Instrumentação Ferramentas e Materiais SENAI-ES

Instrumentação Ferramentas e Materiais SENAI-ES

(Parte 1 de 3)

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo1

CPM – Programa de Certificação do Pessoal de Manutenção

Ferramentas e Materiais para Instalação da Instrumentação

Instrumentação

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo2

Ferramentas e Materiais para Instalação da Instrumentação – Instrumentação

SENAI – ES, 1999

Trabalho realizado em parceria SENAI / CST (Companhia Siderúrgica de Tubarão)

Coordenação GeralEvandro de Figueiredo Neto (CST) Robson Santos Cardoso (SENAI)

SupervisãoRosalvo Marcos Trazzi (CST)

Fernando Tadeu Rios Dias (SENAI)

ElaboraçãoCelio Marcio Lopes (CST)

Ulisses Barcelos Viana (SENAI)

AprovaçãoAlexandre Kalil Hanna (CST)

Carlos Athico Prates (CST) Wenceslau de Oliveira (CST)

SENAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial CTIIAF – Centro Técnico de Instrumentação Industrial Arivaldo Fontes Departamento Regional do Espírito Santo Av. Marechal Mascarenhas de Moraes, 2235 Bento Ferreira – Vitória – ES CEP Telefone: (027) Telefax: (027)

CST – Companhia Siderúrgica de Tubarão Departamento de Recursos Humanos Av. Brigadeiro Eduardo Gomes, s/n, Jardim Limoeiro – Serra – ES CEP 29160-972 Telefone: (027) 348-1286 Telefax: (027) 348-1077

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo3

AssuntoPágina
Introdução4
Alicates4
Conectores à Compressão9
Chaves de Aperto10
Arco de Serra17
Ferro de Solda18
Torquímetro19
Compassos21
Limas21
Furadeiras23
Brocas26
Machos de Roscar28
Desandadores32
Cossinetes34
Talhadeira e Bedame36
Ponteira37
Punção de Bico37
Martelo e Macete38
Serra Tico-Tico39
Escadas40
Ferramentas de curvar tubos metálicos rígidos41
Tubulações42
Principais materiais para tubos43
Tubos de aço carbono4
Aços-liga e aços inoxidáveis46
Tubos de metais não-ferrosos47
Tubos não-metálicos48
Tubos de materiais plásticos50
Principais materiais plásticos para tubulações53

Índice Problema geral da seleção dos materiais................. 5

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo4

Ferramentas e Acessórios

Introdução

A execução das instalações elétricas, como de resto a realização de qualquer instalação ou montagem, depende muito do ferramental empregado e de como o mesmo é utilizado. Instrumentos e ferramentas adequadas ao serviço que se está realizando facilitam o trabalho e dão correção e segurança ao mesmo. Com ferramentas adequadas ao serviço, ganha-se tempo, executa-se a tarefa dentro do melhor padrão e despende-se menos energia. Descrevemos as principais ferramentas empregadas em trabalhos de eletricidade, seu uso correto e em que são mais empregadas.

Alicates

Descrição:

São ferramentas manuais de aço carbono feitas por fundição ou forjamento, compostas de dois braços e um pino de articulação, tendo em uma das extremidades dos braços, suas garras, cortes e pontas, temperadas e revenidas.

Utilização:

O Alicate serve para segurar por apertos, cortar, dobrar, colocar e retirar determinadas peças nas montagens.

Classificação: Os principais tipos de alicate são:

1.Alicate Universal 2. Alicate de Corte 3.Alicate de Bico

4.Alicate de Compressão 5. Alicate de Eixo Móvel

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo5

O Alicate Universal serve para efetuar operações como segurar, cortar e dobrar.

O Alicate de Corte serve para cortar chapas, arames e fios. Corte Diagonal

Corte Frontal

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo6

O Alicate de Bico é utilizado em serviços de mecânica e eletricidade. Bico redondo.

Bico chato.

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo7

O Alicate de Pressão trabalha por pressão e dá um aperto firme ás peças, sendo sua pressão regulada por intermédio de um parafuso existente na extremidade.

