Desidratação

Desidratação

Estudo de Caso

Thayse Carlos Feitosa

RECIFE

Maio-2010

Thayse Carlos Feitosa

Estudo de Caso – Clínica Médica

Trabalho apresentado ao Professor Fernando Matos da disciplina Clínica Médica da turma MA, turno manhã do curso de Enfermagem.

Faculdade Maurício de Nassau

Recife - 10/05/2010

Sumário

1- INTRODUÇÃO

2 - DESENVOLVIMENTO

3- CONCLUSÃO

4- BIBLIOGRAFIA

  1. Introdução

O presente estudo de caso teve como base o paciente N.V., internado desde o dia 15/03/2010, no Hospital dos Servidores do Estado, localizado no Hospital dos Servidores do Estado, Recife-PE.

A pesquisa para realização do estudo de caso foi realizada no mesmo hospital no período de 29 de Abril de 2010 à 10 de Maio de 2010, pela acadêmica Thayse Carlos Feitosa, orientada pelo preceptor Fernando Matos.

A pesquisa contém dados do paciente, história do paciente, relatos, diagnóstico, texto sobre a sua patologia, diagnóstico de enfermagem e exames realizados pela paciente.

  1. Desenvolvimento do Trabalho

Histórico do Paciente

Nome: N.V.

Idade: 84 anos Data de Nascimento: 11/08/1925

Estado Civil: Viúva

Reside na Iputinga

Leito:

Admissão no Hospital: 15/03/2010

Acompanhante: SIM

No dia da admissão foi feita uma ficha,nela tinha os seguintes pontos:

  • Resumo Clínico: paciente com episódio de desmaios há +/- 9 horas (por 3 minutos). Familiares referem inapetência. Antecedente de fecaloma (Janeiro/2010).

  • Antecedentes Pessoais: Fez cirurgia de fêmur (fratura há +/- 5 anos).

  • Exame Físico: consciente, desorientada, desidratada, hipocorada, dispnéia ao esforço.

AR: MV(+)

AC: RCR em 2T

  • Hipótese Diagnóstica: desidratação, senilidade (idoso,frágil), demência vascular? ITU?

Síntese do Caso clínico: N.V., 84 anos, sexo feminino, viuva. Reside em Recife-PE no bairro Iputinga. Não é tabagista, não é etilista. É precedênte da residência, deu entrada no HSE com desidratação, senilidade, ITU?, demência vascular?.

Ao exame físico mostra-se consciente, desorientada, não deambula, mobilidade física prejudicada, hipocorada(++/4+), acianótico, anictérico. Pupilas isocóricas, higiene bucal insatisfatória, sem linfonodos palpáveis em região retroauricular. Tórax: simétrico. ACV: RCR, BNF em 2T s/s, normocárdio (FC=100 bpm), normotenso (PA=110x50 mmHg), afebril (T=37 C). AR: MV(+) s/RA. AD: abdômen plano, RHA(+) hipoativos. AGU: sem anormalidades(SIC), evacuações (P) diurese(P) (SIC). Faz uso de fraldão.MMII sem edemas.

Evolução de Enfermagem

04/05/2010 às 15:15 hrs: EGR, consciente, desorientada, não deambula, mobilidade física prejudicada, hipocorada (++/4+), acianótica, anictérica. Pupilas isocóricas, higiene bucal insatisfatória, sem linfonodos palpáveis em região retroauricular. Tórax simétrico, ACV: RCR, BNF em 2T s/s. Normocádico (FC: 100bpm), normotensa (PA: 110x50 mmHg), afebril (T=37 C) AR: MV(+) s/RA. AD: abdômen plano, RHA(+) hipoativos. AGU: sem anormalidades(SIC). Evacuações(P), Diurese(P) (SIC). Faz uso de fraldão. MMII sem edemas.

