Apostila Dendrologia

Apostila Dendrologia

(Parte 1 de 13)

Departamento de Engenharia Florestal - DEF
1

Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB Prof. Dr. Alexander C. Vibrans

Prof. Dr. Alexander Christian Vibrans

Departamento de Engenharia Florestal - DEF
2

Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB Prof. Dr. Alexander C. Vibrans

Programa

1. DENDROLOGIA GERAL 1.1. Introdução 1.2. Taxonomia vegetal 1.3. Morfologia e descrição dendrológica 1.3.1 Tronco e casca 1.3.2 Ramificação e copa 1.3.3 Folha 1.3.4 Flor 1.3.5 Fruto e semente 1.4 Chaves dendrológicas 1.5 Coleta e preparo de material para coleções (herbário, carpoteca, xilotecas) 1.6 Biologia reprodutiva de espécies arbóreas 1.7 Grupos ecológicos de árvores 1.8 Fenologia

2. DENDROLOGIA ESPECÍFICA 2.1. Espécies importantes e suas características morfológicas, ecológicas e econômicas. 2.1.1. Gimnospermas: Araucariaceae, Podocarpaceae 2.1.2. Angiospermas: Annonaceae, Apocynaceae, Aquifoliaceae,

Araliaceae, Bignoniaceae, Boraginaceae, Compositae, Euphorbiaceae, Lauraceae, Leguminosae, Lecythidaceae, Magnoliaceae, Melastomataceae, Meliaceae, Myrtaceae, Moracaeae, Myristicaceae, Myrsinaceae, Palmae, Rhamnaceae,Sapindaceae, Sapotaceae, Verbenaceae 2.2 Espécies exóticas cultivadas no Brasil

Bibliografia recomendada BACKES, P., IRGANG, B. Árvores do Sul: guia de identificação & interesse ecológico, as principais espécies nativas sul-brasileiras. Instituto Souza Cruz, 326 p.

CARAUTA, J.P.P., DIAZ, B.E. 2002. Figueiras no Brasil. Rio de Janeiro. CARUSO,M.M.L.1983. O desmatamento da Ilha de Santa Catarina de 1500 aos dias atuais.

(Editora da UFSC). Florianópolis.

CARVALHO, P.E.R. 2003. Espécies arbóreas brasileiras. EMBRAPA.Curitiba. CORREA,M. Pio, 1984. Dicionário das plantas úteis do Brasil e das exóticas cultivadas. IBDF.

EMBRAPA.1986. Zoneamento ecológico para plantios florestais no Estado do Paraná.

Brasília.

EMBRAPA.1988. Zoneamento ecológico para plantios florestais no Estado de Santa Catarina.

Curitiba. HUECK,K. 1987. Os bosques da América do Sul. São Paulo.

Departamento de Engenharia Florestal - DEF
3

Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB Prof. Dr. Alexander C. Vibrans

IBAMA.1991. Padronização da nomenclatura comercial brasileira das madeiras tropicais amazônicas. Brasília.

IBGE. 1990-93 . Geografia do Brasil. Volume 1-4. Rio de Janeiro. _. 1990. Classificação da vegetação brasileira, adaptada a um sistema universal. RJ.

_. 1992. Manual técnico da vegetação brasileira. Rio de Janeiro. INOUE,M.T., RODERJAN,C.V., KUNIYOSHI,Y.S. 1984. Projeto Madeira do Paraná. FUPEF.

Curitiba.

1979/80. Ecologia da flora e vegetação do vale do Itajaí. Sellowia.31/32.

JANKOWSKI, I.P. et alii. 1990. Madeiras brasileiras. Caxias do Sul. KLEIN,R.M. 1960. O aspecto dinâmico do pinheiro brasileiro. Sellowia 12:17-4. _ 1982. Contribuição à identificação de árvores nativas nas florestas do sul do Brasil.

Congresso Nacional sobre Essências Nativas. Campos do Jordão. Anais. Vol. I, p.421- 440.

LAMPRECHT, H. 1989. Silviculture in the tropics. GTZ. Eschborn. LORENZI,H. 1992 . Árvores Brasileiras. Editora Plantarum. Nova Odessa. _. 1998. Árvores Brasileiras. Vol.I. Editora Plantarum. Nova Odessa.

_. 2003. Árvores exóticas do Brasil.: madeireiras, ornamentais e aromáticas. Nova

Odessa.

