Sistema cardíaco

Sistema cardíaco

Sistema cardíaco

A circulação é feita através do tecido sanguíneo. O sangue circula por vasos, as artérias, as veias e os capilares. A circulação humana é dupla, fechada e completa. O sangue passa duas vezes pelo coração em um circuito completo que dura cerca de 1 minuto. O coração é composto de quatro cavidades: dois átrios e dois ventrículos. O átrio direito recebe sangue venoso do corpo através das veias cavas. O ventrículo direito bombeia este sangue para os pulmões, onde ocorre a hematose, através da artéria pulmonar. O sangue arterial entra no átrio esquerdo e é bombeado para o corpo através da sístole do ventrículo esquerdo e sai do coração para o corpo através das artériasaorta e carótidas. As cavidades são separadas por válvulas e há também válvulas entre os ventrículos e os vasos por onde o sangue sai. O miocárdio é o músculo cardíaco (musculatura estriada cardíaca - movimentos involuntários). Ele tem certa independência em relação ao sistema nervoso, pois permite os batimentos cardíacos através de feixes de células que transmitem um impulso elétrico permitindo os movimentos de sístole e diástole de ambos os átrios e ambos os ventrículos. São o nódulo sino-atrial; o nódulo átrio-ventricular; o feixe de Hiss e as fibras de Purkinje. O sangue arterial leva nutrientes, gases respiratórios e hormônios para os tecidos e recolhe excretas e gás carbônico. A troca ocorre ao nível dos capilares, vasos bem finos e o que extravasa e não retorna devido à diferença de pressão na parte arterial e na parte venosa do capilar, é recolhido pela circulação linfática, que também transporta linfócitos, células de defesa do organismo. O que é recolhido é mais tarde levado de volta ao sangue através das veias subclávias.

A veia é todo vaso que entra no coração, não possui fibra elástica, é complacente. Localiza-se em regiões superficiais. e artéria, todo aquele que sai do coração, independente do tipo de sangue que transporta, tem fibra elástica, parede larga e rígida, redonda. Localiza-se em regiões profundas.

Alguns problemas do trato circulatório são: a aterosclerose - endurecimento dos vasos sanguíneos pela deposição de placas de gordura (ateroma); a isquemia - dificuldade de transporte de oxigênio e oxigenação das células em geral; a trombose - entupimento de um vaso, impedindo a passagem do sangue; o acidente vascular cerebral (AVC) - rompimento de uma artéria do cérebro devido a uma elevação brusca da pressão arterial; o infarto- morte do miocárdio devido ao entupimento das artérias que irrigam o coração, as coronárias. Sintomas são angina pectoris (dor no peito esquerdo que irradia para o braço), dor na nuca, sudorese e dificuldade respiratória. Entre as causas dos problemas cardíacos e circulatórios estão o sedentarismo (falta de exercício físico), obesidade, alimentação rica em gordura animal e gordura trans, fumo, estresse, depressão e uso de anabolizantes

QUIMICA DO SISTEMA CARDÍACO

FISIOLOGIA CARDIOVASCULAR III

- Músculo cardíaco devido às estruturas denominadas discos intercalares (possuidores de junções do tipo GAP), formam um sincício funcional (muitas sinapses elétricas são observadas).

Potenciais de ação do músculo cardíaco –

Platô – Devido aos canais de cálcio lentos voltagem dependentes.

Observe abaixo o período refratário observado também no músculo cardíaco:

Ação dos íons cálcio: no músculo cardíaco há despolarização do túbulo T aumentando a permeabilidade das cisternas do retículo sarcoplasmático liberando cálcio nas miofibrilas.    Além desta propriedade (até então igual ao músculo esquelético) o cálcio no músculo cardíaco flui diretamente dos túbulos T para as miofibrilas (por isso o retículo sarcoplasmático no músculo cardíaco não é tão desenvolvido quanto no músculo esquelético). Já os túbulos T no músculo cardíaco é muito mais desenvolvido. Ao fim do potencial de ação os íons cálcio retornam para o retículo sarcoplasmático (calseqüestrina) e para os túbulos T.

Observe o gráfico do potencial de ação X contração muscular – Preste atenção que o potencial de ação deve ocorrer antes da contração.

O aumento da freqüência cardíaca = diminuição do tempo do ciclo cardíaco.

