Quimica Geral Experimental

Quimica Geral Experimental

(Parte 1 de 4)

Química Geral e Experimental

Procedimento de Trabalho no Laboratório

1. O trabalho num laboratório químico só é efetivo quando realizado conscienciosamente e com compreensão da sua teoria. Além disso, toda atividade experimental requer que o experimentador SEJA CUIDADOSO E ESTEJA ATENTO. Mesmo um experimento aparentemente inofensivo, pode resultar em conseqüências sérias quando planejado de maneira imprópria.

2. Todo aluno ou grupo terá um LUGAR NO LABORATÓRIO (BANCADA), QUE DEVERÁ SER MANTIDO LIMPO E ARRUMADO. Somente os materiais necessários ao experimento deverão permanecer sobre a bancada.

3. O estudante, antes de iniciar o trabalho de laboratório deve:

  • Conhecer todos os detalhes do experimento que irá realizar

  • Ter conhecimento sobre as propriedades das substâncias a serem utilizadas

  • Familiarizar-se com a teoria relativa ao tópico em estudo

  • Ter um protocolo experimental escrito envolvendo todas as atividades a serem realizadas.

  • Vestir avental e óculos de segurança sempre que trabalhar no laboratório (itens de uso pessoal que devem ser providenciados pelo aluno).

NUNCA REALIZE EXPERIMENTOS QUE NÃO SEJAM INDICADOS NO GUIA SEM ANTES CONSULTAR O PROFESSOR RESPONSÁVEL.

Anotações de Laboratório

  • Utilize um caderno de uso exclusivo para as atividades de laboratório

  • Após estudar a atividade experimental a ser realizada, faça um protocolo do que será feito detalhando montagem de equipamentos, cálculo da massa de reagentes necessários para preparar soluções e uma lista sintética das etapas a realizar

  • Anote todas as suas observações do trabalho experimental e suas conclusões.

  • Uma cópia deverá ser entregue no final da aula e será avaliada.

Regras Básicas de Segurança

  • Realize todo o trabalho com substâncias voláteis na capela

  • Trabalhe longe de chamas quando manusear substâncias inflamáveis

  • Quando aquecer soluções num tubo de ensaio segure-o sempre com a abertura dirigida para longe de você ou seus vizinhos no local de trabalho.

  • Sempre coloque os resíduos de metais, sais e solventes orgânicos nos recipientes adequados.

Regras de Segurança

  • Use os óculos protetores de olhos, sempre que estiver no laboratório.

  • Use sempre guarda-pó, de algodão com mangas compridas.

  • Não fume, não coma ou beba no laboratório.

  • Evite trabalhar sozinho, e fora das horas de trabalho convencionais.

  • Não jogue material insolúvel nas pias (sílica, carvão ativo, etc). Use um frasco de resíduo apropriado.

  • Não jogue resíduos de solventes nas pias. Resíduos de reações devem ser antes inativados, depois armazenados em frascos adequados.

  • Não entre em locais de acidentes sem uma máscara contra gases.

  • Nunca jogue no lixo restos de reações.

  • Realize os trabalhos dentro de capelas ou locais bem ventilados.

  • Em caso de acidente (por contato ou ingestão de produtos químicos) procure o médico indicando o produto utilizado.

  • Se atingir os olhos, abrir bem as pálpebras e lavar com bastante água. Atingindo outras partes do corpo, retirar a roupa impregnada e lavar a pele com bastante água.

  • Não trabalhar com material imperfeito, principalmente o de vidro que contenha pontas ou arestas cortantes.

  • Fechar com cuidado as torneiras de gás, evitando o seu escapamento.

  • Não deixar vidro quente em lugares onde possam pegá-los indevidamente.

  • Não aquecer tubos de ensaio com a boca virada para si ou para outra pessoa.

  • Não aquecer reagentes em sistema fechado.

  • Não provar ou ingerir drogas ou reagentes de laboratório.

  • Não aspirar gases ou vapores.

  • Comunicar imediatamente ao professor qualquer acidente ocorrido.

Manuseio de Produtos Químicos

  • Nunca manusear produtos sem estar usando o equipamento de segurança adequado para cada caso.

  • Usar sempre material adequado. Não faça improvisações.

  • Esteja sempre consciente do que estiver fazendo.

