Condições musculo esqueletico

Condições musculo esqueletico

CONDIÇÕES MUSCULO ESQUELETICO

O sistema muscular esquelético constitui a maior parte da musculatura do corpo, formando o que se chama popularmente de carne. Essa musculatura recobre totalmente o esqueleto e está presa aos ossos, sendo responsável pela movimentação corporal.

Os tendões e os ligamentos são estruturas adaptadas para exercer a função de transmitir as cargas do músculo para o osso (tendão) ou de osso para osso (ligamento). A função principal de ambos é modular a transmissão das forças, de maneira que não haja concentração brusca de cargas entre os vários componentes do sistema músculo-esquelético. Essa função é extremamente importante porque, nos locais em que as cargas se concentram ocorrem lesões que podem ser agudas ou cumulativas.

lesões músculo-esqueléticas

As lesões músculo-esqueléticas de origem profissional são lesões de estruturas orgânicas como os músculos, as articulações, os tendões, os ligamentos, os nervos, os ossos e doenças localizadas do aparelho circulatório,causadas ou agravadas principalmente pela actividade profissional e pelos efeitos das condições imediatas em que essa actividade tem lugar.

A maioria das lesões músculo-esqueléticas de origem profissional são lesões cumulativas resultantes da exposição repetida a esforços mais ou menos intensos ao longo de um período de tempo prolongado.

No entanto, podem também ter a forma de traumatismos agudos, tais como fracturas causadas por acidentes.

Gross, Fetto & Rosen; 2000

ENTORSES, CONTUSÕES E DISTENSÕES

ENTORSE é a lesão de um músculo quando é distendido ou tracionado além de sua capacidade.

Ocorre em conseqüência de estresse excessivo, de uso excessivo ou hiperdistensão.

Pequenos vasos sanguíneos do músculo se rompem e as fibras musculares sofrem minúsculas lacerações.

  • O paciente apresenta inflamação, sensibilidade local e espasmos musculares.

CONTUSÃO é a lesão dos tecidos moles resultante de um golpe ou de um trauma fechado.

A lesão é confinada aos tecidos moles e não afeta a estrutura músculo-esquelético.

Muitos vasos sanguíneos pequenos rompem, produzindo equimoses ou um hematoma. A aplicação de compressas frias ajuda a aliviar a dor local, o edema e as equimoses.

A resolução de uma contusão, geralmente ocorre em duas semanas.

DISTENÇÕES são lesões dos ligamentos que circundam uma articulação.

resultam de um movimento anormal súbito ou do estiramento de uma articulação,comum nas quedas ou em outras lesões acidentais.

A força gira a articulação em uma direção para a qual ela não foi projetada, ou a desloca além de sua amplitude normal de movimentos,acerando ou rompendo parcialmente a fixação dos ligamentos. Contudo, nas distensões traumáticas graves, um fragmento do osso ao qual o ligamento está fixado pode descolar = fratura por avulsão. Pode se formar um hematoma posteriormente, contribuindo para o aumento da dor.

SINAIS E SINTOMAS : A área lesada torna-se imediatamente dolorosa, e em geral com a formação de edema.Tipicamente o paciente evita sustentar o peso total do corpo ou utilizar a articulação ou membro lesado – posição antálgica.Podem surgir (mais tarde) equimoses.

DIAGNOSTICO: As radiografias podem revelar alterações do sistema músculo-esquelético, podendo também descartar ou confirmar fraturas.

EXERCÍCIO FISICO

O exercício físico e o alongamento podem resultar em vários graus de desconforto, sofrimento, rigidez ou dor de dois tipos gerais:o que ocorre durante ou imediatamente após o exercício ou alongamento muscular e o que persiste por várias horas e que, geralmente não apresenta dor até 24 ou 48 horas.

O sofrimento muscular é explicado por pelo menos cinco mecanismos: o músculo danificado ou rompido; o tecido conjuntivo danificado; acúmulo metabólico ou aumento da pressão osmótica e tumefação; ácido láctico e espasmo localizado de unidades motoras.

DISTÚRBIOS E DOENÇAS MUSCULO-ESQUELÉTICOS

Distúrbios que afetam o sistema músculo-esquelético afetam a capacidade do indivíduo de realizar as atividades cotidianas e de permanecer ativo, móvel e condicionado fisicamente.

