Assentamento de Pisos Ceramicos

Assentamento de Pisos Ceramicos

RELATÓRIO TÉCNICO

Prof. João Guedes Neto

TP 7

PRÁTICA DE ENGENHARIA CIVIL

5/5

CLIENTE: UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA

SANTOS / SP

Nome: Saulo Guedes Alflen - n° 27425

Rev. 00

RELATÓRIO

TÉCNICO SOBRE

ASSENTAMENTO DE PISOS CERÂMICOS

  1. Objetivo

Esse relatório tem como objetivo apresentar técnicas sobre assentamento de pisos cerâmicos.

  1. Referências Bibliográficas

Manual de Assentamento de Revestimento Cerâmico – Pisos Internos

Manual de Assentamento de Revestimento Cerâmico – Pisos Externos

  1. Introdução

Revestimento cerâmico é usado para revestimento de pisos e paredes. Para garantir a durabilidade dos pisos cerâmicos é necessário seguir desde a escolha do material até a limpeza final da obra.

A base assim chamada é o piso a ser recoberto que é feito de uma camada de concreto sobre a qual serão aplicadas as camadas necessárias para o revestimento cerâmico.

A camada intermediária é a camada entre a base e o contrapiso, cuja finalidade é regularizar a base, corrigir o caimento do piso, impermeabilizar, embutir canalizações.

O contrapiso é a camada de argamassa sobre a qual é assentado o revestimento cerâmico.

O método de assentamento segue as seguintes etapas:

• Escolha dos materiais, equipamentos e ferramentas

• Definir o número e espessura das juntas estruturais

• Preparo da base: Construção do lastro de concreto

Corte Manual de Peças Cerâmicas Serra Elétrica com Disco de Corte Diamantado

Torquês Desempenadeira de madeira

Espaçadores Martelo de Borracha

Sobre os equipamentos utilizados devemos definir brevemente cada um deles:

Corte Manual ou Serras elétrica com disco diamantado: utilizado para cortar pisos cerâmicos caso haja algum recorte na peça a utilizar.

Torquês: usado para pequenos cortes nos cantos, produz cortes irregulares.

Desempenadeira: sendo ela de madeira serve para dar um acabamento superficial na regularização.

Espaçadores: peças de plásticos colocadas entre as placas cerâmicas que serve para manter uniforme a largura das juntas e o alinhamento da cerâmica.

Martelo de Borracha: serve para pressionar a peça cerâmica contra a base.

  1. Materiais

Água = deveser limpa de impurezas. Não usar água salgada em hipótese alguma.

Argamassa para camada de regularização = deve ter o traço em volumes 1:6 de cimento, e areia média úmida.

Argamassa de contra piso = para a camada de regularização deve ter o traço em volumes 1:6 de cimento, e areia média úmida ou 1:0,25:6 de cimento, cal hidratada e areia úmida.

  1. Execução e Patologias

O contrapiso é uma camada de argamassa sobre a qual são assentados os revestimentos cerâmicos, cuja função é eliminar as irregularidades da base e corrigir o caimento do piso. Para assentamento de pisos o caimento varia de 0,5% até 2%, dependendo do comodo.

O nível da camada de regularização deve ser obtido através de taliscas. Estas taliscas devem ser assentadas tendo, como referência de nível, uma linha horizontal traçada nas paredes, com aproximadamente 1 cm de altura.

Antes de iniciar o assentamento, deve verificar o esquadro e as dimensões da base a ser revestida; definir o alinhamento, através do posicionamento de linhas de referência, verificar o enquadramento das peças cerâmicas, planejarem a colocação das peças.

Para o preparo da argamassa manualmente ou em misturador mecânico adiciona-se a água, na quantidade recomendada na embalagem do produto. A quantidade a ser preparada para um período de trabalho de no máximo 2 a 3 horas. Após a mistura, a argamassa deve ficar em repouso pelo período de tempo indicado na embalagem, para que ocorram as reações dos aditivos. Após o assentamento dos pisos cerâmicos, a área deverá ser protegida para garantir o endurecimento total dos materiais.

A ocorrência de patologias está ligada com a qualidade e a durabilidade do assentamento.

• qualidade do material utilizado

• qualidade da mão de obra

• qualidade da parede suporte

• correta definição das juntas

• condições de trabalho

O descolamento da placa cerâmica é sem dúvida o maior problema e o mais freqüente encontrado. As principais causas estão relacionadas a descuidos da mão-de-obra, no preparo da argamassa; na utilização; no uso de técnicas e ferramentas inadequadas.

  1. Vantagens

- Durabilidade;

- Facilidade de limpeza;

- Aspecto Estético

  1. Cuidados

- Recebimento do Material (Verifique se todas as caixas contêm produtos do mesmo tamanho, tonalidade, qualidade);

- Verifique a conformidade do produto (observe a uma distância de 1m se as placas apresentam defeitos aparentes como tonalidade, defeitos visuais e geométricos);

- Verifique se a base está alinhada, plana, no prumo, impermeabilizada, áspera, limpa e isenta de graxas;

- Execute primeiro o assentamento das paredes e depois o piso;

- Após o assentamento, aguarde três dias para iniciar o processo de rejuntamento;

- Obedeças às juntas de assentamento, conforme a especificação da embalagem

  1. Conclusão Técnica

Portanto, sabemos que o método em que foi executado em sala de aula o grupo observou que para o assentamento de pisos cerâmicos onde realizamos tinha uma quantidade de água superior ao outro grupo, com isso houve uma dificuldade para assentar os pisos cerâmicos, tornando-se os pisos escorregadios na argamassa, dificultando o sarrafeamento para a regularização. Já em outro grupo a colocação dos pisos cerâmicos teve uma facilidade maior por apresentar uma argamassa um pouco mais seca do que a nossa. O método de execução utilizado foi do sentido mais afastado da abertura para a porta, deixando os recortes para os lados mais afastados da abertura da porta, para que possa a principio ter uma estética melhor.

______________________________ _____________________________ Prof. João Guedes Neto Saulo Guedes de Moura Alflen – 27425

Santos, __________ de __________________ de 2010.

CÓPIA NÃO AUTORIZADA – SOMENTE DEVERÁ SER UTILIZADO PARA CONSULTAS AUTOR: SAULO GUEDES DE MOURA ALFLEN

Comentários