Feridas e curativos

Feridas e curativos

FERIDA

  • FERIDA

  • X

  • HOMEM

  • ?

Plantas ou seus extratos como cataplasma e umidificantes de feridas abertas, muito eram ingeridos.

  • Plantas ou seus extratos como cataplasma e umidificantes de feridas abertas, muito eram ingeridos.

  • Medicina Egípcia: relatos de produtos tópicos para utilização em feridas;

  • 2700 a.C., “Farmácia da Sujeira”;

  • Empirismo

1550 a.C., papiros egípcios de Ebers e Smith registravam inúmeras porções e drogas utilizadas na farmacopéia atual;

  • 1550 a.C., papiros egípcios de Ebers e Smith registravam inúmeras porções e drogas utilizadas na farmacopéia atual;

  • Ferimento eram amarrados em tiras de linha impregnadas com resina ou atadas com carne fresca;

  • Uso do salgueiro como antiinflamatório para feridas infectadas e da cicatrização para hemostasias;

Mesopotâmico (2000 a.C.) : uso do salgueiro e do zimbro;

  • Mesopotâmico (2000 a.C.) : uso do salgueiro e do zimbro;

  • Indus: tinham uma vasta farmacopéia do Txraca, com mais de 500 fórmulas medicamentosas de uso tópico e sistêmico;

  • Chineses (2800 a.C.): primeiro a relatar o uso do mercúrio;

  • Mexicanos e peruanos: mactelu como anti- séptico.

Hipócrates: médico na história grega, foi o primeiro a sugerir o tratamento de feridas infectadas com calor, uso de pomadas e remoção de material necrosado.

  • Hipócrates: médico na história grega, foi o primeiro a sugerir o tratamento de feridas infectadas com calor, uso de pomadas e remoção de material necrosado.

Aulus Cornelius Celsius

  • Aulus Cornelius Celsius

EPIDERME – CAMADA SUPERFICIAL

  • EPIDERME – CAMADA SUPERFICIAL

  • * Células (queratinócitos, melanócitos, Langerhans e Merkel);

  • * Cinco subcamadas (córnea, lúcida, granulosa, espinhosa e basal).

DERME – CAMADA PROFUNDA

  • DERME – CAMADA PROFUNDA

  • * Duas subcamadas (papilar e reticular);

  • * Origina os anexos;

  • * Tem vasos e terminações nervosas;

CAMADA SUBCUTÂNEA – SOB A PELE

  • CAMADA SUBCUTÂNEA – SOB A PELE

  • Tecido conjuntivo frouxo e adiposo;

  • * Tem vasos;

ANEXOS:

  • ANEXOS:

  • Unhas;

  • Pelos;

  • Glândulas sudoríparas;

  • Glândulas sebáceas;

BARREIRA CONTRA AS INFECÇÕES;

  • BARREIRA CONTRA AS INFECÇÕES;

  • TERMORREGULAÇÃO;

  • EQUILÍBRIO HIDROELETROLÍTICO:

  • METABOLISMO

  • FOTOPROTEÇÃO;

  • RELAÇÃO COM O MEIO.

É a reposição de um tecido lesado por tecido conjuntivo não especializado (fibroso).

  • É a reposição de um tecido lesado por tecido conjuntivo não especializado (fibroso).

INFLAMATÓRIA;

  • INFLAMATÓRIA;

  • PROLIFERATIVA;

  • MATURATIVA.

Por primeira intenção

  • Por primeira intenção

Segunda intenção:

  • Segunda intenção:

POR TERCEIRA INTENÇÃO (retardada):

  • POR TERCEIRA INTENÇÃO (retardada):

  • * Em feridas que não foram suturadas (drenos, ostomias, infecções); ou que foram suturadas tardiamente; ou que sofreram reabertura (por deiscência ou para drenagem);

Cicatriz normotrófica:

  • Cicatriz normotrófica:

  • A NOVA PELE ADQUIRE A TEXTURA E COLORAÇÃO MUITO SEMELHANTE A PELE.

SURGEM GERALMENTE POR SUTURA INADEQUADA OU PERDA DE SUBSTÂNCIA TECIDUAL.

  • SURGEM GERALMENTE POR SUTURA INADEQUADA OU PERDA DE SUBSTÂNCIA TECIDUAL.

OCORRE QUANDO O COLÁGENO FORMA-SE EM QUANTIDADE NORMAL , MAS SUA ORGANIZAÇÃO É INADEQUADA.

  • OCORRE QUANDO O COLÁGENO FORMA-SE EM QUANTIDADE NORMAL , MAS SUA ORGANIZAÇÃO É INADEQUADA.

Semelhantes as cicatrizes hipertróficas, mas a proporção do colágeno tipo I para o tipo III é muito mais alta do que na pele normal.

  • Semelhantes as cicatrizes hipertróficas, mas a proporção do colágeno tipo I para o tipo III é muito mais alta do que na pele normal.

