Projeto: implantação de aviário para aves de corte

Projeto: implantação de aviário para aves de corte

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS EDUCAÇÃO E ZOOTECNIA – ICSEZ

CAMPUS DO BAIXO AMAZONAS

CURSO BACHARELADO EM ZOOTECNIA

PROJETO: IMPLANTAÇÃO DE AVIÁRIO PARA AVES DE CORTE

Parintins - AM

Dezembro de 2009

UZIEL SUWA

PROJETO: IMPLANTAÇÃO DE AVIÁRIO PARA AVES DE CORTE

Trabalho apresentado à Universidade Federal do Amazonas, para obtenção de nota parcial na disciplina Desenho Técnico, sob orientação do professor José Carlos Brandão.

Parintins – AM

Dezembro de 2009

ÍNDICE

INTRODUÇÃO.......................................................................................................................04

PROJETO: INSTALAÇÕES PARA AVICULTURA ...........................................................05

CONSIDERAÇÕES FINAIS..................................................................................................09

REFERÊNCIAS.......................................................................................................................10

INTRODUÇÃO

Avicultura é o ramo de atividade que se dedica à criação de aves (galinhas, patos, perus, faisões, pombos, cisnes, gansos, pavões, etc). Constitui hoje uma técnica muito complexa, dada à maneira extremamente técnico/científica como se procede a criação intensiva.

As instalações para aves distinguem-se das designadas a outros animais, não levando em conta somente o aspecto higiênico, mas também no manejo da criação. O projeto pretende preceituar e preencher as condições que admitam o seu apropriado funcionamento, ressaltando a parte econômica da construção, a qual se apresenta de forma simplificada, possibilitando curto espaço de tempo na sua realização e a emprego de materiais acessíveis.

PROJETO

TEMA: INSTALAÇÕES PARA AVICULTURA

DELIMITAÇÃO: INSTALAÇÕES PARA AVICULTURA DE CORTE PARA 1.000 AVES

JUSTIFICATIVA:

Umas das maiores limitação da indústria micro-empresa em Parintins é a dificuldade na obtenção de alimentos oriundos da própria cidade. Os alimentos encontrados, em sua maioria, são provenientes de cidades vizinhas. Em virtude disso, resolveu-se propor a instalação de um aviário de corte para 1.000 aves.

OBJETIVOS:

  • Fornecimento de alimentos para abastecimento da própria cidade;

  • Criação de oportunidades de emprego na cidade e nas comunidades circunvizinhas;

  • Fornecimento de experiência de negocio prático para pessoas interessadas;

METODOLOGIA:

As exigências relativas ao ambiente dependem sempre do intuito da produção. Este caso é específico para aves de corte, logo terão ambientes e tratamento diferenciados das aves designadas à postura ou reprodutoras. Portanto, é extremamente fundamental antes da construção, adaptação, ambientação e equipar seu galpão tenha exatamente definido a finalidade do mesmo. Todavia, alguns pontos são gerais para todos os tipos de abrigo para as aves tais como: Proteção contra:

  • Chuva;

  • Excessos de temperatura (baixa ou elevada);

  • Ventos;

  • Radiação solar;

  • “Stress”;

  • Poluição do ar;

  • Ectoparasitos e endoparasitas;

  • Roedores e aves;

Devem-se analisar antes de iniciar as construções alguns fatores pertinentes:

Localização das edificações

A seleção da localidade adequada para implantação do aviário tem em vista a otimização dos processos construtivos, de conforto térmico e sanitários, visando o aproveitamento das vantagens da circulação natural do ar e, evitar a obstrução do ar por outras construções, barreiras naturais ou artificiais.

Orientação

A orientação leste-oeste em galpões para confinamento de animais é indicada universalmente, com intuito de tornar mínima a incidência direta do sol sobre os animais através das laterais da instalação, haja vista que, nesse caso, o sol percorre ao longo do dia sobre a cumeeira da instalação.

