Artigo-A importância da Gestão de Custos Logísticos

Artigo-A importância da Gestão de Custos Logísticos

(Parte 1 de 4)

A concepção logística de agrupar conjuntamente as atividades relacionadas ao fluxo de produtos e serviços para administrá-las de forma coletiva é uma evolução natural do pensamento administrativo. As atividades de transporte, estoques e comunicações iniciaram-se antes mesmo da existência de um comércio ativo entre regiões vizinhas. Custos logísticos são um fator-chave para estimular o comércio. O comércio entre países e entre regiões de um mesmo país é freqüentemente determinado pelo fato de que diferenças nos custos de produção podem mais do que compensar os custos logísticos necessários para o transporte entre as regiões. A relevância da logística é influenciada diretamente pelos custos associados à suas atividades. O aumento do comércio internacional indica que a especialização do trabalho continua acontecendo numa escala mundial. À medida que estes problemas puderem ser solucionados, todos poderão beneficiar-se de mercadorias de melhor qualidade e menor custo. Grandes esforços já foram feitos para o desenvolvimento de sistemas logísticos mais e mais eficientes.

O mundo está se tornando cada vez mais um mercado global. As fronteiras geográficas estão desaparecendo e a expectativa é de que as empresas devem estar mais preparadas e habilitadas para enfrentarem as realidades desse novo desafio, sendo levadas ao desenvolvimento de estratégias para projetar produtos para um mercado global, maximizando os recursos ao produzi-los. O mercado exige das empresas atuar com velocidade e flexibilidade sem relegar a oferta de produtos e serviços com preços reduzidos e elevados níveis de qualidade.

Neste cenário de imposições e desafios às empresas, a logística tem se revelado um recurso da maior importância, atribuindo-lhes diferenciais de qualidade e maior contribuição para os seus lucros.

O objetivo deste trabalho é discutir, à luz dos conceitos da logística, a sua contribuição para a melhoria do desempenho das organizações.

Definida como o campo da administração que se preocupa com a organização de recursos necessários para colocar produtos e serviços onde e quando os consumidores os desejam, de acordo com Ballou (1993), a logística empresarial, tem na literatura diversas definições e significados, o que nos leva a um conjunto de terminologias para designar as áreas onde se desenvolve, tais como: transportes, distribuição, distribuição física, suprimento e distribuição, administração de materiais, operações e logística.

A logística empresarial, ainda segundo definição de Ballou (1993) “associa estudo e administração dos fluxos de bens e serviços e da informação associada que os põe em movimento” e implica tanto no suprimento físico ou administração de materiais como na distribuição física. A este conceito alguns autores chamam de “gestão da cadeia de suprimentos” ou “supply chain management”, que contém importantes implicações para o gerenciamento estratégico dos negócios em geral.

FIGURA 1: LOGÍSTICA EMPRESARIAL

Fornecedores Fábricas Clientes

Administração de materiais

Distribuiçã o física

Cadeia de suprimentos

Fonte: Adaptado de Ballou, (1993: 35)

A logística tem o objetivo de tornar os produtos e serviços disponíveis no local onde são necessários e no momento em que são desejados, facilitando as operações de produção e marketing. Assim a contabilidade de custos tem procurado evoluir para captar com propriedade, os efeitos positivos que a logística tem proporcionado as empresas, contudo cabe aos profissionais da contabilidade maiores cuidados quanto a classificação dos custos, para que se possa ter de forma transparente e precisa a contribuição dos custos com logística sobre os resultados das empresas, como veremos no decorrer deste trabalho.

Segundo Bio, Robles e Faria (2002), “é comum deparar-se com a afirmação que custos logísticos envolvem apenas os custos com transporte”. Segundo os pesquisadores, essa confusão ocorre porque os custos com transportes representam o maior custo isolado da cadeia de logística. Mas, como veremos no decorrer deste trabalho, existem vários outros componentes da cadeia que são relevantes na formação do montante dos custos.

