Manual de Normas Técnicas e Rotinas de Enfermagem para Centros de Saúde

Manual de Normas Técnicas e Rotinas de Enfermagem para Centros de Saúde

(Parte 3 de 14)

• antes e após defecar, urinar e assoar o nariz;

• após contato com artigos contaminados com secreções;

• após coleta de fezes, urina e sangue.

Definição É o conjunto de meios empregados para exterminar todos os microorganismos de uma determinada área.

Meios de esterilização • estufa ou forno de Pasteur - calor seco;

• autoclave - calor úmido;

• processos físico-químicos;

• processos químicos.

Estufa

Definição É um aparelho de forma retangular, com paredes revestidas com amianto para conservar o calor que se transmite por contato direto. Importante:A esterilização, na estufa, ocorre pela alta temperatura e pelo tempo de exposição do material a esta temperatura.Qualquer alteração na temperatura ou no tempo de exposição do material impede a esterilização.A estufa somente esteriliza com temperatura de 180°C, num período mínimo de 60 minutos.

Obser v ações:

• podem ser esterilizados na estufa:vidros, objetos ou instrumentos metálicos, óleos e pós, sendo indicada para a esterilização de gazes e panos; • o material não deve ser retirado de um em um, pois o abre/fecha constante danifica o seu sistema de vedação; • nunca abrir a estufa quando ela se encontrar em processo de estirilização para acrescentar materiais, pois isto provoca alteração da temperatura apropriada e prejudica a esterilização (não esteriliza); • a quantidade de material permitida na estufa equivale a 2/3 da sua capacidade interna; • os materiais não devem encostar nas paredes da mesma, para não queimar . • limpeza da estufa:esponja úmida com água e sabão neutro, uma vez por semana, por dentro e por fora; • o teste químico (Bacillus Subtillis) deverá ser feito, no mínimo, mensalmente .

Autoclave

Definição É um equipamento para esterilização através de vapor saturado sob pressão .

O tempo de exposição para esterilização em temperatura de 127°C nas autoclaves que, atualmente, estão sendo utilizadas nos Centros de Saúde, é programado pelo fabricante.

Instruções operacionais Para partida do equipamento, verificar: • se o disjuntor está ligado;

• se o registro da rede de água está aberto;

• se o registro de descarga está fechado.

1 - abrir a porta do equipamento; 2 - acomodar o material a ser esterilizado adequadamente; 3 - fechar a porta do equipamento; 4 - selecionar o ciclo desejado de acordo com o material a ser esterilizado (tecla L “seletor de ciclo”); 5 - ligar a chave geral (tecla M “chave geral”); 6 - o ciclo transcorrerá automaticamente, na seqüência; 7 - ao acender a lâmpada “final de ciclo”(F), abrir parcialmente a porta por dez (10) minutos, aproximadamente, para resfriamento do material.

Para melhor esclarecimento consultar o manual de instruções que acompanha cada autoclave.

O objetivo do processamento e/ou de artigos médico-hospitalares constitui ponto crítico dentro de uma instituição, uma vez que deve oferecer ao paciente e ao profissional de saúde materiais e equipamentos seguros, efetivos (e com sua integridade mantida), que não apresentem riscos de causar infecção e danos em sua estrutura que possam interferir em sua funcionalidade. É fundamental que este entendimento faça parte da rotina de todos os profissionais de saúde e que não é uma técnica isolada;é composta desde a lavagem das mãos até o processo de esterilização. O vertiginoso desenvolvimento da tecnologia médica vem impondo constantes desafios e necessitamos de adaptação e readaptação em relação aos materiais utilizados, algumas vezes muito onerosos. Precisamos ter sempre em mente a segurança na prevenção e controle de doenças infectocontagiosas, com isso mantendo um elevado grau de qualidade no serviço oferecido.Buscando esta qualidade, faz-se necessár io: • equipamentos de proteção individual;

• equipamentos adequados (autoclaves, estufas etc);

• padronização dos procedimentos e do material utilizado;

• preparo adequado do material;

• pessoal capacitado e treinado;

• utilização racional de pessoal, material e soluções;

• controle de estoque e qualidade do material;

• maior segurança para o usuário.

As medidas relativas à esterilização e desinfecção devem ser compreendidas e implementadas de acordo com os graus de risco de aquisição de infecção implicados no uso destes artigos pelos pacientes. Pois isto implica a decisão correta e econômica do processo a ser utilizado, tornando os materiais seguros para uso.

Ar tigos não-críticos São todos aqueles que entram em contato com pele íntegra como, por exemplo:estetoscópio, termômetro axilar, comadre, talheres, mesa de raio x, maca e devem sofrer processo de limpeza.

