Cardiotonicos

Cardiotonicos

Histórico

  • Histórico

  • Era utilizado desde Roma e o Egito antigo eram utilizados como veneno ;

  • 1785 - Essas drogas passaram a ser utilizadas na terapêutica em pessoas que apresentavam hidropisia (edema nos membros inferiores, ascite e congestão visceral);

  • 1905 - Mackenzie obteve a real compreensão e utilização de forma terapêutica e científica dos digitálicos.

DEDALEIRA GREGA

  • DEDALEIRA GREGA

  • • Possui +/- 70 glicosídeos derivados de 5 geninas (lanatosídeos A a E):

  • • Glicosídeos primários são acetilados.

  • • Digoxina é o digitálico + usado no mundo na ICC.

São compostos caracterizados pela ação altamente específica, homogênea e potente que exercem sobre o músculo cardíaco.

  • São compostos caracterizados pela ação altamente específica, homogênea e potente que exercem sobre o músculo cardíaco.

Possui uma parte esteróide, chamada aglicona ou genina;

  • Possui uma parte esteróide, chamada aglicona ou genina;

  • Uma parte glicosídica ligada à genina pela hidroxila β do carbono 3;

Em relação à glicona :

  • Em relação à glicona :

  • ligada à genina pelo C3, β;

  • geralmente oligossacarídeos (2 a 4 oses) unidos por ligação β (1 4);

  • açúcares muito específicos (desoxihexoses);

  • quando há glicose, se situa no extremo da molécula;

  • permite a classificação em glicosídeos primários e secundários.

2 tipos de genina, conforme ligante em C 17, β (α é inativo):

  • 2 tipos de genina, conforme ligante em C 17, β (α é inativo):

  • Cardenólido (C23): anel lactona com 5 membros (α, β insaturado)

  • Bufadienólido (C24): anel lactona com 6 membros (duplamente insaturado)

Devem possuir :

  • Devem possuir :

  • OH secundária em 3 β e terciária em 14 β;

  • configuração A/B e C/D cis e C/D trans.

Glicona não atua diretamente, e sim modula a atividade (aumenta a solubilidade e poder de fixação no miocárdio).

  • Glicona não atua diretamente, e sim modula a atividade (aumenta a solubilidade e poder de fixação no miocárdio).

  • Atividade cardioativa genina. É fundamental:

  • anel lactona em C 17, β ;

  • configuração cis / trans / cis dos ciclos;

  • substituintes: OH em C 3 e C 14 β.

• Os glicosídeos são mais potentes que as respectivas agliconas;

  • • Os glicosídeos são mais potentes que as respectivas agliconas;

  • • A preparação das hidroxilas das oses, seja por esterificação, por cetalização, reduz a atividade inotrópica (interação com o borreceptor);

Drogas

  • Drogas

  • Digoxina

  • Digitoxina

  • Estrofantina

  • Ouabaína

  • Digoxina

  • Deslanosídeo

Aumentam a contratilidade por inibição da bomba de sódio

  • Aumentam a contratilidade por inibição da bomba de sódio

  • Aumentam o consumo de oxigênio

  • Diminuem a FC por ação vagal e ação direta no nó sinusal

  • Diminuem a velocidade de condução do impulso nervoso

Digoxina

  • Digoxina

  • É o mais usado dos glicosídeos cardíacos.

  • Preferido para o tratamento de insuficiência cardíaca congestiva.

  • É excretada pelos rins predominantemente na forma inalterada, o que obriga a diminuir a dose para pacientes com função renal debilitada.

  • Pode ser administrada por via oral ou injetável.

Digoxina

  • Digoxina

Digitoxina

  • Digitoxina

  • Tem meia-vida longa, de 5 a 9 dias.

  • Efeito terapêutico por tempo prolongado, mas pode constituir desvantagem em caso de intoxicação.

  • Sofre intensa metabolização hepática sendo excretado 80% na urina na forma de metabólitos inativos.