Patologia – Desidratação

A desidratação é uma doença muito comum no Brasil, as crianças são as mais acometidas, todos os anos milhares de crianças morrem por causa da desidratação. O corpo do ser humano adulto é contém 60% do peso formado por água, as crianças possuem 75% e idosos homens 53% e mulheres 46% em média, quanto maior a quantidade de gordura, menor a quantidade de água no corpo. Isso é muito importante porque qualquer perda de água principalmente nas crianças vai afetar muito o metabolismo e o peso.

Normalmente por dia são eliminados em fezes e urina 1000 a 1500 ml de água, por isso deve ser ingerida uma grande quantidade de água, para que haja o equilíbrio.

Definição: Diminuição da água corporal e perdas grandes de sódio e sais minerais.

Etiologia: A desidratação pode ser causada por vômitos, diarréias, diabetes mellitus, poliúria, Doença de Addison, ingestão insuficiente de líquidos, aspiração gástrica, sudorese abundante, queimaduras.

Sintomas: Os principais sintomas da desidratação são: boca seca, produz pouca urina e de cor escura, apresentam volume de sangue menor que o normal, taquicardia, a pele fica áspera e as mucosas perdem o turgor, os olhos podem ficar fundos, pode ocorrer fraqueza e sensação de corpo pesado.

Tipos: Existem três tipos de desidratação, a isotônica, a hipotônica e a hipertônica.

  • Isotônica: É o tipo mais comum de desidratação, geralmente causada por diarréia e vômitos( que vai diminuir a quantidade de água e eletrólitos).

  • Hipotônica: É a forma mais perigosa que a desidratação pode se apresentar, onde a diminuição de eletrólitos é maior do que a de água. Geralmente é causada por vômitos, diarréias, reposição com solução hipotônica e perdas excessivas de sucos gástricos.

  • Hipertônica: As principais causas são: reposição com soluções hipertônicas, diabetes insípido e diuréticos osmóticos, nesse caso a diminuição de água é maior do que a perda de eletrólitos.

A desidratação ainda pode ser classificada quanto a porcentagem de diminuição do peso, classificados em: Leve- quando a perda ponderal é até 5%; Moderada- quando a perda ponderal está entre 5 e 10%; Grave- quando a perda ponderal é acima de 10%.

Diagnóstico: Através de alguns exames o médico vai conseguir diagnosticar a desidratação. Vai pedir um exame de urina e hemograma, através dele o médico vai conseguir saber o que está causando a desidratação.

Tratamento: Administrar fluidos intravenosos, terapia de reidratação oral (TRO), estimular o paciente a tomar bebidas que contenham carboidratos (eletrólitos).

Prevenção da desidratação: Evitar exercícios físicos e a exposição durante os dias de alto índice de calor; Assegure-se que as pessoas idosas e os bebês e as crianças dispõem de água potável de qualidade ou líquidos disponíveis para ajudá-los quando necessário; Usar roupas leves, quando o tempo estiver muito quente; Consumir a quantidade certa de água por dia.

Intervenções de Enfermagem: verificar sinais vitais, avaliar sinais de desidratação- turgor da pele e mucosas, balanço hídrico rigoroso, estimular a fazer uma boa ingesta hídrica, sempre hidratar a pele, registrar episódios diarréicos e êmeses.

Prescrição Médica

  • Dieta por SNE livre exclusiva

  • Omeprazol 40 mg por SNE as 6 horas

(anti-úlcera péptica [inibidor da bomba de protóns])

Nomes Genéricos: Estomepe, Eupept, Gaspiren, Gastrium, Losar, Omepamp, Omeprotec, Oprazon, Peprazol, Pepsicaps, Prazonil, Uniprazol, Victrix.

Propriedades: Produz inibição específica da enzima H+K+-ATPase (bomba de prótons) nas células parietais.Esta ação farmacológica inibe a etapa final da formação de ácido no estômago. Usado na forma sódica e magnésica.

Indicações: Esofagite erosiva, úlcera duodenal, úlcera gástrica.

Reações Adversas: Dermatológicas- rash, urticária, prurido, alopecia; GI: boca seca, diarréia, náusea, vômito, constipação, atrofia da língua; Respiratórias: sintomas de insuficiência respiratória, tosse, epistaxe; SNC: cefaléia, tontura, astenia, insônia, apatia, ansiedade, parstesia; Outras: febre, dor nas costas.