MAINIERI,C.,CHIMELO,J.P. 1989. Fichas de características das madeiras brasileiras. IPT. S.P.

MARCHIORI, J.N.C.1995. Elementos de Dendrologia. UFSM. Sta Maria. _. 1996. Dendrologia das Gimnospermas. UFSM. Santa Maria.

_. 1997. Dendrologia das Angiospermas–Leguminosas.UFSM.S.Maria.

_. 1997. Dendrologia das Angiospermas – Das Magnoliáceas às Flacourtiáceas. UFSM.

_, SOBRAL,M. 1997. Dendrologia das Angiospermas – Myrtales. UFSM. Santa Maria. MATTOS.J.R. 1989. Myrtaceae do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. _. 1994. O pinheiro brasileiro. Lages. ODUM, E.1988. Ecologia. Rio de Janeiro. REITZ,P.R. 1959. Os nomes populares das plantas de Santa Catarina. Sellowia 1:9-148. _ (ed.) 1965. Flora Ilustrada Catarinense. Itajaí. Herbário Barbosa Rodrigues. REITZ, P.R., KLEIN, R.M., REIS,A. 1978. Projeto Madeira de Santa Catarina. Itajaí. _. sem ano. Projeto Madeira do Rio Grande do Sul. RIBEIRO, J. E. L.da S. et. al. Flora da Reserva Ducke :guia de identificação das plantas vasculares de uma floresta de terra-firme na Amazônia Central / - Manaus : INPA : 1999. - xvi, 798p. :il.

RIZZINI, C.T. 1978. Árvores e madeiras úteis do Brasil. São Paulo. SANCHOTENE, M.C.C. 1989. Frutíferas nativas úteis à fauna na arborização urbana. Editora

Sagra. Porto Alegre.

SOUZA, H.M. et al. 1996. Palmeiras no Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa. VELOSO,H.P., KLEIN, R.M. 1957. As comunidades e associações vegetais da mata pluvial do sul do Brasil. I - As comunidades do Município de Brusque, Estado de S.C. Sellowia 8: 81-235; 10: 9-124. WALTER,H. 1984. Vegetação e zonas climáticas. Stuttgart/ São Paulo.

Departamento de Engenharia Florestal - DEF
4

Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB Prof. Dr. Alexander C. Vibrans

DENDROLOGIA (Estudo das árvores)

Morfologia, nomenclatura, distribuição geográfica, utilidades (Teofrasto, Grécia, século IV a.C.). Nomenclatura, sinônimos, utilização e provérbios, curiosidades Ulisse Aldrovandi (Bologna, 1668). Taxonomia, nomenclatura, morfologia, anatomia, fenologia, distrib. geográfica, importância econômica, sub-espécies, variedades, formas e grupos como gênero e família (Dayton, 1945).

Descrição de características morfológicas, ecológicas e econômicas das árvores

MORFOLOGIA - baseada em taxonomia, morfologia floral, anatomia, fitoquímica; - usando tb. caracteres secundários para o fácil reconhecimento (porte, forma da copa e do tronco; cor, estrutura e aspecto da casca e das folhas; presença de acúleos, espinhos, latex, exsudações, odores).

distribuição geográfica natural, exigências de
ECONOMIA- Importância econômica das árvores

ECOLOGIA - Autecologia sítio (condições macro e microclimáticas e edafológicas), biologia reprodutiva estratégias de reprodução. - Sinecologia posição e função das árvores nas comunidades de plantas, as interações com outras plantas e a fauna. - Aspectos históricos histórico da ocorrência das espécies e de sua distribuição geográfica. anatomia da madeira, tecnologia da madeira e outros produtos, cultivo das espécies arbóreas e manejo de florestas (Silvicultura).

Departamento de Engenharia Florestal - DEF
5

Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB Prof. Dr. Alexander C. Vibrans

Taxonomia

Família, gênero, espécie; Nomes populares.

Características morfológicas

Aspecto geral (hábito); Tronco, raízes, ramificação; Folhas; Flores (Inflorescências); Frutos; Sementes.

Biologia reprodutiva

Fenologia; Vetores de polinização; Vetores de dispersão; Estratégia de reprodução.

Habitat / Autecologia

Clima, solo, exposição (encosta, várzea...); Estádio sucessional, grupo ecológico.

Distribuição geográfica

Centro, limites; Ocorrência atual e histórica.

(Parte 1 de 13)

Comentários