  • Comunicar qualquer acidente ou irregularidade ao seu superior.

  • Não pipetar, principalmente, líquidos cáusticos ou venenosos com a boca. Use os aparelhos apropriados.

  • Procurar conhecer a localização do chuveiro de emergência e do lava-olhos e saiba como usá-lo corretamente.

  • Nunca armazenar produtos químicos em locais impróprios.

  • Não fumar nos locais de estocagem e no manuseio de produtos químicos.

  • Não transportar produtos químicos de maneira insegura, principalmente em recipientes de vidro e entre aglomerações de pessoas.

  • Ler o rótulo antes de abrir a embalagem.

  • Verificar se a substância é realmente aquela desejada.

  • Considerar o perigo de reação entre substâncias químicas e utilizar equipamentos e roupas de proteção apropriadas.

  • Abrir as embalagens em área bem ventilada.

  • Tomar cuidado durante a manipulação e uso de substâncias químicas perigosas, utilizando métodos que reduzam o risco de inalação, ingestão e contato com pele, olhos e roupas.

  • Fechar hermeticamente a embalagem após a utilização.

  • Evitar a utilização de aparelhos e instrumentos contaminados.

  • Não comer, beber ou fumar enquanto estiver manuseando substâncias químicas.

  • Lavar as mãos e as áreas expostas regularmente.

  • Tratar dos derramamentos utilizando métodos e precauções apropriadas para as substâncias perigosas.

Primeiros Socorros

  • Cortes e ferimentos devem ser desinfetados e cobertos.

  • Queimaduras leves com fogo ou material quente, tratar com água fria/ gelada ou PICRATO DE BUTESIN ou ÁCIDO PÍCRICO.

  • Queimaduras cutâneas:

COM ÁCIDOS - lavar com bastante água e sabão e, em seguida, neutralizar com LEITE DE MAGNÉSIA ou BICARBONATO DE SÓDIO.

COM BASES - lavar com muita água e, em seguida, com solução diluída de ÁCIDO ACÉTICO (0,1N).

COM FENOL - lavar abundantemente com ÁLCOOL ETÍLICO.

  • Queimaduras oculares com substâncias ácidas ou básicas devem ser lavadas com água (usar lava - olhos) e tratadas com colírio estéril.

  • Ingestão:

DE ÁCIDOS - tomar HIDRÓXIDO DE CÁLCIO, LEITE DE MAGNÉSIA ou LEITE. Não tomar bicarbonato de sódio ou carbonato de cálcio. Estes produtos são contra-indicados porque produzem distensão e facilitam a perfuração.

DE BASES - tomar solução de ácido acético 1/100 ou vinagre 1/10 ou água de limão.

DE SAIS DE CHUMBO - lavar com água em abundância. Após, beber grande quantidade de água seguida de duas colheres de SULFATO DE MAGNÉSIO (sal de Epson).

  • Intoxicação por gases:

REGRA GERAL: remova o paciente da exposição, fazendo-o respirar profundamente e mantendo-o aquecido.

Materiais e Equipamentos Básicos de Laboratório

Objetivos

  • Associar o nome de cada material/ equipamento com seu uso específico;

  • Reconhecer os diversos materiais de um laboratório;

  • Aplicar corretamente a técnica de utilização de cada material.

Introdução

Os experimentos foram elaborados de forma que o aluno possa desenvolver corretamente as habilidades manipulativas de cada um dos materiais e equipamentos básicos de um laboratório químico.

À seguir, estão relacionados alguns materiais e equipamentos básicos de um laboratório.

Material

VIDRARIA

PORCELANA

EQUIPAMENTOS

OUTROS

Balão volumétrico

Almofariz e pistilo

Balança semi – analítica

Anel

Bastão de vidro

Cápsula

Bico de Bunsen (gás )

Espátula

Béquer

Funil de Büchner

Bomba à vácuo

Garras

Bureta

Centrífuga

Grampos

Erlenmeyer

Densímetro

Mufa

Funil de vidro

Dessecador

Pinça tubo de ensaio

Kitassato

Estufa

Suporte universal

Pêra de decantação

Forno Mufla

Tela de amianto

Picnômetro

Paquímetro

Tripé

Pipeta graduada

pHmetro

Pipeta volumétrica

Termômetro

Proveta

Tubo de ensaio

Tubo de centrífuga

Tubo de vidro

Vidro de relógio

Experimentos N° 1

A, B, C

Técnicas de Medidas de Massa, Volume e Temperatura

2 Aulas/ 1 Relatório

Listas de Exercícios (opcional)

Objetivos

  • Aprendizado de técnicas de medidas de temperatura, massa e volume.