Contra-indicação: Hipersensibilidade.

Cuidados de Enfermagem: A medicação deve ser administrada exatamente conforme recomendado e o tratamento não deve ser interrompido sem o conhecimento do médico; Informe ao paciente as reações adversas mais freqüentes relacionadas ao uso da medicação e que diante a ocorrência de qualquer uma delas , principalmente diarréia, o médico deverá ser comunicado; Pode causar boca seca, por isso recomende a seus pacientes que faça enxágües orais freqüentes, fazer uma boa higiene oral; Recomendar ao paciente que evite uso de qualquer outra medicação, sem o conhecimento do médico, durante a terapia.

  • Dipirona 1 comprimido por SNE se necessário

(analgésico, antitérmico)

Nomes Genéricos: Algirona, Anador, Baralgin M, Conmel, Difebril, Dorostil, Dorpinon, Findor, Magnopyrol, Maxiliv, Novalgina.

Propriedades: Derivado da pirazolona com propriedades analgésicas, antipiréticas e antiinflamatórias. Usado na forma de sal sódico ou magnesiano. Usado na forma sódica e potássica.

Indicações: Antitérmico, inclusive em convulsões febris em crianças e até em doenças malignas, quando a febre não puder ser controlada por nenhum outro meio. Também pode ser usado como analgésico.

Reações Adversas: Dermatológica- Erupções cutâneas; GI: Náusea, vômito, hemorragia GI; Hematológicas- agranulocitose, outras discrasias sanguíneas (anemia aplásica, púrpura, púrpura trombo-citopênica).

Contra-indicações: Hipersensibilidade aos derivados de pirazolônicos. Glaucoma de ângulo fechado. Nefrites crônicas. Discrasias sanguíneas. Certas doenças metabólicas.

Cuidados de Enfermagem: A medicação deve ser administrada exatamente conforme recomendado e o tratamento não deve ser interrompido sem o conhecimento do médico; Informe o paciente as reações adversas mais requentes relacionada ao uso da medicação, principalmente desconforto respiratório como também aquelas incomuns ou intoleráveis, o médico deverá ser comunicado; Nos casos de hipertermia podem ser indicados banhos ou envoltórios até a estabilização da temperatura; Antes da administração: documente as indicações para terapia, o inicio para a duração dos sintomas, relacione as outras tentativas de tratamento e os resultados obtidos, avalie as reações de hipersensibilidade.

  • Plamet 1 comprimido por SNE se necessário

( procinetico )

Nomes Genéricos: Bromopan, Bromoprida, Digesan, Digestina, Pangest, Plamet, Pridecil.

Propriedades: Apresentação normalizadora da motricidade do estômago, do duodeno e do jejuno, reconduzindo o tonos e peristalse aos padrões fisiológicos em todos os casos em que ocorram alterações desse sistema. Normaliza, também, o esvaziamento incompleto ou tardio das vias biliares e possui ação antihemetica completa, atuando em níveis central e periférica.

Indicações: Tratamento de náuseas e vômitos. Refluxo gastroesofasico. Radiografia do tubo digestivo.

Reações Adversas: SNC: sonolência, cefaléia, astenia, calafrios, distúrbios da acomodação ( raras ).

Contra-indicações: Hipersensibilidade. Gestação.

Cuidados de Enfermagem: Instruir o paciente a tomar a medicação conforme recomendado e não interromper o tratamento sem o conhecimento do médico; Informe ao paciente as reações adversas mais freqüentes relacionadas ao uso da medicação e na ocorrência de qualquer uma principalmente as incomuns ou intoleráveis, o medico deverá ser consultado; recomende ao paciente que evite o uso de qualquer outra droga ou medicação sem o conhecimento do médico durante a terapia.

  • Acido fólico 5 mg 1 comprimido por SNE 1x ao dia

( antianêmico)

Nomes Genéricos: Endofolin, Enfol, Folacin, Folin, Materfolic.

