Concentração e diluição - pratica III - item 4.1

Concentração e diluição - pratica III - item 4.1

COLÉGIO DIRETRIZ

TÉCNICO EM BIOTECNOLOGIA

Laboratório de Química

Relatório

Disciplina: Química / Pratica em laboratório

Turma: B Grupo: 2 Turno: noite

Professora: Camila

Data da experiência: 09/04/2010 Data da entrega: 16/04/2010

Experiência: Permanganato de Potássio (KMnO4)

Nome dos alunos (as):

Nota:

Aline A. Neves

Marilaine

Francisléa

1º MODULO/2010

I - INTRODUÇÃO:

Quando misturamos duas ou mais substancias químicas de forma homogenia, isto é única fase obtemos uma solução.

Existem vários tipos de soluções:

  • Sólidas = o solvente e sempre sólido,

  • Liquidas = o solvente e sempre liquido,

  • Gasosas = o solvente e o soluto são gases.

Aqui abordaremos a concentração de solução que e a relação entre quantidade de soluto e quantidade de solvente ou de solução. Podendo ser dadas através de suas massas, volumes, numero de moles e numero de equivalentes-gramas etc. Através de cálculos e possível achar a concentração comum (g/L) e molar (mol/L) do soluto, neste caso permanganato de potássio. Veremos também a diluição de solução em dois modos:

  • Solução diluída = solução com pouco soluto em relação ao solvente (igual ou menor que 0,1 molar);

  • Solução concentrada = solução com muito soluto em relação ao solvente (superior a 0,1 molar).

Neste experimento veremos apenas solução diluída na qual acrescentamos solvente (H2O). Devemos observar que o índice 1 expressa concentração e volume inicial e o índice 2 expressa concentração e volume final.

II – OBJETIVO:

Calcular a concentração da solução preparada e fazer varias diluições desta solução e calcular suas respectivas concentração.

III – MATERIAL E METADOS:

  • MATERIAL USADO

    1. Becker: 1 000, 200, 100 ml

    2. Micropipeta e ponteira: 250 μl

    3. Proveta de vidro: 250 mL

    4. Proveta de plástico: 100 ml

    5. Pipeta graduada: 10 ml

    6. Pêra

    7. Bastão de Vidro

    8. Tudo de ensaio: 5

    9. Grade de suporte para tubos de ensaio

    10. funil

  • REAGENTES

    1. Água (H2O): 1 000 ml ou 1L;

    2. Permanganato de Potássio (KMnO4): 100mg ou 0,1g.

IV – PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL:

1º - abra-se o envelope de permanganato de potássio e despeja-se seu conteúdo em um Becker (de 1 000 ml) contendo apenas 600ml de H2O.

2º - com o bastão de vidro mistura-se a solução, fazendo movimentos circulares de modo a não desperdiçar uma gota sequer.

3º - completou-se o Becker com H2O ate que atingi-se o menisco.

Da solução inicial serão obtidas quatro outras soluções, dissolvendo a mesma em 2x, 4x, 10x e 100x:

  • 2x: utiliza-se um balão volumétrico de 500ml, funil e solução inicial de 0,1g/L de KMnO4. Coloca-se o funil no balão volumétrico e segura-se o mesmo de forma a não o introduzi-lo todo no balão. Mede-se em uma proveta de vidro 250ml da solução inicial e despeja-se a mesma no balo volumétrico. Completou-se com água ate o menisco. Faz-se a homogeneização da solução.

  • 4x: utiliza-se um balão volumétrico de 250ml, funil e solução inicial de 0,1g/L de KMnO4. Coloca-se o funil no balão volumétrico e segura-se o mesmo de forma a não o introduzi-lo todo no balão. Mede-se em uma proveta de plástico (de 100ml) 62,5 ml da solução inicial e despeja-se o mesmo no balão volumétrico. Completou-se com água ate o menisco. Faz-se a homogeneização da solução.

