Figuras e Vícios de Linguagem

Figuras e Vícios de Linguagem

(Parte 1 de 2)

Figuras de Linguagem

Figuras de Palavras

Substituição ou transposição do sentido real para o sentido figurado da palavra.

- Comparação: estabelece uma relação de qualidade entre dois termos da oração, a fim de destacar a semelhança entre eles (geralmente com o uso de expressões ou elementos: como, tal qual, assim como, tão... quanto, tanto... quanto, etc.)

Ex.: A sombra das roças é macia e doce, como uma carícia.

Sua boca é como um cadeado e meu corpo é como uma fogueira.

- Metáfora: é uma comparação mental e subjetiva, que consiste em empregar um termo com significado diferente do habitual, mas estabelecendo relação entre o sentido habitual e o figurado.

Ex.: Meu pensamento é um rio subterrâneo.

A propaganda é a alma do negócio.

- Catacrese: consiste em utilizar um termo já existente e com significado próprio em outro sentido, por falta de palavras que possam expressá-lo.

Ex.: O da mesa quebrou.

A perna do sofá está fraca.

- Metonímia: substituição de um termo por outro, por haver relação externa entre eles. Essa relação pode ser:

  1. O abstrato pelo concreto: Era difícil resistir aos encantos daquela doçura. (pessoa agradável, meiga)

  2. O autor pela obra: Achei difícil ler Camões. (a obra dele)

  3. O efeito pela causa: Quantas primaveras já haviam passado desde a última vez que a vi. (anos)

  4. O continente pelo conteúdo: Pratos e pratos são devorados pela colônia. (contêm a comida)

  5. O instrumento pela pessoa: Ele é bom de garfo. (instrumento utilizado para comer)

  6. O sinal pela coisa significada: O trono inglês está abalado. (o governo exercido pela monarquia)

  7. A parte pelo todo: Enormes chaminés dominam os bairros fabris da cidade inglesa. (partes de um todo: fábrica)

  8. O singular pelo plural: O brasileiro tenta encontrar uma saída para suportar a crise. (um indivíduo representa todos)

  9. A classe pelo indivíduo: Não acredito mais no Juizado brasileiro. (juízes)

  10. A matéria pelo objeto: O jantar foi servido à base de porcelanas e cristais. (material de que é feito o objeto)

- Antonomásia: Figura que identifica alguém por uma qualidade marcante de si, um aspecto peculiar de sua obra, possibilitando sua identificação com facilidade.

Ex.: A humanidade agradece ao gênio da lâmpada. (Thomas Edson)

“... durante o reinado do rei-sol.” (Luís XIV)

- Perífrase: É a figura que exprime, por meio de uma certa extensão, algo que poderia ser expresso pelo emprego de apenas uma palavra.

Ex.: Sua infinita falta de alegria o tornava às vezes uma pessoa incômoda. (tristeza)

- Sinestesia: Figura de linguagem que se consegue por meio do cruzamento de sensações (audição, visão, olfato, paladar, tato) ou de uma sensação com um sentido.

Ex.: A felicidade se manifesta nas cores berrantes de suas roupas. (visão e audição)

A luz crua da madrugada invadia meu quarto. (visão e paladar)

Figuras de Pensamento

- Antítese: Consiste em realçar um conceito ou ideia por meio de palavras de sentido oposto.

Ex.: Era o porvir – em frente do passado; A liberdade – em face à Escravidão.

Os jardins têm vida e morte.

- Ironia: Figura por meio da qual se exprime uma ideia contrária ao que se quer dizer. Muitas vezes só pode ser entendida através do contexto.

Ex.: Parabéns pela sua grande ideia: conseguiu estragar os meus planos!

A excelenteDona Inácia era mestra na arte de judiar as crianças.

- Eufemismo: Substituição de uma palavra ou expressão com sentido desagradável por outra, com a finalidade de amenizar seu significado.

Ex.: Ele enriqueceu por meios ilícitos. (roubou)

Bateu as botas. (morreu)

- Hipérbole: Uso de expressão exagerada para dar maior ênfase à frase.

Ex.: Estou morrendo de sede.

Já li isto mil vezes.

- Reticência: consiste em suspender o pensamento enunciado na frase sem que ele esteja concluído, a fim de que o leitor ou ouvinte complete a ideia.

Ex.: Ou você começa logo a partida, ou então...

- Gradação: consiste em apresentar ideias em progressão ascendente (clímax) ou descendente (anticlímax).

Ex.: A vida, o céu, o mar, o infinito...

Uma luta, uma batalha, uma guerra.

- Apóstrofe: invocação ou interpelação que se faz a alguém.

Ex.: Deus! Ó Deus! Onde estás que não respondes?

Lua, lua, lua, por um momento meu canto contigo compactua.

- Prosopopeia: consiste em atribuir características de seres animados a seres inanimados ou irracionais.

Ex.: Uma ilusão gemia em cada canto, chorava em cada canto uma saudade!

O rio murmura num banzeiro de água pesada e oleosa.

- Oxímoro: uso de duas de ideias antagônicas em uma mesma estrutura frasal, se cruzando.

Ex.: Menino do rio, calor que provoca arrepio.

Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se sente.

Figuras de construção e sintaxe

Apresentam algum tipo de modificação na estrutura da oração.

- Repetição: consiste em repetir diversas vezes a mesma palavra.

Ex.: Nada de asas! Nada de poesia! Nada de alegria!

Ou se tem chuva e não se tem sol, ou se tem sol e não se tem chuva.

- Anástrofe: consiste em alterar a ordem normal da frase, provocando a inversão dos termos da oração, geralmente o sujeito e o predicado.

Ex.: Entre as nuvens do amor ela dormia!

(adjunto adverbial/predicado – sujeito – predicado/verbo)

- Silepse: consiste na concordância não com o que vem expresso, com o que está implícito. A silepse pode ser:

1. De gênero: predicativo concorda com a ideia que está implícita, e não com a forma gramatical.

Ex.: Ivete dá o ritmo noEstação Globo. (no programa)

São Paulo é muito fria. (a cidade)

2. De número: quando o sujeito é um coletivo ou uma palavra que indica mais de um ser e o verbo fica no plural.

Ex.: O pobre povo da terra vivia quase como índios.

3. De pessoa: sujeito na 3ª pessoa e verbo na 1ª pessoa do plural: o narrador integra o sujeito (se inclui na ação).

Ex.: Convoco todos para que reconstruamos...

Todos falamos futebol.

- Elipse: consiste na omissão de uma ou mais palavras, sem prejudicar o sentido da frase.

Ex.: Na terra, (há) tanta guerra, tanto engano, tanta necessidade aborrecida.

Na sala, (havia) apenas quatro ou cinco convidados.

- Zeugma: figura de sintaxe que consiste em suprimir ou ocultar palavras expressas anteriormente e que se encontram subentendidas.

(Parte 1 de 2)

Comentários