Eles acarretam um grave problema de saúde pública e um dos mais graves no campo da saúde do trabalhador.Esse distúrbio gera aumento de absenteísmo e de afastamentos temporários ou permanentes do trabalhador e também produz custos expressivos em tratamento e indenizações.

O ambiente de trabalho, sob condições físicas, mecânicas e psíquicas adversas, é considerado como um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de alterações no sistema musculoesquelético.

A exposição contínua e prolongada do corpo aos fatores de risco de tal ambiente favorece o surgimento das doenças ocupacionais.

A organização do trabalho (aumento da jornada de trabalho, horas extras excessivas, ritmo acelerado, déficit de trabalhadores); os fatores ambientais (mobiliários inadequados, iluminação insuficiente) e as possíveis sobrecargas de segmentos corporais em determinados movimentos favorece o seu surgimento.

Os distúrbios músculo-esqueléticos em profissionais de saúde

Os distúrbios músculo-esqueléticos em profissionais de saúde

ocasionam prejuízos no gerenciamento dos sistemas de saúde,

principalmente no Sistema Único de Saúde(SUS).

Os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho figuram entre as

doenças mais prevalentes.

 

Os trabalhadores da área de saúde é um grupo de risco para o

desenvolvimento de distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho.

 

Profissionais que estudam as causas de patologias ocupacionais

estão sendo acometida pelas mesmas.

É comum observar o abandono da atividade profissional do

FISIOTERAPEUTA, por volta de 10 a 20 anos de efetivo exercício, com

queixa de esgotamento e dores músculo-esqueléticas, no momento em

que começam a se projetar na carreira, procurando uma atividade

substituta ou paralela como o magistério, supervisão de estágio,

realização de palestras e consultorias.

Queixas principais:

Queixas principais:

  • Lombalgia(dor nas costas)

  • Lombociatalgia (dor nas costas com irradiação

para os membros inferiores)

  • Tendinites(inflamações nos tendões)

  • Cervicalgias (dor no pescoço), dentre os

principais, além do esgotamento mental, de

frustrações na carreira profissional e a da

dificuldade em formular projetos de qualificação

profissional permanente

PRINCIPAIS DISTÚRBIOS E DOENÇAS MUSCULO-ESQUELÉTICaS

  • Osteoartrose

  • Tendinite

  • Lesão ligamentar

  • Lesão muscular

  • Seqüelas de traumas

  • Lombalgia

  • Cervicobraquialgia

  • Outras

Posturas inadequadas,mantidas por muitas horas sem interrupção,como pode ocorrer com profissionais que trabalham em postos ergonomicamente inadequados, como digitadores,trabalhadores de linhas de montagens, caixas de bancos, etc, produzem contratura muscular, dor

e impotência funcional dos membros superiores.

Esse mesmo quadro, no entanto, pode ser causado por situações que nada têm com o trabalho organizado.

Mesmo pessoas que não trabalham em condições desfavoráveis podem apresentar síndromes

tensionais do pescoço,por exemplo,bastando para tanto que estejam enfrentando crises verdadeiras ou imaginadas que acarretam sobrecargas emocionais importantes.

SÍNDROME DO MANGUITO ROTADOR

Como o ombro tem estreita relação anatômica e funcional com a região cervical, os estados de tensão do pescoço podem levar ao aparecimento de dor referida ao ombro e mesmo de desequilíbrios funcionais que favoreçam o aparecimento de síndromes do pinçamento subacromial.

Para tratamento podem ser utilizados numerosos recursos como a fisioterapia tradicional,a reeducação postural global,as técnicas de relaxamento com biofeedback, a acupuntura, etc.

DIAGNÓSTICO CLÍNICO DA SÍNDROME DO MANGUITO ROTADOR:

1. Dor

2. Dificuldade para tarefas acima do

ombro

3. Dificuldades para atividades de vida

diária (vestir, lavar, passar, dormir do

lado afetado)

4. Piora com esforços

5. Piora à noite, com o decúbito

6. Melhora quando o paciente se

levanta da cama

7. No início, desaparece com analgésicos

antiinflamatórios

8. Manobra do Pinçamento positiva

9. Teste do Supra-espinhal positivo quando houver lesão

completa do tendão do supra-espinhal

TRATAMENTO FISIOTERAPEUTICO:

  • Mobilização do ombro

  • Exercícios isométricos ou isotônicos

    • Manguito rotador
    • Estabilizadores escapulares

 

  • Alongamentos

    • Trapézio
    • Peitorais
    • Rombóides
    • Outros

  • Propriocepção

    • Importante: ritmo escápulo-umeral

TENDINITE DA CABEÇA LONGA DO BÍCEPS

O tendão da cabeça longa do bíceps pode

sofrer as consequências dos movimentos

repetitivos e das instabilidades glenoumerais e

apresentar tendinites ou mesmo roturas.

