Conceito de feridas

Conceito de feridas

Qualquer ruptura da integridade de um tecido ou órgão, podendo atingir desde a epiderme, até estruturas mais profundas como fáscias, músculos, aponeuroses e órgãos cavitários.

  • Qualquer ruptura da integridade de um tecido ou órgão, podendo atingir desde a epiderme, até estruturas mais profundas como fáscias, músculos, aponeuroses e órgãos cavitários.

  • (Meneghin, 2003)

Quanto ao tempo de reparação tissular: Feridas agudas e crônicas

  • Quanto ao tempo de reparação tissular: Feridas agudas e crônicas

  • Quanto à causa: cirúrgica ou não-cirúrgica (traumáticas, patológicas ou iatrogênicas)

  • Quanto as estruturas comprometidas: úlceras de pressão (estágios), diabéticas (graus);

  • Quanto à profundidade: superficial ( atinge apenas epiderme) com perda parcial (limitada à epiderme e porção superior da derme)ou profunda/total ((existe destruição da epiderme, derme, tecido subcutâneo, podendo invadir músculos, tendões e ossos)

Quanto ao conteúdo microbiano:

  • Quanto ao conteúdo microbiano:

  • Limpa: lesões realizadas por meio de técnica asséptica e fechadas por sutura

  • Limpa-contaminada: tempo inferior a 6 horas entre o trauma e o atendimento

  • Contaminada: todas as lesões abertas (tempo superior a 6 horas entre o trauma e atendimento, presença de contaminantes)

  • Infectada: invasão microbiana dos tecidos, sinais flogísticos, pode haver pus

Quanto ao tipo de cicatrização: 1ª, 2ª ou 3ª intenção

  • Quanto ao tipo de cicatrização: 1ª, 2ª ou 3ª intenção

  • Quanto à coloração (RYB)- red,yellow, black.

Feridas agudas: são originadas de cirurgias ou traumas e a reparação ocorre em tempo adequado, sem complicações;

  • Feridas agudas: são originadas de cirurgias ou traumas e a reparação ocorre em tempo adequado, sem complicações;

  • Feridas crônicas: são aquelas que não são reparadas em tempo esperado e apresentam complicações;

São feridas agudas intencionais. Podem cicatrizar por primeira intenção, caso em que as bordas da pele são mantidas próximas, por suturas, grampos ou fitas.

  • São feridas agudas intencionais. Podem cicatrizar por primeira intenção, caso em que as bordas da pele são mantidas próximas, por suturas, grampos ou fitas.

  • Algumas feridas cirúrgicas são deixadas abertas para cicatrizarem por segunda intenção, geralmente a fim de permitir a drenagem de material infectado.”(DEALEY, 2001).

  • Correlacionar dados obtidos da anamnese, exame físico, exames laboratoriais e avaliação local da ferida Terapêutica segura.

Localização da lesão: Pode ser um dos primeiros indicadores de sua causa;

  • Localização da lesão: Pode ser um dos primeiros indicadores de sua causa;

  • Extensão da perda tecidual: Classificar por estagiamento: Grau p/ úlceras diabéticas e queimaduras, e estágios para úlceras por pressão;

Dor: A dor é uma experiência subjetiva, complexa e pessoal. Pode ser mensurada através de escalas numérica/verbal e analógicas visuais e avaliada quanto suas características. Deve ser mensurada, antes, durante e após a técnica de curativo;

  • Dor: A dor é uma experiência subjetiva, complexa e pessoal. Pode ser mensurada através de escalas numérica/verbal e analógicas visuais e avaliada quanto suas características. Deve ser mensurada, antes, durante e após a técnica de curativo;

  • Edema: Avaliar pressionando a região a ser examinada, observando a formação de uma depressão (cacifo) e graduá-lo em cruzes;

  • Pulso: Investigar presença e qualidade dos pulsos: pedioso, tibial posterior, poplíteo e femoral.

Área: A evolução da área lesada deve ser acompanhada pela sua mensuração;

  • Área: A evolução da área lesada deve ser acompanhada pela sua mensuração;

  • Realizar a cada 15 dias ou sempre que o profissional observar mudanças;

  • A dimensão deve ser avaliada através:

  • mensuração do comprimento x largura (desenho da ferida em acetato esterilizado, mensuração direta, uso de régua);

Profundidade: Devem ser avaliadas na presença de perdas teciduais;

  • Profundidade: Devem ser avaliadas na presença de perdas teciduais;

  • Pode ser avaliada através de um “Swab”, espátula, dedo enluvado ou uma seringa de insulina a ser introduzida no ponto mais profundo da lesão;

  • Avaliar presença de tunelizações;

  • Pode ser avaliada preenchendo a lesão com SF0,9% e quantificar o volume gasto neste processo;

Exsudato:

  • Exsudato:

    • Fluidos extravasados dos vasos sanguíneos
    • Material de secreção proveniente de células de dentro ou redor da ferida  fatores de crescimento
    • Resíduo proveniente de células mortas e a divisão da matriz extracelular
    • Produtos derivados de microorganismos

  • Seroso

  • Baixo conteúdo proteíco.

