(Parte 1 de 8)

Encontre o material de estudo para seu concurso preferido em w.acheiconcursos.com.br

Conteúdo:

1. Compreensão e interpretação de textos 2. Tipologia textual

3. Ortografia oficial 4. Acentuação gráfica

5. Emprego das classes de palavras 6. Emprego do sinal indicativo de crase 7. Sintaxe da oração e do período

8. Pontuação 9. Concordância nominal e verbal

10. Regência nominal e verbal 1. Significação das palavras

ORIENTAÇÃO PARA AS QUESTÕES DE TEXTO 1. Ler duas vezes o texto. A primeira para ter noção do assunto, a segunda para prestar atenção às partes.

Lembrar-se de que cada parágrafo desenvolve uma idéia. 2. Ler duas vezes o comando da questão, para saber realmente o que se pede. 3. Ler duas vezes cada alternativa para eliminar o que é absurdo. Geralmente um terço das afirmativas o são. 4. Se o comando pede a idéia principal ou tema, normalmente deve situar-se no primeiro ou no último parágrafo - introdução ou conclusão. 5. Se o comando busca argumentação, deve localizarse nos parágrafos intermediários - desenvolvimento. 6. Durante a leitura, pode-se sublinhar o que for mais significativo e/ou fazer observações à margem do texto.

Texto 1

Sinhá Vitória falou assim, mas Fabiano resmungou, franziu a testa, achando a frase extravagante. As aves matarem bois e cabras, que lembrança! Olhou a mulher, desconfiado, julgou que ela estivesse tresvariando.

(GR. Vidas Secas.) 1. Com relação à tipologia e estrutura textuais, julgue os itens abaixo.

a) Trata-se de um texto predominantemente narrativo. b) Não há quaisquer índices de descrição.

c) Há no texto a presença do narrador externo ou com visão exterior, apenas. d) Percebe-se no texto a presença do discurso indireto livre. e) O vocábulo tresvariando traduz a idéia de inferioridade.

Leia os textos seguintes.

Pausa Poética

Texto 2

Sujeito sem predicados

Objeto Sem voz

Passivo Já meio pretérito Vendedor de artigos indefinidos

Procura por subordinada Que possua alguns adjetivos

Nem precisam ser superlativos Desde que não venha precedida De relativos e transitivos

Para um encontro vocálico Com vistas a uma conjugação mais que perfeita

E possível caso genitivo (S.P)

Texto 3

Sou divorciado - 56 anos desejo conhecer uma mulher, desimpedida, que viva só, que precise de alguém muito sério para juntos serem felizes.

800.0031 (discretamente falar com Astrogildo) (O Popular. Goiânia, 25/9/9.)

2. Com base na leitura dos textos 2 e 3, julgue os itens subseqüentes. a) No texto 2, o eu-lírico usa da metalinguagem para caracterizar o sujeito e o objeto de sua procura.

b) Nos dois textos percebemos a utilização do aspecto descritivo. c) Há no texto 3 a presença da função referencial da linguagem. d) A expressão meio pretérito, do texto 2, fica explicitada cronologicamente na linguagem referencial do texto 3. e) Na leitura dos dois textos, pode-se afirmar que ambos expressam a mesma visão idealizada e poética do amor.

3. Ainda em relação à leitura dos textos 2 e 3, julgue os itens. a) A expressão "Desde que não venha precedida de relativos e transitivos", no texto 2, tem seu correlato em "mulher desimpedida, que viva só", do texto 3.

b) No texto 2 tem-se a presença ela linguagem metafórica. c) O vocábulo por (texto 2) estabelece idéia de causalidade.

d) A função poética da linguagem está presente apenas no texto 3. e) A expressão "desde que" (texto 2) estabelece idéia de causalidade.

