Guia para apresentação de teses

Guia para apresentação de teses

(Parte 1 de 11)

1 Apresentação

Em um processo de constante atualização, o “Guia de Apresentação de Teses” se apresenta em sua 2ª. Edição atualizada, tendo como objetivo central orientar pesquisadores e alunos de pós-graduação da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo para elaboração de dissertações de mestrado e teses de doutorado, bem como de artigos para divulgação científica.

A característica multidisciplinar da área de Saúde Pública, com a necessidade cada vez maior de práticas interdisciplinares em seus processos de produção, divulgação e aplicação do conhecimento científico, envolvendo, incorporando e dialogando com variadas outras áreas do conhecimento, faz com que seja relevante colocar à disposição desta comunidade informações pertinentes sobre tipos de pesquisas, formas de divulgação científica e normas para referências bibliográficas e citações.

Cabe destacar a relevância do trabalho realizado para mais esta edição, sob responsabilidade das Professoras Ângela Maria Belloni Cuenca, Maria Teresinha Dias de Andrade, Daisy Pires Noronha e Bibliotecária Maria Lúcia Evangelista de Faria Ferraz. A Comissão de Pós-Graduação acompanhou este trabalho por meio dos Professores Augusta Thereza de Alvarenga, Paulo Capel Narvai e Arlindo Philippi Jr., como seus representantes, aprovando-o como guia oficial da Faculdade de Saúde Pública para apresentação de dissertações e teses.

Em conclusão, cumpre mencionar a contribuição desta obra para o oferecimento e manutenção de uma identidade para a coleção de dissertação e teses que compõe o acervo bibliográfico da Faculdade, atualmente também disponibilizada eletronicamente pela Universidade de São Paulo.

Pelo que representa, este guia cumpre uma importante missão e torna-se cada vez mais uma referência para a área.

Boa leitura e bom uso. São Paulo, 1 de agosto de 2008.

Arlindo Philippi Jr. Presidente da Comissão de Pós-Graduação

2 Nota Explicativa

Este Guia tem como objetivo orientar os alunos da Faculdade de Saúde Pública da

USP (FSP/USP) na elaboração de suas dissertações e teses, fornecendo-lhes instruções sobre como apresentá-las nos seus variados aspectos de forma, abordando os principais tipos de estudos em que são desenvolvidas.

Teses e dissertações são importantes fontes de informação especializada que requerem boa elaboração e normalização para serem aceitas no meio acadêmico.

A presente edição representa uma revisão e atualização do "Guia de Apresentação de Teses", editado em 1998 (e reimpresso em 2001), com a inserção de normas que atendem aos diferentes tipos de trabalhos científicos no campo da saúde pública. Reflete a experiência da Biblioteca da FSP na orientação para a elaboração de teses, sobretudo na normalização documentária, na convivência diária com alunos e docentes da pósgraduação e no apoio às publicações da Faculdade.

São várias as mudanças nesta edição, porém, a mais significativa refere-se às normas para as referências bibliográficas, agora com a possibilidade de opção entre duas: as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT*, ou das do Grupo de Vancouver**, adotadas desde 1998. Isto possibilitará ao autor a escolha da norma mais adequada à tendência da área do conhecimento que norteia sua temática de saúde pública.

Para facilitar a consulta, os exemplos das referências estão separados do texto, no Anexo. Os demais modelos de capa, folha de rosto, resumos, índices etc., são apresentados ao longo do texto.

Considerando a forte pressão para se publicar os achados de pesquisa resultantes da pósgraduação, foram acrescentadas informações sobre a divulgação da tese, seja na forma de artigos ou livros, seja no seu formato eletrônico. Acredita-se que com isso o pósgraduando e seu orientador sejam estimulados a publicar os resultados de suas teses e dissertações.

Os exemplos utilizados foram obtidos no acervo da Biblioteca da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo e na internet, por meio da Biblioteca Virtual em Saúde Pública, com a finalidade de melhor ilustrar a redação científica da área de saúde pública.

O presente Guia está estruturado com os seguintes capítulos que apresentam:

1. Conceituação de teses e dissertações e, em linhas gerais, as etapas para sua construção. 2. Modalidades de estudos e padrões de estrutura de texto para os trabalhos científicos.

