Período Embrionário

Período Embrionário

Período embrionário

  • Período embrionário

  • Inicio: após fertilização

  • Termino: quando adquire características para ser reconhecido como ser humano

  • ( duração: 9 semanas )

  • PRIMEIRA SEMANA EMBRIONÁRIA

EMBRIOBLASTO: HIPOBLASTO (7 DIAS)

  • EMBRIOBLASTO: HIPOBLASTO (7 DIAS)

ESTÁGIO LACUNAR DO DESENVOLVIMENTO DO TROFOBLASTO

  • ESTÁGIO LACUNAR DO DESENVOLVIMENTO DO TROFOBLASTO

    • LACUNAS NO SINCICIOTROFOBLASTO (SANGUE MATERNO + SECREÇÕES DAS GL. ENDOMETRIAIS ERODIDAS): EMBRIOTRÓFICO
    • RAMOS ARTERIAIS E VENOSOS DOS VASOS SANG. MATERNOS CONTACTAM C/ LACUNAS DO SINCICIOTROFOBLASTO

ESTÁGIO LACUNAR DO DESENVOLVIMENTO DO TROFOBLASTO

  • ESTÁGIO LACUNAR DO DESENVOLVIMENTO DO TROFOBLASTO

    • 10º DIA TOTALMENTE IMPLANTADO
    • REDES LACUNARES ( CIRCULAÇÃO UTEROPLACENTÀRIA PRIMITIVA)
    • CELOMA EXTRA-EMBRIONÁRIO

A IMPLANTAÇÃO DO BLASTOCISTO SE COMPLETA DURANTE A 2ª SEMANA DO PERIÓDO PRÉ-EMBRIONÁRIO

  • A IMPLANTAÇÃO DO BLASTOCISTO SE COMPLETA DURANTE A 2ª SEMANA DO PERIÓDO PRÉ-EMBRIONÁRIO

FORMAÇÃO DE DISCO EMBRIONÁRIO BILAMINAR:

  • FORMAÇÃO DE DISCO EMBRIONÁRIO BILAMINAR:

  • a) EPIBLASTO (CÉLS CILINDRICAS)

  • b) HIPOBLASTO (CÉLS CUBÓIDES)

LOCAL DE IMPLANTAÇÃO: COÁGULO DE FIBRINA

  • LOCAL DE IMPLANTAÇÃO: COÁGULO DE FIBRINA

  • IMPLANTAÇÃO DO TIPO INTERSTICIAL

TUBA UTERINA

  • TUBA UTERINA

  • CAVIDADE ABDOMINAL

  • CAVIDADE PÉLVICA

  • OVÁRIOS

  • ÓSTIO UTERINO

ENTRE O CITOTROFOBLASTO E O EPIBLASTO APARECEM PEQUENOS ESPAÇOS QUE FORMARÃO A CAVIDADE AMNIÓTICA

  • ENTRE O CITOTROFOBLASTO E O EPIBLASTO APARECEM PEQUENOS ESPAÇOS QUE FORMARÃO A CAVIDADE AMNIÓTICA

  • FORMAÇÃO DO SACO VITELINO PRIMITIVO

  • LACUNAS TROFOBLÁSTICAS DO SINCICIOTROFOBLASTO

POR VOLTA DE 12 DIAS AS LACUNAS SINCICIOTROFOBLÁSTICAS ADJACENTES FUNDEM-SE, FORMANDO REDES LACUNARES QUE DÃO CONSISTÊNCIA ESPONJOSA AO SINCICIOTROFBLASTO

  • POR VOLTA DE 12 DIAS AS LACUNAS SINCICIOTROFOBLÁSTICAS ADJACENTES FUNDEM-SE, FORMANDO REDES LACUNARES QUE DÃO CONSISTÊNCIA ESPONJOSA AO SINCICIOTROFBLASTO

  • AS REDES LACUNARES QUE ESTÃO AO REDOR DO PÓLO EMBRIONÁRIO SÃO OS PRIMÓRDIOS DOS ESPAÇOS INTERVILOSOS DA PLACENTA

MESODERMA SOMÁTICO EXTRA –EMBRIONÁRIO E AS DUAS CAMADAS DE TROFOBLASTO FORMAM O CÓRION

  • MESODERMA SOMÁTICO EXTRA –EMBRIONÁRIO E AS DUAS CAMADAS DE TROFOBLASTO FORMAM O CÓRION

  • CÓRION FORMA A PAREDE DO SACO CORIÔNICO EM CUJO INTERIOR O EMBRIÃO E SEUS SACOS AMNIÓTICO E VITELINO FICAM SUSPENSOS PELO PEDÚNCULO