MALHA ELÁSTICA / LÂMINA DE SILICONE

  • MALHA ELÁSTICA / LÂMINA DE SILICONE

  • * Perfusão e oxigenação do tecido;

  • * Oxigenação ;

  • * Estado nutricional;

  • * Estado imunológico;

  • * Medicamentos (corticóides, quimioterápicos);

  • * Tabagismo, Etilismo;

  • * Diabetes, Distúrbios de circulação;

A nutrição adequada é um dos mais importantes aspectos para o sucesso do processo de cicatrização, pois a dinâmica da regeneração tecidual exige um bom estado nutricional do paciente e consome boa parte de suas reservas corporais.

  • A nutrição adequada é um dos mais importantes aspectos para o sucesso do processo de cicatrização, pois a dinâmica da regeneração tecidual exige um bom estado nutricional do paciente e consome boa parte de suas reservas corporais.

 

  •  

  • Desnutrição;

  • Deficiência de vitaminas A, C, ou K.

  • Deficiência protéica.

  • Deficiência de zinco. 

Proteínas: Contribuem para a síntese do colágeno, remodelagem da ferida e resposta imunológica. 

  • Proteínas: Contribuem para a síntese do colágeno, remodelagem da ferida e resposta imunológica. 

  • Carboidratos: Fornecem energia para as atividades dos leucócitos e dos fibroblastos.

 

  •  

  • Vitamina C: Contribui para a síntese do colágeno, função dos neutrófilos, migração dos macrófagos, síntese de complementos e imunoglobulinas, além de aumentar a cicatrização. 

  • Vitamina A: Aumenta a velocidade da síntese de colágeno. 

  • Zinco: Aumenta a proliferação de células e a epitelização.

  • Cobre: Também contribui para a síntese do colágeno.

  •  

- Prática integrativa e complementar em saúde;

  • - Prática integrativa e complementar em saúde;

  • - Valorização do conhecimento popular;

  • - Eficaz e menos agressivo ao organismo.  

- Cana de açúcar; - Cajueiro; - Calêndula; - Barbatimão; - Confrei; - Mamão; - Babosa; - Espinheira Santa.

  • - Cana de açúcar; - Cajueiro; - Calêndula; - Barbatimão; - Confrei; - Mamão; - Babosa; - Espinheira Santa.

Forma de apresentação:

  • Forma de apresentação:

    • pó, gel e pasta.
  • Atuação:

    • Desbridante (enzimático) não traumática, anti-inflamatória, bactericida, estimula a força tensil das cicatrizes, pH ótimo de 3 12, atua apenas em tecidos lesados, devido a anti-protease plasmática (alfa anti-tripsina).
  • Observações:

    • diluições: 10% para necrose, 4 a 6% para exsudato purulento e 2% para uso em tecido de granulação.
  • Cuidados no armazenamento:

    • (fotossensível) e substancias oxidantes (ferro/iodo/oxigênio), manter em geladeira.

Indicação:

  • Indicação:

    • Queimaduras de primeiro e segundo grau, ulcerações refratárias, dermatite de contato periostomia.
  • Modo de usar:

    • Freqüência de troca 12 à 24 horas.

- Antisséptica;

  • - Antisséptica;

  • - Anti-inflamatória;

  • - Cicatrizante;

  • - Bactericida;

  • - Emoliente

Processo que envolve o uso de fluidos para a remoção de contaminantes inflamatórios e bacterianos, tecidos desvitalizados e corpos estranhos da superfície da ferida, viabilizando a cicatrização”.

  • Processo que envolve o uso de fluidos para a remoção de contaminantes inflamatórios e bacterianos, tecidos desvitalizados e corpos estranhos da superfície da ferida, viabilizando a cicatrização”.

  • Esfregaço

  • Hidroterapia

  • Irrigação * (Pressão abaixo de 15 PSI) sendo ideal: 8 PSI utilizar agulha 40x12 e uma seringa de 20 ml com SF0,9%.

  • Utilização de Antissépticos

Ácido Linoléico - AGE

  • Ácido Linoléico - AGE

  • Sulfadiazina de prata

  • Hidrogel

  • Hidrocolóide

  • Papaína

  • Fibronolisina

  • Alginato de cálcio e sódio

Filme Transparentes

  • Filme Transparentes

  • Hidropolímero

  • ADAPTIC

  • Carvão ativado e prata

  • Ácido graxo essencial (AGE)

  • Produtos derivados do Iodo (PVPI)

  • Clorexidina

Indicação:

  • Indicação:

    • lesões abertas não intactas, e profilaxia das ulceras de pressão.
  • Modo de usar:

    • Aplicar no local afetado utilizando uma gaze; Trocar a cada 12 à 24 horas

Modo de usar:

  • Modo de usar:

    • Freqüência de troca é recomendada a cada 12 horas.

