Campo de Aplicação da NBR 5410

Campo de Aplicação da NBR 5410

(Parte 1 de 3)

© Copyright - Revista EletricidadeModerna 1

1 Guia EM da NBR 5410

Campo de aplicação da NBR 541012
Definições e conceitos (I):instalações e alimentação12
Definições e conceitos (I):os componentes da instalação17
Definições e conceitos (I):isolação,choques,aterramento19
Definições (IV):faltas,sobrecorrentes e sobretensôes21
Definições (V):circuitos,divisão da instalação e número de pontos23

Campo de aplicação da NBR 5410

Anorma brasileira NBR 5410 - “Instalações Elétricas de Baixa Tensão”,última edição de dezembro de 1997,fixa as condições que as instalações de baixa tensão devem atender,a fim de garantir seu funcionamento adequado,a segurança das pessoas e animais domésticos e a conservação de bens. Aplica-se a instalações novas e a reformas em instalações existentes — considerando como “reforma”qualquer ampliação de instalação existente (criação de novos circuitos,alimentação de novos equipamentos,etc.),bem como qualquer substituição de componentes que implique alteração de circuito.

A norma cobre praticamente todos os tipos de instalações de baixa tensão,a saber: edificações residenciais e comerciais em geral; estabelecimentos institucionais e de uso público; estabelecimentos industriais; estabelecimentos agropecuários e hortigranjeiros; edificações pré-fabricadas; reboques de acampamentos (trailers),locais de acampamentos (campings),marinas e instalações análogas; e canteiros de obras,feiras,exposições e outras instalações temporárias.

A norma aplica-se também: aos circuitos que,embora alimentados através de instalação com tensão igual ou inferior a 1000 V em CA,funcionam com tensão superior a 1000 V,como é o caso dos circuitos de lâmpadas de descarga,de precipitadores eletrostáticos (excetuam-se os circuitos desse tipo que sejam internos aos equipamentos); a qualquer linha elétrica (ou fiação) que não seja especificamente coberta pelas normas dos equipamentos de utilização; e às linhas elétricas fixas de sinal,exceto àquelas correspondentes aos circuitos internos dos equipamentos,no que se refere aos aspectos relacionados à segurança (contra choques elétricos e efeitos térmicos em geral) e à compatibilidade eletromagnética.

Por outro lado,a norma não se aplicaa: instalações de distribuição (redes) e de iluminação pública; instalações de tração elétrica,de veículos automotores, embarcações e aeronaves; instalação em minas; instalação de cercas eletrificadas; equipamentos para supressão de perturbações radioelétricas,na medida em que eles não comprometam a segurança das instalações; e instalações específicas para proteção contra descargas atmosféricas.

A NBR 5410 é complementada atualmente por outras duas normas,a NBR 13570 - “Instalações elétricas em locais de afluência de público - Requisitos específicos”e a NBR 13534 - “Instalações elétricas em estabelecimentos assistenciais de saúde - Requisitos para segurança”. Ambas complementam,quando necessário,prescrições de caráter geral contidas na NBR 5410 e relativas aos campos de aplicação específicos das duas normas.

A NBR 13570 aplica-se às instalações elétricas de locais como cinemas,teatros, danceterias,escolas, lojas, restaurantes,estádios,ginásios,circos e outros recintos especificados,com a indicação da capacidade mínima de ocupação (número de pessoas).

A NBR 13534,por sua vez,aplica-se a determinados locais de hospitais,ambulatórios,unidades sanitárias,clínicas médicas,clínicas veterinárias e odontológicas,tendo em vista a segurança dos pacientes.