O CELOMA EXTRA-EMBRIONÁRIO É CHAMADO POSTERIORMENTE DE CAVIDADE CORIÔNICA

  • O CELOMA EXTRA-EMBRIONÁRIO É CHAMADO POSTERIORMENTE DE CAVIDADE CORIÔNICA

GASTRULAÇÃO OU FORMAÇÃO DO DISCO EMBRIONÁRIO TRILAMINAR

  • GASTRULAÇÃO OU FORMAÇÃO DO DISCO EMBRIONÁRIO TRILAMINAR

EPIBLASTO: ECTODERMA

  • EPIBLASTO: ECTODERMA

  • HIPOBLASTO: ENDODERMA

ATRAVÉS DA LINHA PRIMITIVA , NOVAS CÉLULAS ECTODÉRMICAS PRIMITIVAS MIGRAM PARA O INTERIOR DO DISCO GERMINATIVO E SE CONSTITUEM NO MESODERMA INTRA-EMBRIONÁRIO OU MESODERMA

  • ATRAVÉS DA LINHA PRIMITIVA , NOVAS CÉLULAS ECTODÉRMICAS PRIMITIVAS MIGRAM PARA O INTERIOR DO DISCO GERMINATIVO E SE CONSTITUEM NO MESODERMA INTRA-EMBRIONÁRIO OU MESODERMA

Novo estágio no desenvolvimento embrionário

  • Novo estágio no desenvolvimento embrionário

  • Caracteriza-se pela formação de uma cavidade interna ligada ao meio externo por uma abertura

  • Surgimento do arquêntero - intestino primitivo

  • Surgimento dos folhetos embrionários

  • Surgimento do blastóporo

LINHA PRIMITIVA: ACÚMULO E PROLIFERAÇÃO DE CÉLULAS EPIBLÁSTICAS NO PLANO MÉDIO

  • LINHA PRIMITIVA: ACÚMULO E PROLIFERAÇÃO DE CÉLULAS EPIBLÁSTICAS NO PLANO MÉDIO

  • NÓ PRIMITIVO: PROLIFERAÇÃO CEFÁLICA

  • SULCO PRIMITIVO OU FOSSETA PRIMITIVA: DEPRESSÃO DO NÓ PRIMITIVO

QUANDO A LINHA PRIMITIVA APARECE TORNA-SE POSSÍVEL IDENTIFICAR O EIXO CEFÁLICO-CAUDAL DO EMBRIÃO

  • QUANDO A LINHA PRIMITIVA APARECE TORNA-SE POSSÍVEL IDENTIFICAR O EIXO CEFÁLICO-CAUDAL DO EMBRIÃO

  • EXTREMIDADES CEFÁLICA E CAUDAL

  • SUPERFÍCIES DORSAL E VENTRAL

  • LADOS DIREITO E ESQUERDO

MIGRAÇÃO DE CÉLULAS MESENQUIMAIS EM SENTIDO CEFÁLICO A PARTIR DO NÓ PRIMITIVO E FORMAM UM CORDÃO CELULAR MEDIANO

  • MIGRAÇÃO DE CÉLULAS MESENQUIMAIS EM SENTIDO CEFÁLICO A PARTIR DO NÓ PRIMITIVO E FORMAM UM CORDÃO CELULAR MEDIANO

  • CANAL NOTOCORDAL

O PROCESSO NOTOCORDAL OCO E EM FORMA DE BASTÃO PARA DE ESTENDER-SE PORQUE A PLACA PROCORDAL ESTÁ FIRMEMENTE LIGADA AO REVESTIMENTO ECTODERMICO SUPRAJACENTE.

  • O PROCESSO NOTOCORDAL OCO E EM FORMA DE BASTÃO PARA DE ESTENDER-SE PORQUE A PLACA PROCORDAL ESTÁ FIRMEMENTE LIGADA AO REVESTIMENTO ECTODERMICO SUPRAJACENTE.

  • ESTAS CAMADAS GERMINATIVAS FUNDIDAS FORMAM A MEMBRANA OROFARÍNGEA, LOCALIZADA NO FUTURO SÍTIO DA BOCA

BASTÃO CELULAR MANIFESTADO PELA TRANSFORMAÇÃO DO PROCESSO NOTOCORDAL

  • BASTÃO CELULAR MANIFESTADO PELA TRANSFORMAÇÃO DO PROCESSO NOTOCORDAL

  • A NOTOCORDA DEFINE O EIXO PRIMITIVO DO EMBRIÃO E LHE DÁ CERTA RIGIDEZ E INDICA O LOCAL DA FUTURA COLUNA VERTEBRAL

1. DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO NOTOCORDAL, COM ESTENSÃO DA FOSSETA PRIMITIVA E FORMAÇÃO DO CANAL NOTOCORDAL

  • 1. DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO NOTOCORDAL, COM ESTENSÃO DA FOSSETA PRIMITIVA E FORMAÇÃO DO CANAL NOTOCORDAL

