Trabalho de NR 14 - Fornos

Trabalho de NR 14 - Fornos

(Parte 1 de 3)

ESCOLA TÉCNICA DO RIO DE JANEIRO

FEIRA DA INDÚSTRIA

NORMA REGULAMENTADORA 14 - FORNOS

ALUNOS:

ALBERTO SILVA BARROS

CLEYDSON SIMÕES DE SOUZA

DALVAN SOUZA NOVAES

DOUGLAS ALMEIDA DE MIRANDA

JEAN DE ASSIS BOCKHORNY

JORGE LUIZ PAULO BRUNES

LEONARDO DE GOES MEDEIROS

LUAN MEDEIROS DOS SANTOS

MICHEL FERREIRA PAES

RAFAEL DA SILVA MONTEIRO

RODRIGO SARMENTO FIGUEIREDO

ORIENTADOR: MAURO MELLO

RIO DE JANEIRO,

11 DE JUNHO DE 2010

ESCOLA TÉCNICA DO RIO DE JANEIRO

AVENIDA SANTA CRUZ, 9617 SANTÍSSIMO.

NORMA REGULAMENTADORA 14 - FORNOS

Trabalho apresentado como requisito para avaliação parcial do curso Técnico de Mecânica da Escola Técnica do Rio de Janeiro – ETERJ

Orientador: Prof. Mauro Mello

Tempo gasto no desenvolvimento do projeto:

(4 dias)

Leonardo de Goes Medeiros

Aluno Coordenador

SUMÁRIO

Apresentação 1

As Normas Regulamentadoras 14 - Fornos 2

A História do Alto-Forno 3

Aonde Construir um Alto-Forno? 5

Construção do Alto-Forno 6

Sistema de Limpeza 9

Riscos Ocupacionais 10

Orientações para Inspeções 10

Sistema de Gestão de Riscos (SGR) 11

Programas Implementados 13

Segurança em Primeiro Lugar 14

Operação do Alto-Forno 18

Produtos do Alto-Forno 19

Conclusão 21

Cronograma de Desenvolvimento 22

Plano Orçamentário 23

Referencias Bibliográfica 24

Apresentação

Conhecidas como as inicias do seu nome, NRs, as normas regulamentadoras é um conjunto de normas e orientações obrigatórias que tem relação como a medicina e segurança do trabalho, lembrando que tais normas e orientações são usadas apenas no aqui no Brasil.

E na NR – 14 não é diferente, ela é uma norma criada no intuito de cuidar do bem estar de cada colaborador, que trabalha diretamente com os fornos, alem de orientar e especificar.

Cada uma de suas especificações é simples e fácil de discernir, quanto a sua aplicação, desta forma em nosso projeto abordaremos esta norma regulamentadora de um jeito diferente, descrevendo como podemos usar ela na implantação, na construção, no funcionamento até a produção.

As Normas Regulamentadoras 14 (NR-14) - Fornos

14.1. Os fornos, para qualquer utilização, devem ser construídos solidamente, revestidos com material refratário, de forma que o calor radiante não ultrapasse os limites de tolerância estabelecidos pela Norma Regulamentadora - NR 15. (114.001-9 / I2)

14.2. Os fornos devem ser instalados em locais adequados, oferecendo o máximo de segurança e conforto aos trabalhadores. (114.002-7 / I3)

14.2.1. Os fornos devem ser instalados de forma a evitar acúmulo de gases nocivos e altas temperaturas em áreas vizinhas. (114.003-5 / I3)

14.2.2. As escadas e plataformas dos fornos devem ser feitas de modo a garantir aos trabalhadores a execução segura de suas tarefas. (114.004-3 / I2)

14.3. Os fornos que utilizarem combustíveis gasosos ou líquidos devem ter sistemas de proteção para:

a) não ocorrer explosão por falha da chama de aquecimento ou no acionamento do queimador; (114.005-1 / I4)

b) evitar retrocesso da chama. (114.006-0 / I4)

14.3.1. Os fornos devem ser dotados de chaminé, suficientemente dimensionada para a livre saída dos gases queimados, de acordo com normas técnicas oficiais sobre poluição do ar. (114.007-8 / I2)

A História do Alto-Forno

Para saber como os altos fornos são construídos no dias atuais, tudo isso começou há muito tempo atrás: na Antiguidade, na Europa Antiga, na Idade Média até chegar aos dias de hoje

Antiguidade

Os alto-fornos mais antigos conhecidos foram construídos na China da dinastia Han, no Século I a.C., embora os artefatos férreos encontrados neste país datem do Século V a.C. - o que torna possível acreditar-se que a história dos altos-fornos na China seja mais antiga do que atualmente se supõe. Estes fornos primitivos possuíam paredes de barro com grande quantidade de minerais fosfóricos.

Enquanto se acreditava por muito tempo que os chineses haviam desenvolvido o método de derretimento do ferro. Em pesquisa mas recente, aponta a data dos primeiros artefatos de fundição entre os séculos IV e V a.C., mas também cogita de evidências de que o uso dos fornos de fundição tenha se difundido para o ocidente. Ela sugere, também, que os alto-fornos primitivos teriam se evoluído a partir dos fornos para derretimento do bronze.

Europa Antiga

O ferro foi fundido pelos gregos, celtas, romanos e cartagineses da Antiguidade. Foram encontrados vestígios variados na França (antiga Gália). Materiais encontrados na atual Tunísia sugerem seu uso por ali, como também na Antióquia durante o período helenístico. Embora seja pouco conhecido o seu uso durante a Idade Média, o processo provavelmente continuou em uso. A fundição aperfeiçoada recebeu o nome de forja catalã, e foi inventada na Catalunha, na atual Espanha, durante o século VIII.

Em vez de usar a estrutura de ventilação natural, adicionou o sistema de foles para bombear o ar no interior. Isso permitiu a um tempo produzir um ferro de melhor qualidade, como aumentou-lhe a capacidade. É reconhecido que os monges cistercianos, que eram bons engenheiros e qualificados metalúrgicos, tinham conseguido produzir um verdadeiro aço, sendo considerados os inventores do alto-forno na Europa.

Idade Média

Os alto-fornos mais antigos conhecidos fora construídos na Suécia ocidental, em Lapphyttan, e o complexo esteve ativo entre os anos de 1150 a 1350. Em Noraskog, no município sueco de Järnboås foram encontrados restos de alto-fornos datados de antes desse período, provavelmente por volta de 1100. Isso constitui um fato obscuro, e será possivelmente impossível determinar se o alto-forno foi desenvolvido independentemente na Suécia medieva, ou se este conhecimento foi-lhes transmitido de alguma forma, da Ásia. Estes primitivos fornos, a exemplo dos chineses, eram extremamente ineficientes, se comparados com os atuais.

(Parte 1 de 3)

Comentários