Aula 03 e 04 histologia Tecido epitelial

Aula 03 e 04 histologia Tecido epitelial

Tecido Epitelial Tecido Epitelial

Estudo dos tecidos biológicos, sua formação, estrutura e função.

• Células geralmente poliédricas (justapostas).

• Pouca substância extracelular

- excreção,

- secreção,

- proteção,

- sensorial. • Não vascularizado

Células unidas firmemente umas às outras formando camadas contínuas mantidas através de complexos juncionais.

Pequenas papilas de tecido conjuntivo

Vasos sanguíneos

Tecido epitelial

Membrana basal

Tecido Conjuntivo

Tecido Epitelial

•Encontramos este tecido de duas formas:

–Revestimento – Glandular

Tecido Epitelial de Revestimento Tecido Epitelial de Revestimento

Tecido Epitelial

• Apoiado numa camada de tecido conjuntivo.

• Ligado à este pela membrana basal, que é sintetizada pelas células epiteliais.

• O tecido conjuntivo contém os vasos sangüíneos que nutrem o epitélio por difusão.

Tecido epitelial

Membrana basal Tecido conjuntivo

Membrana basal (lâmina basal) Membrana basal (lâmina basal)

Separa e prende o epitélio ao tecido conjuntivo adjacente, permitindo porém a passagem de diversas moléculas (laminina).

Junções celulares

• Ocorrem em todos tecidos, mas são especialmente importantes no epitelial.

• Células epiteliais caracterizam-se por estar em íntimo contato umas com as outras e são extremamente aderidas entre si.

• O cálcio e o glicocálix são os primeiros elementos a participar da coesão celular.

• Junções impermeáveis ou junções de

oclusão: Ocorre a fusão das membranas (Int. delgado e vias urinárias)

• Junções de ancoragem: - ligadas a filamentos actinícos:

cel/cel cintos de adesão cel/matriz contato focal

- ligadas a filamentos intermediários:

cel/cel desmossomos cel/matriz hemidesmossomos

• Junções comunicantes (GAP): São

mediadoras de sinais elétricos e químicos através das conexinas (m. cardíaco)

Junções celulares

impermeáveis comunicantes ancoragem Junções celulares

Especializações da membrana celular

• Cílios: dotados de movimentos dependentes da proteína dineína (traquéia, fossas nasais e tubas uterínas)

• Estereocílios: não possuem movimentos e são encontrados nas células epiteliais que revestem o ducto deferente. Aumentam a superfície celular.

• Flagelos: prolongamentos longos e únicos dotados de movimentos (espermatozóides)

• Microvilos: projeções observadas ao ME. Aumentam a superfície de absorção. (intestino delgado e tubos contorcidos proximais dos rins)

Cílios Especializações da Membrana Celular

Flagelo Estereocílios

Microvilosidades

Glicocálix

Funções:

● Adesão celular; ● Reconhecimento celular;

● Inibição por contato (determina o crescimento dos órgãos);

● Proteção da superfície celular

Cobertura formada por carboidratos ligados à proteínas e lipídios da membrana plasmática (glicoproteínas e glicolipídeos):

Classificação dos epitélios de revestimento

–Quanto ao número de camadas

• Simples • Estratificados

• Pseudo-estratificados

–Quanto à forma da célula:

• Pavimentosas • Cúbicas

•Cilíndricas (ou Colunar).

Pavimentosas

Cúbicas Cilíndricas

Formas e características

•O núcleo reproduz, aproximadamente a forma da célula.

››núcleo arredondado: célula cúbica

››núcleo elíptico ou ovóide: célula cilíndrica

››núcleo achatado: célula pavimentosa

1. Tecido epitelial pavimentoso simples

Uma só camada de células apoiadas sobre uma lâmina basal.

Alvéolos pulmonares Alça de Henle Folheto parietal da cápsula de Bowman Ouvido médio e interno Vasos sanguíneos e linfáticos Cavidade pleural e peritonial Pericárdio

Endotélio:epitélio que reveste os vasos.