3. Os sistemas alternativos de citações, oferecendo ao autor a opção de escolha do sistema de citação que melhor atenda às tendências da temática do trabalho desenvolvido: autor e ano; autor, número e ano. 4. Recomendações para apresentação de tabelas, quadros e figuras. 5. Normas para elaboração de referências bibliográficas, Vancouver e

ABNT. Os exemplos de aplicação dessas normas estão apresentadas no Anexo deste Guia. 6. Tipo de resumo e uso de descritores e palavras-chave. 7. Preparo e organização de teses nos formatos impresso e eletrônico. 8. Orientação sobre como divulgar a tese no formato de artigo de periódico, livro e nos portais corporativos e bibliotecas virtuais. 9. Relação das fontes consultadas que serviram de apoio à construção deste Guia.

Anexo: Modelos para referências bibliográficas no estilo Vancouver e ABNT.

Além desses itens, o Guia é finalizado com um índice remissivo para facilitar a consulta ao seu conteúdo.

Profa. Dra. Angela Maria Belloni Cuenca Diretora da Biblioteca/CIR

INTRODUÇÃO1

Os cursos de pós-graduação, no que se refere a mestrado e doutorado, têm como exigência final a apresentação de uma monografia designada dissertação, para mestrado, e tese, para doutorado.

Tanto a dissertação quanto a tese são trabalhos acadêmicos de conclusão dos cursos de pós-graduação que devem ser elaborados de acordo com metodologias de trabalho científico. No mestrado, o aluno desenvolve um trabalho científico cuja finalidade é demonstrar sua capacidade de recolher, aplicar, analisar e transmitir informações científicas sem necessariamente trazer novo conhecimento à ciência. No doutorado, o aluno deve ter domínio do tema tratado, e produzir trabalho original, sob novo enfoque teórico.

Teses e dissertações são designadas neste Guia como teses.

Para a elaboração de uma tese de pós-graduação em saúde pública é sempre desafiante, para os alunos, a escolha do tema de suas teses, dada a multi e interdisciplinaridade desse campo. A escolha do tema sofre as conseqüências desse desafio. A busca da bibliografia antecedendo a essa escolha passa a ser de grande utilidade para vencer esses desafios. A leitura do que for mais significativo e atualizado sobre o tema torna o trabalho consistente. Com a atualização do conhecimento já adquirido sobre a temática, o aluno terá condições para definir e delimitar o tema que será desenvolvido em sua tese. Nesta fase a busca bibliográfica será complementada. Isso lhe dará os elementos necessários para justificar essa escolha e definir os objetivos do estudo. Nos casos de trabalhos de pesquisa, devem também definir o problema a ser investigado e as hipóteses.

Prosseguindo, o aluno terá que planejar sua pesquisa e estabelecer o método a ser utilizado e que seja mais adequado à sua proposta de trabalho. Na seqüência, virá a execução da pesquisa com a coleta dos dados, a tabulação e análise dos resultados. De posse de todos esses dados e mais da literatura anotada, há que se construir o texto da tese. Os elementos que constituirão o referido texto ou discurso científico já estarão disponíveis. Agora é organizálos, começando com a problematização do tema da pesquisa, definindo hipóteses, estabelecendo os objetivos, descrevendo os procedimentos e métodos utilizados, seguindo-se a descrição dos dados obtidos, para depois discutilos valendo-se dos seus achados, dialogando com autores de outros trabalhos que possam ser comparados, confirmados ou não. Desse diálogo, de onde devem ser destacados os novos conhecimentos, conclui-se a redação do texto.

Essas etapas representam, em linhas gerais, os elementos para se construir uma tese baseada em pesquisa, seja com a adoção do método quantitativo como do qualitativo. O que pode alterar é a estrutura interna dos textos, nos aspectos de suas peculiaridades. Portanto, o aluno pode apresentar sua tese em uma ou outra dessas modalidades, de acordo com o seu projeto de pesquisa. Sugerimos a leitura de alguns livros, citados na bibliografia do presente guia.

Além das citadas modalidades para um trabalho de pesquisa, o aluno pode escolher um outro tipo, que são os trabalhos denominados de revisão ou atualização. Ambos baseiam-se na busca de informações já publicadas sobre o tema escolhido. O que distingue uma da outra é o grau de profundidade e exaustividade em que se analisam as informações selecionadas. As revisões requerem do autor muita experiência no tema desenvolvido. Sugere-se a leitura dos autores citados na bibliografia, além da consulta aos advances especializados e seções de revisões nas revistas científicas de prestígio.

