IBGE - Dicionario Ambiental

IBGE - Dicionario Ambiental

(Parte 1 de 9)

v b r n ma ocabulário ásico de ecursos aturais e eio mbiente

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva

Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Guido Mantega

Presidente Eduardo Pereira Nunes

Diretor Executivo Sérgio da Costa Côrtes

Diretoria de Pesquisas Wasmália Socorro Barata Bivar

Diretoria de Geociências Guido Gelli

Diretoria de Informática Luiz Fernando Pinto Mariano

Centro de Documentação e Disseminação de Informações David Wu Tai

Escola Nacional de Ciências Estatísticas Pedro Luis do Nascimento Silva

Diretoria de Geociências

Coordenação de Recursos Naturais e Estudos Ambientais Celso José Monteiro Filho

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

Diretoria de Geociências Coordenação de Recursos Naturais e Estudos Ambientais

Vocabulário Básico de Recursos Naturais e Meio Ambiente

Rio de Janeiro 2004

Elaboração do arquivo PDF Roberto Cavararo

Produção da multimídia Marisa Sigolo Mendonça Márcia do Rosário Brauns

Capa

Marcos Balster Fiore e Ubiratã O. dos Santos - Coordenação de Marketing/Centro de Documentação e Disseminação de Informações - CDDI

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Av. Franklin Roosevelt, 166 - Centro - 20021-120 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil

ISBN 85-240-3769-5 (CD-ROM) ISBN 85-240-3766-0 (meio impresso) © IBGE. 2004

Sumário

Lista de Siglas e Abreviaturas

Apresentação 2a Edição

Introdução Referências

Lista de Siglas e Abreviaturas al. - Alemão 0C - Graus centígrados cal - Caloria cm - Centímetro cm2 - Centímetro quadrado cmolc - Centimol de cargas cps - Cintilações por segundo CTC - Capacidade de troca de cátions dS - DeciSiemens fr. - Francês g - Grama ing. - Inglês kg - Quilograma km - Quilômetro l - Litro m - Metro m2 - Metro quadrado m3 - Metro cúbico mb - Milibar mg - Miligrama m - Milímetro mmhs - Milimohs ppb - Partes por bilhão ppm - Partes por milhão rpm - Rotações por minuto seg. - Segundo

Apresentação 2a Edição

OIBGE coloca à disposição da sociedade uma nova edição da publicação Vocabulário básico de recursos naturais e meio ambiente. Fruto de criteriosa revisão, esta segunda edição voltou-se fundamentalmente a uma melhor definição de inúmeros verbetes, muitos dos quais ressentiam-se de interpretação mais clara, enquanto outros foram redefinidos, procurando-se adequá-los aos conceitos científicos mais recentes.

Nesta revisão, mais de 300 novos verbetes foram ainda incorporados, abrangendo os mais variados campos do conhecimento científico, procurando, desta maneira, ampliar o leque de abrangência deste Vocabulário.

Merece ser ressalvado que os mesmos preceitos adotados quando da elaboração da edição anterior foram rigorosamente seguidos nesta nova edição.

Guido Gelli Diretor de Geociências

Apresentação

Com a publicação deste trabalho, o IBGE dá continuidade a uma série de estudos que vêm sendo desenvolvidos e publicados com intuito de propiciar melhor conhecimento dos recursos naturais e de disponibilizar informações que permitam uma utilização mais racional do meio ambiente.

O Vocabulário Básico de Recursos Naturais e Meio Ambiente está voltado a todos aqueles que se dedicam a este campo científico, atendendo a um leque amplo de usuários de diferentes áreas de conhecimento e interesses. O presente volume reúne 2 500 verbetes considerados os mais relevantes em estudos ambientais e que foram selecionados entre os de uso mais corrente. A sua publicação permite difundir conceitos de forma ágil, facilitando pesquisas por vezes demoradas.

Com este volume, o IBGE coloca à disposição da sociedade instrumentos relevantes de consulta e cumpre parte de sua missão institucional de retratar o Brasil com informações necessárias ao conhecimento de sua realidade e ao exercício da cidadania.