  • 10x: utiliza-se um balão volumétrico de 100ml, pipeta graduada de 10ml e solução inicial de 0,1g/L de KMnO4. Pipetou-se da solução inicial 10ml e despeja-se a mesma no balão volumétrico. Completa-se com água ate o menisco. Faz-se a homogeneização da solução.

  • 100x: utiliza-se um balão volumétrico de 25ml, micropipeta e ponteiras de 250μl e solução inicial de 0,1g/L de KMnO4. Pipetou-se da solução inicial 250μl e despeja-se o mesmo no balão volumétrico. Completou-se com água ate o menisco. Faz-se a homogeneização da solução.

V – RESULTADO E DISCURSSÃO:

  • Resultados:

  • Cálculos de concentração:

    1. H2O = 1 000 mL = 1L

    2. KMnO4 =100 mg = 0,1 g

1º) Concentração comum (g/l)

Formula: C = m

V

C = 0,1 g

1 L

C = 0,1 g/L

Resultado: concentração comum de 0,1 g/L de KmnO4

2º) Concentração Molar (mol/L)

Massa molar de KMnO4 = 39+54+(16 · 4) = 158 g/mol

1 mol _______ 158 g

x mol _______ 0,1 g

158 x = 0,1

x = 0,1

1

x = 0,1 mol/L

Resultado: concentração molar de 0,1 mol/L de KMnO4.

  • Cálculos de diluição:

Nº de diluições

(nº de vezes)

Concentração

(μg/mL)

Volume da solução intermediaria (mL)

Volume do balão (ml)

2

0,05

500

4

0,025

250

10

0,01

100

100

0,001

25

Formula: C1 V1 = C2 . C2

1º) 2x:

0,1 ÷ 2 = 0,05 g/L

0,1 g/L . V1 = 0,05 g/L . 500 mL

V1 = 0,05 g/L . 500 mL

0,1 g/L

V1 = 25 mL

0,1

V1 = 250 mL

2º) 4x:

0,1÷ 4 = 0,025 g/L

0,1 g/L . V1 = 0,025 g/L . 250 mL

V1 = 0,025 g/L . 250 mL

0,1 g/L

V1 = 6,25 mL

0,1

V1 = 62,5 mL

3º) 10x:

0,1 ÷ 10= 0,01 g/L

0,1 g/L . V1 = 0,01 g/L . 100 mL

V1 = 0,01 g/L . 100 mL

0,1g/L

V1 = 1 mL

0,1

V1 = 10 mL

4º) 100x:

0,1 ÷ 100 = 0,001 g/L

0,1g/L . V1 = 0,001 g/L . 25 mL

V1 = 0,001 g/L .25 mL

0,1gL

V1 = 0,025 mL

0,1

V1 = 0,25 mL

  • Discurssão: o procedimento usado para está experiência permite fazer as transformações de concentração comum e concentração molar, fazendo os cálculos de 100mg que corresponde 0,1g de permanganato de potássio (KmnO4) e 1000m/L corresponde á 1L (H2O) que em concentração comum achou-se 0,1g /L que foi dividido por 2x, 4x, 10x, 100x.

VI – CONCLUSÃO:

Ao calcular a concentração da solução preparada, observamos que quanto mais solvente colocamos na solução, menos concentrada a solução permanece. Ou seja diluir uma solução significa diminuir a sua concentração.

Em relação a sua cor observamos que ao colocarmos mais água na solução mais clara era sua cor. No 1º estagio era totalmente roxa, no 2º uma cor um pouco menos concentrada puxando para vinho, no 3º estagio era rosado e no 4º estagio um rosa bebê quase transparente.

VIII – REFERENCIAS:

Livro: LEMBO, Antonio & SARDELLA, Antonio; Química (2ºgrau), 3ª ed.; São Paulo: Ática, 1941.

IX – ANEXOS:

Comentários