Apostila de Anatomia Humana

Apostila de Anatomia Humana

(Parte 1 de 5)

CAPÍTULO 1

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA

No conceito mais amplo, a Anatomia é a ciência que estuda, macro e microscopicamente, a constituição e o desenvolvimento dos seres organizados. Especificamente, a anatomia (Ana = em partes; Tomein = cortar) macroscópica é estudada pela dissecação de peças previamente fixadas por soluções apropriadas.

  • Conceito de variação anatômica e normal

Uma vez que a Anatomia Humana utiliza como material de estudo o corpo do homem, torna-se necessário fazer alguns comentários sobre este material. A simples observação de um grupamento humano evidencia de imediato diferenças morfológicasentre os elementos que compõe o grupo. Estas diferenças morfológicas são denominadas de variações anatômicas e podem apresentar-se externamente (variação anatômica externa) ou em qualquer dos sistemas do organismo (variação anatômica interna), sem que isto traga prejuízo funcional para o indivíduo.

As descrições anatômicas contidas no Atlas ou nos livros textos obedecem a um padrão que não inclui a possibilidade das variações. Este padrão corresponde ao que na maioria dos casos, ao que é mais freqüente; para o anatomista o padrão é normal, numa conceituação, portanto, puramente estatística.

  • Anomalia e monstruosidade

Variações morfológicas que determinam perturbação funcional, como por exemplo, o indivíduo que possui um dedo a menos na mão direita, diz-se que se trata de anomalia e não de uma variação. Se a anomalia for tão acentuada de modo a deformar profundamente a construção do corpo do indivíduo, sendo, em geral, incompatível com a vida, denomina-se monstruosidade (por exemplo, a agenesia - a não formação do encéfalo)

  • Fatores gerais de variação

Além das variações anatômicas ditas individuais, devem-se acrescentar aquelas decorrentes da idade, do sexo, da raça, do tipo constitucional e da evolução.

  • Nomenclatura anatômica

Como toda ciência, a anatomia tem sua linguagem própria. Ao conjunto de termos empregados para designar e descrever o organismo ou suas partes dá-se o nome de Nomenclatura Anatômica.

A nomenclatura Anatômica tem caráter dinâmico, podendo ser sempre criticada e modificada, desde que haja razões suficientes para as modificações e que estas sejam aprovadas em Congressos Internacionais de Anatomia. A língua oficialmente adotada é o latim (por ser “língua morta”), porém cada país pode traduzí-la para seu próprio vernáculo. Foram abolidos os epônimos (nome de pessoas para designar coisas). Ao designar uma estrutura do organismo, a nomenclatura procura adotar termos que não sejam apenas sinais para a memória, mas tragam também alguma informação ou descrições sobre a referida estrutura (como a forma, a sua posição, seu trajeto, sua função, etc.).

  • Divisão do corpo humano

O corpo humano é dividido em cabeça, pescoço, tronco e membros.

Figura 1.1: Divisão do corpo humano.

  • Posição anatômica

Para evitar o uso de termos diferentes nas descrições anatômica, considerando que a posição pode ser variável, optou-se por uma posição padrão, denominada posição de descrição anatômica (posição anatômica).

Descrição da posição anatômica: indivíduo em posição ereta (em pé, posição ortostática ou bípede), com a face voltada pra frente, olhar dirigido para o horizonte, membros superiores estendidos, aplicados ao tronco e com as palmas voltadas para frente, membros inferiores unidos, com as pontas dos pés dirigidas para frente. Não importa, portanto, que o cadáver esteje sobre a mesa em decúbito ventral decúbito dorsal ou decúbito lateral, as descrições anatômicas são feitas considerando o indivíduo em posição anatômica.

Figura 1.2: Posição anatômica

  • Planos de Delimitação e Secção do Corpo Humano

Na posição anatômica o corpo humano pode ser delimitado por planos tangentes á superfície. Estes planos são ditos planos de delimitação.

Têm-se assim, os seguintes planos:

-Dois planos verticais, um tangente ao ventre (plano ventral ou anterior) e outro ao dorso (plano dorsal ou posterior). Estes e outros a eles paralelos são também designados como planos frontais, por serem paralelos á “fronte”.

-Dois planos verticais tangentes aos lados do corpo(planos laterais direito e esquerdo).

-Dois planos horizontais, um tangente á cabeça (plano cranial ou superior) e outro á planta dos pés (plano podálico ou inferior).

Já os planos de secção são:

-Plano que divide o corpo humano em metades direita e esquerda é denominado de mediano. Toda secção do corpo feita por planos paralelos ao mediano é uma secção sagital (corte sagital) e os planos de secção são também chamados sagitais.

-Planos de secção que são paralelos aos planos ventral e dorsal são ditos frontais e a secção é também denominada frontal (corte frontal).