  • 2. FUSÃO DO ASSOALHO DO PROCESSO NOTOCORDAL COM O ENDODERMA EMBRIONÁRIO SUBJACENTE

3. FORMAÇÃO DE ABERTURAS NO ASSOALHO DO PROCESSO NOTOCORDAL, QUE COMUNICAM O CANAL NOTOCORDAL COM O SACO VITELINO

  • 3. FORMAÇÃO DE ABERTURAS NO ASSOALHO DO PROCESSO NOTOCORDAL, QUE COMUNICAM O CANAL NOTOCORDAL COM O SACO VITELINO

4. CANAL NOTOCORDAL DESAPARECE

  • 4. CANAL NOTOCORDAL DESAPARECE

  • A FOSSETA PRIMITIVA PERSISTE POR ALGUM TEMPO COMO O CANAL NEURENTÉRICO

  • OS REMANESCENTES DO PROCESSO NOTOCORDAL FORMAM UMA PLACA ACHATADA E COM SULCOS CONHECIDOS COMO PLACA NOTOCORDAL

5.COMEÇANDO NA EXTREMIDADE CEFÁLICA, AS CÉLULAS NOTOCORDAIS PROLIFERAM E A PLACA NOTOCORDAL DOBRA-SE PARA FORMAR A NOTOCORDA

  • 5.COMEÇANDO NA EXTREMIDADE CEFÁLICA, AS CÉLULAS NOTOCORDAIS PROLIFERAM E A PLACA NOTOCORDAL DOBRA-SE PARA FORMAR A NOTOCORDA

6. A NOTOCORDA DESTACA-SE DO ENDODERMA EMBRIONÁRIO QUE NOVAMENTE SE TORNA UMA CAMADA CONTÍNUA FORMANDO O TETO DO SACO VITELINO

  • 6. A NOTOCORDA DESTACA-SE DO ENDODERMA EMBRIONÁRIO QUE NOVAMENTE SE TORNA UMA CAMADA CONTÍNUA FORMANDO O TETO DO SACO VITELINO

ESTRUTURA EM VOLTA DA QUAL SE FORMA A COLUNA VERTEBRAL

  • ESTRUTURA EM VOLTA DA QUAL SE FORMA A COLUNA VERTEBRAL

  • ESTENDE-SE DESDE A MEMBRANA OROFARÍNGEA ATÉ O NÓ PRINITIVO

  • A NOTOCORDA DEGENERA E DESAPARECE ONDE É RODEADA PELOS CORPOS VERTEBRAIS, MAS PERSISTE COMO O NÚCLEO PULPOSO DOS DISCOS INTERVERTEBRAIS

A NOTOCORDA EM DESENVOLVIMENTO INDUZ O ECTODERMA SUPRAJACENTE A FORMAR A PLACA NEURAL

  • A NOTOCORDA EM DESENVOLVIMENTO INDUZ O ECTODERMA SUPRAJACENTE A FORMAR A PLACA NEURAL

  • O PRIMÓRDIO DO SNC

CANAL NEUROENTÉRICO: PEQUENA PASSAGEM CONECTA TEMPORARIAMENTE A CAV. AMNIÓTICA E O SACO VITELINO

  • CANAL NEUROENTÉRICO: PEQUENA PASSAGEM CONECTA TEMPORARIAMENTE A CAV. AMNIÓTICA E O SACO VITELINO

  • QUANDO A NOTOCORDA SE COMPLETA, NORMALMENTE E CANAL NEUROENTÉRICO É OBLITERADO

A LINHA PRIMITIVA FORMA ATIVAMENTE O MESODERMA INTRA-EMBRIONÁRIO ATÉ O FIM DA QUARTA SEMANA

  • A LINHA PRIMITIVA FORMA ATIVAMENTE O MESODERMA INTRA-EMBRIONÁRIO ATÉ O FIM DA QUARTA SEMANA

  • A PARTIR DAÍ DIMINUI A PRODUÇÃO DO MESODERMA E DO MESÊNQUIMA

A LINHA PRIMITIVA DIMINUI EM TAMANHO RELATIVO E SE TORNA UMA ESTRUTURA INSIGNIFICANTE NA REGIÃO SACROCOCCÍGEA DO EMBRIÃO

  • A LINHA PRIMITIVA DIMINUI EM TAMANHO RELATIVO E SE TORNA UMA ESTRUTURA INSIGNIFICANTE NA REGIÃO SACROCOCCÍGEA DO EMBRIÃO

