistente e eficaz do espaço pleural é feita o mais cedo possível pela toracocentese.

aliviar o desconforto e a dispnéia

Asma brônquica

Caracteriza por uma reatividade aumentada da traquéia e brônquios a uma grande variedade de estímulos

Tosse acompanhada ou não de muco e de sibilos,dispnéia que pode ou não impedir a atividade habitual,

Perturbação do sono.

Hidratação adequada pela VO ou parenteral

Uso de cortecosteróides via inalatória tipo beclometasona, antibioticoterapia e oxigenoterapia.

Manter o paciente assintomático,manterá a atividade normal, evitar os sintomas crônicos,hidratação adequada,oxigenotrapia.

Tuberculose

É uma doença crônica causada pelo micobacterium tuberculosis ( bacilo de Koch),

Tosse, febre, emagrecimento,dispnéia, cansaso,escarro com sangue,sudorese,cançaso.

Vacinação, antibioti-

Coterapia.

Isolamento respiratório em pacientes com menos de 48 horas de tratamento, observar sinais de insuficiência respiratória.

IRA

Menos oferta de oxigênio do que o consumido.

hipóxia e a hipercapnia, lesão estrutural,

Definir e tratar a etiologia, fornecer a ventilação adequada, fornecer o suporte circulatório, fornecer o controle hídrico adequado, fornecer o suporte nutricional.

requer intensa monitorização, administração de oxigênoterapia com fisioterapia torácica e freqüente avaliação do estado do paciente

CA de Pulmão

Neoplasia primária de origem nas vias aéreas associados ao uso de tabaco.

Obstrução branquica,

Cirurgia, radioterapia,

Quimioterapia.

Prevenção, avaliar os sv,inspecionar locais que possam servir de porta de entrada para patógenos,

Antibioticoterapia.

SARA

Síndrome da angustia respiratória do adulto

síndrome clínica caracterizada por uma diminuição progressiva no conteúdo arterial de oxigênio, que ocorrerá após uma lesão ou patologia grave

Aspiração sufocação, overdose de drogas.

distúrbios hematológicos, inalação prolongada de altas concentrações de oxigênio, fumos ou substâncias corrosivas

Suporte nutricional, oxigenoterapia, antibiótico terapia.

Fisioterapia, repouso auscultar a ventilação

Comentários