Leia o texto a seguir e faça o que se pede. Texto 4

A proteção dos inocentes

4. Com base na leitura do texto e informações nele contidas, julgue os itens a seguir. a) Há no texto o predomínio de linguagem dissertativa-argumentativa. b) Verifica na leitura a presença do índice de subjetividade.

c) O Brasil figura entre as dez maiores economias do mundo, visto que distribui com igualdade a sua renda interna.

d) Das 174 pesquisas realizadas, o Brasil figura no setuagésimo segundo lugar em indicadores de desenvolvimento humano. e) A expressão não obstante estabelece a idéia de oposição.

No limiar do século 21. as crianças e as mulheres integram a maioria esmagadura das vítimas da pobreza e da violência cm todo o mundo. As afrontas aos direitos das crianças podem variar de região para região. Nos países pobres, elas caracterizam-se pela desnutrição, pela carência de cuidados com a saúde e educação, ou pela ausência absoluta de ou- tros indicadores de desenvolvimento humano. Não sei se, para ventura ou desventura dos bra- sileiros, o Brasil é. um país de contrastes. Figura entre as dez maiores economias do mundo, e. no entanto. não distribui coar equanimidade a sua renda interna. Sua Constituição é tida como mais avançada no que diz. respeito aos direitos sociais. Não obstante, seus indicadores ele desenvolvimento humano, revelam que ocupa apenas o 72º lugar no escalão dos 174 países pesquisados, sendo pouco satisfatórios os índices relativos aos atendimentos que nele são dispensados aos direitos da infância e da adolescência.

O Estatuto da Criança e do Adolescente é hoje reconhecido internacionalmente como uma legisla- ção de superior qualidade. Mas não posso deixar de enfatizar a exigüidade desses avanços em confronto com a magnitude da dívida social elo brasileiro para com suas crianças e adolescentes...

()

(Reginaldo de Castro, Presidente nacional da Ordem elos Advogados do Brasil.)

5. Com base na leitura do texto e informações nele contidas, julgue os itens.

a) O texto apresenta o diálogo entre Arc, o marciano, e os palestinos. b) Percebe-se no texto a presença do discurso direto.

c) É correta gramaticalmente a re-escritura do trecho: "Arc, o marciano, lera que os povos judeus e o palestino se odeiam..." d) Mantém-se o sentido e a correção gramatical a re-escritura das linhas (13 a 15). Essa não marciano. Têm pessoas que eu pessoalmente não conheço, mas nada delas eu gosto. e) A progressividade da argumentação do texto é marcada por elementos lingüísticos como: "Como assim? Claro que não, marciano; Essa não, marciano; Tudo bem".

Texto VI Helicóptero da Operação Verão ficará em Santa Catarina

Terça, 12 de março de 2002, 19h 16. O helicóptero de resgate aéreo da Polícia Rodoviária Federal permanecerá em Santa Catarina durante todo o ano, mesmo após o término da Operação Verão. A necessidade foi comprovada à Administração Geral em

Brasília, tendo como base o relatório de atendimentos. No período de 5 de dezembro do ano passado até o último dia 7 de março, a equipe de resgate aéreo foi acionada 110 vezes e atendeu acidentes de trânsito, casos clínicos e afogamentos. Neste verão, foram registrados 2.409 acidentes nas estradas federais de Santa Catarina, que deixaram 1.637 feridos e 123 mortos,

20% a menos do que na última temporada. (JB On-Line.)

6. Com base nas estruturas morfossintáticas e semânticas, julgue os itens a seguir. a) Na paráfrase: O relatório de atendimentos foi comprovado pela Administração Geral em Brasília, tendo como base a necessidade, houve manutenção do sentido original. b) O elemento coesivo "mesmo” estabelece idéia de confirmação. c) Na releitura: Acionaram 110 vezes a equipe de resgate aéreo, atenderam acidentes de trânsito, casos clínicos e afogamentos, houve a manutenção do sentido original. d) A expressão “do que" restabelece idéia de comparação.

e) Verifica-se ao longo do texto o uso da função referencial.

Leia o texto abaixo e faça o que se pede.

Texto V ARC* e o ódio Entre os Povos

Arc, o marciano, andou lendo que "os povos judeu e palestino se odeiam".

- Como dois povos podem se odiar se nem todos se conhecem de um lado e do outro?