Guido Gelli Diretor de Geociências

Introdução

procelasO homem, a fera, e o inseto, à sombra

Olha estas velhas árvores, mais belas Do que as árvores novas, mais amigas: Tanto mais belas quanto mais antigas, Vencedoras da idade e das delas Vivem, livres de fomes e fadigas; E em seus galhos abrigam-se as cantigas E os amores das aves tagarelas.

Olavo Bilac

Esta nova edição do Vocabulário Básico de Recursos Naturais e Meio Ambiente, segue tanto no seu aspecto estrutural como no âmbito conceitual, os mesmos princípios que nortearam a edição anterior, isto é, verbetes ordenados em ordem alfabética, submetidos a definições diretas e mais objetivas possíveis, contemplando um amplo espectro das ciências naturais e ambientais.

Para não ficar apenas restrita a uma simples reedição, foi efetuada uma vigorosa revisão, que permitiu serem alguns conceitos total ou parcialmente reformulados, segundo os ditames de aspectos científicos mais atualizados. Seu conteúdo, aparentemente estático em si, foi dinamizado através da inclusão de mais de três centenas de novos verbetes, em especial nos domínios da Biologia, da Zoologia, da Paleontologia e dos Indicadores Ambientais.

A inclusão de novos termos e a diversificação das ciências presentes, amplia ainda mais a abrangência do Vocabulário Básico de Recursos Naturais e Meio Ambiente, merecendo ser ainda ressaltado que o melhor entendimento de inúmeros vocábulos, foi conseguido através de definições por vezes bem mais generosas, porém, sem fugir aos princípios estabelecidos para a caracterização de cada verbete.

Certamente, esta edição, longe de ser definitiva em seu conteúdo, traz impressa os mais atualizados conceitos que permeiam o pensamento científico atual, no fascinante campo dos Recursos Naturais e do Meio Ambiente.

A (Pedologia) Horizonte superficial do solo, mineral, caracterizado por uma acumulação de matéria orgânica decomposta, intimamente associada com a fração mineral.

a (Pedologia) Anotação utilizada para indicar que o horizonte A, ou o B, ou o C tem propriedades ândicas.

a (Geologia) Termo utilizado pelos nativos do Havaí. Indica lavas de natureza básica cuja superfície é áspera, fendilhada, e que mostra no campo um aspecto geral composto por um amontoado de blocos, fragmentos agudos e lascas. Ver também lava em blocos.

abalo Vibração do solo devido a um sismo (terremoto) ou explosão.

aberração cromática Fenômeno devido ao fato de uma lente apresentar índices de refração diferentes para os distintos comprimentos de onda da luz.

ablação Fenômeno de degelo que ocorre na parte superficial de uma geleira, devido à ação da radiação solar (insolação) e também ao ar quente e à chuva.

abrolho Acidente do relevo submarino constituindo um rochedo que por vezes aflora próximo ao litoral, formando ilhas.

absorção Processo físico no qual um material coleta e retém outro, com a formação de uma mistura, podendo ser acompanhada de uma reação química.

absorção ativa Movimento de íons e água para o interior da raiz da planta como resultado de processos metabólicos da raiz, freqüentemente contra um gradiente de potencial eletroquímico.

absorção passiva Movimento de íons e água para o interior da raiz da planta, como resultado de difusão ao longo de um gradiente de atividade.

absortância Propriedade apresentada por um objeto de absorver a energia radiante. É uma grandeza adimensional, com valor variando de 0 a 1.

abundância (Botânica) Denominação aplicada para indicar o montante de indivíduos de cada espécie, na composição florística de uma dada área.

acamadamento (Estratigrafia) Uma das feições mais típicas das rochas sedimentares, uma vez que consiste na disposição em corpos tabulares (camadas), com espessura e extensão variáveis, porém com características físicas próprias no que tange a sua granulometria, grau de esfericidade, arredondamento, tipo de cimento e seleção, como também, algumas vezes, por sua coloração. Reflete as condições do ambiente deposicional em que se formaram as rochas sedimentares.

