Técnicas de Entrevista Devolutiva

Técnicas de Entrevista Devolutiva

Plano Devolutivo:

- Flexível - Panorama (visão): (1) Grupo Familiar: (vem em primeiro lugar porquê é do cotidiano, base do paciente - não é responsável sozinho - é comportilhado; “ você é produto de um meio”). (2) Aspectos Sadios (O que você percebeu como saída adaptativa com ele - “que tal mudar esta forma de agir”). (3) Menos Adaptativos (Depressão, estrutura neurótica - parece que é bom você se valer nos esportes”, mas quando você está lá, você esqueçe de ir trabalhar). (4) Mais Doentes (“Fulano foi verificado que ao ficar em casa , tentando se recompor, você é tomado por pensamentos de perseguição, estes pensamentos, podem levá-lo ao um processo muito angustiante, por isso recomendo uma psicoterapia”) .

Sequência das Informações na Devolutiva

Início: mais adaptativo e saudável para o menos adaptativo.

Indicadores de Tolerância ou Intolerância (de frente ao paciente)

- Tolerância Indicativos positivos: *Insights

*Associações livres

*Novas cenas

*Novas fantasias (Paciente fala: eu acho que, eu penso que - embasamento de novas fantasias). *Novos fatos

- Intolerância: Recuar porque o paciente não está assimilando, qual é a informação passada ou não: (1) Consciente: não entendo (2) Inconsciente: *lapsos

Técnicas da Devolução da Informação Processo tradicional - o que deve ser dado como devolutiva

*Associações *Contradições

(3) Pré-verbal: *Atrasos

*Pedidos de devolutiva (Paciente quer envio por e-mail).

Índice de Fracasso na Entrevista Devolutiva (está sendo um fracasso)

- Condutas esteriotipadas - Insistência em negar (Postura muito típica - paciente quer tentar se explicar). - Não percepção de sofrimento

- Esperado: momentos: obcessivos “Picos” (Prognóstico está complicado, é necessário recuar e repensar numa outra forma de devolutiva).

Exercício Prático: Paciente: Pedro (15 anos): Encaminhamento: Escola

INTRODUÇÃO AO PSICODIAGNÓSTICO - 2. SEMESTRE - 3.ANO

A Entrevista Devolutiva: Postura muito típica. Paciente quer tentar se explicar

Aula editada - 17/08/2010.

Queixa: Desinteresse, inibição, desligou-se dos amigos.

1. Entrevista Inicial

Pais: Queixa: Inibição, isolamento, dores de cabeça (levaram Pedro a fazer testes neurológicos, mas sem efeito), tem crises de sudoresse ( por vezes - suor). - Uso de maconha - acharam na mochila (esporádico) - uma vez ele fumou maconha e a mãe percebeu, neste dia Pedro quebrou dois vasos: argumentou que dentro do vasos tinham duas filmadoras que o estava vigiando. - Inteligente, afetuoso, super organizado (fala dos pais). - História de vida comum com ressalva nos primeiro anos de vida foi com avó, pois os pais estavam fazendo doutorado na França. Voltaram para pegá-lo aos 3 anos de idade.

Adolescente: Entrevista Semi-dirigida:

- Dores de cabeça (próximos a nuca) - Os amigos ficaram chatos, prefere ficar no quarto, onde se sinte seguro, pois consegue monitorar. “Minha mêdula está ficando inchada, pois eu a sinto”. Tem fala bem elaborada, consintido, com certas rupturas. Ele não termina as frases que constrói e não se dá conta que precisa ser terminada.

Bateria de Testes mostrou:

Q.I altíssimo Desenhos fragmentados, desproporcionados

Exercício diagnóstico baseado nestas informações (montar o plano de devolutiva): Montar uma devolutiva para a família e para Pedro:

Resposta:

Pensar em quadro geral: Estrutura Psicótica: esquisofrenia, paranóia, melancolia, autismo e erotomia (amor) - Neurótica: histeria, neurose obssessiva, neurose por fobia - e Perversa (tipos subversos) - Bordeline (entre estrutura psicótica e neurótica).

Hipótese Diagnóstica: (sem alegar afirmação): *Psicose. Delírios persecutórios, delírios cinestésico, discurso fragmentados, desenhos desproporcionados, embotamento afetivo, retraimento social.

*Uso do químico (não produz delírios persecutórios, são característicos típicos da Psicose) pode ter desencadeado a Estrutura Psicótica que já existia no sujeito.

(1) Grupo Familiar: Ausência dos pais pode ter haver com o sofrimento de Pedro.

(2) Aspectos Sadios: Inteligência, afeto, organização.

(3) Menos Adaptativos: Pedro não apresentou na fala, mas sua permanência no quarto mantêm uma saída falha.

(4) Mais Doentes: Inibição, isolamento.

*Ao fazer a devolutiva para Pedro e sua família, deve-se na fala ser menos técnico possível, numa linguagem fácil, sem dizer que o pa-

negação)f

ciente é psicótico logo de “cara” (relação frágil - possibilidade de

Aula editada de Intr odução ao Psicodiagnóstico - 17/08/2010 - turma do 3.ano de Psicologia Uniban Morumbi I noturno - 2010 - 2.semestr

Comentários