Composição:

  • Composição:

    • 80% íon cálcio +20% íon sódio +ácidos gulurônico e manurônico (derivados de algas marinhas).
  • Forma de apresentação:

    • cordão e placa Ação: hemostasia, debridamento osmótico, grande absorção de exsudato, umidade (formação de gel).

INDICAÇÃO

  • INDICAÇÃO

  • Úlceras por pressão do paciente diabético;

  • Feridas traumáticas e cirúrgicas;

  • Feridas que sangram, exsudativas

  • CONTRA-INDICAÇÃO

  • Feridas com pouca exsudação, com escara.

Composição:

  • Composição:

    • filme de Poliuretano, aderente transparente, elástico e semi-permeável.
  • Ação:

    • umidade, permeabilidade seletiva, impermeável a fluidos.
  • Observação:

    • pode ser utilizado como cobertura secundária.
  • Trocar até 7 dias.

INDICAÇÃO

  • INDICAÇÃO

  • Incisões cirúrgicas;

  • Lesões superficiais não exsudativas;

  • Fixação de curativos primários;

  • Prevenção em áreas sujeitas a atrito;

  • Fixação de drenos e catéteres;

  • Em associação a desbridantes autolíticos

COMPOSIÇÃO

  • COMPOSIÇÃO

  • Almofadas geralmente compostas por três camadas sobrepostas, sendo uma central de hidropolímero , que se expande delicadamente à medida que absorve o exsudato , e duas outras, formadas por não tecido, não aderente, o que evita agressão aos tecidos na remoção.

  • PROPRIEDADES

  • Absorção;

  • Mantém meio úmido;

  • Evita maceração;

  • Barreira Bacteriana (adesivo)

  • Isolamento térmico.

COMPOSIÇÃO

  • COMPOSIÇÃO

  • MALHA DE ACETATO DE CELULOSE IMPREGNADA COM EMULSÃO DE PETROLATUM HIDROSSOLÚVEL (Adaptic*)

  • TELA DE RYLON-VISCOSE IMPREGNADA COM EMULSÃO DE PVPI A 10% (Inadine*)

  • PROPRIEDADES

  • EVITA ADERÊNCIA

  • PROTEGE O TECIDO NEOFORMADO

  • REDUZ A DOR NAS TROCAS

  • POROS: TRÂNSITO DE EXSUDATO

  • MANTÉM UMIDADE NATURAL DO LEITO

  • APRESENTAÇÃO: PLACAS E ROLOS

Matriz de regeneração dérmica (Integra®)

  • Matriz de regeneração dérmica (Integra®)

  • Composição: possui uma camada interna formada por matriz tridimensional, derivada da polimerização do colágeno e glicosaminoglicano (GAG); promove crescimento celular e síntese de colágeno. A camada externa é formada por silicone, que atua como barreira à infecção e proteção mecânica. É indicada em feridas limpas e queimaduras

Trabalhos realizados por Grisotto, citado por Ereno,7 em pacientes com feridas crônicas, portadores de diabetes, apresentaram resultado altamente positivo no processo de granulação e epitelização, devido à propriedade do látex de estimular a angiogênese.

  • Trabalhos realizados por Grisotto, citado por Ereno,7 em pacientes com feridas crônicas, portadores de diabetes, apresentaram resultado altamente positivo no processo de granulação e epitelização, devido à propriedade do látex de estimular a angiogênese.

Composição: formada por óleo mineral, propilenoglicol, ácido cetílico, lauril sulfato de sódio, uréia e parabenos.

  • Composição: formada por óleo mineral, propilenoglicol, ácido cetílico, lauril sulfato de sódio, uréia e parabenos.

  • Ação: cicatrizante, pois mantém o leito úmido, facilita a neoangiogênese e formação de tecido de granulação.

Selecionar o curativo certo para cada fase da lesão cutânea.

  • Selecionar o curativo certo para cada fase da lesão cutânea.

  • Saber estadiar uma lesão cutânea de forma mais precisa possível.

  • Respeitar a fisiologia de cada ser humano no seu processo cicatricial.

Lacerda MR, Oliniski SR. A família e a enfermeira no contexto domiciliar: dois lados de uma realidade. Texto Contexto Enferm. 2003 Set-Dez;12 (3): 307-13.

  • Lacerda MR, Oliniski SR. A família e a enfermeira no contexto domiciliar: dois lados de uma realidade. Texto Contexto Enferm. 2003 Set-Dez;12 (3): 307-13.

  • Duarte YAO, Diego MJE. Atendimento domiciliário - um enfoque Gerontológico. 1ª ed. São Paulo: Atheneu; 2000.

  • Smeltzer SC, Bare BG. Brunner & Suddarth. Tratado de enfermagem médico-cirúrgica. 10ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2005. p. 21-7.

  • Dealey C. Cuidando de feridas- um guia para enfermeiras.São Paulo.Ateneu,cap.5.pp,83-121.

Comentários