A rotura completa isolada do tendão do bíceps

é rara.

TRATAMENTO:

  • Aliviar dor

  • Massagem,meio físico

  • Crioterapia

  • Calor superficial

 

  • Desenvolver, melhorar ou manter:

    • Força
    • Resistência à fadiga
    • Mobilidade e flexibilidade
    • Estabilidade
    • Coordenação
    • Equilíbrio

 

  • Melhorar desempenho funcional nas AVDs ou AVPs

  • Promover independência

  • Prevenir deformidades

  • Prevenir lesões por esforços repetitivos

  • Exercícios de fortalecimeto,mobilização ativa, ativa-assistida, passiva.

SÍNDROME DO TÚNEL

A síndrome do túnel do carpo é a mais comum das neuropatias compressivas do membro superior.

Podendo ser diagnosticada através do exame das artérias radial e ulnar utilizando o teste de Allen.

Examinando ambos os punhos simultâneamente fazendo compressão com o polegar sobre a entrada do nervo mediano no túnel do carpo.

O teste de Phalen com flexão ou extensão de ambos os punhos também é utilizado para provocar dor, semelhante à dor noturna do paciente.

O ultrason é um exame inespecífico para a síndrome do túnel de carpo, sendo mais indicado para as tenossinovites.Apesar dos exames complementares mais sofisticados o diagnóstico continua sendo clínico.

QUEIXAS DO PACIENTE

  • Parestesias e dores imprecisas ao nível do punho e dos dedos que frequentemente se irradia para o antebraço e braço e dor noturna.

 

A dor mais frequente é a do tipo formigamento e pode ser de intensidade moderada não impedindo o sono do paciente ou bastante intensa a ponto de o paciente acordar à noite por causa da dor.

A dor e as parestesias costumam aumentar quando existe maior utilização da mão e do membro superior.

TRATAMENTO:

O paciente é imobilizado por duas semanas e é feita prescrição de antiinflamatórios. Após este período utiliza-se tala noturma por mais duas semanas. Se não houver melhora pode ser feita

infiltração com corticosteróides na bainha dos flexores.

Durante este período o paciente é avaliado emocionalmente: se é estável,se quer voltar a trabalhar, se colabora com o tratamento e se não existem maiores litígios entre ele e empresa onde trabalha.

ERGONOMIA E FISIOTERAPIA: SAÚDE NO TRABALHO

Conhecida comumente como estudo científico da relação entre o homem e seus ambientes de trabalho, a ergonomia tem alguns objetivos básicos que são: possibilitar o conforto ao indivíduo e proporcionar a prevenção de acidentes e do aparecimento de patologias específicas para determinado tipo de trabalho.

Merece atenção especial uma boa parte dos problemas de postura que a grande maioria das pessoas adquire ao longo de suas vidas durante o trabalho, como por exemplo, os esforços repetitivos.

A ergonomia vem estudar ‘medidas de conforto’,a fim de produzir um melhor rendimento no trabalho, prevenir acidentes e proporcionar uma maior satisfação do trabalhador.

São estudadas as funções dos indivíduos, o sexo dos operadores e como será seu desempenho em relação às atividades laborias, ou seja o tamanho, a idade dos operadores e usuários de um determinado equipamento, a força com que esta máquina será usada no país onde é feita, ou no exterior.

Com relação aos problemas de coluna, o ideal ainda é a prevenção, portanto buscar no ambiente de trabalho, a adequação de cadeiras e mesas seria o ideal para protegê-la. Mas, quando não for possível contar com um escritório mais adequado, procure sempre sentar em cadeiras com encosto reto e em casa, fuja dos sofás muito macios. Aparentemente confortáveis, eles são um convite para que você se jogue no assento de qualquer jeito.