- Como assim? - Todos os palestinos odeiam todos os judeus?

- Claro que não, marciano. Até porque VEJA disse que são 7 milhões de palestinos de um lado e 6 milhões de judeus do outro.

- Que absurdo dois povos se odiarem sem se conhecer! Como é que se pode odiar alguém que não se conhece?

- Essa não, marciano. Tem umas pessoas que eu não conheço pessoalmente, mas não gosto nada delas... - Tudo bem, mas você sabe alguma coisa delas, pela imprensa, porque lhe contaram. Não é o caso dos judeus e dos palestinos. - Como assim?

- Como assim? Como é que se pode odiar alguém que você nunca viu, que podia ser seu amigo mas você não sabe nem o nome?

7. Com base na leitura do texto e informações nele contidas, julgue os itens. a) Predomina no texto a linguagem objetiva.

b) Temos a linguagem metafórica nas linhas 2 e 3. c) Percebe-se no texto índice de subjetividade. d) Da leitura do texto depreende-se um tom questionador e niilista. e) O vocábulo "informatiquês" é exemplo de neologismo.

8. Julgue os itens abaixo quanto aos aspectos morfossintáticos e semânticos. a) Em "Depois de os economistas e cientistas poluírem a última flor do lácio..." pode-se dizer: "Depois dos economistas poluírem a última flor do lácio”.

b) Na linha 4, o verbo vir pode ser utilizado na terceira pessoa do singular. c) Pode substituir "devem existir" (l. 16) por devem haver certos limites, conforme as regras de concordância verbal. d) Pode-se inserir o acento indicativo de crase na linha 25, de acordo com os padrões da norma culta. e) A expressão "ou seja" (l. 19) estabelece no texto idéia de oposição.

9. Julgue os itens abaixo quanto à releitura e correção gramatical de determinadas passagens do texto. a) Linhas 7 a 9. Porque não usar os equivalentes e portugueses simples "apagar", "religar" e "cópia de segurança". b) Linhas 10 e 1. Recebendo influências umas das outras, é evidente que as línguas evoluem.

c) De outro modo, estaríamos falando a hindu-europeu, o próprio português não existiria ainda. (ls. 1 a 13) d) Linhas 2 a 25. Não se trata de purismo ou amor incontido pelo passado, mais sim preservar o léxico que permite à comunicação de setores mais privados da sociedade. e) Já o bom e velho "apagar" é termo conhecido por todos aqueles que dominariam minimamente um português.

Texto VII Língua morta

Uma nova ameaça paira sobre a língua portuguesa. Depois de os economistas e cientistas poluírem a última flor do lácio com termos estrangeiros de necessidade duvidosa, vêm agora os especialistas em informática com expressões como "deletar", "ressetar” (com um ou dois esses?), "backup" et cetera. Por que não usar os simples e portugueses equivalentes "apagar", "religar" e

"cópia de segurança"'?

É evidente que as línguas evoluem recebendo influências umas das outras. De outro modo. o próprio português não existiria, e nós ainda estaríamos falando o indo-europeu.

Sem cair no extremo xenófobo dos franceses que, por força de lei, pretendem eliminar os anglicismos, há que se reconhecer que devem existir certos limites para a incorporação de termos de outros idiomas. Em primeiro lugar, é preciso que não exista um equivalente vernáculo, ou seja, que a nova palavra de fato enriqueça a língua e não a deturpe dando-lhe apenas um sotaque estrangeiro.

Não se trata de purismo ou amor incontido pelo passado, mas sim de preservar um léxico que permita a comunicação entre os mais variados setores da sociedade. Quem chegar a um trabalhador rural, por exemplo, e pedir-lhe que "delete” alguma coisa, cer- tamente não se fará compreender. Já o bom e velho "apagar" é termo conhecido de todos os que dominam minimamente o português. Tentar preservar a língua adquire, assim, um caráter socializante.

A batalha contra o "inforrmatiquês" deve ser travada enquanto é tempo, ou o idioma português correrá o sério risco de tornar-se a mais viva das línguas mortas.

