O Linfedema

O Linfedema

O Linfedema

O Linfedema é um inchaço de uma parte do corpo, mais comum nas extremidades, devido a uma acumulação do fluido linfático no tecido intersticial.

As artérias transportam o sangue para nutrir as células e os tecidos. Após a troca de nutrientes, o sangue pobre em oxigênio retorna pelas veias. Líquidos e substâncias que as veias não retiram dos tecidos formam a Linfa composta por água, proteínas, gorduras e germes. Então as substâncias são levadas pelos vasos linfáticos aos gânglios, onde realiza a filtração e limpeza, daí são devolvidas à circulação novamente. No entanto, nem sempre essa "limpeza" funciona de forma tão eficiente, ocorrendo uma sobrecarga do sistema linfático que não consegue retirar essas substâncias de certas partes do corpo, propiciando o aparecimento do linfedema. (edema dos vasos linfáticos)

  Características do linfedema.

Pode acometer os membros superiores ou inferiores que apresentam:

- Inchaço (edema) na área afetada. - Aumento de Volume - Aumento de Peso - Perda parcial da funcionalidade. - Alteração de estética.

Quando um Linfedema não é tratado rapidamente, torna-se numa doença crônica causando: uma sensação de peso, desconforto, perda de mobilidade, deformações estéticos e em casos extremos desenvolvimento de situações malignas.

  O Linfedema Primário

Pode ocorrer no nascimento, na adolescência ou na idade adulta e é devido a uma deficiência do sistema linfático.

  Linfedema Secundário

O Linfedema Secundário pode resultar de uma cirurgia, como é o caso do câncer da mama, remoção de gânglios axilares, tratamentos à base de radiações, quimioterapia e como é óbvio em todos os casos onde houve uma interrupção do sistema linfático.

O Linfedema Secundário pode desenvolver-se logo após a cirurgia, semanas, meses ou até anos mais tarde. Nestas situações a Drenagem Linfática Manual é altamente eficaz porque não só ajuda a reduzir o fluido linfático acumulado no membro afetado, como também encontra percursos colaterais que ajudam a drenar e a reduzir o edema, o que não acontece com outras técnicas de massagem que, devem ser evitadas por se correr o risco de fechar temporariamente os vasos linfáticos na área afetada.   A doença linfática se instala devida agressão física, química ou infecciosa e alguns tipos de linfedema são:

^ Topo

  O Linfedema pós- traumático Linfedema Pós - Traumático; ocorrem após fraturas, traumas , queimaduras, tatuagens.

^ Topo

  Linfedema pós- infecção São decorrentes da destruição do vaso linfático, pelo processo infeccioso da pele e do tecido celular subcutâneo, as tão freqüentes

Cerca de 20% das mulheres que sobreviveram a um câncer da mama desenvolveram Linfedema .

  O Linfodema de braço

O risco de desenvolver Linfedema depois da cirurgia do câncer da mama depende do número de gânglios removidos, da quantidade de radiação recebida e na capacidade que as funcionalidades restantes ainda tiverem, para compensar a perda. Muitas vezes o Linfedema não aparece senão após alguns anos depois do câncer.

25 % - 50% dos pacientes desenvolvem " Linfedema secundário do braço .

A remoção dos gânglios axilares provoca a destruição dos vasos linfáticos superficiais e profundos do braço e do quadrante desse mesmo lado. Isto resulta numa predisposição para a formação de um Linfedema nesse lado. Embora o Linfedema não ameace a vida do paciente é sem dúvida a causa de desconforto físico e mental e até em alguns casos impeditivo. Se não for tratado rapidamente o Linfedema tornar-se-á pior com o tempo. Haverá lugar a um endurecimento dos tecidos com a formação de fibrose e esclerose. Um Linfedema do braço que se mantenha sem tratamento pode degenerar em câncer (angiosarcoma). Com uma aprendizagem e cuidados apropriados o Linfedema pode ser prevenido ou no caso de se desenvolver poder ser mantido sob controle.