1. Tecido epitelial pavimentoso simples

1. Tecido epitelial pavimentoso simples

Endotélio:epitélio que reveste os vasos.

Folheto parietal da cápsula de Bowman

1. Tecido epitelial pavimentoso simples

2. Tecido epitelial cúbico simples

Ductos de muitas glândulas Revestimento do ovário Formação de túbulos renais

2. Tecido epitelial cúbico simples Ovário

3. Tecido epitelial cilíndrico simples

Seios paranasais Ovidutos Ductos deferentes do testículo Útero Pequenos brônquios Grande parte do tubo digestivo Vesícula biliar Grandes ductos de algumas glândulas

3. Tecido epitelial cilíndrico simples Duodeno

3. Tecido epitelial cilíndrico simples Oviduto

4. Tecido epitelial pseudo-estratificado cilíndrico ciliado

Células com núcleos em diferentes alturas, porém todas tocando a lâmina basal

Grande parte da traquéia Brônquios primários Tuba auditiva Parte da cavidade timpânica Cavidade nasal Saco lacrimal Ductos excretores grandes.

4. Tecido epitelial pseudo-estratificado cilíndrico ciliado

Traqueia

5. Tecido epitelial pavimentoso estratificado NÃO queratinizado

•Camada basal: células cúbicas. •Intermediárias: células polimorfas.

•Superfície: células pavimentosas..

•Geralmente mucosas: boca, orofaringe, esôfago e vagina.

5. Tecido epitelial pavimentoso estratificado NÃO queratinizado

Esôfago

6. Tecido epitelial pavimentoso estratificado queratinizado

Epiderme

As células da superfície são anucleadas!

Células queratinizadas (núcleo e citoplasma substituído por queratina) -mortas

Derme

6. Tecido epitelial pavimentoso estratificado queratinizado

Pele

7. Tecido epitelial estratificado cúbico

Formado por somente duas camadas de células cúbicas. Reveste os ductos das glândulas sudoríparas.

8. Tecido epitelial estratificado cilíndrico

Constituído por uma camada mais profunda de células cúbicas em contato com a lâmina basal, e uma camada superficial de células cilíndricas.

conjuntiva do olho, alguns ductos excretores e regiões da uretra.

9. Tecido epitelial de transição

Trato urinário desde os cálices renais até a uretra.

Células que alteram a sua forma conforme a necessidade

9. Tecido epitelial de transição Ureter

TipoForma das células superficiais

Exemplo de localizaçãoFunções

Simples pavimentoso

Achatada Revestimento: Alvéolos pulmonares, alça de Henle, folheto parietal da cápsula de Bowman, ouvido médio e interno, vasos sanguíneos e linfáticos, cavidade pleural e peritonial, pericárdio.

Membrana limitante, transporte de líquidos, troca gasosa, lubrificação, redução do atrito (contribuindo para o movimento das vísceras), membrana de revestimento.

Simples cúbico Cúbica Ductos de muitas glândulas, revestimento do ovário, formação de túbulos renais

Secreção, absorção e proteção

Simples cilíndrico Cilíndrica Revestimento: Seios paranasais, ovidutos, ductos eferentes do testículo, útero, pequenos brônquios, grande parte do tubo digestivo, vesícula biliar, e grandes ductos de algumas glândulas

Secreção, absorção, transporte e proteção.

Pseudoestratificado

Todas repousam na lâmina basal, porém nem todas alcançam a superfície. As da superfície são cilíndricas.

Revestimento: grande parte da traquéia, brônquios primários, epidídimo, ducto deferente, tuba auditiva, parte da cavidade timpânica, cavidade nasal, saco lacrimal, uretra masculina, e ductos excretores grandes.

Secreção, absorção, transporte, proteção e lubrificação.