Definições e conceitos (I):

instalações e alimentação

Define-se instalação elétricacomo um conjunto de componentes elétricos,associados e com características coordenadas entre si,constituído para uma finalidade determinada. No uso corrente do termo,essa finalidade é via de regra associada à utilizaçãode energia elétrica. As instalações elétricas podem ser classificadas quanto à sua tensão nominal,UN,utilizada para designar a instalação, como:

de baixa tensão(BT),com UN≤1000 V em corrente alternada (CA),ou com UN ≤1500 V em corrente contí- nua (C); de alta tensão(AT),com UN>1000 V em CA,ou com 12

Guia EM da NBR 5410 Campo de aplicação - Definições - Circuitos1

© Copyright - Revista EletricidadeModerna

UN>1500 V em C; de extrabaixa tensão(EBT ou ELV,de extra-low volta- ge),com UN ≤50 V em CA,ou com UN ≤120 V em C.

Em sua maioria,as instalações BT situam-se,total ou parcialmente,no interior de edificações,sejam de uso comercial,industrial ou residencial. O termo “instalação predial”,muitas vezes utilizado para designar apenas instalações residenciais ou comerciais,corresponde,na verdade,a qualquer tipo de instalação contida num “prédio”,seja ele destinado a uso residencial,comercial ou industrial. É preferível usar o termo “edificação”ao invés de “prédio”,pois é a tradução mais precisa dos termos buildinge bâtiment, utilizados pela IEC.

Uma instalação temporáriaé uma instalação elétrica prevista para uma duração limitada às circunstâncias que a motivam. As instalações temporárias são admitidas durante o período de construção,reforma,manutenção,reparo ou demolição de edificações,estruturas,equipamentos ou atividades similares. São três os tipos de instalação temporária considerados pela NBR 5410:instalação de reparos,de trabalho e semipermanente.

Uma instalação de reparosé a instalação temporária que substitui uma instalação permanente,ou parte de uma instalação permanente,que esteja defeituosa. As instalações de reparos são necessárias sempre que ocorre um acidente que impeça o funcionamento de uma instalação (ou de um setor) existente.

Já a instalação de trabalhoé uma instalação temporária que admite reparações ou modificações de uma instalação existente sem interromper seu funcionamento.

E a instalação semipermanenteé a instalação temporária destinada a atividades não-habituais ou que se repetem periodicamente. As instalações elétricas de canteiros de obrassão um exemplo típico de instalação semipermanente,e como tal são consideradas as instalações destinadas: à construção de edificações novas; aos trabalhos de reforma,modificação,ampliação ou demolição de edificações existentes; e a obras públicas (redes de água,gás,energia elétrica, obras viárias, etc.).

Alimentação de instalações BT

Uma instalação de baixa tensão pode ser alimentada: a)diretamente em baixa tensão: por rede pública em baixa tensão da concessionária,caso típico de pequenas edificações residenciais,comerciais e mesmo industriais (pequenas oficinas,por exemplo); por transformador exclusivo,da concessionária,como é o caso de edificações residenciais e comerciais de maior porte (muitas vezes as unidades residenciais ou comerciais em edificações de uso coletivo são alimentadas, em baixa tensão,por sistemas de distribuição padronizados,da concessionária,internos à edificação,que partem, seja da rede pública de baixa tensão,seja de transformador exclusivo); b)em alta tensão,através de subestação de transformação do usuário,caso típico de edificações de uso industrial de médio e grande porte; c)por fonte própria em baixa tensão,como é o caso típico dos chamados “sistemas de alimentação elétrica para serviços de segurança”,ou mesmo de instalações em locais não servidos por concessionária.

A figura 1 indica os elementos básicos constituintes da alimentação de uma instalação por parte de uma concessionária,correspondendo às condições (a) e (b) descritas anteriormente. A entrada de serviçoé o conjunto de equipamentos,condutores e acessórios instalados entre o ponto de derivação da rede (de alta ou de baixa tensão) da concessionária e a proteção e medição,inclusive. O ponto de entregaé o ponto até o qual a concessionária se obriga a fornecer energia elétrica,participando dos investimentos necessários,bem como responsabilizando-se pela execução dos serviços,pela operação e pela manutenção. A entrada consumidoraé o conjunto de equipamentos,condutores e acessórios instalados entre o ponto de entrega e a proteção e medição,inclusive. Os conjuntos de condutores e acessórios instalados entre o ponto de derivação e o ponto de entrega,de um lado,e entre o ponto de entrega e a proteção e medição,correspondem, respectivamente,ao ramal de ligação e ao ramal de entrada. Os diversos tipos padronizados de entradas de serviço são descritos pormenorizadamente nos “manuais de ligação”e nos regulamentos das concessionárias.

