enfermagem medica

enfermagem medica

Hipertensão arterial

  • Hipertensão arterial

  • Arritmias cardíacas

  • Angina

  • Infarto agudo do miocárdio

  • Edema agudo do pulmão

  • Doenças infecciosas do coração

Enfisema

  • Enfisema

  • Bronquite crônica

  • Asma

  • Pneumonia

  • Insuficiência respiratória

Gastrite

  • Gastrite

  • Úlceras pépticas

  • Hepatite

  • Hemorragia digestiva

  • Cirrose hepática

  • Pancreatite

  • Diabetes Melittus

  • Hipo e Hipertireoidismo

Retenção urinária

  • Retenção urinária

  • Incontinência urinária

  • Cistite

  • Urolitíase

  • Glomerulonefrite

  • Insuficiência renal aguda

  • Anemia

  • Leucemia

  • Hemofilia

  • Acidente vascular cerebral ou encefálico

  • Doenças degenerativas

  • Coma: alterações da consciência

  • Orientações à pessoa em tratamento quimioterápico

  • Doenças oportunistas

  • Medicamentos ante-retrovirais

Que o conteúdo apresentado possa favorecer o embasamento teórico necessário para o favorecimento de uma assistência de enfermagem efetivamente mais segura, bem como suscitar reflexões no sentido de cuidar da forma mais digna possível, considerando, as opões do cliente e sua família.

  • Que o conteúdo apresentado possa favorecer o embasamento teórico necessário para o favorecimento de uma assistência de enfermagem efetivamente mais segura, bem como suscitar reflexões no sentido de cuidar da forma mais digna possível, considerando, as opões do cliente e sua família.

  • Os clientes que procuram a assistência clínica são, indivíduos adultos jovens e idosos, acometidos de disfunções orgânicos de caráter agudo ou crônico.

  • A finalidade da assistência é buscar, identificar, remover e/ ou minimizar os fatos desencadeantes das situações clínicas apresentadas e restabelecer o equilíbrio orgânico com o mínimo de sequela possível.

  • No entanto, grande parte dos atendidos possuem alguma enfermidade crônica ou crônico-degenerativa.

  • Isso significa que os sinais e sintomas do adoecimento não ocorreram de forma súbita, ou seja no momento em que procuram o serviço de saúde

  • De acordo com a evolução da patologia desses clientes, a busca dos serviços de saúde começa a fazer parte das suas necessidades

  • Aguda - Situação que se instala abruptamente, produz sinais e sintomas logo após a exposição à causa, em um período determinado para sua recuperação.

Crônica - São problemas de longo prazo, devidos à distúrbios ou acúmulo de distúrbios irreversíveis, ou estado patológico latente; apresenta evoluções prolongada e sua resolução ocorre de maneira parcial.

  • Crônica - São problemas de longo prazo, devidos à distúrbios ou acúmulo de distúrbios irreversíveis, ou estado patológico latente; apresenta evoluções prolongada e sua resolução ocorre de maneira parcial.

  • Crônico-degenerativa - São situações de evolução lenta e gradual, geralmente assintomáticas, e não têm causa e/ ou disfunções orgânicas de caráter aguda ou crônico.

Cada cliente que você cuida faz-se necessário atentar para o fato de que o mesmo está inserido num meio social particular, tem um modo de trabalhar e de se relacionar com o meio ambiental e as pessoas que estão ao seu redor, bem como consigo mesmo, o que determina formas de adoecer morrer.

  • Cada cliente que você cuida faz-se necessário atentar para o fato de que o mesmo está inserido num meio social particular, tem um modo de trabalhar e de se relacionar com o meio ambiental e as pessoas que estão ao seu redor, bem como consigo mesmo, o que determina formas de adoecer morrer.

Função: bombear sangue para nutrir os tecidos e oxigená-los, ao mesmo tempo em que retira o dióxido de carbono.

  • Função: bombear sangue para nutrir os tecidos e oxigená-los, ao mesmo tempo em que retira o dióxido de carbono.

Direito: O sangue ejetado é totalmente distribuído para os pulmões pela artéria pulmonar.

  • Direito: O sangue ejetado é totalmente distribuído para os pulmões pela artéria pulmonar.

  • Esquerdo: O sangue ejetado circula por todo o corpo sua artéria aorta.

  • As câmaras cardíacas são denominadas átrios e ventrículos.

Estas alterações levam à conclusão parcial ou total das artérias e até o seu rompimento.