Uma outra modalidade mais recente, também aceita como trabalho de tese, é a meta-análise, equivalente a um trabalho de pesquisa, embora analise fontes bibliográficas, mas em outra dimensão*.

Em conclusão, embora os estudos apresentem diferentes tipos de pesquisa, enfoques, metodologias e resultados para o conhecimento, não existem diferenças significativas em relação aos requisitos para sua apresentação formal.

* Centro Cochrane do Brasil. Revisões Cochrane [on-line]. Disponível em: http://www.centrocochranedobrasil.org.br, acesso em: 23 ago 2005.

ESTRUTURA DO TEXTO DA TESE2

O texto de uma tese segue os padrões dos trabalhos científicos, variando sua estrutura de acordo com o método escolhido e modalidade de trabalho.

2.1 PESQUISA QUANTITATIVA

O conteúdo e organização das informações de teses classificadas em pesquisa original quantitativa seguem a estrutura convencional, amplamente aceita e adotada no meio científico mundial para comunicação de artigos de pesquisa. Entretanto, para uma tese, e sobretudo para a área da saúde pública, permite-se maior flexibilidade na organização de seu conteúdo. Assim, a estrutura convencional pode sofrer modificações, a critério do autor/orientador. A estrutura de uma tese de pesquisa quantitativa obedece a uma organização lógica do conteúdo, com uma descrição que vai desde o porquê da realização do trabalho, seu problema e objetivos, passando pelos procedimentos metodológicos, resultados e discussão, visando demonstrar um novo conhecimento científico, sobretudo nas teses de doutorado. Para maiores informações deve ser consultada a bibliografia sobre organização e estrutura de trabalhos de pesquisa. De uma forma resumida, é apresentada a seguir a estrutura convencional do texto de uma tese de pesquisa quantitativa.

Introdução

Deve explicitar os motivos da realização do estudo e destacar sua importância, fornecendo os antecedentes que o justifiquem. Deve conter uma revisão da literatura em que se apresenta a evolução da temática, sua problematização e relevância para o campo da saúde pública, como objeto de investigação. Dependendo da extensão da revisão, ela pode ser destacada da "Introdução", em capítulo à parte denominado "Revisão da literatura" ou "Referencial teórico", quando for o caso. Quando relevante, sobretudo nos casos de doutorado, as hipóteses são destacadas em capítulo à parte, antes dos objetivos.

Objetivos

Nesta parte são apresentados os propósitos do estudo que nortearão o desenvolvimento do trabalho. Os objetivos devem ser precisos e claros, explicitando o que o estudo deverá alcançar. Podem ser desdobrados em geral e específicos e apresentados separadamente. Atenção para não manter objetivos do projeto original que não chegaram a ser objeto de análise da tese, dada a dinâmica da pesquisa.

Métodos

Referem-se à descrição completa dos procedimentos metodológicos que permitem justificar, em função do problema de investigação e dos objetivos definidos, a qualidade científica dos dados obtidos. Devem ser apresentados dados sobre: localidade onde foi realizada a pesquisa, população estudada, tipo de amostra, variáveis selecionadas, técnicas e métodos de coleta, processamento e análise dos dados, incluindo os de natureza estatística.

As questões de ética da pesquisa devem necessariamente ser avaliadas e aprovadas por uma comissão específica para esse fim, em geral existente na instituição onde o estudo é realizado. Portanto, essa informação, deve estar explícita nesta parte da tese.

Para este capítulo podem ser adotadas outras denominações como por exemplo, Material e Métodos, Procedimentos Metodológicos, Metodologia, Métodos e Técnicas.

Resultados

Devem ser apresentados de forma objetiva, exata e lógica, sem interpretações ou comentários pessoais, mas devidamente descritos.

Incluem-se nesta parte tabelas, quadros ou figuras em geral. Não devem ser descritos no texto todos os dados das tabelas e quadros, destacando-se apenas as observações mais importantes que serão objetos de discussão.

Lembrar que há sempre o recurso de se colocar, em Anexo, outras tabelas, quadros ou figuras que possam complementar os dados para o melhor entendimento dos examinadores e leitores.

Discussão

(Parte 1 de 11)

Comentários