O dicionário “Larousse“ (1992) define logística como sendo:

“Parte da arte da guerra que visa a garantir provisões, transporte, alojamento, hospitalização etc. aos efetivos em operação”.

É neste contexto que a Logística Empresarial nos orienta, nos dias atuais, a visualizar que a diferença entre uma empresa vencedora e uma perdedora esta vinculada a sua Administração da Logística, aplicada pelos seus administradores. Esta diferença ira refletir não só na redução de seus custos, como também na satisfação de seus clientes.

Para Robles (2001) o conceito de logística pode ser melhor entendido a partir do que convencionou-se denominar os 7Cs (de sete certos) da logística: “Assegurar a disponibiliade do produto certo, na quntidade certa, na condição certa, no lugar certo, no momento certo, para o cliente certo, ao custo certo”.

Acerca desse conceito Ballou (2001) afirma que um negócio qualquer possa gerar quatro tipos de valor em produtos ou serviços: forma, tempo, lugar e posse. A utilidade de forma está relacionada ao fato de o produto estar disponível e pronto para uso/consumo. Ao consumidor não interessa, simplesmente, a utilidade da forma, mas a de lugar e tempo, estando no lugar certo e disponível para compra (posse). O produto/serviço só terá valor efetivo se o cliente encontra-lo onde e quando precisar. Imagine uma campanha publicitária de vários milhões de reais e quando o consumidor vai procurar o produto não o encontra na loja.

A utilidade de posse não é o resultado da logística, é considerada responsabilidade de Marketing, da Engenharia e Finanças, nos quais é agregado valor para ajudar o cliente a obter o produto e, depois, um suporte técnico no pósvenda, pelos descontos por volume ou prazos de pagamento que lhe permitirão tomar posse do produto. A logística administra o valor de tempo e de lugar nos produtos, sobretudo, por meio dos transportes, fluxos de informações e inventários.

Para movimentar materiais e produtos em direção aos clientes e disponibilizálos, de maneira oportuna, uma empresa incorre em custos, visando agregar um valor que não existia e foi criado para o cliente. Isso faz parte da missão da logística que está relacionada à satisfação das necessidades dos clientes internos / externos, viabilizando operações relevantes de manufatura e marketing, otimizando todos os tempos e custos, dadas as condições de cada elo da cadeia.

Assim, muitas vezes certa região detém uma vantagem sobre as demais no que diz respeito a alguma especialidade produtiva. Um sistema logístico eficiente permite uma região geográfica explorar suas vantagens inerentes pela especialização de seus esforços produtivos naqueles produtos que ela tem vantagens e pela exportação desses produtos às outras regiões. O sistema permite então que o custo do país (custos logísticos e de produção) e a qualidade desse produto sejam competitivos com aqueles de qualquer outra região.

Custos logísticos são um fator-chave para estimular o comércio. O comércio entre países e entre regiões de um mesmo país é freqüentemente determinado pelo fato de que diferenças nos custos de produção podem mais do que compensar os custos logísticos necessários para o transporte entre as regiões.

A relevância da logística é influenciada diretamente pelos custos associados à suas atividades. Fatores de peso estão influenciando o incremento dos custos logísticos. Dentre eles, os mais relevantes são: o aumento da competição internacional, as alterações populacionais, a crescente escassez de recursos e a atratividade cada vez maior da mão-de-obra no Terceiro Mundo. O aumento do comércio internacional indica que a especialização do trabalho continua acontecendo numa escala mundial. À medida que estes problemas puderem ser solucionados, todos poderão beneficiar-se de mercadorias de melhor qualidade e menor custo. Grandes esforços já foram feitos para o desenvolvimento de sistemas logísticos mais e mais eficientes.

Funções Típicas de Logística: Estratégias de compras; transporte; armazenagem; gerenciamento de materiais; serviços aos clientes; ordens de processamento; planejamento de produção; relatórios e sistemas de informações; suporte a outras atividades.

Atividades primárias da logística

Identifica aquelas atividades que são de importância primaria para que sejam atingidos os objetivos de custo e nível de serviço. Estas atividades são: Transportes; manutenção de estoques; processamento de pedidos.