Propriedades: Necessário para síntese protéica e a função dos globos vermelhos. Estimula a produção de hemácias, leucócitos e plaquetas. Necessário para o desenvolvimento normal do feto. Efeitos terapêuticos: Restauração e manutenção da hematopoese normal.

Indicações: Profilaxia e tratamento de anemias megaloblásticas e macrocitcas. Promoção do desenvolvimento normal do feto durante a gravidez.

Reações Adversas: Rash, febre

Contra-indicações: Anemia perniciosa não-corrigida. Recém-nascidos.

Cuidados de Enfermagem: Instruir o paciente a tomar a medicação conforme recomendado e não interromper o tratamento sem o conhecimento do médico. Recomende que o paciente evite o uso de suplementos vitamínicos exceto quando prescrito pelo médico. Informe ao paciente as reações adversas mais freqüentes relacionadas ao uso da medicação e na ocorrência de qualquer uma delas principalmente rash o médico deverá ser comunicado imediatamente, informe também que a medicação pode tornar a cor da urina mais intensamente amarela; Enfatize para o paciente a importância da realização regular dos exames de acompanhamento para avaliar o processo de tratamento.

  • Creme preventivo de escaras, mudança de decúbito de 3/3 horas; Captopril 25 mg 1 comprimido S.L. se ta mínima = ou > que 110 mmHg

(hipotensor arterial [inibidor da ECA], vasodilatador coronariano)

Nomes Genéricos: Capoten, Capotrat, Captolin, Captopril, Captotec, Captopron, Hipoten.

Propriedades: Inibe a conversão de angiotensina I em angiotensina II, um vasodilatador potente. Reduz a formação de angiotensina II, diminuindo a resistência arterial periférica. Reduz as retenções de sódio e água, diminuindo a PA.

Indicações: Hipertensão.

Reações Adversas: CV- ICC, taquicardia, hispotensão, anguna pectoris, pericardite; Dermatológica- Rash, rash maculopapular, prurido; GI- irritação gástrica, úlcera péptica, disgeusia, constipação; GU- insuficiência renal, proteinúria, síndrome nefrótica, glomerulopatia membranosa; Respiratória- tosse seca e persistente; SNS- anorexia e tontura;Outras- febre, hipercalemia, linfadenopatia.

Contra-indicações: Hipersensibilidade. ICC. Gestação ou lactação.

Cuidados de Enfermagem: Instruir o paciente a tomar a medicação conforme recomendado e não interromper o tratamento sem o conhecimento do médico; Informe ao paciente as reações adversas mais freqüentes relacionadas ao uso da medicação e na ocorrência de qualquer uma delas principalmente as incomuns ou intoleráveis, o médico deverá ser comunicado.Os pacientes idosos são os mais susceptíveis aos efeitos hipotensivos da medicação; Durante a terapia o paciente deverá receber hidratação adequada.

  • Diazepan 5mg 1 comprimido por SNE a noite

(sedativo-hipnótico)

Nomes genéricos: Anselive, Calmociteno, Diazepam, Dienpax, Kiatrium, Menostress, Uni Dienpax, Valium.

Propriedades: Ações ansiolíticas, sedativa, miorrelaxante e anticonvulsivante. Atua como depressor do SNC, provavelmente facilitando a ação inibitória do neurotransmissor ácido gama-aminobutirico.

Indicações: Ansiedade, agitação, sedação, espasmo muscular e crise convulsiva.

Reações Adversas: CV- colapso cardiovascular, hipotensão transitória, bradicardia, taquicardia, hipertensão, palpitações, edema; Dermatológica- urticária, prurido, rash, dermatite, diaforese; Endócrina- ginecomastia; GI: náusea, vômito, desconforto abdominal, diarréia, constipação, dificuldade de deglutição; GU: retenção ou incontinência urinária; SNC- sonolência, sedação, depressão, letargia, apatia, fadiga, desorientação, inquietação, confusão, choro, delírio, cefaléia, disartria, estupor, rigidez, tremor, distonia, euforia; Outras: soluço, febre.

