(Parte 1 de 2)

Realizado em: 24/04/2010 Data da entrega: 15/05/2010 Professor: EDUARDO BOCK Turma: J1

LT1J1 - LABORATÓRIO DE TECNOLOGIA MECANICA

Título: ENSAIO DE LIQUIDO PENETRANTE

Nomes dos alunos Nº Prontuário Ericson de Oliveira 106406-1

Ezequiel França dos Santos 106408-8 Fabio Pereira de Oliveira 106388-x

Laboratório de Ensaios Destrutivos – Prof. Eduardo Bock 2

1- OBJETIVOS 03 2- INTRODUÇÃO 04

3- MATERIAIS E MÉTODOS 05 4- DESENVOLVIMENTO 06

5- RESULTADOS 09 5- CONCLUSÕES 10 6- REFERÊNCIAS 1

Laboratório de Ensaios Destrutivos – Prof. Eduardo Bock 3

1- Objetivos

O ensaio realizado teve como objetivo comprovar a eficácia do liqudo penetrante para detectar eventuais defeitos de rupturas em superfícies como fendas, soldas e zonas afetadas pelo calor excessivo que não são detectadas a olho nu. O fluído penetrante é aplicado com um spray na superfície do material que penetra no defeito. Aguardamos 5 minutos e realizamos a limpeza da peça utilizando um pano limpo. Em seguida aplicamos o revelador (talco) que irá mostrar os defeitos que estavam na região que o fluído penetrou se tornando visível, ficando fácil a localização das imperfeições superficiais.

Laboratório de Ensaios Destrutivos – Prof. Eduardo Bock 4

2- Introdução

O ensaio por Líquidos Penetrantes é considerado um dos melhores métodos de teste para a detecção de descontinuidades abertas à superfície em diferentes matérias isentos de porosidade, tais como: Metais Ferrosos e Não-Ferrosos, Ligas Metálicas,

Cerâmicas, Vidros, alguns tipos de Plásticos ou materiais organo-sintéticos. Líquidos Penetrantes também são utilizados para a detecção de vazamentos em tubos, tanques, soldas e componentes.

Este método está baseado no fenômeno da capilaridade que é o poder de penetração de um líquido em locais extremamente pequenos devido a suas características físicoquímicas como a tensão superficial. O poder de penetração é uma característica bastante importante uma vez que a sensibilidade do ensaio é enormemente dependente do mesmo.

Descontinuidades em materiais fundidos tais como gota fria, trincas de tensão provocadas por processos de têmpera ou revenimento, descontinuidades de fabricação tais como trincas, costuras, dupla laminação, sobreposição de material ou ainda trincas provocadas pela fadiga do material ou corrosão sobtensão, podem ser facilmente detectadas pelo método de Líquido Penetrante.

Laboratório de Ensaios Destrutivos – Prof. Eduardo Bock 5

3- Materiais e métodos 3.1 Métodos

O ensaio por líquido penetrante baseia-se na ação da capilaridade.

O ensaio por líquidos penetrantes é um método desenvolvido especialmente para a detecção de descontinuidades essencialmente superficiais, e ainda que estejam abertas na superfície do material.

Ensaio não destrutivos (END) são definidos como teste para o controle da qualidade realizou sobre peças acabadas ou semiacabadas, para detecção de falta de homogeneidade ou defeitos, através de princípios físicos definidos, sem prejudicar a posterior utilização dos produtos inspecionados.

Ensaio por Líquido Penetrante, eles podem ser aplicados em grande variedade de produtos metálicos e não metálicos ferrosos e não ferrosos, sejam forjados, fundidos, cerâmicos de alta densidade e etc., desde que não sejam porosos.

Considerando que alguns materiais podem ser afetados pelos produtos utilizados no ensaio, devem ser realizados testes para assegurar que o material a ser ensaiado não seja danificado.

