Insuficiência Respiratória Aguda

Insuficiência Respiratória Aguda

(Parte 1 de 3)

Insuficiência respiratória aguda.

Prof. Ma. Caroline Neris

• é uma condição patológica primária ou secundária a outras condições não pulmonares.

• Causa frequente de internação hospitalar.

•Responsávelpeloaumentodo tempo de internação e mortalidade na UTI.

Insuficiência respiratória aguda (IRpA)

Conceito

•Incapacidade dos pulmões de exercerem suas funções básicas de ventilação e oxigenação, resultando em prejuízo das trocas gasosas, que leva a hipoxemia e/ou hipercapnia.

Desconforto respiratório

• Taquipnéia. •Uso de musculatura acessória.

• Respiração paradoxal.

•Dificuldade de falar.

A troca gasosa adequada é determinada pela relação ventilaçãoperfusão (V/Q).

IRpA Hipoxêmica: Caracterizada pela diminuiçãoda PaO2.

IRpA Hipercápnica/Hipoventilação: Caracterizadapeloacúmulo de CO2.

Confusãomental (hipoxemia), sonolência (hipercapnia);

Uso da musculatura respiratória acessória;

Alteraçãono padrãorespiratório: amplitude, ritmo, frequência( taquipnéia, dispnéia, bradpnéia, apnéia);

Alteração no murmúrio vesicular: estertores crepitantes e sibilos;

Cianose das membranas mucosas ou leitos ungueais;

Alteraçõeshemodinâmicas: taquicardia, bradicardia, arritmias, hipertensão, hipotensãoe atéPCR.

Diagnóstico

Sinais e Sintomas clínicos;

Gasometria Arterial;

Examesde imagem: Radiografiae tomografiade tórax.

Etiologia

Alteraçãono drive respiratório: Hipoventilação ou Hiperventilação;

Disfunçãode viasaéreas: quadros obstrutivosmecânicos, anafilaxia, exacerbaçãode asmae DPOC;

Disfunçãodo parênquimapulmonar: Pneumonia, atelectasia ou SDRA

Disfunção neuromuscular;

Etiologia

Disfunsãode caixatorácica: trauma de tórax;

Disfunçãovascular e de ventrículo direito: presençade tromboembolismo pulmonar;

Disfunção cardíaca esquerda: aumento dapressãocapilarpulmonare posterior encharcamento dos espaços intersticiais.

Manuseio da vias aéreas não invasiva

•Desobstrução das vias aéreas: manobras de abertura, uso de dispositivos e aspirações;

•Oxigênio Suplementar;

•Elevação de decúbito;

Oxigênio suplementar

DISPOSITIVOFLUXO DE O2CONCENTRAÇÃO DE O2 CateterNasalBaixo-1 a 6,0 l/min24 a 4% Máscarade VenturiMédio -4 a 12 l / min24 a 50%

Máscarafacial c/ reservatório Alto –6 a 15l / min60 a 100%

Máscara facialAlto -8 a 10 l / min40 a 60%

Via aéreaartificial

1.Paciente em Insuficiência Respiratória

Aguda e incapaz de oxigenar adequadamente com meios nãoinvasivos;

2.Incapacidade de proteger vias aéreas, em coma (escala de coma de glasgow < 8), arreflexiaou PCR;

3.PCR quando ventilação com bolsavalva-máscaraéimpossível ou inefetiva;

Intubação orotraqueal

Canulaçãodas vias respiratórias por meio de um tubo balonadovia oral, assegurando as trocas gasosas entre o ar atmosférico e o sangue;

Éum procedimento avançado de manutenção das vias aéreas no qual um tubo éinserido, diretamente na traquéia;

(Parte 1 de 3)

Comentários