Contra-indicações: Hipersensibilidade. Psicose. Glaucoma de ângulo estreito. Coma. Intoxicação por álcool. Miastenia gravis. Gestação ou lactação.

Cuidados de Enfermagem: Instruir o paciente a tomar a medicação conforme recomendado e não interromper o tratamento sem o conhecimento do médico; Informe ao paciente as reações adversas mais freqüentes relacionadas ao uso da medicação e na ocorrência de qualquer uma delas principalmente as incomuns ou intoleráveis, o médico deverá ser comunicado; Durante ou após a administração monitore: os sinais vitais, após a administração o paciente deverá permanecer em repouso, não permita o paciente a dirigir, avalie os sinais de flebite no local da infusão; Durante as terapias prolongadas monitore: as funções renais, hepáticas e hematopoética.

  • Sulfato Ferroso 1 comprimido por SNE 1x ao dia

(Antianêmico)

Nomes Genéricos: Fer-in-sol, Hematofer, Iberol Gotas, Lonfer, Sulfato Ferroso.

Propriedades: Corresponde ao sal heptaidratado. É inodoro e hidrossolúvel, com sabor metálico adstrangente. Deve ser mantido em recipientes herméticos, pois facilmente oxidado, além de ser eflorescente ao ar. É o agente hematínico mais usado, porém é o mais tóxico.

Indicações: Anemia ferropriva simples.

Reações Adversas: náuseas, vômitos e diarréia.

Cuidados de Enfermagem: Instruir o paciente a tomar a medicação conforme recomendado e não interromper o tratamento sem o conhecimento do médico; Recomenda-se cautela durante o uso de formulações que contém tartrazina ou sulfitos, devido ao maior risco de desenvolvimento de reações alérgicas; Durante a terapia monitore: hemoglobina e hematócrito.

  • Fluoxetina 20 1 comprimido por SNE as 10 horas

(antidepressivo)

Nomes Genéricos: Cloridrato de Fluoxetina, Daforin, Deprax, Depress, Eufor, Fluxene, Prozac, Psiquial, Verotina.

Propriedades: Inibe seletivamente a recaptação de serotonina no SNC. Efeitos terapêuticos: ação antidepressiva. Usada como cloridrato.

Indicações: Tratamento geralmente em combinação com psicoterapia de várias formas de depressão, transtorno obsessivo-compulsivo, anorexia nervosa, hiperatividade, neuropatia diabética, fibromialgia, obesidade, síndrome do pânico, síndrome pré-menstrual, fenômeno de Raynaud.

Reações Adversas: CV- dor no peito, palpitações; Dermatológicas- diaforese, disfunção sexual; GI- diarréia, dor abdominal, disgeusia, constipação, boca seca, náusea, vômito; GU- urgência urinária; Musculoesquelética- artralgia, dor nas costas, mialgia; Respiratória- tosse; SNC- anorexia, convulsão, ansiedade, sonolência, cefaléia, insônia, tontura, fadiga, tremor.

Contra-indicações: Hipersensibilidade. Uso concomitante de astemizol ou cisaprida.

Cuidados de Enfermagem: Instruir o paciente a tomar a medicação conforme recomendado e não interromper o tratamento sem o conhecimento do médico; Informe ao paciente o objetivo da medicação e que seu uso excessivo pode causar dependências físicas ou psicológicas; Durante a terapia avalie: rigorosamente os pacientes depressivos, com tendências suicidas ou dependentes de droga, para evitar o uso indevido da medicação.

Exames Complementares

Hemograma – realizado no dia 26/04/2010

Macrocitose: aumento no tamanho das hemácias, uma forma de anemia relacionada ao déficit na absorção da vitamina B12 e do folato.

Normocromia: eritrócitos em tamanhos normais.

Plaquetas Normais

Neutrofilia Relativa e Absoluta: número aumentado de granulócitos neucrófilos.

Ausência de Eosinófilos nos campos percorridos: sinal de alguma infecção virótica ou bacteriana.