  • EM GERAL A LINHA PRIMITIVA SOFRE MUDANÇAS DEGENERATIVAS E DESAPARECE

PROCESSOS QUE ENVOLVEM A FORMAÇÃO DA PLACA NEURAL, PREGAS NEURAIS E NO FECHAMENTO DELAS PARA FORMAR O TUBO NEURAL

  • PROCESSOS QUE ENVOLVEM A FORMAÇÃO DA PLACA NEURAL, PREGAS NEURAIS E NO FECHAMENTO DELAS PARA FORMAR O TUBO NEURAL

  • ESTES PROCESSOS ESTÃO COMPLETADOS NO FINAL DA QUARTA SEMANA QUANDO OCORRE O FECHAMENTO DO NEURÓSPORO CAUDAL

  • DURANTE A NEURULAÇÃO O EMBRIÃO PODE SER CHAMADO DE NEURULA

A FORMAÇÃO DA PLACA NEURAL É INDUZIDA PELA NOTOCORDA EM DESENVOLVIMENTO

  • A FORMAÇÃO DA PLACA NEURAL É INDUZIDA PELA NOTOCORDA EM DESENVOLVIMENTO

  • NEUROECTODERMA: ECTODERMA DA PLACA NEURAL, DÁ ORIGEM AO SNC QUE CONSISTE NO ENCEFÁLO E NA MEDULA ESPINHAL

EM TORNO DO DIA 18, A PLACA NEURAL SOFRE UMA INVAGINAÇÃO AO LONGO DO SEU EIXO CENTRAL PARA FORMAR NO PLANO LONGITUDINAL MEDIANO UM SULCO NEURAL QUE TEM PREGAS NEURAIS DE CADA LADO

  • EM TORNO DO DIA 18, A PLACA NEURAL SOFRE UMA INVAGINAÇÃO AO LONGO DO SEU EIXO CENTRAL PARA FORMAR NO PLANO LONGITUDINAL MEDIANO UM SULCO NEURAL QUE TEM PREGAS NEURAIS DE CADA LADO

AS PREGAS NEURAIS TORNAM-SE PROEMINENTES NA EXTREMIDADE CEFÁLICA DO EMBRIÃO

  • AS PREGAS NEURAIS TORNAM-SE PROEMINENTES NA EXTREMIDADE CEFÁLICA DO EMBRIÃO

  • ESSAS PREGAS NEURAIS CONSTITUIRÃO OS PRIMEIROS SINAIS DO DESENVOLVIMENTO DO ENCEFÁLO

NO FINAL DA TERCEIRA AS PREGAS NEURAL SE APROXIMAM E SE FUNDEM CONVERTENDO A PLACA NEURAL EM TUBO NEURAL

  • NO FINAL DA TERCEIRA AS PREGAS NEURAL SE APROXIMAM E SE FUNDEM CONVERTENDO A PLACA NEURAL EM TUBO NEURAL

  • O TUBO NEURAL APRESENTA ABERTURAS EM SUAS EXTREMIDADES CEFÁLICA E CAUDAL: NEUROPOROS ROSTRAL E CAUDAL

A NEURULAÇÃO SE COMPLETA QUANDO OS NEUROPOROS ROSTRAL E CAUDAL SE FECHAM

  • A NEURULAÇÃO SE COMPLETA QUANDO OS NEUROPOROS ROSTRAL E CAUDAL SE FECHAM

CRISTA NEURAL SE FORMA QUANDO O TUBO NEURAL SE SEPARA DO ECTODERMA SUPERFICIAL E ESTAS CÉLULAS NEUROECTODERMAIS DENOMINADAS CÉLULAS DA CRISTA NEURAL MIGRAM EM SENTIDO VENTROLATERAL DE CADA LADO DO TUBO NEURAL, FORMANDO UMA MASSA ACHATADA

  • CRISTA NEURAL SE FORMA QUANDO O TUBO NEURAL SE SEPARA DO ECTODERMA SUPERFICIAL E ESTAS CÉLULAS NEUROECTODERMAIS DENOMINADAS CÉLULAS DA CRISTA NEURAL MIGRAM EM SENTIDO VENTROLATERAL DE CADA LADO DO TUBO NEURAL, FORMANDO UMA MASSA ACHATADA

ESTRUTURAS DERIVADAS DA CRISTA NEURAL

  • ESTRUTURAS DERIVADAS DA CRISTA NEURAL

  • GÂNGLIOS ESPINHAIS (RAIZ DORSAL)

  • GÂNGLIOS DO SNA

  • GÂNGLIOS DOS NERVOS CRANIANOS V, VII, IX, X

  • BAINHAS DOS NERVOS

  • REVESTIMENTO MENINGEO DO ENCEFALO E DA M. ESPINHAL

CONTRIBUEM PARA A FORMAÇÃO DAS CÉLULAS PIGMENTARES, DA MEDULA DA SUPRA RENAL

  • CONTRIBUEM PARA A FORMAÇÃO DAS CÉLULAS PIGMENTARES, DA MEDULA DA SUPRA RENAL

  • VÁRIOS COMPONENTES ESQUELÉTICOS E MUSCULARES NA CABEÇA

Comentários