O Alicate de Eixo Móvel é utilizado para trabalhar com peças cilíndricas, sendo sua articulação móvel, para possibilitar maior abertura.

Desencapador de Fios

Este é bastante simples e se assemelha a um alicate. Regula-se a abertura das lâminas de acordo com o diâmetro do condutor a ser desencapado.

Outro tipo de desencapador é o desarme automático. Nele existem orifícios com diâmetros reguláveis correspondentes aos diversos condutores. Ao pressionar suas hastes, tanto o corte articulação rasgo alongado

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo8 como a remoção da isolação são executados.

Alicates Prensa Terminal

Alicate Manual

Alicate manual para instalar terminais e emendas não isolados. Possui matriz fixa para compressão, cortadora e desencapadora de fios e cabos.

Alicate de pressão, que funciona sob o princípio de catraca e destina-se exclusivamente para a fixação dos terminais e emendas pré-isoladas. Possui matrizes que realizam simultaneamente as compressões do barril e da luva plástica dos terminais.

Alicate Hidráulico O alicate hidráulico, tem a cabeça rotativa, permitindo a sua utilização em qualquer ângulo. Possui um avanço manual, além do avanço hidráulico, o que permite o ajuste rápido da abertura dos mordentes, e é isolado com neoprene, exceto a cabeça. Utilizável com matrizes intercambiáveis, para vários diâmetros de terminais.

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo9

Conectores à Compressão

Alicate Rebitador Alicate usado para efetuar a fixação de peças com rebites.

Rebites:

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo10

Procedimento de Rebitagem

Col oca -se o reb ite no fur o.

O reb itad or aga rra o mandril.

O rebitador traciona o mandril e a cabeça deste efetua a rebitagem, que estará completa com o final destaque da haste.

A rebitagem está concluída e as partes firmemente fixadas.

Chaves de Aperto

Descrição

São ferramentas geralmente de aço vanádio ou aço cromo extra duros, que utilizam o principio da alavanca para apertar ou desapertar parafusos e porcas.

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo11

Comentários

As chaves de aperto caracterizam-se por seus tipos e formas, apresentando-se em tamanhos diversos e tendo o cabo (ou braço) proporcional à boca.

Classificação As Chaves de aperto classificam-se em:

1 Chave de Boca Fixa Simples 2. Chave Combinada (de boca e de estrias) 3. Chave de Boca Fixa de Encaixe 4. Chave de Boca Regulável 5. Chave Allen 6.Chave Radial ou de Pinos 7.Chave Corrente ou Cinta 8.Chave Soquete

A Chave de Boca Fixa simples compreende dois tipos, tais como: de uma boca e de duas bocas

Utiliza o principio da alavanca para apertar ou desapertar parafusos e porcas. Chave Combinada

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo12

Neste. modelo combinam-se os dois tipos básicos existentes: de boca e de estrias.

A de estrias é mais usada para "quebrar" o aperto e a de boca para extrair por completo a porca ou parafuso.

A Chave de Boca Fixa de Encaixe (Chave de Estria e Chave Copo) é encontrada em vários tipos e estilos

A chave de estrias se ajusta ao redor da porca ou parafuso, dando maior firmeza, proporcionando um aperto mais regular, maior segurança ao operador; geralmente se utiliza em locais de dificil acesso.

A Chave de Boca Regulável é aquela que permite abrir ou fechar a mandíbula móvel da chave, por meio de um parafuso regulador ou porca. Existem dois tipos: chave de grifo e chave inglesa.

Permite abrir e fechar a mandíbula móvel da chave, por meio de uma porca reguladora. Conhecida como chave de grifo. Mais usada para serviços em tubulações.

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo13

Permite abrir e fechar a mandíbula móvel da chave, por meio de um parafuso regulador. Conhecida como chave inglesa.

A Chave Allen ou Chave para Encaixe Hexagonal é utilizada em parafusos cuja cabeça tem um sextavado interno. É encontrada em jogo de seis ou sete chaves.

Chave Corrente (ou cinta)

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo14

Usada para serviços em tubulações; sua concepção singular permite fácil utilização em locais de difícil acesso.