  • Estas alterações levam à conclusão parcial ou total das artérias e até o seu rompimento.

Primária – corresponde a 90% dos casos e se caracteriza por não haver uma causa conhecida.

  • Primária – corresponde a 90% dos casos e se caracteriza por não haver uma causa conhecida.

  • Secundária – onde é possível identificar uma causa.

Queixas de dor torácica

  • Queixas de dor torácica

  • Dispnéia

  • Palpitação

  • Presença de edema

  • Visão embassada

  • Tontura

  • Fadiga

  • Cefaléia

  • Irritabilidade

  • Epistaxe

Modificação do estilo de vida, tal como controle de peso, limitação do álcool, exercícios físicos regulares e abandono do tabagismo.

  • Modificação do estilo de vida, tal como controle de peso, limitação do álcool, exercícios físicos regulares e abandono do tabagismo.

  • Para o cliente que apresenta hipertensão secundária, correção da causa subjacente.

  • Dieta com baixo teor de gordura saturada e de sódio.

Programa de exercício físicos regulares.

  • Programa de exercício físicos regulares.

  • Medicações ( diuréticos, vasodilatadores, bloqueadores).

  • Hipertensos grau I – controle dos fatores de risco.

  • Hipertensos grau II e III - controle dos fatores de risco e medicação.

O cliente e sua família são os principais atores desse controle e o técnico de enfermagem é um facilitador das mudanças necessárias para a manutenção de níveis pressóricos adequados.

  • O cliente e sua família são os principais atores desse controle e o técnico de enfermagem é um facilitador das mudanças necessárias para a manutenção de níveis pressóricos adequados.

Administrar os fármacos prescritos.

  • Administrar os fármacos prescritos.

  • Estimular mudanças na dieta, conforme seja adequado.

  • Ajude o cliente a identificar fatores de risco e modificar seu estilo de vida.

  • Monitorar sinais vitais.

  • Sinalizar complicações ou efeitos adversos dos anti-hipertensivos.

São distúrbios da freqüência e do ritmo cardíacos causados por alterações no sistema de condução do coração.

  • São distúrbios da freqüência e do ritmo cardíacos causados por alterações no sistema de condução do coração.

  • Pode ocorrer em pessoas com o coração normal ou ainda como resposta a outras doenças, distúrbios eletrolíticos ou intoxicação medicamentosa.

A freqüência cardíaca normal varia de acordo com a idade:

  • A freqüência cardíaca normal varia de acordo com a idade:

  • Recém-nascido – 130 a 140 bpm

  • Lactante – 115 a 130 bpm

  • Criança – 110 a 115 bpm

  • Homem – 60 a 70 bpm

  • Mulher – 65 a 80 bpm

As arritmias podem apresenta-se como:

  • As arritmias podem apresenta-se como:

  • Taquicardia

  • Bradicardia

  • Fibrilação e flutter atrial

Dor no peito

  • Dor no peito

  • Palpitações

  • Falta de ar

  • Desmaio

  • Alteração do pulso

  • Hipotensão

  • Insuficiência cardíaca

  • Choque

Medicamento antiarrítmicos

  • Medicamento antiarrítmicos

  • Cardioversão elétrica

  • Implantação de marcapasso – é um aparelho acionado por bateria e que aplica estímulos elétricos através de cabos com eletrodos que estão em contato com o coração.

Transmitir segurança estabelecendo diálogo, possibilitando ao paciente expor seus sentimentos de impotência e insegurança, a fim de diminuir sua ansiedade;

  • Transmitir segurança estabelecendo diálogo, possibilitando ao paciente expor seus sentimentos de impotência e insegurança, a fim de diminuir sua ansiedade;

  • Proporcionar sono e repouso adequados, garantindo ambiente livre de ruídos;

  • Monitorar sinais vitais;

  • Oferecer oxigênio, se necessário para reduzir a hipóxia caudada pela arritmia;

  • Observar os cuidados com a administração de antiarrítmicos ( verificar pulso antes e após a dosagem prescrita);

Orientar a família e ao paciente sobre os procedimentos a serem realizados;

  • Orientar a família e ao paciente sobre os procedimentos a serem realizados;

  • Destacar a importância do controle do estresse, de se evitar o uso de fumo,e reduzir a ingestão de cafeína ( café, chá preto, chá mate, refrigerante a base de cola).

Síndrome clínica caracterizada por crises de dor, queimação ou sensação de pressão na região do tórax.