FATORES DE RISCO:

  • Trabalho automatizado onde o trabalhador não tem controle sobre suas atividades (caixa, digitador, entre outros);

  • Obrigatoriedade de manter o ritmo acelerado de trabalho para garantir a produção;

  • Trabalho fragmentado, onde cada um exerce uma única tarefa de forma repetitiva;

  • Trabalho rigidamente hierarquizado, sob pressão permanente das chefias

  • Número inadequado de funcionários;

  • Jornadas prolongadas de trabalho, com freqüente realização de horas extras;

  • Ausência de pausas durante a jornada de trabalho;

  • Trabalho realizado em ambientes frios , ruidosos e mal ventilados;

  • Mobiliário inadequado (cadeiras, mesas etc.), que obriga a adoção de posturas incorretas do corpo durante a jornada de trabalho.

É o conjunto de práticas de exercícios físicos realizados no ambiente de trabalho com a finalidade de colocar previamente cada pessoa - e todos - da equipe ou grupo de trabalho bem preparadas para o exercício do labor diário. Usualmente baseia-se em técnicas de ALONGAMENTO, distribuídas pelas várias partes do corpo, dos membros, passando pelo tronco, à cabeça, sendo, de ordinário, orientada ou supervisionada por um especialista no assunto ou por alguém (do grupo) por esse especialista treinado (FISIOTERAPEUTA).

Benefícios da ginástica laboral:

  • Provoca o aumento da circulação sangüínea em nível da estrutura muscular, melhorando a oxigenação dos músculos e tendões e diminuindo o acúmulo do ácido lático;

  • Melhora a mobilidade e flexibilidade músculo articular;

  • Diminui as inflamações e traumas;

  • Melhora a postura;

  • Diminui a tensão muscular desnecessária;

  • Diminui o esforço na execução das tarefas diárias

  • Melhora a condição do estado de saúde geral;

  • Diminui o risco de ACIDENTES NO TRABALHO;

  • Melhora a produtividade com menor desgaste físico;

  • Redução da sensação de fadiga no final da jornada;

ATIVIDADES DOMÉSTICAS QUE DEVEM SER REALIZADAS COM PRECAUÇÃO

  • Esfregar roupas

  •  

  • Torcer roupas

  •  

  • Colocar roupas no varal

  •  

  • Carregar sacolas

  •  

  • Sovar massa de pão

  •  

  • Lustrar móveis

  •  

  • Segurar panelas quentes e cheias pelo cabo

  •  

  • Passar rodo e vassoura no chão

  •  

  • Andar de ônibus segurando na alça superior

  •  

  • Carregar criança no colo

  •  

  • Lavar panelas

LOMBALGIAS

TRATAMENTO:

  • Alongamentos: relaxamento muscular, ganho mobilidade

  • Exercícios de fortalecimento: MMII, abdominais, paravertebrais

  • Importante: estabilização

A Reeducação Postural Global, técnica usada por fisioterapeutas para

corrigir disfunções do sistema músculo-esquelético, tem como

princípio tratar o indivíduo e não a doença.

Segundo os especialistas que aplicam esse método, cada pessoa

reage de maneira diferente a um problema. Portanto, a forma de

combate-lo deve ser personalizada.

Podendo ser indicada para pessoas de todas as idades, age

contra dores lombares, dorsais e cervicais, lesões por Esforços

Repetitivos (LER), desvios de coluna, dos pés e dos joelhos,

enxaquecas, bursites, torcicolos e hérnias de disco. É utilizada

também para proteger contra os processos degenerativos

articulares. Em crianças e jovens, previne as conseqüências da

má postura.

A Reeducação Postural Global se baseia em um trabalho Corporal ativo.

São utilizadas oito posições, o corpo inteiro é colocado em estreitamento máximo para que sejam verificadas quais tensões se relacionam entre si.

Por exemplo: uma torção de tornozelos pode provocar uma futura dor no ombro, devido à sobrecarga que o ato de mancar exerce sobre os demais músculos.

O tratamento é individualizado e as sessões são semanais, durando aproximadamente uma hora cada. Os resultados aparecem, geralmente na décima sessão e alcançam sucesso em até 90% dos casos.

Quando o paciente é submetido aos cuidados de um profissional qualificado, entre outras disfunções, ele pode corrigir a postura, resolver problemas crônicos de coluna, tonificar os músculos, melhorar a asma e bronquite e crescer de dois a três centímetros, com a recolocação dos ossos no lugar correto.

Comentários