Chama-se unidade de consumoa instalação elétrica pertencente a um único consumidor,recebendo energia elétrica em um só ponto,com sua respectiva medição. Numa edificação de uso coletivo,comercial ou residencial,cada conjunto comercial (de salas),cada loja,cada apartamento, etc. constitui uma unidade de consumo.

1Guia EM da NBR 5410 Campo de aplicação - Definições - Circuitos

© Copyright - Revista EletricidadeModerna Fig.1 – Esquema simplificado da entrada de serviço

A origemde uma instalação de baixa tensão é o ponto a partir do qual se aplicam as prescrições da NBR 5410. Devemos observar que: quando a instalação é alimentada diretamente em baixa tensão,correspondendo à condição (a) descrita anteriormente,a origem corresponde aos terminais de saída do dispositivo geral de comando e proteção. Nos casos em que esse dispositivo se encontra antes do medidor,a origem corresponde aos terminais de saída do medidor (figura 2); quando a instalação é a alimentada através de subestação de transformação do usuário,condição (b) descrita anteriormente,a origem corresponde ao secundário (terminais de saída) do transformador; se a subestação possuir dois ou mais transformadores não ligados em paralelo,haverá tantas origens (e tantas instalações) quantos forem os transformadores (figura 3); numa instalação alimentada por fonte de baixa tensão própria,condição (c),a origem deve incluir a fonte.

No caso de uma edificação de uso coletivo,comercial ou residencial,a cada unidade de consumo corresponde uma instalação elétrica — cuja origem está localizada nos terminais de saída do respectivo dispositivo geral de comando e proteção ou do respectivo medidor,se for o caso.

A NBR 5410 considera,para a alimentação da instalação,diversos esquemas de condutores vivos,em corrente alternada (CA) e em corrente contínua (C). São eles: –em CA: monofásico a 2 condutores (fase–neutro ou fase–fase); monofásico a 3 condutores (2 fases–neutro); bifásico a 3 condutores (2 fases–neutro); trifásico a 3 condutores (3 fases); trifásico a 4 condutores (3 fases–neutro).

–em C: 2 condutores; 3 condutores. É o que mostra a figura 4,indicando o tipo de fonte (secundário do transformador,em CA,e saída do gerador,em C).

Para as unidades consumidoras alimentadas pela concessionária diretamente em baixa tensão — a chamada “tensão secundária de distribuição”—,o esquema de condutores vivos é determinado em função do sistema de distribuição (rede pública com transformadores com secundário em delta ou em estrela),da potência instalada e da potência máxima,individual,para motores e outros equipamentos,conforme indicam os “manuais de ligação”das diversas concessionárias.

Guia EM da NBR 5410 Campo de aplicação - Definições - Circuitos1

© Copyright - Revista EletricidadeModerna

Fig.2 – Origem de instalação alimentada diretamente em baixa tensão

Fig.3 – Origem de instalação alimentada a partir de subestação do usuário

Fig.4 – Esquemas de condutores vivos,em CA e em C,segundo a NBR 5410

Definições e conceitos (I):

os componentes da instalação

Componente de uma instalação elétricaé um termo geral que se refere a um equipamento elétrico,a uma linha elétrica ou a qualquer outro elemento necessário ao funcionamento da instalação.

Equipamento elétricoé uma unidade funcional completa e distinta,que exerce uma ou mais funções relacionadas com geração,transmissão,distribuição ou utilização de energia, incluindo máquinas, transformadores, dispositivos, aparelhos de medição e equipamentos de utilização— que convertem energia elétrica em outra forma de energia diretamente utilizável (mecânica,luminosa,térmica,etc.).

