Bacilos Gram Negativos Não Fermentadores

Bacilos Gram Negativos Não Fermentadores

4

Bacilos Gram Negativos Não Fermentadores

1 . Características gerais

 

·  São aeróbios estritos

·  São bacilos retos ou levemente curvos

·  Móveis com um ou mais flagelos polares; raros imóveis

·  Podem apresentar fímbrias

·  Possuem AgO (da parede – parte glícidica do lipopolissacarídeo) semelhante ao das enterobactérias

· Possuem camada mucóide (Ag= alginato)

·  São classificados em grupos, de acordo com a homologia do RNA. Dentro de cada grupo, a classificação se baseia na homologia do DNA.

 

2 . Metabolismo

 

·  Aeróbios, com metabolismo estritamente respiratório

·  Quimiorgânotróficos, capazes de sintetizar proteínas a partir do petróleo

·  Muitas espécies produzem pigmento

·  São capazes de viver em inúmeros locais pela sua riqueza enzimática

 

3 . Epidemiologia

 

·  São amplamente distribuídos pela natureza

·  Estão no ambiente do hospedeiro: reservatório de água, alimentos, flores cortadas, pias, sanitários, equipamentos respiratórios e de diálise e até em desinfetantes.

·  Algumas espécies são patogênicas , mas isso ocorre em condições de oportunidade

·  Não persistem como flora normal, a não ser em indivíduos hospitalizados

·  O representante mais importante é a Pseudomonas aeruginosa (mais de 70% das infecções se dão por bactérias aeróbias estritas)

 

4 . Taxonomia (classificação)

 

Ela é feita por dois critérios. O primeiro leva em conta a mobilidade de acordo com a presença ou ausência de flagelos. O segundo critério leva em consideração o tipo de flagelo presente: polar ou peritríqueo.

A) móveis com flagelos polares

  ·   P. aeruginosa

·   Burkhederia cepacia

·   Stenotrophomonas maltophilia

 

B)  móveis com flagelo peritríqueo  

·          Alcaligenes xylosoxidans

·          Bordetella sp ( nem pertursis e nem parapertursis)

 

C) imóveis e oxidase positiva (grande quantidade de citocromo oxidase)  

·          Chryseobacterium meningoseptium

·          Moraxella sp

 

D) imóveis e oxidase negativa  

·          Acinetobacter baumanni

Pseudomonas aeruginosa

 

Não se sabe porque na maioria da vezes ela não causa doença quando em indivíduos normais pois ela tem muitos fatores de virulência

1. Fatores de virulência

·  Polissacarídeo policapsular --- alginato

·  Fímbrias com adesinas, semelhantes às dos gonococos.

·  Exotoxina A: inibe síntese de proteínas com lesão celular e é semelhante à toxina diftérica

·  Exotoxina S: inibe síntese protéica

·  Neuramidase: auxilia a adesão da bactéria pois destrói muco

·  Fosfolipase C: lise de membranas plasmáticas

·  Elastase: cliva inibidores de proteases leucocitárias e componentes do complemento

·  Leucocidina (toxina): leucotóxica

·  Piocianina: inibidora dos movimento ciliares e é agente oxidante produtora de superóxidos. Ele está no pus formado por tais bactérias

·  Resistência múltipla à antibióticos por produzir vários plasmídios R

 

2.  Epidemiologia

Tal bactéria é ubíqua, ou seja, cresce em vários lugares. Ela é oportunista, não faz parte da flora normal residente. Sua simples presença não tem significado pois várias vezes não causa doença. O isolamento da bactéria encontra-se muito em ambiente hospitalar.

3. Patogenia

 

Ela está relacionada a condições de oportunidade quando há queda do sistema imunitário

·          Infecções pulmonares (fibrose cística-imunodeficiência com produção de muco leva à maior susceptibilidade da mucosa à infecção)

·          Infecções primárias de pele (queimaduras)

·          Infecções de ouvido

·          Infecçoes oculares

·          Endocardite

·          Bacteremia

·          Infecções de vias urinárias

 

Demais bactérias com importância médica

 

B. cepacia: epidemiologia e patogenia semelhanteà P.aeruginosa, porém é menos virulenta

B. pseudomallei: saprófita, ubíqua, muito frequente no sudeste asiático. É responsável pela mielidose que é uma infecção supurativa aguda ou infecção pulmonar crônica, a qual é rara no Brasil.

S.maltophillia: Ela é muito oportunista e resistente à antibioticoterapia. É responsável pelas infecções hospitalares, na maioria delas, e são caracterizadas por bacteremia, pneumonia, meningite, infecções do trato urinário, etc.

A. baumandii: Ela é de flora normal da orofaringe, é oportunista e responsável por infecção da vias aéreas, urinárias, de feridas e por sepsemia.

Moraxella catarhalis: Ela participa da flora normal das vias superiores e causa bronquite ou broncopneumonia em idosos e indivíduos com doença pulmonar crônica.

Comentários