O hospital

O hospital

6

O Hospital _______

1- Histórico

A palavra hospital vem do latim "hospes", que significa hóspede, dando origem a "hospitalis" e a "hospitium" que designavam o lugar onde se hospedavam na Antigüidade, além de enfermos, viajantes e peregrinos. Quando o estabelecimento se ocupava dos pobres, incuráveis e insanos, a designação era de "hospitium", ou seja, hospício, que por muito tempo foi usado para designar hospital de psiquiatria.

A figura do hospital, bem como suas funções tem um marco divisor: antes e depois da Era Cristã. Na Grécia, Egito e Índia antigos, os médicos aprendiam medicina em locais junto aos templos e exerciam a profissão no domicílio das pessoas enfermas. Havia na Grécia construções semelhantes a hospitais junto aos templos dedicados ao deus Esculápio. Nesses locais, eram colocadas as pessoas enfermas ante a estátua desse deus para que a ação dos sonhos associada à de medicamentos empíricos preparados pelos sacerdotes pudessem curar os doentes.

Na Índia Antiga, se tem notícias de aparecimento de construções do tipo hospitalar junto às estradas por onde passavam os exércitos, principalmente, na linha de frente do Império Romano. Nesses locais, as tropas descansavam e os enfermos eram tratados. Surgem também, nessa época, estabelecimentos semelhantes para o descanso e tratamento de civis, principalmente, para o isolamento das pessoas portadoras de doenças contagiosas, que assim permaneciam separadas do restante da sociedade e entregues à própria sorte, pois os medicamentos eram às vezes ineficazes. Até esse período, o hospital não passava de uma espécie de depósito em que se amontoavam pessoas doentes, destituídas de recursos. Sua finalidade era mais social do que terapêutica.

A história do hospital começa a ser contada de outra forma a partir de 360 d.C, quando surge a primeira entidade assistencial - Hospital. Sob a máxima de "Amar o próximo como a si mesmo" advinda do Cristianismo, o homem passa a se preocupar com o seu semelhante. Até então, predominava o espírito egoístico do ser humano de se afastar dos deficientes e enfermos, resguardando-se e não socorrendo o próximo.

Inicia-se a "Era dos Hospitais" com atividades básicas de restaurar a saúde, pregar a assistência, simplesmente concluindo diagnóstico e efetuando tratamento limitados pelos padrões e condições da época.

Com o desenvolvimento da medicina e de acordo com as regiões, o Hospital assumiu determinadas características. Os primeiros hospitais foram criados como locais de isolamento onde a caridade se exercia como uma prática cristã. Eram locais para pobres, mulheres desamparadas, velhos e doentes crônicos sob os cuidados de monges e religiosos. Constituíam-se o último recurso que a caridade oferecia para o paciente pobre.

A tecnologia médica disponível só minorava o sofrimento. Os pacientes com maiores recursos tratavam-se a domicílio e a relação médico-paciente era independente da organização hospitalar. O Brasil, país de colonização portuguesa, adquiriu o cuidado com os doentes dessas comunidades lusitanas. O primeiro Hospital da América do Sul foi a Santa Casa de Misericórdia fundada em Santos em 1543, onde os cuidados dos enfermos passaram a ser exercidos por freiras e religiosos. À medida que os exploradores portugueses adentraram o interior brasileiros e formaram vilarejos, fundaram um hospital local para o atendimento dos próprios colonizadores e exploradores. Assim, surgiu também a Santa Casa de São Paulo, cuja fundação se deu por volta de 1590 a 1599, inicialmente próxima ao Páteo do Colégio.

Historicamente, a primeira instituição-hospital pública ou privada destinava-se ao tratamento dos doentes, desenvolvendo atividades de natureza curativa. Conforme os conhecimentos de natureza preventiva foram se desenvolvendo, as medidas práticas com eles relacionadas aplicaram-se mais à abordagem dos problemas de saúde das comunidades. Criou-se um segundo tipo de instituição, destinada ao desenvolvimento das práticas de natureza preventiva - as unidades de saúde, especialmente ligadas ao poder público.

