Estruturas do Músculo e Tecidos Anexos

Estruturas do Músculo e Tecidos Anexos

(Parte 1 de 2)

Prof. Roberto de Oliveira Roça

Laboratório de Tecnologia dos Produtos de Origem Animal

Fazenda Experimental Lageado, Caixa Postal, 237.

F.C.A. - UNESP - Campus de Botucatu

Fones: 6802-7200; cel (14)975-7991;. FAX: (14)6821-54367 CEP 18.603-970 - BOTUCATU - SP E-mail: robertoroca@fca.unesp.br

1- Tecido muscular

Os tecidos musculares são responsáveis pelos movimentos corporais e são constituídos por células alongadas denominadas fibras musculares.

De acordo com as características morfológicas e funcionais, podemos distinguir nos mamíferos, três tipos de tecido muscular: o músculo liso, formado por aglomerados de células fusiformes que não possuem estrias transversais; o processo de contração é lento e não está sujeito ao controle voluntário. O músculo estriado esquelético, formado por feixes de células cilíndricas muito longas e multinucleadas, que apresentam estriações transversais; tem contração rápida, vigorosa e sujeita ao controle voluntário. O músculo estriado cardíaco que também apresenta estrias transversais, é formado por células alongadas e ramificadas, que se unem longitudinalmente às células vizinhas, formando uma rede; apresentam contração involuntária, vigorosa e rítmica.

As células musculares são tão diferenciadas e tem características tão peculiares que seus componentes receberam nomes especiais. A membrana é chamada de sarcolema; o citoplasma de sarcoplasma; o retículo endoplasmático, de retículo sarcoplasmático; e as mitocôndrias, de sarcossomos.

Com exceção dos animais excessivamente gordos, os músculos esqueléticos constituem a maior parte (35 a 65%) do peso da carcaça.

Apresentam-se ligados a ossos, ligamentos, fascias, cartilagens ou pele (Figura 1).

A fibra muscular (figuras 2, 3, 4, e 5) é a unidade fundamental na estrutura do músculo. Cada fibra apresenta-se envolvida por tecido conjuntivo denominado endomísio. As fibras agrupam-se para constituir os feixes musculares, sendo também envolvidos por um tecido conjuntivo denominado perimísio. O músculo, constituído por agrupamento de feixes, é envolvido pelo epimísio, também de tecido conjuntivo. Portanto, na constituição do músculo, estão intimamente associadas as fibras musculares e o tecido conjuntivo.

A miofibrila é uma organela especificamente do tecido muscular (Fig. 3, 4, e 5). São banhadas pelo sarcoplasma e se estendem pelo comprimento total da fibra muscular. A miofibrila possui um arranjo bem ordenado de pontos chamados de miofilamentos, comumente denominados de filamentos grossos e finos, ou também de filamentos de miosina e filamentos de actina. Como resultado dessa disposição, denominamos de banda I, aquela que é formada por filamentos finos não invadidos por filamentos grossos. A banda A é formada principalmente por filamentos grossos, e a banda H somente pelos filamentos grossos. No centro de cada banda I aparece uma linha transversal escura - a linha Z.

As principais proteínas do músculo esquelético são apresentadas na

Tabela 1 e Figura 5.

Do ponto de vista energético, morfológico, fisiológico e histoquímico, tem-se três tipos de fibras musculares esqueléticas: fibras vermelhas, que apresentam alto conteúdo de citocromo e mioglobina, os responsáveis pela sua cor característica. Retiram energia principalmente através de processos de oxidação fosforilativa, possuindo portanto, grande quantidade de mitocôndrias. São fibras de contração mais lenta e são encontradas na coxa e asa das aves e nos membrana dos mamíferos; fibras brancas, que contém baixo teor de citocromo, mioglobina e as mitocôndrias. Utilizam energia obtida através de processos de glicólise. São de contração rápida e como exemplo tem os músculos peitorais das aves; e fibras intermediárias, que apresentam características intermediárias entre os dois tipos acima citados (Tabela 2).

Tabela 1. Proteínas do músculo esquelético(g/100g de músculo).

Proteínas miofibrilares: 10,0 filamentos grossos: miosina5,0 proteína C0,2 proteína M0,3 filamentos finos: actina 2,5 tropomiosina 0,8 troponina 0,8 β-actinina 0,1 linha Z:

α-actinina 0,2 desmina 0,1

Proteínas sarcoplasmáticas 7,0 enzimas sarcoplasmáticas e mitocondriais6,0 mioglobina 0,6 hemoglobina 0,2 citocromo e flavoproteínas0,2

Proteínas do estroma3,0 colágeno e reticulina1,5 elastina 0,1 outras proteínas insolúveis1,4

FLORES & BERMELL, 1984

Figura 1. Esquema de um músculo esquelético. Figura 2. Seção transversal de um músculo esquelético.

Figura 3. Fibras musculares Figura 4. Seção transversal de uma fibra muscular.

Figura 5. Organização de um músculo esquelético, desde a estrutura até o nível molecular.

Figura 6. Miofibrilas.

Tabela 2. Características das fibras musculares vermelhas, intermediárias e brancas dos animais de abate.

fibras fibras fibras Característica vermelhas intermediárias brancas

Cor vermelha vermelha branca

Conteúdo de Mioglobina alto alto baixo

Diâmetro da fibra pequeno peq-interm. grande

Velocidade de contração lenta rápida rápida

Tipo de contraçãotônicatônicafásica

Números de mitocôndrias alto intermediário baixo

Tamanho de mitocôndrias grande intermediário pequeno

Densidade capilar grande intermediária pouca

Metabolismo oxidativo abundante intermediário escasso

Metabolismo glicolítico escasso intermediário abundante

Conteúdo lipídico alto intermediário baixo

Conteúdo glicogênio baixo alto alto

2- Tecido epitelial

O tecido epitelial é encontrado na carne em menor quantidade, entretanto, o sabor e o aspecto característico do frango frito se deve em parte às proteínas deste tecido e do tecido conjuntivo subjacente (Figura 8). O tecido epitelial forma as membranas das superfícies externas e internas do corpo e são separadas da carcaça, durante o processo de abate, como ocorre em bovinos e ovinos, constituindo importantes subprodutos. No caso de suínos e aves, a pele faz parte da carcaça.

Figura 8. Tipos de tecido epitelial

3- Tecido conjuntivo

O tecido conjuntivo está distribuído em todo o organismo como componente do esqueleto, órgãos, vasos sangüíneos, linfáticos e também das lâminas que recobrem estruturas como tendões, músculos, troncos nervosos, fibras musculares e fibras nervosas. O tecido conjuntivo típico recobre as fibras musculares, feixes e músculos. Juntamente com o tecido adiposo contribuem quantitativa e qualitativamente nas propriedades da carne.

Classificação do tecido conjuntivo: • Tecido conjuntivo típico

• Tecido conjuntivo de propriedades especiais

• Tecido adiposo

• Tecido elástico

• Tecido reticular

(Parte 1 de 2)

Comentários