Estas atividades são consideradas primarias porque ou elas contribuem com a maior parcela do custo total ou elas são essenciais para a coordenação e o cumprimento da tarefa logística, que detalhamos a seguir:

Transporte: para a maioria das firmas, o transporte é a atividade mais importante, simplesmente por que ele é a mais visível e também porque ela é essencial. Nenhuma firma pode operar sem providenciar a movimentação de suas matérias primas ou de seus produtos acabados. A administração da atividade de transporte geralmente envolve decidir-se quanto ao método de transporte, aos roteiros e à utilização da capacidade dos veículos.

Manutenção de Estoque: muitas vezes não e possível entregar o produto ao cliente assim que acaba a sua fabricação. Da mesma forma, não e possível receber todos os suprimentos no exato momento em que eles são necessários na produção, embora muito se tenha feito dentro dos conceitos de “just-in-time”. A armazenagem torna-se necessária quando por alguma razão temos que guardar uma matéria prima, componente ou produto acabado ate a sua utilização. Os estoques agem então como “amortecedores entre a oferta e a demanda”. A manutenção dos estoques pode atingir de um a dois terços dos custos logísticos, o que torna a manutenção de estoques uma atividade-chave da logística.

Processamento de Pedidos: os custos de processamento de pedidos tendem a ser pequenos quando comparados aos custos de transporte ou de manutenção de estoque. Contudo, o processamento de pedidos é uma atividade logística primaria. Sua importância deriva do fato de ser elemento critico em termos do tempo necessário para levar bens e serviços aos clientes. É também uma atividade primaria que inicializa a movimentação de produtos e a entrega de serviços. Abaixo demonstramos uma forma exemplificada das três atividades primaria para atender clientes, por alguns autores é chamado de o “ciclo critico”.

FIGURA 2: O CICLO CRÍTICO DA LOGÍSTICA

Processamento dos pedidos dos clientes

Atividades de apoio da logística

Apesar de transporte, manutenção de estoque e processamento de pedidos serem os principais ingredientes que contribuem para a disponibilidade e a condição física de bens e serviços, há uma serie de atividades que apóiam estas atividades primarias. Elas são:

Armazenagem e guarda; movimentação de materiais; embalagem de transporte; suprimentos; programação de produção; manutenção de informações; estimativa de demanda; manuseio de devoluções; venda de sucatas e sobras; seleção de local para a fábrica e armazém.

5 Transporte ClienteEstoque

Seu relacionamento com as atividades primarias e o nível de serviço visado esta mostrada na figura a seguir:

FIGURA 3: RELACIONAMENTO ATIVIDADES DE APOIO X PRIMÁRIAS

Iniciando pelo estudo da etimologia, segundo Araújo (2003) existem algumas versões para a origem da palavra Logística: alguns autores afirmam que ela é originaria da palavra francesa “Loger”, que significa “acomodar” “alojar”, enquanto que outros autores afirmam que é derivada do grego “Logos” (razão) que significa “a arte de calcular” ou “a manipulação dos detalhes de uma operação”. A palavra logística é usada para expressar “o planejamento e a gestão dos serviços relativos à documentação, manuseio, armazenagem dos bens objetos de uma operação de comercio nacional ou internacional”.

Conforme Faria (2003), a primeira tentativa de definir logística foi feita pelo Barão Henri de Jomini, general de Napoleão [1779-1869], em seu compêndio Arte da Guerra, no qual declara que a logística é “a arte da prática de movimentar exércitos, ou seja, tudo ou quase tudo no campo das atividades militares, exceto o combate”.

Recentemente, o conceito de logística ganhou abrangência, e passando a ser entendido o seu potencial implícito de estratégia, proporcionando novas formas

Nível de Serviço

TransporteProcessamento de Pedidos

Manutenção de Estoque

Armazenagem

Suprimentos Embalagem de

Transporte

Movimentação de Materiais

Manutenção de Informações

(Parte 1 de 4)

Comentários