2- Hospital: conceito

♦ “Hospital é Estabelecimento onde se tratam doentes, pessoas acidentadas, etc., internados ou não; nosocômio.” (Dicionário Aurélio)

Segundo o Ministério de Saúde quando assim definiu o conceito de hospital; coloca que:

♦ "O hospital é parte integrante de uma organização Médica e Social, cuja função básica, consiste em proporcionar à população Assistência Médica Sanitária completa, tanto curativa como preventiva, sob quaisquer regime de atendimento, inclusive o domiciliar, cujos serviços externos irradiam até o âmbito familiar, constituindo-se também, em centro de educação, capacitação de Recursos Humanos e de Pesquisas em Saúde, bem como de encaminhamento de pacientes, cabendo-lhe supervisionar e orientar os estabelecimentos de saúde a ele vinculados tecnicamente."

Para a OMS:

♦ “O hospital é um elemento organizador de caráter médico-social, cuja função consiste em assegurar assistência médica completa, curativa e preventiva a população, e cujos serviços externos se irradiam até a célula familiar considerada em seu meio; é um centro de medicina e de pesquisa bio-social.”

3- Hospital: funções e Importância Social

► Restaurativa: diagnóstico, tratamento, reabilitação e emergência.

► Preventiva: controle de doenças infecto-contagiosas, saúde ocupacional, promoção à saúde.

► Educativa: serve como estagio para diversas áreas.

► Pesquisa

► Gerador de Empregos: empresa complexa que emprega profissionais de varias categorias.

Então as funções hospitalares podem ser agrupadas segundo Lima Gonçalves (1983) em: 

a) Prestação de atendimento médico e complementares aos doentes em regime de internação;

b) Desenvolvimento sempre que possível de atividades de natureza preventiva;

c) Participação em programas de natureza comunitária procurando atingir o contesto Sócio-Familiar dos pacientes, incluindo aqui a educação em saúde, que abrange a divulgação dos conceitos de promoção, proteção e prevenção da saúde.

4- Classificação dos Hospitais

1 Quanto à natureza assistencial:

- GERAL: destinado a internar clientes de várias especialidades.

- ESPECIALIZADO: destinado a internar clientes predominantemente de uma especialidade.

2 Quanto ao controle administrativo:

- Hospitais Filantrópicos:

* 20% da renda bruta para o atendimento gratuito ás pessoas carentes.

* 60% dos seus leitos destinados as SUS.

* Membros da diretoria sem gratificação.

- Hospitais Públicos:

* mantidos por verbas federais, estaduais e/ou municipais.

* Municipais: verbas do Município.

* Estaduais: verbas do Estado.

* Federais: verbas da Federação.

- Hospitais Beneficentes:

* Finalidade não lucrativa.

* Mantido por contribuições e doações particulares.

* Membros da diretoria sem gratificação.

- Hospitais com Finalidades Lucrativas:

* Empresa Privada

* Mantido por Convênios e Particulares.

* Os serviços prestados são pagos.

3 Quanto a Capacidade ou Lotação:

- Hospital de Pequeno Porte: 24 a 49 leitos.

- Hospital de Médio Porte: 50 a 149 leitos.

- Hospital de Grande Porte: 150 a 500 leitos.

- Hospital de Especial ou Extra: acima de 500 leitos

5- Hospital Humanizado

Humanização

Humanizar a assistência significa agregar, à eficiência técnica e científica, valores éticos, além de respeito e solidariedade ao ser humano.

- A Política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde entende por humanização “a valorização dos diferentes sujeitos implicados no processo de produção de saúde e enfatiza a autonomia e o protagonismo desses sujeitos, a co-responsabilidade entre eles, o estabelecimento de vínculos solidários e a participação coletiva no processo de gestão.“

►Critérios para a “Humanização Hospitalar”:

- Não haver longas esperas para atendimento;

- Comunicação eficiente;

- Informações claras e rápidas;

- Resolutividade;

- Ambiente limpo e acolhedor;

- Atenção integral, não vendo apenas a doença, mas o indivíduo todo;

- Respeito entre profissionais;

- Boas condições de trabalho;

- Equipes integradas;

- Valorização do profissional;

- Educação continuada;

- Garantir a participação do usuário e da família no processo de recuperação;

- trabalhar a auto-estima.

6- Organograma Hospitalar

- Conceito: Representação gráfica de uma organização ou de um serviço, e que indica os arranjos e as inter-relações de suas unidades constitutivas, o limite das atribuições de cada uma delas (Dicionário Aurélio)

BIBLIOGRAFIA:

- ABPp. Associação Brasileira de Psicopedagogia.

- OMS. Organização Mundial de Saúde.

- MS. Ministério da Saúde.

- Dicionário Aurélio.

Comentários