Vocabulário Básico de Recursos Naturais e Meio Ambiente acápua Lenha seca, que não deixa fumo. acaule Denominação aplicada a uma planta que não apresenta caule visível.

accipitridae Nome de uma família das aves, representada dentre outras, pelas águias e gaviões.

aceiro Faixa de terreno que é mantida livre de vegetação em torno de uma área, com o objetivo de evitar a propagação do fogo.

acetato Sal derivado do ácido acético, sendo em geral um sólido cristalino.

acetil colina Substância presente em várias partes do corpo dos animais; sendo de grande importância para o funcionamento das células nervosas, atuando como mediador químico.

acidez Presença de ácido, isto é, de um composto hidrogenado que, em estado líqüido ou dissolvido, se comporta como um eletrólito. A concentração de íons H+ é expressa pelo valor do pH.

acidez ativa (Pedologia) Atividade do íon hidrogênio na fase líquida do solo. É medida e expressa como um valor de pH.

acidez da água Quantidade de ácido, expressa em miliequivalentes de uma base forte por litro de água, necessária para titular uma mostra a um determinado valor do pH.

acidez livre Quantidade de ácidos fortes contida na água, geralmente expressa em miliequivalentes de base forte necessária para neutralizar um litro dessa água, utilizando-se, por exemplo, o vermelho de metila como indicador.

acidez não trocável (Pedologia) Quantidade de íons hidrogênio que o solo é capaz de liberar pela extração com uma solução de sal tamponada, geralmente a pH 7,0, sendo obtida pela diferença entre a acidez potencial e a trocável.

acidez potencial (Pedologia) Quantidade de íons hidrogênio e alumínio que um solo (fase sólida) é capaz de liberar pela extração com uma solução tamponada, geralmente de acetato de cálcio 1N a pH 7,0 acidez total Quantidade de ácidos fracos e fortes, expressa em miliequivalentes de uma base forte necessária para neutralizar esses ácidos, utilizando-se, por exemplo, a fenolftaleína como indicador.

acidez trocável (Pedologia) Quantidade de íons alumínio extraída de um solo com solução de sal neutro não tamponado (geralmente KCl 1N). Em solos orgânicos além do íon alumínio pode ser extraída quantidade apreciável de íon hidrogênio.

acidimetria Volumetria de neutralização em que se determina a concentração de uma solução ácida por meio de titulação com uma solução básica de concentração conhecida.

ácido acético Líqüido claro, viscoso, de cheiro picante e solúvel em água, sendo que quando resfriado em uma temperatura abaixo de 16,70C, solidifica-se formando cristais brilhantes, incolores e transparentes com aspecto de gelo. É utilizado na preparação de perfumes, corantes, acetona etc, sendo ainda encontrado como principal constituinte do vinagre.

ácido de Arrhenius Substância que libera íons hidrogênio (H+) quando se dissolve em água.

Vocabulário Básico de Recursos Naturais e Meio Ambiente ácido fúlvico (Pedologia) Mistura de substâncias orgânicas que permanecem em solução após acidificação de um extrato do solo, usando um álcali diluído.

ácido húmico (Pedologia) Fração do húmus do solo de cor escura, que pode ser extraída com solução diluída de álcali e após, precipitada por acidificação.

ácidos de Lewis Substâncias que podem receber um ou mais pares de elétrons.