  • Síndrome clínica caracterizada por crises de dor, queimação ou sensação de pressão na região do tórax.

  • Causada pela obstrução transitória das coronárias;

  • A causa da dor é o fornecimento inadequado de sangue ao coração, resultando no suprimento de oxigênio e de nutrientes para o miocárdio.

Esforço físico

  • Esforço físico

  • Ingestão de refeição copiosa

  • Exposição ao frio

  • Situações estressantes

  • Uma característica importante da dor anginosa é que ela regride quando o fator que a causou é afastado.

Avaliação das manifestações clinicas da dor e pela história do paciente;

  • Avaliação das manifestações clinicas da dor e pela história do paciente;

  • Exames :

  • Hollter

  • Cintilografia miocárdica

  • Cateterismo cardíaco

Tratamento clínico;

  • Tratamento clínico;

  • Angioplastia coronariana;

  • Cirurgia de revascularização miocárdica

  • O objetivo é aumentar a oferta de oxigênio ao miocárdio, utilizando-se da nitroglicerina, controlando os fatores de risco (fumo, obesidade, hipertensão arterial, hipercolesterolemia e hiperglicemia).

Manter o paciente em repouso ao inicio da dor;

  • Manter o paciente em repouso ao inicio da dor;

  • Incentivar a participar de um programa diário de atividades físicas que não produzam desconforto torácico, falta de ar e/ou fadiga indevida;

  • Orientar sobre alternar as alimentações em menores porções e maior freqüência, evitando esforço físico durante 2 horas após as refeições;

Orientar evitar ingestão excessiva de cafeína, que pode fazer subir a freqüência cardíaca;

  • Orientar evitar ingestão excessiva de cafeína, que pode fazer subir a freqüência cardíaca;

  • Não usar comprimidos para emagrecer, descongestionantes nasais ou quaisquer outros medicamentos vendidos sem prescrição médica e que podem aumentar os batimentos cardíacos;

  • Orientar evitar o fumo, o que eleva a freqüência cardíaca, a pressão arterial e diminui os níveis sanguíneos de oxigênio;

  • Orientar sobre utilizar roupas adequadas às variações de temperatura;

  • Verificar sinais vitais.

É uma situação grave que pode ser confundida com sintomas mais corriqueiros, tais como: flatulência , dor muscular, tensões, dentre outros.

  • É uma situação grave que pode ser confundida com sintomas mais corriqueiros, tais como: flatulência , dor muscular, tensões, dentre outros.

  • É causado pelo estreitamento de uma artéria coronária pela aterosclerose, ou pela obstrução total de uma coronária por êmbolo ou trombo, ocasionando a necrose de áreas do miocárdio.

Na angina o suprimento de sangue é reduzido temporariamente, provocando dor, enquanto no IAM ocorre uma interrupção abrupta do fluxo de sangue para o miocárdio.

  • Na angina o suprimento de sangue é reduzido temporariamente, provocando dor, enquanto no IAM ocorre uma interrupção abrupta do fluxo de sangue para o miocárdio.

Dor torácica

  • Dor torácica

  • Taquipnéia

  • Taquisfigmia

  • Palidez

  • sudorese fria e pegajosa

  • Tonteira

  • Confusão mental

  • Náusea e vômito.

História da doença atual

  • História da doença atual

  • Eletrocardiograma

  • Níveis séricos (sanguíneos) das enzimas cardíacas.

Clínico

  • Clínico

  • Cirúrgico

  • Dependendo da extensão e da área acometida.

Proporcionar um ambiente adequado para o repouso físico e mental;

  • Proporcionar um ambiente adequado para o repouso físico e mental;

  • Fornecer oxigênio e administrar opiáceos (analgésico e sedativo) e ansiolíticos prescritos para alivio da dor e diminuição da ansiedade;

  • Prevenir complicações, observando sinais vitais, estado de consciência, alimentação adequada, eliminações urinária e intestinal e administração de trombolíticos prescritos;

Auxiliar nos exames complementares, como eletrocardiograma, dosagem das enzimas no sangue, ecocardiograma, dentre outros;

  • Auxiliar nos exames complementares, como eletrocardiograma, dosagem das enzimas no sangue, ecocardiograma, dentre outros;

  • Atuar na reabilitação, fornecendo informações para que o cliente possa dar continuidade ao uso dos medicamentos;

  • Repassar informações também a família.