Funcionamento ventricular –

1. Período de enchimento dos ventrículos – relaxamento isotônico: pressão ventricular é baixa. 2. Período de contração isovolumétrica (isométrica): houve fechamento das válvulas atrioventriculares e as semilunares estão fechadas. Haverá aumento da pressão ventricular sem diminuição de volume ventricular.3. Período de ejeção – contração isotônica: neste momento as válvulas semilunares se abrem permitindo o esvaziamento ventricular.4. Relaxamento isovolumétrico (isométrico): neste momento a pressão ventricular diminuiu devido ao esvaziamento só que as válvulas atrioventriculares ainda não se abriram para que o sangue fluísse da átrio para a cavidade ventricular.

Obs. Volume diastólico final – Volume sistólico final = volume de ejeção.

Energética da contração do músculo cardíaco –

- Energia deriva do metabolismo oxidativo (principalmente dos ácidos graxos). - O consumo de oxigênio pelo músculo cardíaco é uma excelente medida da taxa metabólica.

Efeitos dos íons potássio e cálcio no músculo cardíaco –

Alto cálcio = efeito estimulatório ao coração.Alto potássio = efeito inibitório ao coração.

Excitação rítmica do coração –

- Sistema especializado excitatório:    - Nodo sinoatrial    - Nodo atrioventricular    - Vias internodais    - Feixes atrioventriculares (feixes de His)    - Feixes de Backmann (entre o átrio direito e átrio esquerdo)    - Ramificações dos feixes atrioventriculares = fibras de Purkinje.

1. Nodo sinoatrial – - Situa-se entre o átrio direito e a veia cava.- Marcapasso cardíaco.- Auto-excitáveis = ritmicidade e automatismo cardíaco.- Voltagem de repouso dos nodos = -55mV (bem mais fácil despolarizar do que uma célula do músculo cardíaco).- Voltagem de repouso do músculo cardíaco = -85mV.

Por que –55mV??

- Nodos possuem os canais lentos de sódio que encontram-se sempre abertos (durante o repouso, a despolarização, a repolarização e a hiperpolarização).

 Esta constante entrada de sódio devido aos canais lentos gera o automatismo e a ritmicidade.

Gráfico comparativo entre o potencial nodal e o potencial muscular (cardíaco):

É mais fácil despolarizar uma célula nodal do que uma célula ventricular mas o potencial do nodo é mais lento do que o potencial ventricular.Este potencial é mais lento devido a ausência dos canais rápidos de sódio que promovem o pico da despolarização.

 Através das vias internodais o impulso gerado no nodo sinoatrial atinge o nodo atrioventricular. Os átrios devem ser despolarizados anteriormente aos ventrículos, por isso há um retardo proposital. O átrio direito recebe os estímulos por sinapses elétricas e o átrio esquerdo (por estar mais distante do nodo) recebe estímulos pelo feixe de backmann. Após despolarização atrial, pelos feixes atrioventriculares a despolarização atinge os ventrículos percorrendo as fibras de purkinje (muitas junções do tipo GAP).

Obs. Impulso ocorre em uma única direção: átrio – ventrículo. As arritmias cardíacas são patologias onde há reversão do potencial elétrico: ventrículo – átrio ou até mesmo outro caminho.

Sentido da rapidez do potencial elétrico –

Os valores acima descritos, indica a rapidez da propagação dos potenciais no músculo cardíaco.Este sistema segue:- nodo sinoatrial;- descendo pelas vias internodais;- atinge o átrio direito;- feixes de Backmann;- atinge o átrio esquerdo;- nodo atrioventricular;- feixes de His;- fibras de Purkinje;- ventrículo direito e esquerdo quase que simultaneamente;- endocárdio;- miocárdio;- pericárdio.

 Estes sistemas de automatização nodal e ritmicidade nodal são ditos fatores intrínsecos.  Os fatores extrínsecos seriam os adrenérgicos e os colinérgicos, hormônios derivados do sistema nervoso autônomo.  No caso da retirada do nodo sinoatrial, assume o papel de marcapasso o nodo atrioventricular sendo que seu fator intrínseco (batimentos/minuto) é menor.- Nodo sinoatrial = 80 – 100 batimentos/minuto (sem influência extrínseca).- Nodo atrioventricular = 40-60 batimentos/minuto.

Marcapassos anormais –

Ocasionalmente alguma região do coração passa a realizar uma descarga rítmica maior que a do nodo sinoatrial assumindo sua função = Foco Ectópico ou Marcapasso Ectópico.

Sistema Nervoso Autônomo –

Acetilcolina desenvolve um efeito inibidor ao músculo cardíaco. Inibe os nodos tendendo a uma parada cardíaca. Esta parada cardíaca não ocorre devido ao escape ventricular onde as fibras de Purkinje desenvolvem uma ritmicidade (15-40 batimentos/minuto). Adrenalina exerce papel oposto da acetilcolina, aumentando muito seu trabalho.

Comentários