Manual de Normas Técnicas e Rotinas de Enfermagem para Centros de Saúde

Manual de Normas Técnicas e Rotinas de Enfermagem para Centros de Saúde

(Parte 1 de 14)

Manual de Normas

Técnicas e Rotinas de

Centros de Saúde

Enfermagem para Saúde da Família

Prefeitura de Florianópolis

Angela Regina Heinzen Amin Helou Pref eita

Secretaria Municipal de Saúde Manoel Américo Barros Filho Secretár io

Departamento de Saúde Pública

Margarete Fernandes Mendes Diretor a

Equipe da 1ª Edição - 1995

Texto:

Carmen R.Bonfim Santoro

Célia Jungbluth Becker

Claudete Espíndola Tomaz

Edla Zweiner Gonzales

Eloá Favaretto

Ivonete T.Schulter B.Heidemann

Jezabel Andrade Silva

Margarete Fernandes Mendes

Maria Aparecida Pereira Maria Brígida Venâncio

Rejane Kriedte

Rosane Assunção de Albuquerque

Solange Alberti Andrzejewski

Sônia Beatriz Daugs Tânia Regina Turczyn Vanessa Rosar Mattos Dias

Equipe de Revisão e Atualização - 2003

Carmen Lucia Luiz

Carmen R.Bonfim Santoro Margarete Fernandes Mendes

Rita de Cássia Machado de Lima

Sandra Regina da Costa

Solange Alberti Andrzejewski Tânia Regina Turczyn

Ilustração: Rogério Otto Lohmann

Fotos: Danísio Silva

3ª Edição revista e atualizada 2003

O Manual de Normas Técnicas e

Rotinas de Enfermagem foi reeditado para garantir a homogeneidade e a qualidade dos serviços prestados nos

Centros de Saúde da Prefeitura de

Florianópolis,como material de instrução,normatização e instrumento de consulta para os profissionais da Estratégia da Saúde da Família.

Dr.Manoel Américo Barros Filho Secretário de Saúde

1.Normas de biosegurança9
2.Controle de infecção13
3.Limpeza,desinfecção e esterilização17
4.Sinais vitais29
5.Medidas antropométricas37
6.Curativo43
7.Retirada de bicho-do-pé53
8.Bandagens ou ataduras57
9.Administração de medicamentos61
10.Normas e rotinas de imunização83
do útero e exame de mamas109
12.Teste do pezinho115

ÍNDICE 1.Exame preventivo do câncer do colo 13.Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .125

1 Normas de biosegurança

1.Todo profissional de saúde deve, rotineiramente, usar barreiras preventivas para impedir a exposição da pele e mucosas ao sangue e/ou fluidos orgânicos.Usar luvas quando tocar em sangue, fluidos orgânicos, mucosas ou pele com lesões, quando manusear utensílios com sangue, quando praticar procedimentos vasculares.Trocar a luva após contato com cada usuário.Usar máscara, óculos protetor ou escudo plástico facial quando houver possibilidade do procedimento gerar gotículas de sangue ou fluido orgânico que possa atingir mucosas da boca, nariz e olhos.Usar avental, jaleco ou guarda-pó.

2.Lavar as mãos e outras superfícies corpóreas imediatamente, sempre que entrarem em contato com sangue ou outros fluidos orgânicos.As mãos devem ser lavadas após a retirada das luvas com água, sabão e álcool 75º.

3.Tomar precauções no sentido de evitar ferimentos: • com agulhas, bisturis e outros instrumentos já utilizados;

• com descarte de agulhas já utilizadas;

• com manuseio de instrumentos cortantes já utilizados.

4.Recomenda-se não recapar as agulhas de injeção, não dobrá-las, não retirá-las das seringas descartáveis.Seringas, agulhas descartáveis, lâminas de bisturis e outros instrumentos cortantes devem ser colocados em recipientes resistentes à perfuração e descartáveis. Agulhas ou instrumentos não descartáveis devem ser colocados em recipientes resistentes e levados à área de limpeza e esterilização.

5.Recomenda-se o uso de peças bucais intermediárias ou bolsas de ressuscitação para evitar a prática da respiração direta boca a boca em situação de emergência (exemplo:policiais e paramédicos).

6.Funcionários da saúde, que apresentem lesões exudativas ou dermatites úmidas, devem evitar qualquer contato direto com o paciente (usuário) ou equipamentos usados por ele, até que as lesões estejam cur adas .

7.Os cuidados com a própria proteção dos profissionais devem ser respeitados, visando a conscientização de não negligenciar as normas de biosegurança.

Material usado (gaze, algodão, guardanapo, sugadores descartáveis etc.) deve ser descartado em saco de lixo hospitalar ou rotulado “contaminado”.

2 Controle de infecção

(Parte 1 de 14)

Comentários