Germinação e dormencia-1

Germinação e dormencia-1

O que é germinação? O que é germinação?

Seqüência de eventos fisiológicos influenciada por fatores externos e internos.

“Germinar é simplesmente sair do repouso e entrar em atividade metabólica. ”

O que é GERMINAÇÃO COMPLETA?

Fisiologicamente →parte do embrião se desenvolve e atravessa os tecidos que o envolvem.

A Fecundação: a nter a ovário embrionário radícula, hipocótilo, plúmula e cotilédone(s).

Tegumento testa e tégmen.

Endosperma (3n) –reserva:

persistente usado na germinação. Ex.:

cereais.

se degenera cotilédones principais órgãos de reserva. Ex.: leguminosas.

Gimnospermas ⇒ ⇒⇒

⇒ vários cotilédones.

1) EMBRIOGÊNESE: ÷ ÷

÷e diferenciação.

Formam-se tecidos do embrião e endosperma.

Final →parada da ÷ ÷

2) MATURAÇÃO: Expansão celular.

Substâncias →tecidos de reserva →↑M.S.

Final →máxima [M.S.] e maturidade fisiológica. ABA →VIVIPARIDADE.

3) DESSECAÇÃO: ↑desidratação. ↓ ↓↓

↓metabolismo.

Rompe conexões c/ planta-mãe.

Final: ótimo p/ colheita, beneficiamento e dispersão.

Quiescentes –em condições ambientais favoráveis germinam.

Dormentes –precisam estímulo específico p/ germinar.

Embebição:

-Pressão de embebição Emergência.

- Metabolis mo.

Reativação do Metabolismo:

Síntese de GA enzimas hidrolíticas quebra.

respiração.

Reativação de organelas e macromoléculas (÷e alonga mento)

Utilização das reservas.

CRITÉRIO FISIOLÓGICO: radícula. CRITÉRIO AGRONÔMICO: emergência.

EPÍGEA (feijão, cebola) HIPÓGEA

(milho, ervilha)

Fatores que afetam a ger minação:

Longevidade e viabilidade das sementes

Se mentes:

DE VIDA CURTA –viáveis por período curto: maioria das recalcitrantes (sps clímax) E

LONGEVAS –viáveis por longo período: ortodoxas (sps pioneiras).

Espécies com perda rápida da viabilidade:

Araucariaangustifolia: até 1 ano após coleta;

Angico- ver melho Caroba, Caixeta, Seringueira.

Fatores que afetam a ger minação:

Água:

Disponibilidade.

Permeabilidade do tegumento. Composição química das reservas.

Fatores que afetam a ger minação: Te mperatura: 15- 30º C.

Luz

Fotoperíodo. Qualidade da luz.

Classificação das sementes:

Fotoblásticas positivas (embaúba, kiri)

Fotoblásticas negativas (mamona) Fotoblásticas neutras (feijão)

Fatores que afetam a ger minação:

Nutrição mineral.

Morfologia

Tegumento

Tamanho da semente Dese mpenho ger minativo

Semente madura dispersa →org. autônomo → EMBRIÃO →condições →plântula.

Nem sempre acontece

PQ sementes de algumas espécies não germinam, mesmo em condições adequadas?

1º Processo avançado de deterioração OU 2º DORMENTES.

1° caso →absorção d’água, não há atividade metabólica.

SEMENTES DORMENTES →mmovivas, c/ condições que favorecem germinação, não germinam →restrição interna impedindo desenvolv. do embrião.

Germinação só ocorre se restrição for superada. Na natureza pode levar dias, meses ou anos, dependendo da espécie.

DORMÊNCIA: Induz atraso na germinação.

Incapacidade de germinar mmoem cond. a mbientais favoráveis.

> tempo p/ dispersão da semente.

↑sobrevivência das plântulas →condições desfavoráveis.

Impede viviparidade.

Sementes podem ter:

Dormência 1 ária : liberadas da planta mãe dormentes (efeito genético).

Dormência 2 ária : liberadas não dormentes, em condições desfavoráveis p/ germinação, torna m- se dor mentes.

Ex. sementes de aveia →em T°> que o máximo p/ germinação tornam-se dor mentes.

Tipos de Dormência: Exógena ou extra-embrionária (tegumento):

Impede a absorção de água.

Interferência nas trocas gasosas.

Restrição mecânica. Produção de inibidores.

Ex: mimosa, sena, canela, Copaífera, paineira- rosa.

Quebra da dormência: escarificação (mecânica; química; c/ água), isolamento do embrião.

Endógena ou embrionária:

Presença de inibidores.

Ausência de promotores. Imaturidade do embrião (erva-mate)

Tipos de Dormência:

Quebra da dormência: imersão em água ou hormônios, estratificação a frio, pós-maturação do embrião.

Fatores ambientais que induzem a liberação da dormência:

Pós-maturação →↓ ↓↓

↓da umidade a um certo nível de ressecamento.

Resfriamento →uso de baixas T°.

Luz →pode ser breve exposição (alface) ou tratamento intermitente (Kalanchoe).

Efeito da duração de exposição a baixas temperaturas em centeio

(Secalecereale). No experimento, sementes expostas a 5°C em ≠s tempos germinaram, quando expostas a condições de desvernalização(3 dias a

Maioria das plantas cultivadas →

Melhoramento Genético →processos que eliminara m dor mência.

PQ? Produção agrícola → →→

→rapidez e uniformidade da germinação e emergência das plântulas em campo.

Ex. soja, feijão, girassol, milho. Essências Florestais?????

Mtasespécies têm sobrevivência garantida pela dormência.

Mmaplanta →intensidades ≠sde dormência →germinação em intervalos regulares, ↑chance de sobrevivência.

Impedimento à germinação estratégia benéfica →distribui germinação no tempo e espécie "escapa" de condições adversas ao crescimento.

Evolutivamente →dormência →

ADAPTAÇÃO →assegura sobrevivência das sps nos ≠s ecossistemas.

Contribui p/ persistência de plantas daninhas, dificultando controle e eliminação.

Ex. dificuldade de erradicação do arroz vermelho.

Comentários