  Como previnir o linfodema após cirurgia da mama? Seus gânglios axilares foram retirados durante a cirurgia da mama, o que significa que você perderá a proteção natural do seu braço. A partir daí você deve, tomar cuidados especiais, porém lembre-se de que essas recomendações não impedem que você assuma suas atividades diárias evitando excessos e esforço. Ao contrário, continue vivendo como antes da cirurgia. Certamente nada impedirá de viver plenamente. Lembre-se somente que você deve evitar a infecção da mão e do braço do lado da cirurgia. 1-Evitar dormir sobre o braço do lado operado, para não comprometer a circulação sangüínea do mesmo.

2-Não medir a pressão arterial, retirar sangue, tomar injeção ou vacinas no braço do lado operado. (tanto na veia como no músculo)

3-Evitar deixar o braço do lado operado caído ao longo do corpo Sempre que puder apoiar o braço numa almofada. Toque piano, como se estivesse tocando piano no colchão. Ajuda os nervos e músculos a se recuperarem do trauma da cirurgia.

4- Procurar usar tecidos de algodão durante o processo de cicatrização e de aplicações de radioterapia evitando o uso de tecidos sintéticos (por exemplo, o nylon). Evitar usar vestimentas apertadas na região do tronco e ou no braço do lado operado.

5-Usar esse braço para sua higiene pessoal, tal como: escovar os dentes, pentear os cabelos, lavar a cabeça, enxugar o corpo, etc. Movimente-o o mais que puder sem forçá-lo.

6-Realizar exercícios conforme recomendação e orientação da pessoa responsável pela fisioterapia. É muito importante, para a sua recuperação, que os mesmos sejam feitos regularmente conforme a recomendação. Evitar recursos fisioterapêuticos no braço do lado operado, que emitem calor profundo ou superficial, bem como água quente por tempo prolongado.

7-Não devem ser cortadas as cutículas; usar creme removedor para tal. Lixar as unhas mantendo-as sempre limpas e curtas, evite as baterias. Usar creme para hidratação da mão e braço , de preferência à base de lanolina com PH neutro, para evitar ressecamento da pele acarretando risco de lesões.

8-Proteger o braço e mão por meio de luva ou outro meio disponível para manusear terra e contra ferimentos causados por queimaduras, alfinetes, agulhas, tesouras, utensílios de cozinha, palhas de aço, espinhos, etc.

9-Proteger o braço e mão contra picadas de insetos com produtos repelentes. Peça ao seu médico do repelente mais adequado.

10-Cuidados especiais com os riscos de fraturas, entorses ou contusões.

11-Usar luvas de proteção quando manipular produtos químicos, arear panelas com palhas de aço ou outro produto abrasivo, lavar louças, roupas, etc.

12-Não empurrar móveis pesados. Não carregar objetos pesados tais como sacolas, baldes cheias com água, bolsa, levantar crianças, etc. Com o braço operado.Quando necessária peça ajuda.

13-Evitar usar relógio, pulseiras, anéis ou outros objetos no braço do lado operado.

14-Usar desodorante líquido, neutro e sem álcool ou bicarbonato de sódio diluído em água na axila do lado operado. Não raspar e não usar cremes, líquidos ou ceras depilatórias na axila do lado operado. Quando necessário, utilizar com cuidado tesoura ou barbeador elétrico para remoção dos pelos.

15-Evitar o sol em excesso no braço do lado operado para que o mesmo não sofra queimaduras ou inche. Proteger sempre com bloqueador solar com alto fator de proteção, adequado ao seu tipo de pele. Peça ao seu médico a indicação. 16- Caso surgir no braço do lado operado, inflamação, inchaço vermelhidão ou dor, procure sempre o seu médico imediatamente.

17- Se viajar de avião deve usar uma manga elástica durante a viagem

Comentários