Atuar na reabilitação, fornecendo informações para que p cliente possa dar continuidade ao uso dos medicamentos, controlar os fatores de risco, facilitando, assim, o ajuste interpessoal, minimizando seus medos e ansiedades;

  • Atuar na reabilitação, fornecendo informações para que p cliente possa dar continuidade ao uso dos medicamentos, controlar os fatores de risco, facilitando, assim, o ajuste interpessoal, minimizando seus medos e ansiedades;

  • Repassar tais informações também à familía.

É um quadro clínico crítico, decorrente da incapacidade do ventrículo esquerdo em bombear o sangue pela válvula aórtica, causando um acúmulo de liquido nos pulmões.

  • É um quadro clínico crítico, decorrente da incapacidade do ventrículo esquerdo em bombear o sangue pela válvula aórtica, causando um acúmulo de liquido nos pulmões.

  • Numerosas patologias cardiovasculares predispõem o aparecimento do EAP, como insuficiência coronariana aguda ( angina e IAM), a crise hipertensiva, as arritmias cardíacas, as infecções, anemia, hiper-hidratação e a intoxicação digitálica.

Dispnéia

  • Dispnéia

  • Tosse (produzindo um escarro espumoso e tingido muitas vezes de sangue)

  • Taquicardia

  • Pele cianótica, fria e úmida

  • Inquietação

  • Ansiedade

  • Medo

Manutenção do seu conforto, colocando-o em posição elevada para diminuir o retorno venoso e propiciar uma máxima expansão pulmonar;

  • Manutenção do seu conforto, colocando-o em posição elevada para diminuir o retorno venoso e propiciar uma máxima expansão pulmonar;

  • Monitoração dos sinais vitais;

  • Administração de oxigenoterapia e de medicação;

Manutenção de via venosa pérvia com gotejamento mínimo, evitando sobrecarga volêmica;

  • Manutenção de via venosa pérvia com gotejamento mínimo, evitando sobrecarga volêmica;

  • Monitoração do fluxo urinário.

Disfunção caracterizada pela perda do controle total ou parcial, da micção.

  • Disfunção caracterizada pela perda do controle total ou parcial, da micção.

  • A urgência miccional é um tipo de incontinência urinária.

Monitorizarão diária do balanço hídrico.

  • Monitorizarão diária do balanço hídrico.

  • Balanço hídrico representa o resultado de todos os líquido administrado a esse cliente e de todos os líquidos eliminados, através dos rins, pele, pulmões e trato gastrointestinal, sendo registrado em formulários próprios a evolução do quadro durante 24 horas.

É indicado para acompanhamento daqueles que são nefropatas, cardiopatas, edemaciados, ascíticos e que necessitam de cuidados intensivos.

  • É indicado para acompanhamento daqueles que são nefropatas, cardiopatas, edemaciados, ascíticos e que necessitam de cuidados intensivos.

É uma inflamação da bexiga, geralmente iniciada na uretra, causada mais freqüentemente por microorganismos que podem desenvolver uma infecção, como nos casos de cistites causadas por uso de sondagens vesicais ou equipamentos de exames como o citoscopio.

  • É uma inflamação da bexiga, geralmente iniciada na uretra, causada mais freqüentemente por microorganismos que podem desenvolver uma infecção, como nos casos de cistites causadas por uso de sondagens vesicais ou equipamentos de exames como o citoscopio.

As mulheres são mais atingidas pelas cistites.

  • As mulheres são mais atingidas pelas cistites.

  • Na maioria dos casos, a cistite nas mulheres é causada por Escherichia coli.

  • Destaca-se que o aumento das infecções urinárias também pode estar associado à atividade sexual.

  • Nos homens geralmente é secundária a alguma outra doença, como infecções na próstata, no epidídimo ou cálculos vesicais

Urgência miccional

  • Urgência miccional

  • Aumento da freqüência urinária

  • Queimação e dor a micção

  • Piúria

  • Bacteriúria

  • Forte dor na região suprapúbica

Exame EAS (Elementos Anormais Sedimentados) onde são pesquisadas as características da urina e a presença de substâncias anormais, entre elas, sangue, pus e bactérias.

  • Exame EAS (Elementos Anormais Sedimentados) onde são pesquisadas as características da urina e a presença de substâncias anormais, entre elas, sangue, pus e bactérias.