Ar tigos semi-críticos São todos aqueles que entram em contato com a pele não íntegra ou com mucosa com flora própria como, por exemplo:endoscópio, espéculos vaginal e devem sofrer processo de desinfecção.

Artigos críticos São todos aqueles que entram em contato com áreas estéreis do corpo humano como, por exemplo:agulhas, escalpes, catéteres, implantes, sonda vesical, instrumental cirúrgico e devem sofrer processo de ester ilização .

Limpeza Com o objetivo de impedir que a matéria orgânica seque sobre o instrumental, é recomendada uma pré-lavagem com água associada a detergente ou formulação enzimática. A limpeza consiste na remoção de toda matéria orgânica dos artigos e, para isto, utiliza-se água, detergente ou produtos enzimáticos.É o principal fator que reduz a carga bacteriana dos artigos.Quanto mais limpo estiver um artigo, menor será a chance de haver falha na esterilização.A falha na limpeza implica em falha na esterilização. Gorduras e sujeiras atuam como fatores de proteção para o microorganismo, impedindo o contato do agente esterilizante:no caso de esterilização por calor, impede a penetração do agente, seja por condução, seja por convecção e, no caso de processos químicos, impede a penetração do agente através da barreira física, reagindo quimicamente com a solução e diminuindo sua atividade germicida. A limpeza deve ser realizada com auxílio de escova e detergente, com água quente.Tomar muito cuidado com materiais perfurocortantes, local apropriado, pessoal com equipamento de proteção individual - EPI.

Enxágüe e secagem O enxágüe deve ser feito com água abundante garantindo a retirada do produto utilizado.Em seguida, os materiais devem ser atenciosamente secos .

Inspeção do material Após a limpeza do material, deve ser realizada uma observação rigorosa de todos os equipamentos e artigos.Deve-se verificar o estado de limpeza dos materiais e a presença de oxidação (ferrugem), pois esta agrega sujidades, dificultando a limpeza e sua funcionalidade.

É o procedimento de destruição de microorganismos, patogênicos ou não.Pode ser obtida por processos físicos ou químicos, que deverão ser escolhidos em função das características dos artigos e dos recursos existentes .

Processo físico Seu uso vem sendo ampliado devido aos menores riscos ocupacionais com melhor custo/benefício, com menor desgaste do material e com maior eficácia.Apesar de sua crescente utilização, ainda não existe uma normatização oficial e legislação adequada, precisando de novos critérios para validar e monitorar o processo de desinfecção e esterilização.

Processo químico É mais utilizado nos hospitais.É classificado em alto nível, nível intermediário e baixo nível.O produto químico utilizado deve apresentar certificado de aprovação de órgãos oficiais competentes, respeitando-se rigorosamente seu modo de utilização, para garantir a qualidade do processo, sendo fundamental o uso de EPI na prevenção de riscos ocupacionais .

É o processo que destrói todas as formas microbianas (bactérias, fungos, vírus e esporos).

Esterilização por meio físico Compreende a utilização de calor em várias formas e alguns tipos de radiação.É um dos métodos mais utilizados e conhecidos, mais seguro, econômico e deve ser sempre escolhido, quando isto for exigível.O calor é uma forma de energia capaz de transferir-se de um corpo ao outro, quando existe diferença de temperatura entre eles, através de três mecanismos: • condução – o calor passa de um objeto mais quente para um objeto mais frio, transferência típica entre corpos sólidos; • convecção - a transferência de calor ocorre quando correntes de ar ou de água se movimentam, substituindo as moléculas mais quentes por outras mais frias, típica em casos de fluidos; • radiação – a transferência do calor dá-se através de ondas eletromagnéticas, é uma transmissão de energia radiante.

Esterilização por vapor saturado sob pressão (em autoclave) É o processo de esterilização realizado por autoclaves, sendo o procedimento que oferece maior segurança, por destruir todas as formas de vida em temperaturas entre 121°C e 132°C. O vapor saturado, como processo de esterilização, possui características vantajosas e outras limitadas.

Vanta gens • rápido aquecimento;

• rápida penetração em artigos têxteis;

• destruição dos corpos microbianos em curto período de exposição;

• fácil controle de qualidade e letalidade;

• não deixa resíduos tóxicos nos materiais ; • é econômico.

Limitações • incompleta remoção do ar na câmara interna, não permitindo a difusão do vapor; • uso incorreto pode levar ao superaquecimento do vapor, com diminuição do poder microbicida; • não esteriliza óleos e pós;

Devemos levar em consideração alguns parâmetros, durante o processo de esterilização pelo vapor: • tempo

• calor e umidade

• temperatura e pressão

(Parte 3 de 14)

Comentários