Digitoxina

  • Digitoxina

Deslanosido

  • Deslanosido

  • É estável em solução hidroalcoólica, sendo apropriado para administração parenteral em casos de tratamento digitálico de emergência, tais como edema pulmonar, taquicardia paroxística, fibrilação atrial, insuficiência ventricular esquerda e palpitação atrial.

É uma das doenças com maior prevalência no mundo moderno

  • É uma das doenças com maior prevalência no mundo moderno

  • É um dos fatores de risco mais importantes no estabelecimento e desenvolvimento de patologias cárdio e/ou cerebrovasculares.

  • No Brasil, estima-se que um em cada cinco habitantes seja portador dessa patologia.

1. Conceito:

  • 1. Conceito:

  • É definida como a elevação da Pressão Sanguínea Arterial (PSA) acima de um valor arbitrariamente definido como normal:

  • - sistólica > 140 mm de Hg

  • - diastólica > 90 mm de Hg

2. Classificação:

  • 2. Classificação:

  • SECUNDÁRIA:

  • Relacionada a causas específicas como distúrbios renais ou tumores endócrinos.

  • PRIMÁRIA OU ESSENCIAL:

  • Sem causa facilmente identificável;

  • É a mais comum;

  • Diagnosticada primariamente em pessoas de mais idade  também em crianças e adultos jovens.

3. Diagnóstico:

  • 3. Diagnóstico:

  • Baseia-se em medidas repetidas e reprodutíveis de elevação da PA.

  • 4. Etiologia:

  • 90% de causa desconhecida;

  • 10-15% dos pacientes é possível estabelecer-se uma causa específica para hipertensão.

HISTÓRICO

  • HISTÓRICO

  • 1931: Pesquisa sobre efeitos anti-hipertensivos e tranquilizantes dos extratos de Rauwofilia serpentina;

  • 1952: Schlittler e colegas conseguiram isolar a reserpina da R. serpentina e em 1954 determinaram sua estrutura;

  • 1954: kline ainda comprovou a utilidade da reserpina no tratamento de pacientes psicóticos.

CLASSIFICAÇÃO

  • CLASSIFICAÇÃO

  • Diuréticos

  • Inibidores da ECA

  • Antagonistas do receptor da Angiotensina II

  • Bloqueadores de canais de Ca2+

  • Bloqueadores -adrenérgicos

  • Simpatolíticos

Reduzem o volume sanguíneo, pela excreção de Na+ e inibição do transporte de eletrólitos nos túbulos renais.

  • Reduzem o volume sanguíneo, pela excreção de Na+ e inibição do transporte de eletrólitos nos túbulos renais.

  • Divide-se em:

  • Tiazídicos: Hidroclorotiazida, Clortalidona;

  • Diureticos de alça: Furozemida, Butenamida;

  • Poupadores de Potássio: Espironolactona, Amilorida e Triantereno.

  • Seu mecanismo de ação envolve diminuição de débito cardíaco, redução da secreção de renina pelos rins  e diminuição das catecolaminas (adrenalina).

  • EX: Atenolol Propanolol

  • Bloqueiam os receptores AT1 da Angiotensina nos vasos sangüíneos, ocorrendo redução dos efeitos fisiológicos da Angiotensina II.

  • EX: Losartano, Valsartano, Candesartano

Inibição do influxo de cálcio na célula muscular lisa, por bloqueio competitivo com o Ca+ que entra pelos canais lentos voltagem dependentes (canal de cálcio tipo L)  são abundantes nos músculos cardíaco e vascular.

  • Inibição do influxo de cálcio na célula muscular lisa, por bloqueio competitivo com o Ca+ que entra pelos canais lentos voltagem dependentes (canal de cálcio tipo L)  são abundantes nos músculos cardíaco e vascular.

  • O bloqueio é do tipo “USO-DEPENDENTE”

  • Exemplos: Verapamil, Anlodipino, Diltiazem

Diminuem a taxa de disparo dos nervos simpáticos  ação mediada principalmente pela ativação dos receptores -adrenégicos no SNC

  • Diminuem a taxa de disparo dos nervos simpáticos  ação mediada principalmente pela ativação dos receptores -adrenégicos no SNC

  • Exemplos:

  • De Ação Central: -Metildopa, Clonidina;

  • De Ação Periférica: Reserpina, Guanitidina.