(Folha de S. Paulo)

Leia o texto e faça o que se pede.

10. Julgue os itens abaixo quanto à releitura e correção gramatical de determinadas passagens do texto. a) Linhas 15 e 16. Deixe seu telefone celular na mão, com o número de socorro discado, pronto para chamar.

b) Para evitar que relógio, pulseiras ou anéis sejam arrancados, nunca coloque a mão para fora. (Is. 3 e 4) c) Linhas 5 a 7. Visto que assaltantes evitam se aproximar de pessoas atentas, mantenha-se sempre atento; a polícia informa que é esse o fator de proteção principal. d) Carregar um boneco do tamanho de uma pessoa adulta na poltrona do carro é a melhor alternativa para espantar assaltantes. e) Sempre mantenha o carro engatado, pronto para arrancar.

Texto IX

Saiu na Imprensa Fiesp lança cartilha sobre cobrança da água

São Paulo - A iminência da cobrança pelo uso da água na bacia do rio Paraíba do Sul, que corta os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, levou a Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) a elaborara cartilha "Água e Indústria - Compreenda Esta Nova Relação". Segundo a instituição, a publicação tem o objetivo de contribuir com a Agência Nacional de Águas (ANA) nó cadastramento de todos os usuários da água da bacia e esclarecer as principais dúvidas sobre o custo e a cobrança da água, que incidirá sobre 180 cidades e cerca de 8 mil indústrias que estão localizadas na região.

A cartilha traz dicas para evitar o desperdício de água nas empresas, mostrando que é possível reduzir o consumo de água entre 20% a 50% e conseguir com isso um aumento nos lucros em até 10%. Segundo a publicação, o custo da água representa, em média, 1% do faturamento de uma empresa, podendo chegar a mais de 4%. Mostra ainda as bases legais para a cobrança do uso da água, quem vai pagar e quem irá cobrar por isso.

(Por: Maura Campa - Agência Estado, 1° de outubro de 2002)

Texto VIII Cuidados no Trânsito

• Ande com as portas trancadas e janelas fechadas sempre que possível.

• Nunca coloque a mão para fora para evitar que relógio, pulseiras ou anéis sejam arrancados. • Mantenha-se sempre atento. A polícia informa que este é principal fator de proteção, pois assaltantes evitam se aproximar de pessoas atentas. • Evite andar sozinho.

• Nunca pare seu veículo lado a lado com outro veículo. Assim, se o assaltante descer do carro que estiver próximo, você terá mais chance de enxergar e fugir.

• Mantenha o carro sempre engatado, pronto para arrancar. • Deixe seu telefone celular à mão, com um número de socorro discado, pronto para chamar.

• Se você sente que alguém suspeito está se aproximando do seu carro e você não pode arrancar, uma alternativa pode ser bater na traseira do carro da frente para chamar a atenção.

• Mas se alguém suspeito bater na traseira de seu carro e não houver muitas pessoas em volta ou com você, evite descer do carro ou mesmo abrir a janela.

Esta pode ser uma tática de assalto. • Uma alternativa para espantar assaltantes também pode ser carregar um boneco do tamanho de uma pessoa adulta na poltrona do carona.

• Diferente do que se imagina, o horário mais freqüente de assaltos e seqüestros-relâmpagos é entre as 20 e 24 horas, e não durante a madrugada.

• Ao chegar em casa: se você estiver de carro, veja se não há ninguém suspeito. Se desconfiar de alguém, dê uma volta no quarteirão. Se você estiver a pé, tenha a chave na mão e não entre em casa se vir algum movimento estranho.

(Cartilha contra a violência)

1. Com base na leitura do texto, julgue os itens e assinale a alternativa correta.

I - Verifica-se o predomínio da linguagem denotativa - objetiva. I - A idéia central da passagem gira em torno da cobrança de água no vale do Paraíba.

I - A cartilha relata sobre o desperdício de águas pela população e apresenta orientações a fim de reduzir o consumo.

(Parte 1 de 8)

Comentários