ácidos graxos Compostos que contêm uma cadeia com 14, 16 ou 18 átomos de carbono, não ramificada, saturada ou insaturada, com um grupo carboxílico em uma ponta da molécula. Quase todos os ácidos graxos encontrados na natureza encerram um número par de átomos de carbono, incluindo o carbono no grupo carboxílico.

acidulante Substância capaz de comunicar ou intensificar o gosto ácido (azedo) dos alimentos e bebidas.

aclimatação (Ecologia) Designação aplicada ao processo de adaptação de uma planta a um local diverso do de sua origem.

acréscimo crustal Aumento da crosta por adição sucessiva de material provindo do manto.

acritacos Microfósseis unicelulares ou aparentemente unicelulares que consistem em uma testa constituída de substâncias orgânicas de forma e ornamentação variadas. Ocorreram do Pré-cambriano até o Terciário.

acródromo Tipo de nervação foliar no qual duas ou mais nervuras primárias, ou secundárias bem desenvolvidas, partindo da folha, dirigem-se em arcos convergentes ao ápice da mesma.

acrófita Planta que vive nas regiões alpinas. acrografia Arte de gravar em relevo, através da utilização da água-forte. ácron Parte anterior não segmentada do corpo de um animal metamérico.

actinódroma Tipo de nervação foliar no qual três ou mais nervuras primárias divergem radialmente a partir de um ponto único, geralmente basal, da folha.

actinolita Mineral do grupo dos anfibólios monoclínicos e que se diferencia da tremolita - Ca2 Mg5 (Si8 022) (0H)2- pela presença de ferro em quantidades superiores a 2%.

actinomicetos Bactérias filamentosas, geralmente ramificadas, e que formam micélios semelhantes aos dos fungos . Vivem, principalmente, no solo e quando proliferam na água causam problemas de sabor e odor.

actinomorfa Flor que exibe vários planos de simetria, podendo ser dividida em duas metades iguais mediante seções longitudinais em diferentes direções.

aculeado Provido de acúleos.

acúleo Estrutura de origem epidérmica, com aspecto de espinho, encontrada em caules, como por exemplo, na roseira, e nas folhas.

acunhamento Denominação aplicada ao aspecto apresentado por uma camada quando ela se adelgaça lateralmente até o seu desaparecimento, passando a outra de natureza diferente.

Vocabulário Básico de Recursos Naturais e Meio Ambiente açafrão Corante de origem vegetal extraído dos estigmas dissecados das flores do Crocus sativus L.

ação antrópica Qualquer atividade desenvolvida pelo homem sobre o meio ambiente, independentemente de ser maléfica ou benéfica.

ação bioquímica Modificação química resultante do metabolismo de organismos vivos.

ação de limpeza Remoção de substâncias indesejáveis através da utilização de processos físico-químicos.

ação fumigante Penetração de uma substância química volátil no organismo, através das vias respiratórias.

ação mutagênica Ação capaz de provocar uma alteração cromossômica não detectável, conhecida como mutação genética, a qual é transmitida às gerações sucessivas de células.

açúcar Qualquer elemento do grupo dos carboidratos solúveis em água, com peso molecular relativamente baixo e que apresenta um típico sabor doce. É um sacarídeo.

adaptação Capacidade que possuem os seres vivos de adquirir meios que os habilitem a viver em um novo ambiente.

adenosina difosfato (ADP). Composto que intervém no transporte da energia nos organismos vivos.

adenosina trifosfato (ATP) Composto que fornece a energia necessária para as diversas atividades desenvolvidas pelas células, além de intervir em numerosas reações químicas dos organismos vivos. É o transportador universal de energia das células dos seres vivos.

adensador de lodo Unidade onde é realizado o adensamento do lodo de esgoto.

adensamento (Pedologia) Redução natural do espaço poroso e o conseqüente aumento da densidade de camadas ou horizontes do solo, por dissecação, iluviação ou precipitação química. Quando resultante da ação antrópica é denominado compactação.

adensamento do lodo Aumento da concentração de sólidos do lodo de estações de tratamento de esgotos nos tanques de sedimentação e digestão. Geralmente a redução do teor excessivo de umidade dos lodos não digeridos, com diminuição do seu volume, é efetuada em tanques especiais (adensadores), através de uma agitação conveniente, sem que haja adição de reagentes químicos, ocorrendo então uma liberação de parte da água, em conseqüência da floculação pela aglomeração dos sólidos.

(Parte 1 de 9)

Comentários