HISTÓRICO

  • HISTÓRICO

  • Estudos afirmam que o Inibidores da ECA sintéticos foram derivados de princípios do veneno da jararaca, Bothrops jararaca, que inibiu a degradação do nonapeptídeo, Bradicinina. (WERMUTH, 2008)

EFEITOS FARMACOLÓGICOS

  • EFEITOS FARMACOLÓGICOS

  • Renina

  • ECA

USOS CLÍNICOS

  • USOS CLÍNICOS

  • Hipertensão

  • Insuficiência Cardíaca

  • Após IAM;

  • Nefropatia diabética

  • Insuficiência Renal Progressiva

  • Pacientes com alto risco de Cardiopatia isquêmica

CLASSIFICAÇÃO

  • CLASSIFICAÇÃO

  • IECA’s contendo grupamento sulfidril

  • IECA’s contendo grupamento dicarboxil

  • IECA’s contendo fósforo

IECA’s CONTENDO GRUPAMENTO SULFIDRIL

  • IECA’s CONTENDO GRUPAMENTO SULFIDRIL

IECA’s CONTENDO GRUPAMENTO SULFIDRIL

  • IECA’s CONTENDO GRUPAMENTO SULFIDRIL

IECA’S CONTENDO GRUPAMENTO CARBOXIL

  • IECA’S CONTENDO GRUPAMENTO CARBOXIL

Enalapril:

  • Enalapril:

  • Pró-droga

  • T1/2 : 5 horas

  • T1/2 : 30 a 35 horas

  • Biodisponibilidade: 60%

IECA’S CONTENDO GRUPAMENTO CARBOXIL

  • IECA’S CONTENDO GRUPAMENTO CARBOXIL

  • Meia-vida de eliminação:

  • 13 a 17 horas;

  • 73% de ligação as

  • Proteínas plasmáticas

  • Ramipril Ramiprilato

IECA’S CONTENDO FÓSFORO

  • IECA’S CONTENDO FÓSFORO

Histórico

  • Histórico

  • 1853- O precursor, quinidina, começou a ser utilizada por Pasteur, considerada útil no tratamento das arritmias cardíacas (era extraída da casca da quina e utilizada pelos indígenas para malária)

  • 1944- Síntese total da quinidina, mais não era economicamente viável para a época

  • 1936- Descoberta da procaína por Mautz

  • 1951- A partir da procaína foi sintetizada a procainamida

  • 1963-Stock e Dale observaram a atividade antiarrítmica dos antagonistas B-adrenérgicos (propanolol,atenolol)

Arritmia é um ritmo anormal dos batimentos cardíacos;

  • Arritmia é um ritmo anormal dos batimentos cardíacos;

  • Pode ser sentido como uma pausa temporária, muito breve, a ponto de não ser sequer percebida;

  • Existem dois tipos básicos de arritmias: Bradicardia é quando o coração bate a menos de 60 batimentos por minuto. Taquicardia é quando são mais de 100 batimentos por minuto;

São constituídos por quatro grupos de fármacos utilizados no tratamento das arritmias do coração;

  • São constituídos por quatro grupos de fármacos utilizados no tratamento das arritmias do coração;

  • Os antiarrítmicos funcionam inibindo a propagação de batimentos cardíacos imediatamente subsequentes, e diminuindo a taxa de contracção e excitabilidade cardíacas.

Classificação;

  • Classificação;

  • Segundo a classificação de Vaughan Williams de 1970, a mais frequentemente utilizada hoje, distinguem-se quatro classes de antiarrítmicos:

  • Antiarrítmicos da classe I

  • Antiarrítmicos da classe II

  • Antiarrítmicos da classe III

  • Antiarrítmicos da classe IV

Antiarrítmicos da classe I- Consiste nos fármacos que bloqueiam os canais de sódio (Na+) nas membranas dos miócitos (células musculares cardíacas).