-Planos de secção que são paralelos aos planos cranial podálico e caudal são horizontais. A secção é denominada transversal (corte transversal).

Figura 1.3: Planos de secção do corpo humano.

A B C D - Plano cranial ou superior

E F G H - Plano podálico ou inferior

A B E F - Plano ventral ou anterior

C D G H - Plano dorsal ou posterior

B C F G - Plano lateral esquerdo

A D E H - Plano lateral direito

Figura 1.4: Planos de delimitação do corpo humano.

  • Eixos do corpo humano

São linhas imaginárias traçadas no indivíduo. Os eixos principais seguem três direções ortogonais:

-Eixo sagital, ântero-posterior: une o centro do plano ventral ao centro do plano dorsal(héteropolar)

-Eixo longitudinal, crânio-caudal: une o centro do plano cranial ao centro do plano podálico (héteropolar).

-Eixo tranversal, látero-lateral: une o centro do plano lateral direito ao centro do plano lateral esquerdo (homopolar).

  • Termos de posição e direção

-Estruturas situadas no plano mediano (linha xy) são denominadas medianas (a, b, c). Exemplo: coluna vertebral, nariz.

- As estruturas (d, e , f) são ditas, respectivamente, medial, intermédia e lateral. Exemplo: o V dedo( mínimo) é medial em relação ao polegar, enquanto este é lateral em relação ao V dedo.

- As estruturas (g, h, i) são ditas, respectivamente, dorsal (posterior), média e ventral (anterior).

- As estruturas (1 e 2) representam a face externa e a face interna da costela.

- Nos membros empregam-se termos especializados de posição. Por exemplo, a mão é distal, o antebraço é médio e o braço é proximal em relação ao corpo.

Figura 1.5: termos de posição e direção.

  • Princípios gerais de construção corpórea nos vertebrados

-Antimeria: o plano mediano divide o corpo do indivíduo em duas metades, direita e esquerda. Estas metades são denominadas antímeros e são semelhantes, morfológica e funcionalmente, sendo possível dizer que o homem é construído segundo o princípio da simetria bilateral.

-Metameria: superposição, no sentido longitudinal, de segmentos semelhantes, cada segmento correspondendo a um metâmero. Exemplo: coluna vertebral (superposição das vértebras), caixa torácica (superposição de costelas).

-Paquimeria: é o princípio segundo o qual o segmento axial do corpo do indivíduo é constituído, esquematicamente,por dois tubos. Os tubos, denominados paquímeros, são respectivamente, ventral e dorsal. O paquímero ventral, maior, contém a maioria das vísceras e, por esta razão é também denominado paquímero visceral. O paquímero dorsal compreende a cavidade craniana e o canal vertebral e aloja o sistema nervoso central; por esta razão, também é chamada de paquímero neural.

-Estratificação: o corpo seria formado por uma série de camadas, (estratos) superpostas umas as outras. Exemplo: pele, tecido celular subcutânio, aponeurose, músculos, peritônio.

  • Planos dos movimentos

Há 3 planos específicos de movimento nos quais os vários movimentos articulares podem ser classificados. Quando o movimento ocorre em um plano, a articulação move-se ou gira em torno de um eixo que tem uma relação de 90º com esse plano.

-Plano antero-posterior ou sagital: esse plano bisseciona o corpo da frente para trás, dividindo-o em metades simétricas direita e esquerda. De modo geral, os movimentos de flexão e extensão tais como rosca bíceps, extensões de joelhos e elevações de deitado a sentado (abdominais) ocorrem neste plano.

-Plano lateral, frontal ou coronal: ele bisseciona o corpo lateralmente de lado a lado, dividindo-o em metades da frente e de trás. Os movimentos de abdução e adução tais como abdução de quadril e de ombro e flexão lateral espinhal ocorrem neste plano.

-Plano transverso ou horizontal: divide o corpo horizontalmente em metade superior e inferior. De maneira geral, os movimentos rotacionais tais como pronação, supinação e rotação espinhal ocorrem neste plano.

Figura 1.6: planos de movimentos.

CAPÍTULO 2

SISTEMA ESQUELÉTICO

Os ossos são peças rijas, de número, coloração e forma variáveis. O estudo dos ossos inclui, no sentido mais amplo, o estudo do esqueleto. O esqueleto é o conjunto de ossos e cartilagens que se interligam para formar o arcabouço do corpo do animal e desempenhar várias funções. Como funções importantes podemos apontar: proteção (para o coração, pulmões e sistema nervoso central), sustentação e conformação do corpo, local de armazenamento de íons Ca e P, sistema de alavancas que movimentadas pelos músculos permitem os deslocamentos do corpo e produção de certas células sanguíneas.

(Parte 1 de 5)

Comentários