  • Origina-se do soro sanguíneo e secreções serosas das células mesoteliais.

  • Aparece precocemente nas fases de desenvolvimento das reações inflamatórias agudas

  • Aparência é seroso, de cor clara, de plasma aguado.

  • Sero sanguinolento

  • Tem como aspecto uma cor pálida avermelhada, aguada.

  • Mistura de seroso com sanguinolento.

  • Pode ser descrito como padrões mistos que ocorrem em muitas inflamações.

O tipo de exsudato deve ser identificado baseado na aparência específica do fluído;

  • O tipo de exsudato deve ser identificado baseado na aparência específica do fluído;

  • Identificar as seguintes características:

  • Tipo: seroso, serosanguinolento, purulento, sanguínolento;

  • Quantidade: Ausente, mínimo, moderado, grande;

  • Cor: Vermelho, amarelo, esverdeado;

  • Odor: Ausente, leve, moderado, mau cheiro;

  • Consistência: aquosa, espessa.

Identificação do tecido no leito da ferida:

  • Identificação do tecido no leito da ferida:

    • Necrose: É a morte celular. Tecido avascular, insensível, podendo apresentar odor. Também denominada tecido desvitalizado, morto, inviável.
    • Pode apresentar cor e aspecto variável;
    • Podem ser descrito nos termos:
    • Escara: necrose seca, dura, de coloração escura e firmemente aderida ao leito da lesão;
    • Esfacelo: Necrose delgada, mucóide, macia e de coloração amarela, bronzeada ou cinza, podem estar firmes ou frouxamente aderidos ao leito da lesão.

Granulação: Tecido conjuntivo intensamente vascularizado, apresenta-se vermelho vivo, brilhante;

    • Granulação: Tecido conjuntivo intensamente vascularizado, apresenta-se vermelho vivo, brilhante;
    • Epitelização: O tecido epitelial tem cor branca-rosada;

Margem/Bordas da lesão:

  • Margem/Bordas da lesão:

  • Avaliar quanto:

  • aderência: plana (nivelada com leito);

  • Não aderida: descolamento;

  • Enrolada p/ baixo: espessa/grossa; macia;

Pele peri-ferida:

  • Pele peri-ferida:

  • Avaliar quanto:

  • cor (eritema, azulada);

  • Textura (macerada, endurecida, desidratada, úmida, descamações);

  • Temperatura (quente, fria);

  • Integridade (intacta /dermatites)

Presença de bactérias ou outros microorganismos em quantidade suficiente para ativar as defesas orgânicas contra o agente infeccioso e produzirem manifestações clínicas, danificando o tecido e retardando a cicatrização.

  • Presença de bactérias ou outros microorganismos em quantidade suficiente para ativar as defesas orgânicas contra o agente infeccioso e produzirem manifestações clínicas, danificando o tecido e retardando a cicatrização.

  • Quantidade de bactérias maior que 105microorganismos por grama de tecido

  • (MARTINS, 2000)

Presença de bactérias nas superfície ou nos tecidos sem sinais ou sintomas de infecção.

  • Presença de bactérias nas superfície ou nos tecidos sem sinais ou sintomas de infecção.

  • Não retarda a cicatrização

  • Presente em todas as feridas

Exame Físico

  • Exame Físico

    • Sinais clássicos de inflamação
    • Características da drenagem
    • Alterações na quantidade, odor da drenagem
    • Pobre qualidade na granulação
    • Dor ou hipersensibilidade não existente previamente
    • Aumento súbito na glicose sérica em diabéticos

Laboratório

  • Laboratório

    • Cultura
    • Hemograma completo (leucócitos)
    • Glicemia

Sinais locais de infecção

  • Sinais locais de infecção

  • Sinais sistêmicos de infecção

  • Aumento súbito de glicose (em diabéticos)

  • Dor ou hipersensibilidade

  • Atraso na cicatrização maior que 02 semanas em feridas limpas

Pontos fundamentais

  • Pontos fundamentais

    • Utilizar técnica asséptica
    • Realizar limpeza prévia da ferida
  • Biópsia

    • Mais confiável, porém invasivo, requer laboratório e equipamentos especiais
  • Aspiração

    • Recomendável para feridas, volume de 0,5mL já é suficiente
  • Swab

    • Menos confiável, coletar em tecido de granulação em forma de “zig-zag”

Comentários