  • Antiarrítmicos da classe I- Consiste nos fármacos que bloqueiam os canais de sódio (Na+) nas membranas dos miócitos (células musculares cardíacas).

  • - São subdivididas em Ia, Ib e Ic;

  • Classe Ia

  • Quinidina, procainamida e disopiramida;

  • Estas substâncias são utilizadas clinicamente em arritmias ventriculares; prevenção da fibrilação atrial paroxística recorrente, desencadeada por hiperatividade vagal;

Classe Ib

  • Classe Ib

  • Mexiletina, Lidocaína, Fenitoína.

  • Estas drogas bloqueiam os canais de Na+ durante o desenvolvimento do potencial de ação em fase zero e exercem efeito facilitatório sobre os canais de K+ na fase 3 do potencial de ação cardíaco de uma célula cardíaca contrátil.

Classe Ic

  • Classe Ic

  • Flecainida, Encainida, Profenona.

  • Ambas bloqueiam acentuadamente os canais de Na+ durante o desenvolvimento do potencial de ação em fase zero, promovendo uma intensa depressão na propagação do estímulo elétrico pelo coração.

Antiarrítmicos da classe II - É constituida por antagonistas adrenérgicos beta que atuam nos receptores cardíacos do sistema simpático, reduzindo a atividade cardíaca.

  • Antiarrítmicos da classe II - É constituida por antagonistas adrenérgicos beta que atuam nos receptores cardíacos do sistema simpático, reduzindo a atividade cardíaca.

  • 1) β - bloqueadores cardiosseletivos ou preferenciais:

  • Ex: Carverdiol, Atenolol, Metaprolol, Acebutalol

  • 2) β - bloqueadores não-cardiosseletivos ou não-preferenciais

  • Ex: Propanolol, Nadolol, Pindolol e Oxprenolol.

Antiarrítmicos da classe III -São fármacos que bloqueiam os canais de potássio (K+) membranares dos miócitos, prolongando o potencial de ação e portanto a contração dos miócitos condutores.

  • Antiarrítmicos da classe III -São fármacos que bloqueiam os canais de potássio (K+) membranares dos miócitos, prolongando o potencial de ação e portanto a contração dos miócitos condutores.

  • Ex: Amiodarona , sotalol

  • Dofetilida, ibutilida, azimilida (segunda geração ou grupo III puras)

Antiarrítmicos da classe IV - Bloqueiam os canais de cálcio (Ca2+) das membranas dos miócitos.

  • Antiarrítmicos da classe IV - Bloqueiam os canais de cálcio (Ca2+) das membranas dos miócitos.

  • Ex: Verapamil e Diltiazem.

Lidocaína x Procaína

  • Lidocaína x Procaína

Lidocaína x Procaína

  • Lidocaína x Procaína

BARREIRO, E. J.; FRAGA, C. A. M. Cardiotônicos: Histórico e Perspectivas de uma antiga e importante classes de agentes terapêuticos. Química Nova 19(2) 1996.

  • BARREIRO, E. J.; FRAGA, C. A. M. Cardiotônicos: Histórico e Perspectivas de uma antiga e importante classes de agentes terapêuticos. Química Nova 19(2) 1996.

  • DARRIEUX, F. C. C.; SCANAVACCA, M. I. Fibrilação Atrial - Novas Drogas Antiarrítmicas: Dofetilida, Ibutilida e Azimilida. Reblampa 12(4): 194-200 1999.

  • RANG, H. P. ... [et al.]; tradutores: Patricia Lydie Voeux, Antonio José Magalhães da Silva Moreira. Farmacologia – 5 ed. – Rio de Janeiro: Elseiver, 2004.

  • RIBEIRO, W. et. al Características Farmacocinéticas de antagonistas de cálcio, inibidores da ECA e antagonistas de angiotensina II em humanos. Revista Brasileira de Hipertensão 8: 114-24, 2001

  • WERMUTH, C. G. The Pratice of Medicinal Chemistry - 3 ed - California, USA: Elsevier, 2008

Comentários