Linfopenia Relativa e Absoluta: deficiências das células de defesa

Ureia: 44 mg/dl ALTO – esta aumentada na insuficiência renal, dieta rica em proteínas, trauma, infecções.

Creatinina: 1,06 mg/dl ALTO – esta aumentada na insuficiência renal, dores musculares, por ação de medicamentos e dietas de carnes vermelhas.

Sódio: 149 meq/l NORMAL

Potássio: 5,79 meq/l ALTO – causo pela insuficiência renal.

Cloro: 85 meq/l BAIXO – significa dizer que ela pode ter Doença de Addison, insuficiência renal crônica, fístula intestinal, vômitos prolongados, insuficiência cardíaca congestiva.

Diagnóstico de Enfermagem

  1. Comunicação Verbal Prejudicada

Definição: Estado de vida em que um indivíduo apresenta, ou estar em alto risco de apresentar, diminuição da capacidade de falar, embora posso entender os outros.

Características Definidoras: Incapacidade de dizer as palavras, mas pode compreender os outros.

Intervenções Gerais: Estimular a pessoa a apontar, usar gestos e pantomina; Identificar um método por meio do qual a pessoa possa comunicar as necessidades básicas; Proporcionar métodos alternativos de comunicação.

  1. Nutrição Desequilibrada: menos do que as necessidades corporais

Definição: Estado em que o indivíduo, que não está em NPO, apresenta, ou está em risco de apresentar, ingesta ou metabolismo inadequado nos nutrientes para as necessidades metabólicas, com ou sem perda de peso.

Características Definidoras: Necessidades metabólicas reais ou potenciais maiores que a ingestão; Peso de 10 a 20% mais abaixo do ideal para a altura e a estrutura.

Intervenções Gerais: Determinar exigências calóricas diárias realistas e adequadas. Consultar o nutricionista; Pesar diariamente, monitorar os resultados laboratoriais; Explicar a importância da alimentação adequada. Negociar com o paciente as metas de ingestão em cada refeição e lanche.

  1. Mobilidade Física Prejudicada

Definição: Estado em que o indivíduo apresenta, ou está em risco de apresentar, limitação do movimento físico, embora não esteja imóvel.

Características Definidoras: Capacidade de mover-se intencionalmente no ambiente; Limitação na amplitude dos movimentos; Relutância em se mover.

Intervenções Gerais: Ensinar a realizar exercícios ativos de amplitude de movimento dos membros não-afetados no mínimo quatro vezes por dia; Posicionar em alinhamento para prevenir complicações.

  1. Conclusão

O estudo no Hospital dos Servidores do Estado consistiu em analisar o papel do enfermeiro na assistência aos pacientes internado no setor de clínica médica e conhecer o dia a dia de um paciente na clínica. Os estágios são muito importantes, pois é nele que vamos colocar em prática o que vimos em sala de aula, o de clínica médica foi muito importante para a minha formação, fiz e vi vários procedimentos que não tinha feito antes. A primeira impressão que tive quando vi que a minha paciente não conversava com a equipe não foi muito boa, mas depois percebi que no dia a dia do enfermeiro vamos nos deparar com muitos casos,um diferente do outro, e que temos que enfrentar os obstáculos para alcançar o nosso objetivo, o de cuidar do paciente, a principal essência da enfermagem.

  1. Bibliografia

AME- Dicionário de Administração de Medicamentos na Enfermagem: 2009/2010. RJ: EPUB,2009.

Manual de Diagnósticos de Enfermagem, Carpenito, 11ª ed - 2008 Artmed.

Distúrbios Hidreletrolicos. Disponível em: http://www.arquivomedico.hpg.com.br/disturbioshidreletroliticos.htm

Acessado em: 03/05/2010

Náuseas e Vômitos.Dr. Fernando Wolff

Disponível em: http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?295

Acessado em 03/05/2010

Como se tratar a desidratação. Disponível em: http://cuidadossaude.com/2010/04/como-tratar-desidratacao/

Acessado em: 04/05/2010

Comentários