Classificação do epitélio de revestimento

TipoForma das células superficiais

Exemplo de localizaçãoFunções

Estratificado pavimentoso não queratinizado

Achatadas com núcleo. Revestimento: boca, epiglote, esôfago, cordas vocais , vagina.

Proteção, secreção

Estratificado pavimentoso queratinizado Achatadas sem núcleo. Epiderme Proteção

Estratificado cúbico Cúbica Revestimento: ductos das glândulas sudoríparas.

Absorção,secreção

Estratificado cilíndrico Cilíndrica Conjuntiva dos olhos, alguns ductos excretores grandes e porções da uretra masculina.

Proteção,absorção e secreção

Transição Globosa (relaxada),

Achatada (distendida)

Revestimento: trato urinário desde os cálices renais até a uretra.

Proteção, distenção.

Classificação do epitélio de revestimento

Tecido Epitelial Glandular Tecido Epitelial Glandular

• Epitélio constituído por células que produzem secreções.

• Epitélios de revestimento também podem ser secretores. Ex.: epitélio gástrico.

Conceituação:

• Proteínas: pâncreas

• Carboidratos: célula caliciforme

• Lipídeos, hormônios esteróides: glândulas sebáceas, células enteroendócrinas.

• Complexos de carboidratos e proteínas: glândulas salivares

• Lipídeos, proteínas e carboidratos: glândulas mamárias

• Exsudato recebido do sangue: glândulas sudoríparas

Composição das secreções glandulares:

Classificação quanto ao modo como a substância é liberada:

• Merócrinas: secreção liberado por intermédio de vacúolos, sem a perda do citoplasma(exocitose.) Ex.: ácinos serosos do pâncreas e células caliciformes, encontradas em todo o intestino e na traquéia.

• Holócrinas: a célula secretora morre e torna-se o próprio produto de secreção da glândula. O citoplasma inteiro é convertido em secreção. Ex.: glândulas sebáceas.

• Apócrinas: a perda de citoplasma é mínima. A conclusão é que estas glândulas apócrinas seriam realmente glândulas merócrinas. Ex.: glândulas sudoríparas de certas partes do corpo.

Classificação quanto ao modo como a substância é liberada:

Classificação quanto ao número de células

Pluricelulares:Unicelulares: - Células caliciformes

Classificação quanto ao número de células

Classificação quanto à presença de ductos excretores

Glândulas exócrinas: apresentam porções secretora e condutora

intensamente vascularizada

Glândulas endócrinas: não existem ductos e a porção secretora é

Porção secretora Porção condutora

• Glândulas cordonais: as células dispõem-se em cordões separados por capilares sangüíneos. Não há armazenamento de secreção. Ex.: paratireóide, hipófise, ilhotas de Langerhans do pâncreas, adrenal.

• Glândulas vesiculares: as células agrupam-se formando vesículas, que armazenam os produtos secretados antes de eles atingirem a corrente sangüínea. Ex.: tireóide.

Tecido Epitelial Glandular Endócrino Cordonal Irregular - pâncreas(H.E)

Tecido Epitelial Glandular Endócrino Vesicular - Tireóide

Classificação quanto à ramificação do ducto das glândulas exócrinas multicelular

• Glândulas simples: um ducto secretor não

ramificado. Ex.: glândulas sudoríparas (pele).

• Glândulas compostas:

ductos ramificados. Ex.:

glândulas endometriais, encontrada no útero.

Quanto à forma de unidade secretora

• Glândulas tubulares: possui a forma de um ducto. Ex.: glândulas sudoríparas (pele), liberkühn (intestino).

• Glândulas acinosas ou alveolares: possui um aspecto mais arredondado. Ex.: glândulas sebáceas (pele, pâncreas), glândulas salivares.

• Glândulas tubulo-acinosas : possuem os dois tipos de unidades secretoras, tubulares e actinosas. Ex.: glândula mamária, glândula submandibular e gástricas.

Comentários