Largura do aviário, pé direito, comprimento e piso

Relaciona-se a largura do aviário com o clima da região onde o mesmo será construído. Neste caso, têm-se as seguintes medidas:

Largura até 10m;

O pé direito do aviário estabelecido em função da largura adotada, como também o pé direito do aviário, de forma que os dois parâmetros em conjunto favoreçam a ventilação natural no interior do aviário com acondicionamento térmico natural como mostra a tabela a seguir:

Largura do Aviário (m)                  

Pé direto mínimo em climas quentes (m)

   até 8

    2,80

   8 a 9

    3,15

   9 a 10

    3,50

 10 a 12

    4,20

 12 a 14

    4,90

Fonte: TINÔCO (1995).

O comprimento do aviário deve ser estabelecido para se evitar problemas com terraplanagem, comedouros e bebedouros automáticos. Não deve ultrapassar 200m.

O piso é importante para proteger o interior do aviário contra a entrada de umidade e facilitar o manejo. Este deve ser de material lavável, impermeável, não liso com espessura de 6 a 8cm de concreto no traço 1:4:8 (cimento, areia e brita) ou 1:10 (cimento e cascalho), revestido com 2cm de espessura de argamassa 1:4 (cimento e areia).

Fechamentos

A mureta deve ter a menor altura possível, aproximadamente 0,2 m, permitindo a entrada do ar no nível das aves, evitando a entrada de água de chuva e que a cama seja arremessada para fora do aviário (ABREU, 2003).

Entre a borda da mureta e o telhado, deve ser colocada uma tela de arame à prova de pássaros e insetos, como também a instalação de cortinas para evitar penetração de sol e chuva e controlar a ventilação no interior do aviário (TEIXEIRA, 1997).

Cobertura

O telhado deve ser de material com grande resistência térmica, como o sapé ou a telha cerâmica.

Impreterivelmente, devem-se evitar as telhas de alumínio ou zinco, devido ao barulho ocasionado durante a estação chuvosa; assim como também as telhas de cimento amianto com 4mm de espessura, pois fornecem menor conforto para as aves.      O material ideal para a cobertura deve ter alta refletividade solar e alta emissividade térmica na superfície superior e baixa refletividade solar e emissividade térmica na superfície inferior.

Sistemas para abastecimento de água: bebedouros

As principais características dos bebedouros devem ser:

  • Fácil acesso para as aves

  • Evitar que as aves se molhem e vazamento;

  • Fácil limpeza;

  • Proporcionar a utilização de medicamentos;

  • Preço compatível;

  • Durabilidade

SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE RAÇÃO: COMEDOUROS

  • Comedouros automáticos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Indubitavelmente, a implantação de aviário de corte deve levar em consideração todos os aspectos que forneçam uma boa acomodação para as aves, evitando qualquer tipo de desconforto, objetivando assim, um melhor rendimento dentro do intuito, que é o de produção de corte.

REFERÊNCIAS

ABREU, P.G. Sistemas de Produção de Frangos de corte. EMBRAPA - Suínos e Aves. Boletimtécnico. 2003. Disponível em: http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Ave/ProducaodeFrangodeCorte/Instalacoes.html. Acesso em 15/12/2009.

.

GIL.Antônio Carlos, 1946. Como elaborar projetos de pesquisa / Antônio Carlos Gil. – 4. Ed. Reimp. – São Paulo: Atlas, 2009.

TEIXEIRA, V.H. Construções e Ambiência - instalações para aves e suínos. Lavras: UFLA/FAEPE, 1997. 181 p.

TINÔCO, I.F.F. Avicultura industrial: novos conceitos de materiais, concepções e técnicas construtivas disponíveis para galpões avícolas brasileiros. Revista Brasileira de Ciência Avícola, Campinas, v.3, n.1, p.1-26, 2001.

VAQUERO. Emilio Garcia. Projecto e Construções de alojamento para animais. Ed.3ª. Litexa Portugal: vol 2, 1971.

10

Comentários