roteiro RESUMO PRE-NATAL

roteiro RESUMO PRE-NATAL

CONSULTA DO PRÉ-NATAL

  • Observações Iniciais

gesta,para,aborto(GPA)

­­A gestante deve ser captada precocemente até os 3 meses .

 Deve ser realizada ao menos 6(seis) consultas sendo preferencialmente 1 no primeiro trimestre 2 no segundo e 3 no terceiro.

O programa tem como objetivo diminuir a mortalidade materna infantil e garantir o acompanhamento dos indicadores para se observar a melhora os serviços prestados pelo SUS.

Deve ser aplicada uma linguagem clara e compreensível pelo profissional.

A equipe de saúde deve realizar o acolhimento adotando uma política de humanização que implica desde da recepção da mulher prolongando-se as demais consultas do pré-natal e puerpério.

Caso seja observado uma possível gravidez deve ser investigado o atraso menstrual de até 16 semanas é recomendado o teste laboratorial (TIG) , caso o atraso tenha mais de 16 semanas ou já saiba, que estejam grávidas o teste é dispensável e unidade deve captar precocemente a gestante e se o teste laboratorial tiver resultado negativo a mulher deve ser encaminhada ao programa de planejamento familiar.

Após a confirmação da gravidez.

O cartão da gestante deve ser preenchido com o numero do SISPRENATAL

O calendário de vacinas e suas orientações devem ser fornecidos

1° CONSULTA PRÉ-NATAL

  • Identificação:

– nome;

– número do SISPRENATAL;

– idade;

– cor;

– naturalidade;

– procedência;

– endereço atual;

– unidade de referência.

  • Dados socioeconômicos;

  • Grau de instrução;

  • Profissão/ocupação;

  • Estado civil/união;

  • Número e idade de dependentes (avaliar sobrecarga de trabalho

doméstico);

Renda familiar;

  • Pessoas da família com renda;

  • Condições de moradia (tipo, nº de cômodos);

  • Condições de saneamento (água, esgoto, coleta de lixo);

  • Distância da residência até a unidade de saúde;

  • Antecedentes familiares:

– hipertensão arterial;

– diabetes mellitus;

– doenças congênitas;

– gemelaridade;

– câncer de mama e/ou do colo uterino;

– hanseníase;

– tuberculose e outros contatos domiciliares (anotar a doença e o grau de

parentesco);

– doença de Chagas;

– parceiro sexual portador de infecção pelo HIV.

  • Antecedentes pessoais:

– hipertensão arterial crônica;

– cardiopatias, inclusive doença de Chagas;

– diabetes mellitus;

– doenças renais crônicas;

– anemias;

– distúrbios nutricionais (desnutrição, sobrepeso, obesidade);

– epilepsia;

– doenças da tireóide e outras endocrinopatias;

– malária;

– viroses (rubéola, hepatite);

– alergias;

– hanseníase, tuberculose ou outras doenças infecciosas;

– portadora de infecção pelo HIV (em uso de retrovirais? quais?);

– infecção do trato urinário;

– doenças neurológicas e psiquiátricas;

– cirurgia (tipo e data);

– transfusões de sangue.

  • Antecedentes ginecológicos:

– ciclos menstruais (duração, intervalo e regularidade);

– uso de métodos anticoncepcionais prévios (quais, por quanto tempo e

motivo do abandono);

– infertilidade e esterilidade (tratamento);

– doenças sexualmente transmissíveis (tratamentos realizados, inclusive

pelo parceiro);

– doença inflamatória pélvica;

– cirurgias ginecológicas (idade e motivo);

– mamas (alteração e tratamento);

– última colpocitologia oncótica (papanicolau ou “preventivo”, data e

resultado).

  • Sexualidade:

– início da atividade sexual (idade da primeira relação);

– dispareunia (dor ou desconforto durante o ato sexual);

– prática sexual nesta gestação ou em gestações anteriores;

– número de parceiros da gestante e de seu parceiro, em época recente

ou pregressa;

– uso de preservativo masculino ou feminino (uso correto? uso habitual?).

  • Antecedentes obstétricos:

– número de gestações (incluindo abortamentos, gravidez ectópica, mola

hidatiforme);

– número de partos (domiciliares, hospitalares, vaginais espontâneos,

fórceps, cesáreas – indicações);

– número de abortamentos (espontâneos, provocados, causados por DST,

complicados por infecções, curetagem pós-abortamento);

– número de filhos vivos;

– idade na primeira gestação;

– intervalo entre as gestações (em meses);

– isoimunização Rh;

– número de recém-nascidos: pré-termo (antes da 37ª semana de

gestação), pós-termo (igual ou mais de 42 semanas de gestação);

– número de recém-nascidos de baixo peso (menos de 2.500g) e com

mais de 4.000g;

– mortes neonatais precoces: até sete dias de vida (número e motivo dos

óbitos);

– mortes neonatais tardias: entre sete e 28 dias de vida (número e motivo

dos óbitos);

– natimortos (morte fetal intra-útero e idade gestacional em que ocorreu);

– recém-nascidos com icterícia, transfusão, hipoglicemia, ex. sangüineo transfusões;

– intercorrências ou complicações em gestações anteriores (especificar);

– complicações nos puerpérios (descrever);

– história de aleitamentos anteriores (duração e motivo do desmame).