Chave Soquete

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo15

Indicada para eletro-eletrônica e mecânica leve. Capacidade de uso em locais de difícil acesso.

Os soquetes ou chaves de caixa, podem ser incluídas entre as chaves de estrias. Também conhecidas como "chave cachimbo".

Substituem as chaves de estrias e de boca. Permitem ainda operar em montagem e manutenção de parafusos ou porcas embutidos em lugares de difícil acesso.

Recomendações

Algumas medidas devem ser observadas para a utilização e conservação das chaves de aperto, tais como:

1. As chaves de aperto devem estar justas nos parafusos ou porcas 2.Evitar dar golpes com as chaves 3. Limpá-las após o uso 4. Guardá-las em lugares apropriados

Chave de Parafuso de Fenda

A chave de parafuso de fenda é uma ferramenta de aperto constituída de uma haste cilíndrica de aço carbono, com uma de suas extremidades forjada em forma de cunha e a outra em forma de espiga prismática ou cilíndrica estriada, onde acopla-se um cabo de madeira ou plástico. É empregada para apertar e desapertar parafusos cujas cabeças tenham fendas ou ranhuras que permitam a entrada da cunha,

Angular ou de força

Características

A chave de fenda deve apresentar as seguintes características: 1.Ter sua cunha temperada e revenida 2.Ter as faces de extremidade da cunha, em planos paralelos

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo16

3.Ter o cabo ranhurado longitudinalmente, que permita maior firmeza no aperto, e bem engastado na haste da chave.

4,Ter a forma e dimensões das cunhas proporcionais ao diâmetro da haste da chave.

Para parafusos de fenda cruzada, usa-se uma cunha em forma de cruz, chamada Chave Phillips.

Angular ou de força

Chave com Morsa de Bancada

É dispositivo de fixação constituído de duas mandíbulas, uma fixa e outra móvel, que se desloca por meio de parafuso e porca.

•As mandíbulas são providas de mordentes estriados e temperados, para maior segurança na fixação das peças.

• As morsas podem ser construídas de aço ou ferro fundido, em diversos tipos e tamanhos,

•Existem morsas de base giratória para facilitar a execução de certos trabalhos.

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo17

Funcionamento

A mandíbula móvel se deslocar por meio de parafuso e porca. O aperto é dado através do manípulo localizado no extremo do parafuso.

Os tamanhos das morsas são identificadas através de números correspondendo à largura das mandíbulas.

N0Largura das mandíbulas

Condição de Uso A morsa deve estar bem presa na bancada e na altura conveniente.

Conservação

Deve-se mantê-la bem lubrificada para melhor movimento da mandíbula e do parafuso, e sempre limpa ao final do trabalho.

Arco de Serra

É uma ferramenta manual de um arco de aço carbono, onde deve ser montada uma lâmina de aço ou aço carbono, dentada e temperada

Borboleta esticadora

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo18

O arco de serra caracteriza-se por ser regulável ou ajustável de acordo com o comprimento da lâmina.

A lâmina de serra é caracterizada pelo comprimento e pelo número de dentes por polegada Comprimento: 8" - 10" - 12". Número de dentes por polegada: 18 -24 e 32.

1. A serra manual é usada para cortar materiais, para abrir fendas e rasgos.

2. Os dentes das serras possuem travas, que são deslocamentos laterais dos dentes em forma alternada, a fim de facilitar o deslizamento da lâmina durante o corte.

3. A lâmina de serra deve ser selecionada, levando-se em consideração:

a) a espessura do material a ser cortado, que não deve ser menor que dois passos de dentes.

b) O tipo de material, recomendando-se maior número de dentes para materiais duros. 4. A tensão da lâmina de serra no arco deve ser a suficiente para mantê-la firme. 5. Após o uso do arco de serra a lâmina deve ser destensionada.

Ferro de Solda

É destinado à execução de soldas de estanho, usuais em instalações elétricas. E uma ferramenta que armazena o calor produzido por uma chama ou resistência elétrica e o transfere para as peças a serem soldadas e a própria solda, de modo a fundi-Ia, A solda fundida adere às peças a unir, solidificando-se ao esfriar. Os ferros de soldar são dos principais tipos: a gás e elétricos.