Linha elétricaé o conjunto de um ou mais condutores com seus elementos de fixação e suporte e,se for o caso,de proteção mecânica,destinado a transportar energia ou transmitir sinais elétricos. O termo corresponde ao inglês wiring systeme ao francês canalization. As linhas podem ser constituídas apenas por condutores com elementos de fixação, como é o caso dos condutores diretamente fixados em paredes ou em tetos e dos fixados sobre isoladores em paredes, tetos ou postes.

As linhas podem também ser constituídas por condutores em condutos (condutoé o elemento de linha que contém os condutores elétricos),sobre suportes ou ainda do tipo pré-fabricada,como os “barramentos blindados”.

O termo aparelho elétricodesigna equipamentos de medição e outros de utilização,como: eletrodoméstico:destinado ao uso residencial ou análogo,como enceradeira,aspirador de pó,liquidificador,lavadora de roupas,etc.; eletroprofissional:utilizado em estabelecimentos comerciais ou análogos,como máquina de escrever,copiadora e computador,incluindo equipamentos eletromédicos; e de iluminação:conjunto constituído,no caso mais geral, por uma ou mais lâmpadas,luminárias e acessórios como reator, starter, etc.

Os termos “aparelho eletrodoméstico”e “aparelho eletroprofissional”correspondem ao termo appliance definido pelo NEC - National Electrical Code norteamericano.

O dispositivo elétricoé ligado a um circuito com o objetivo de desempenhar uma ou mais das seguintes funções: manobra, comando, proteção, seccionamento e conexão. Essas funções,por sua vez,também exigem definições claras: manobraé a mudança na configuração elétrica de um circuito,realizada manual ou automaticamente por dispositivo adequado e destinado a essa finalidade; comandoé uma ação humana ou de dispositivo automático que modifica o estado ou a condição de determinado equipamento; proteçãoé a ação automática provocada por dispositivos sensíveis a determinadas condições anormais que ocorrem num circuito,no sentido de evitar danos a pessoas e animais e/ou a um sistema ou equipamento elétrico; e seccionamentoé a ação de desligar completamente um equipamento ou circuito de outros equipamentos ou circuitos,provendo afastamentos adequados que garantam condições de segurança especificadas.

Numa instalação de BT,temos os seguintes tipos de equipamentos: os relacionados à alimentação da instalação,que são os transformadores,os geradores e as baterias; os destinados à manobra,comando,proteção e seccionamento,como seccionadores,chaves em geral,fusíveis,botões, disjuntores,etc.; e os de utilização,que podem ser classificados em: –industriais ou análogos,como máquinas-ferramenta, compressores,fornos,etc.; –não-industriais,caso dos aparelhos eletrodomésticos e eletroprofissionais; e –de iluminação.

Os equipamentos em geral podem ser divididos,quanto à sua instalação,em: fixos:projetados para instalação permanente num lugar determinado,como,por exemplo,um transformador em um poste ou em uma cabina primária,um disjuntor em um quadro ou um aparelho de ar-condicionado em parede ou janela; estacionários:não são movimentados quando em funcionamento e não dispõem de alça para transporte,sendo dotados de massa tal que não podem ser deslocados facilmente. Exemplos:gerador provido de rodas,microcomputador, geladeira doméstica; portáteis:equipamentos que podem ser movimentados quando em funcionamento,ou deslocados de um lugar para outro,mesmo quando ligados à fonte de alimentação. Exemplos:eletrodomésticos como enceradeira,aspirador de pó,etc.; e manuais: equipamentos portáteis empunháveis, como ferramentas elétricas e certos aparelhos de medição,comoamperímetros-alicate. 17

1Guia EM da NBR 5410 Campo de aplicação - Definições - Circuitos

(Parte 1 de 3)

Comentários