3.2 Materiais

- Líquido penetrante / vermelho (METAL-CHEK / VP-30) - Líquido revelador (METAL-CHEK / D70)

- Jornal e panos - Peças para o ensaio (Aço)

Laboratório de Ensaios Destrutivos – Prof. Eduardo Bock 6

4- Desenvolvimento

O método consiste em fazer penetrar na abertura(1) da descontinuidade um líquido(2). Após a remoção do excesso de líquido da superfície(3), faz-se sair da descontinuidade o líquido retido através de um revelador. A imagem da descontinuidade fica então desenhada sobre a superfície(4).

Podemos descrever o método em seis etapas principais no ensaio, quais sejam: a- Preparação da superfície - Limpeza inicial

Antes de se iniciar o ensaio, a superfície deve ser limpa e seca. Não devem existir água, óleo ou outro contaminante. Contaminantes ou excesso de rugosidade, ferrugem, etc., tornam o ensaio não confiável.

Laboratório de Ensaios Destrutivos – Prof. Eduardo Bock 7 b- Aplicação do Penetrante:

Consiste na aplicação de um líquido chamado penetrante, geralmente de cor vermelha, de tal maneira que forme um filme sobre a superfície e que por ação do fenômeno chamado capilaridade penetre na descontinuidade. Deve ser dado um certo tempo para que a penetração se complete.

c- Remoção do excesso de penetrante.

Consiste na remoção do excesso do penetrante da superfície, através de produtos adequados, condizentes com o tipo de líquido penetrante aplicado, devendo a superfície ficar isenta de qualquer resíduo na superfície.

Laboratório de Ensaios Destrutivos – Prof. Eduardo Bock 8 d- Revelação

Consiste na aplicação de um filme uniforme de revelador sobre a superfície. O revelador é usualmente um pó fino (talco) branco. Pode ser aplicado seco ou em suspensão, em algum líquido. O revelador age absorvendo o penetrante das descontinuidades e revelando-as. Deve ser previsto um determinado tempo de revelação para sucesso do ensaio.

e- Avaliação e Inspeção

Após a aplicação do revelador, as indicações começam a serem observadas, através da mancha causada pela absorção do penetrante contido nas aberturas, e que serão objetos de avaliação. A inspeção deve ser feita sob boas condições de luminosidade, se o penetrante é do tipo visível (cor contrastante com o revelador) ou sob luz negra, em área escurecida, caso o penetrante seja fluorescente. A interpretação dos resultados deve ser baseada no Código de fabricação da peça ou norma aplicável ou ainda na especificação técnica do Cliente. Nesta etapa deve ser preparado um relatório escrito que mostre as condições do ensaio, tipo e identificação da peça ensaiada, resultado da inspeção e condição de aprovação ou rejeição da peça.

Laboratório de Ensaios Destrutivos – Prof. Eduardo Bock 9 f- Limpeza pós ensaio

A última etapa, geralmente obrigatória, é a limpeza de todos os resíduos de produtos, que podem prejudicar uma etapa posterior de trabalho da peça

(soldagem, usinagem, etc....).

Laboratório de Ensaios Destrutivos – Prof. Eduardo Bock 10

5- Resultados e Conclusões

de vermelho; tornando, assim, fácil a observação e a análise

O líquido penetrante detectou as trincas abertas na superfície da peça, destacando-as O ensaio por líquido penetrante é um método simples, e muito eficiente.

Com esse tipo de ensaio é possível detectar trincas, dobras, poros, etc, em peças que aparentemente não demonstravam risco algum. Com esse ensaio pode-se prevenir acidentes, diminuir-se custos, melhorar a confiabilidade e obter informações para reparo.

Laboratório de Ensaios Destrutivos – Prof. Eduardo Bock 1

Referências

1 . Ensaio de Liquidos Penetrantes. : Disponível em: <w.qualidadeaeronautica.com.br/princ.LP.htm>. Acesso em: Maio/2010.

(Parte 1 de 2)

Comentários