Ferros maiores são usados para a solda de peças grandes que exigem maior quantidade de calor. Os ferros de solda elétricos são encontrados no mercado com diversas formas e potências.

Serra

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo19

Normalmente são de 20, 60, 100, 200, 450 ou mais watts de potência.

Torquímetro

O torquímetro é uma ferramenta especial destinada a medir o torque (ou aperto) dos parafusos conforme a especificação do fabricante do equipamento. Isso evita a formação de tensões e consequentemente deformação das peças quando em serviço.

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo20

A unidade de medida do torquímetro é o Newton metro (Nm) e a leitura é direta na escala graduada, permitindo a conferência do aperto, de acordo com o valor preestabelecido pelo fabricante.

Existem vários tipos de torquímetros:

O torquímetro pode ser usado para rosca direita ou esquerda, mas somente para efetuar o torque final. Para encostar o parafuso ou porca, usa-se uma chave comum.

Para obter maior precisão na medição, é conveniente lubrificar previamente a rosca antes de colocar e apertar a porca ou parafuso.

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo21

Compassos São instrumentos de aço carbono destinados a traçagem.

São constituídos de duas pernas que se abrem ou se fecham através de uma articulação. As pernas podem ser retas, terminadas em pontas afiladas e endurecidas, ou uma reta e outra curva.

Cuidados:

1. Articulação bem ajustadas; 2. Pontas bem aguçadas;

3. Proteção contra golpes e quedas; 4. Limpeza e lubrificação;

5. Proteção das pontas com madeira ou cortiça

Limas É uma ferramenta manual de aço carbono, denticulada e

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo22 temperada.

É utilizada na operação de desgaste de materiais.

Classificam-se pela forma, picado e tamanho. As formas mais comuns são:

As limas podem ser de picado simples ou cruzado, e classificam-se em bastardas, bastardinhas e murças

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo23

Furadeiras

São máquinas-ferramentas destinadas à execução de operações de furar, escarear, alargar, rebaixar e roscar com machos.

Funcionamento O movimento da ferramenta é recebido do motor através de polias escalonadas e correias ou um jogo de engrenagens possibilitando uma gama de rpm. O avanço da ferramenta pode ser manual ou automático.

Furadeira de bancada

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo24

São montadas sobre bancadas de madeira ou aço. Sua capacidade de furação é em média de até 12 m.

Furadeira de coluna

Esta furadeira tem como características o comprimento da coluna e a capacidade que é, em geral superior a de bancada.

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo25

Furadeira Radial

A furadeira radial é destinada à furação em peças grandes em vários pontos, dada a possibilidade de deslocamento do cabeçote.

Possui avanços automáticos e refrigeração da ferramenta por meio de bomba.

Furadeira Portátil

Pode ser transportada com facilidade e pode-se operá-la em qualquer posição.

SENAI Departamento Regional do Espírito Santo26

Características

1. potência do motor 2. número de rpm 3. capacidade 4. deslocamento máximo de eixo principal

Condições de uso

1. A máquina deve estar limpa 2. O mandril em bom estado

3. Broca bem presa e centrada

Observação: Lubrificação periódica com lubrificante próprio.

Brocas

Descrição

As Brocas são ferramentas de corte, de forma cilíndrica, com canais retos ou helicoidais que terminam em ponta cônica e são afiadas com determinado ângulo.

Comentários

As brocas se caracterizam pela medida do diâmetro, forma da haste e material de fabricação, são fabricadas, em geral, em aço carbono e aço rápido. As brocas de aço rápido são utilizadas em trabalhos que exijam maiores velocidades de corte, oferecendo maior resistência ao desgaste e calor do que as de aço carbono.

Classificação

As brocas apresentam-se em diversos tipos, segundo a natureza e características do trabalho a ser desenvolvido. Os principais tipos de brocas são:

1. Broca Helicoidal • Haste Cônica

• Haste Cilíndrica

2. Broca de Centrar 3. Broca com Orifícios para Fluído de Corte 4. Broca Escalonada ou Múltipla

(Parte 1 de 3)

Comentários