  • Diferenciar as vidrarias volumétricas das graduadas;

  • Utilizar algarismos significativos;

  • Distinguir o significado de precisão e exatidão.

Introdução

As experiências de laboratório em química, assim como em outras ciências quantitativas, envolvem muito freqüentemente medidas de massa e volume, que são posteriormente utilizados em cálculos. Nesta experiência, você medirá as massas e volumes da água, e utilizará os resultados obtidos para calcular a densidade da água.

Medidas

Sempre que uma medida é efetuada, deve-se levar em consideração o erro a ela inerente. O erro de uma medida é muitas vezes limitado pelo equipamento que é empregado na sua obtenção. Em uma medida exata, os valores encontrados estão muito próximos do valor verdadeiro. A precisão refere-se a quão próximos diversas determinações de uma medida estão entre si. Medidas podem ser precisas sem serem exatas, devido a algum erro sistemático. O ideal é que as medidas sejam precisas e exatas. A precisão de uma medida pode ser melhorada aumentando-se o número de determinação de uma medida e fazendo-se o valor médio das mesmas.

Medidas de Volume

Para se efetuar medidas de volume, faz-se necessário a utilização de pipetas, provetas e buretas. As medidas de volume de um líquido com esses instrumentos são feitas comparando-se o nível do mesmo com os traços marcados na parede do recipiente. Na leitura do volume de um líquido usando-se um destes instrumentos, ocorre uma concavidade que recebe a denominação de menisco.

Cuidados com a Balança

As balanças são instrumentos adequados para medir massas. O manuseio de uma balança requer muito cuidado, pois são instrumentos delicados e caros. Quando de sua utilização, devem ser observados os seguintes cuidados gerais:

  • manter a balança limpa;

  • não colocar os reagentes diretamente sobre o prato da balança;

  • os objetos a serem pesados devem estar limpos, secos e à temperatura ambiente;

  • a balança deve ser mantida travada caso não estiver sendo utilizada;

  • as balanças analíticas devem estar travadas quando da retirada e colocação dos objetos a serem pesados;

  • nas balanças analíticas, os objetos devem ser colocados e retirados com a pinça e não com as mãos;

  • o operador não deve se apoiar na mesa em que a balança está colocada.

Materiais

Béqueres de 30, 100, 300 e 1000 mL; Termômetro; Frasco de pesagem; Bastão de vidro; Rolha; Proveta de 25 mL; Pipeta volumétrica de 25 mL: Pissete, Balança; Conta-gotas.

Reagentes

Gelo, Água.

Procedimento

  1. Medidas de temperatura

Coloque cerca de 200 mL de água de torneira em um béquer e meça a temperatura utilizando um termômetro. Obs: Obtenha o valor da temperatura com o número máximo de algarismos significativos. Durante a medida mantenha o bulbo do termômetro totalmente imerso na água, sem tocar as paredes do recipiente.

A2). Coloque no béquer 3 cubos de gelo picado. Agite com um bastão de vidro e meça a temperatura da mistura água/ gelo a cada minuto até que fique constante.

A3) Esse procedimento deverá ser feito em triplicata, ou seja, repita a medida 3 vezes.

Qual é o critério necessário para definir se a temperatura está constante? Use um gráfico para ilustrar a alteração da temperatura em função do tempo.

Anotações:

Temperatura da água:

Temperatura da mistura água e gelo (faça uma tabela: tempo (min) e temperatura)

B) Medidas de massa

Ao se efetuar as pesagens, é importante especificar o erro correspondente. Assim, ao se realizar três pesagens de um mesmo corpo, cujos resultados sejam: 1,234 g; 1,233 g e 1,233 g, a maneira correta de se expressar a referida massa é a sua média, acrescida da variação 0,001:

1,233 ± 0,001 g.

(Parte 1 de 4)

Comentários