Antibióticos

  • Antibióticos

  • As cistites podem ser evitadas pelas mulheres por meio de higiene intima adequada, uso correto do papel higiênico após urinar, esvaziamento vesical freqüente, inclusive após as relações sexuais por diminuírem a quantidade de microorganismos nos genitais femininos, e visitas periódicas ao ginecologista.

Aplicar calor e banhos de imersão quentes, que ajudam a aliviar a dor e a urgência miccional;

  • Aplicar calor e banhos de imersão quentes, que ajudam a aliviar a dor e a urgência miccional;

  • Estimular a ingestão de grandes quantidades de líquidos para promover o aumento da diurese e eliminar as bactérias do trato urinário;

Orientar o esvaziamento completo da bexiga ( a cada dias a três horas), com o intuito de reduzir o numero de bactérias e para não ocorrer reinfecção

  • Orientar o esvaziamento completo da bexiga ( a cada dias a três horas), com o intuito de reduzir o numero de bactérias e para não ocorrer reinfecção

Entre tantas substâncias que são eliminadas diariamente através da urina, temos o cálcio e o ácido úrico, que são substâncias cristalinas, isto é, formam cristais.

  • Entre tantas substâncias que são eliminadas diariamente através da urina, temos o cálcio e o ácido úrico, que são substâncias cristalinas, isto é, formam cristais.

  • Em situações anormais, estas substâncias se cristalizam, depositando-se em alguma parte do sistema urinário, formando os cálculos renais ou urolitiases.

Fatores favorecem a formação de cálculos: infecção das vias urinárias, estase urinária, períodos prolongados de imobilização do leito, ingestão excessiva de cálcio e a desidratação.

  • Fatores favorecem a formação de cálculos: infecção das vias urinárias, estase urinária, períodos prolongados de imobilização do leito, ingestão excessiva de cálcio e a desidratação.

  • Manifestações clinicas: podem aparecer na forma indolor, ou em crises de cólicas renais caracterizadas por dor intensa e profunda na região lombar, eliminação de urina com sangue e pus, associadas a distensão abdominal,diarréia, náuseas e vômitos.

A dor de origem renal apresenta algumas características típicas: inicio abrupto com irradiação anteriormente e para baixo em direção a bexiga na mulher e ao testículos do homem.

  • A dor de origem renal apresenta algumas características típicas: inicio abrupto com irradiação anteriormente e para baixo em direção a bexiga na mulher e ao testículos do homem.

  • Esta dor característica tem origem com a obstrução, a inflamação e o edema da mucosa do trato urinário em contato com o cálculo.

Quando o calculo se aloja no ureter surge dor aguda, intensa, em cólica, que se irradia para a coxa e genitália.

  • Quando o calculo se aloja no ureter surge dor aguda, intensa, em cólica, que se irradia para a coxa e genitália.

  • Freqüente desejo de urinar, mas pessoa somente elimina uma pequena quantidade de urina.

  • A maioria dos cálculos pode ser diagnosticada através da radiografia, que deve ser associada a outros dados, como sinais e sintomas, tipo da dor e exame de urina do tipo EAS.

Determinar o tipo de cálculo

  • Determinar o tipo de cálculo

  • Eliminar

  • Reduzir a concentração de cristais urinários

Os cálculos de 0,5 a 1cm são eliminados espontaneamente

  • Os cálculos de 0,5 a 1cm são eliminados espontaneamente

  • 1cm removidos ou fragmentados, através de um procedimento não cirúrgico (litotripsia)

O alivio da dor pode ser facilitado por meio de banhos quentes ou aplicação de calor úmido na região do flanco;

  • O alivio da dor pode ser facilitado por meio de banhos quentes ou aplicação de calor úmido na região do flanco;

  • Ingestão elevada de líquido deve se mantida;

  • Seguir regime evitando alimentos ricos em cálcio ( leite e seus derivados, gema de ovo, vísceras e alguns vegetais como beterraba, espinafre e ervilhas)

Refere-se a uma resposta inflamatória do glomérulo contra alguma substancias nociva que invade o organismo humano e o sistema imunológico tenta destruir.

  • Refere-se a uma resposta inflamatória do glomérulo contra alguma substancias nociva que invade o organismo humano e o sistema imunológico tenta destruir.

  • O sistema imunológico produz anticorpos que ao se deparar com o antígeno se ligam formando o complexo antígeno-anticorpo.

  • Este complexo antígeno-anticorpo se adere ao glomérulo obstruindo e causando inflamação.

Quando isso ocorre em muitos glomérulos temos a glomerulonefrite aguda.