  • Gestação atual:

– data do primeiro dia/mês/ano da última menstruação – DUM (anotar

certeza ou dúvida);

– peso prévio e altura;

– sinais e sintomas na gestação em curso;

– hábitos alimentares;

– medicamentos usados na gestação;

– internação durante esta gestação;

– hábitos: fumo (número de cigarros/dia), álcool e drogas ilícitas;

– ocupação habitual (esforço físico intenso, exposição a agentes químicos

e físicos potencialmente nocivos, estresse);

– aceitação ou não da gravidez pela mulher, pelo parceiro e pela família,

principalmente se for adolescente.

Exame físico

  • Geral:

– determinação do peso e da altura;

– medida da pressão arterial (técnica no item 8.3);

– inspeção da pele e das mucosas;

– palpação da tireóide e de todo o pescoço, região cervical e axilar

(pesquisa de nódulos ou outras anormalidades);

– ausculta cardiopulmonar;

– determinação da freqüência cardíaca;

– exame do abdômen;

– exame dos membros inferiores;

– pesquisa de edema (face, tronco, membros)

  • Obstétrico

-A barriga da mãe é dividida em 4 quadrantes(QSD,QSE,QID,QIE)

-exame de mamas ( desenvolvimento do bico,coloração,tamanho,dor)

– ausculta dos batimentos cardíacos fetais;

– palpação obstétrica e identificação da situação e apresentação fetal;

A palpação é dividida em 4 tempos:

1º tempo:detectar o fundo uterino (pólo pélvico,pólo cefálico)

A partir da sínfise púbica até o fundo uterino é medida a altura uterina.

2º tempo:detectar posição fetal ( dorso a direita o dorso a esquerda)

1º TEMPO 2º TEMPO

3º tempo:avaliar a mobilidade fetal( fixa ,móvel ou ajustada)

Avaliar apresentação fetal (pélvica ,córmica e cefálica

4º tempo:ocorre a verificação da estática fetal que visa a relação feto e útero.

Longituginal( I I) ,Transversal(I -) ,Obquia(I / )

3º TEMPO 4º TEMPO LONGITUDINAL TRANSVERSA

  • SOLICITAÇÃO DE EXAMES NA 1º CONSULTA

VDRL ( SIFILIS )

TIPAGEM SANGUINEA (GRUPO ABO ,FATOR RH)

URINA ROTINA

HEMOGRAMA COMPLETO

ANTI HIV

TOXOPLASMOSE, RUBEOLA,CITOMEGALOVIRUS,HEPATITE,HERPES( TORCH)

  • INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM

– cálculo da idade gestacional e data provável do parto(IG,DPP)

Soma o dia com 7

De janeiro a março +9, abril a dezembro -3 (mês)

Orientar a respeito de alimentação,higiene,atividade física ,modificações corporais,importância do pré-natal , planejamento familiar,importância da amamentação

vacinação encaminhamento para imunização DT ( DIFTERIA E TÉNATO ) se a gestante não tomou nenhuma das 3 doses iniciar o esquema para que seja administrada as 3 doses com o intervalo mínimo de 30 dias e Maximo de 60 entre elas, caso a mãe tenha iniciado a vacinação completar o ciclo e caso a mãe já tenha tomado as 3 ou mais sendo a mais de 5 anos deve-se administrar o reforço.

Encaminhamentos referência para serviços especializados na mesma unidade ou unidade de maior complexidade, quando indicado (mesmo com referência para serviço

especializado, a mulher deverá continuar sendo acompanhada,

conjuntamente, na unidade básica);

- Ao observar qualquer alteração ou suspeitas deve ser marcada uma consulta ao médico para acompanhamento.

-avaliar queixas da paciente.

ROTEIRO DAS CONSULTAS SUBSEQÜENTES

  • Revisão da ficha pré-natal;

  • Anamnese atual;

  • Verificação do calendário de vacinação

I. Controles maternos:

– cálculo e anotação da idade gestacional;

– determinação do peso para avaliação do índice de massa corporal (IMC).

Anotar no gráfico e observar o sentido da curva para avaliação do estado

nutricional;

– medida da pressão arterial (observar a aferição da PA com técnica

adequada);

– palpação obstétrica e medida da altura uterina. Anotar no gráfico e

observar o sentido da curva para avaliação do crescimento fetal;

– pesquisa de edema;

– verificação dos resultados

II. Controles fetais:

– ausculta dos batimentos cardíacos;

– avaliação dos movimentos percebidos pela mulher e/ou detectados no exame

obstétrico.

III. Condutas:

– interpretação dos dados de anamnese, do exame obstétrico e dos exames

laboratoriais com solicitação de outros, se necessários;

– tratamento de alterações encontradas, ou encaminhamento, se necessário;

– orientação alimentar;

– acompanhamento das condutas adotada sem serviços clínicos especializados

– agendamento de consultas subseqüentes.

.

Comentários