  • Quando isso ocorre em muitos glomérulos temos a glomerulonefrite aguda.

  • Substancias tóxicas como veneno e toxina liberadas pelo Streptococo beta-hemolítico atuam como antígenos levando a processo inflamatório do rim.

Cefaléia

  • Cefaléia

  • Mal-estar

  • Edema facial

  • Dor no flanco

  • Hipertensão arterial

  • Hematúria

  • Colúria

  • Leve e grave diminuição da diurese

Proteger os rins insuficientes;

  • Proteger os rins insuficientes;

  • Cuidar imediatamente das complicações;

Pesar o paciente diariamente;

  • Pesar o paciente diariamente;

  • Balanço hídrico

  • Dieta com restrição de sódio, água e proteínas de modo a diminuir o edema , a pressão arterial e risco de uremia;

  • Orientar repouso com elevação dos MMII

Caracterizada por perda súbita e quase completa da função renal causada pela diminuição da filtração glomerular resultando em retenção de substancias que normalmente seriam eliminados na urina como: uréia, creatinina, excesso de sódio, potássio, água e de outras substancias tóxicas.

  • Caracterizada por perda súbita e quase completa da função renal causada pela diminuição da filtração glomerular resultando em retenção de substancias que normalmente seriam eliminados na urina como: uréia, creatinina, excesso de sódio, potássio, água e de outras substancias tóxicas.

Hipovolemia

  • Hipovolemia

  • Hipotensão por períodos prolongados

  • Obstrução dos rins ou das vias urinarias

  • A insuficiência renal crônica é uma deteriorização progressiva e irreversível da função renal.

Letárgico

  • Letárgico

  • Náuseas

  • Vômitos

  • Pele e mucosas secas por desidratação

  • Respiração com o mesmo odor da urina ( hálito urêmico)

  • Sonolento

Cefaléia

  • Cefaléia

  • Convulsões

  • Arritmias

  • Parada cardíaca

  • Volume urinário diminuído

  • Valores de uréia e creatinina aumentados

  • Anemia

Intervenções, como diálise peritoneal e hemodiálise, podem ser utilizadas no sentido de substituir os rins insuficientes, promovendo a eliminação das substâncias tóxicas.

  • Intervenções, como diálise peritoneal e hemodiálise, podem ser utilizadas no sentido de substituir os rins insuficientes, promovendo a eliminação das substâncias tóxicas.

A diálise peritoneal é um método pelo qual se introduz um liquido estéril (liquido deslizador) na cavidade abdominal por meio de um cateter. A quantidade de liquido infundido e a duração das infusões variam de acordo com as necessidades de cada um.

  • A diálise peritoneal é um método pelo qual se introduz um liquido estéril (liquido deslizador) na cavidade abdominal por meio de um cateter. A quantidade de liquido infundido e a duração das infusões variam de acordo com as necessidades de cada um.

Hemodiálise é um processo pelo qual, através de um fistula arteriovenosa ou caráter de longa ou curta duração, o sangue do individuo passa por uma máquina que contém um sistema de filtro artificial, simulando os rins, eliminando assim as substâncias tóxicas do corpo.

  • Hemodiálise é um processo pelo qual, através de um fistula arteriovenosa ou caráter de longa ou curta duração, o sangue do individuo passa por uma máquina que contém um sistema de filtro artificial, simulando os rins, eliminando assim as substâncias tóxicas do corpo.

O rim pode ser proveniente de um doador vivo ou de cadáver humano. A diálise peritoneal e a hemodiálise são tratamentos utilizados pelos doentes renais crônicos até se conseguir o transplante.

  • O rim pode ser proveniente de um doador vivo ou de cadáver humano. A diálise peritoneal e a hemodiálise são tratamentos utilizados pelos doentes renais crônicos até se conseguir o transplante.

Estar atenta e preparada para situações de emergências que podem ocorrer, como arritmias e parada cardíaca.

  • Estar atenta e preparada para situações de emergências que podem ocorrer, como arritmias e parada cardíaca.

  • Manter a família informada a respeito de suas condições, auxiliando-os na compreensão do tratamento.

Monitorizar a função renal através do balanço hídrico e da pesagem diária.

  • Monitorizar a função renal através do balanço hídrico e da pesagem diária.

  • Avaliar freqüentemente seu estado, observando e registrando sinais de comprometimento cardíaco, como dispnéia, taquicardia e distensão das veias do pescoço;

Comentários